segunda-feira, 20 de abril de 2015

Plot twist: afinal é o Sporting que vai ao colinho dos árbitros

Só à décima expulsão do Sporting no campeonato é que me apercebi que afinal esta chuva de vermelhos é um favor encapotado que os árbitros nos fazem. Sim, está a haver colinho da APAF ao Sporting, pois a iniciativa que revelam para colocar jogadores nossos na rua parece ter como objetivo principal acordar os 10 que ficam em campo, para que comecem enfim a praticar algo parecido com futebol. Os números começam a ser reveladores que este plot twist é uma realidade. Nas últimas semanas houve pelo menos quatro situações em que melhorámos resultados em desvantagem numérica: Belenenses (Mané), Penafiel (Nani), Nacional para a Taça da Portugal (outra vez Mané) e agora Boavista (Slimani).

Hoje a expulsão de Tobias pareceu-me tão justa quanto escusada - Rui Patrício chegaria primeiro à bola e acabaria com o perigo -, tendo sido o ponto mais baixo de uma exibição paupérrima com que o Sporting castigou os mais de 35.000 adeptos presentes no estádio. Na segunda parte a equipa redescobriu o brio profissional perdido e colocou (finalmente) uma dose de esforço em campo que compensou a evidente falta de inspiração coletiva, aos ombros de um grande William e recorrendo aos suspeitos (leia-se matador e municiador) do costume para fazer o golo que garantiu os três pontos que, aos dezassete segundos de jogo, ninguém julgaria que fossem tão duros de conquistar.



Positivo

A entrada de William - não me parece que a subida de produção da segunda parte se tenha devido exclusivamente à entrada de William, mas a verdade é que o número 14 conseguiu empurrar a equipa para a frente de uma forma que mais ninguém fez durante os 90 minutos, quer com passes a rasgar linhas adversárias, quer conduzindo a bola de forma objetiva e eficiente. Tudo isto apesar de ter sido forçado a atuar numa posição híbrida: como central a defender e como médio construtor a atacar. É claro que essa inovação apenas foi possível graças à falta de arrojo ofensivo do Boavista, mas que ironicamente acaba por expor de forma bem evidente o equívoco que foi o onze inicial escolhido por Marco Silva.

O matador e o municiador do costume - não me parece que seja tecnicamente correto classificar o passe de Carrillo como cruzamento, atendendo à posição recuada e tão pouco lateral de onde bateu a bola. Cruzamento ou não, foi mais uma assistência magistral (a 12ª do peruano esta época) para Slimani (13º golo do argelino), que leu na perfeição a intenção do seu colega e desmarcou-se no momento certo para um cabeceamento bem oportuno.

Cédric a defender - apesar de ter feito uma exibição desinspirada a atacar - à semelhança de todos os outros seus companheiros -, foi de longe o melhor elemento da linha defensiva. Ninguém o adivinharia há dois anos, mas Cédric transformou-se num lateral que defende muito bem, sendo que isso nota-se em particular nos lances de contra-ataque adversários. Os sprints que faz do ataque para a defesa para se reposicionar - mesmo que a bola esteja a ser conduzida no flanco oposto - já começam a ser uma imagem de marca de Cédric, e foi graças a isso que conseguiu uma dobra importantíssima num lance que poderia ter dado o empate ao Boavista. Não sei se lhe valerá a recuperação da titularidade, mas promete complicar a vida do treinador no momento da definição do onze da próxima semana.

35.197 - excelente assistência, com muitas crianças nas bancadas. Notável, atendendo que já não podemos aspirar uma classificação superior ao atual 3º lugar.


Negativo

O onze inicial e uma primeira parte para esquecer - quando soube qual seria a equipa inicial torci de imediato o nariz, ao ver que Tanaka seria o único ponta-de-lança e Rosell o primeiro construtor. Num jogo com estas características - não era preciso ser-se adivinho para antecipar a postura ultra-defensiva do Boavista - pensei logo que poderíamos estar a dar de avanço minutos que poderiam vir a ser preciosos. Um golo aos 17 segundos deixou-me prematuramente relaxado, já que pouco depois lá arranjaríamos forma de conceder ao adversário um golo que surgiu de uma jogada em que meia equipa revelou uma passividade inaceitável. É verdade que a exibição de todos os jogadores da equipa foi medíocre durante os primeiros 45 minutos, mas Tanaka e Rosell em particular mostraram ser erros de casting para este jogo. Gostava de ver um heat map do japonês para saber exatamente onde ele passa a maior parte do tempo, mas calculo que não seria perto da meia-lua em que a cor seria mais intensa. Quanto a Rosell, passou o jogo a formar uma linha de 3 com os centrais quando tínhamos a posse de bola, nunca arriscando um passe vertical que fosse. A substituição era inevitável, mas fiquei com pena do rapaz: deve ser desmoralizador ter que sair tão cedo na primeira vez em que foi titular em Alvalade num jogo a sério desde a 2ª (!) jornada.

Jefferson e Tobias - estiveram diretamente ligados aos dois momentos do jogo que poderiam ter deitado tudo a perder: o golo do Boavista e a expulsão a fechar a primeira parte. No golo, Jefferson - que estava no flanco direito após marcar um canto - conseguiu perder duas vezes a bola para jogadores do Boavista, enquanto que Tobias deixou-se antecipar por Zé Manuel numa disputa aérea que devia ser sua. A expulsão surge a partir de uma péssima abordagem à bola de Jefferson, e Tobias devia ter lido melhor o lance - a falta era nitidamente a pior das opções. No resto do jogo, também não estiveram bem. Jefferson não acertou um cruzamento, não conseguiu nenhuma iniciativa ofensiva relevante e esteve apático a defender. Tobias complicou num par de lances, revelando algum nervosismo. Tarde para esquecer para ambos os jogadores.

Nani e João Mário - complicativos durante a maior parte do jogo, demonstraram mais uma vez estar muito longe do seu melhor.



Pior exibição da época a par com a de Guimarães e Dragão. Salvou-se o resultado. 

19 comentários :

  1. Slimani "leu na perfeição a intenção do seu colega"? Acho que foi ao contrário. Basta ver o gesto do argelino a pedir a bola a Carrillo.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não reparei em nenhum gesto, leaodasilhas, mas é possível. Um abraço.

      Eliminar
    2. Embora a qualidade do vídeo seja fraquinha, dá para ver aos 3'53''.

      http://videos.sapo.pt/zZ40EpgyjruRAhmD16Dn


      Abraço

      Eliminar
    3. É verdade, sim senhor! Obrigado e um abraço.

      Eliminar
  2. Um dos piores jogos da época sem duvída, os 35K não mereciam. Pior é que cada vez mais sinto que isto tem tudo para acabar mal, oxalá me engane.

    Sobre o Rosell acho que não tem qualidade para jogar no SCP, mas MS parece ter mais facilidade em desmotivar os jogadores do que o contrário.

    Hoje fiz um apanhado estatístico sobre a performance dos 3 grandes nos últimos anos, coloquei a % de pontos ganhos, golos marcados, golos sofridos, médias, comparando com os valores dos campeões em cada época. Apesar de tudo os números de MS não são maus, embora que o processo defensivo seja algo que me preocupa pois piorou imenso desde a última época e o problema não está só no eixo da defesa.

    Mestre, agora que a época está em modo piloto até à final da Taça, gostava de ver aqui um conjunto de posts com a temática MS e próxima época em debate (politica de contratações, que não me parece poder seguir a linha do ano anterior, sob pena de ficarmos com imensos jogadores entre equipa A e B).

    Penso que o ficheiro abaixo pode servir como base de trabalho para análise estatística, tirei tudo do ZZ.

    http://s000.tinyupload.com/download.php?file_id=20530287136492626026&t=2053028713649262602633840

    Abraço e parabéns por manter o melhor blog do SCP.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pelo ficheiro, Fernando, é de facto muito interessante. Já o guardei e vou utilizá-lo. Esse tema de MS e da preparação da próxima época é de facto interessante e tenciono escrever sobre isso.

      Os números de MS de facto não são maus. Na comparação direta com Leonardo Jardim, há que dizer que existem 4 jogos a mais contra equipas muito fracas, que baixam o nível médio. De qualquer forma, a verdade é que o Paços de Ferreira e o Boavista são as equipas a mais, o que significa que perdemos 4 pontos contra elas...

      Obrigado e um abraço.

      Eliminar
  3. Nos últimos 3 jogos em casa, o Sporting teve 3 centrais expulsos. E isto contra equipas altamente poderosas como Penafiel, Guimarães e Boavista.

    Nos últimos 6 jogos para a Liga, o Sporting teve 4 centrais expulsos.

    Nani e William estão, novamente, a 2 cartões da exclusão.
    Patrício está a 2 cartões da exclusão.
    Mané, J. Mário e Miguel Lopes estão a 1 jogo da exclusão.

    Isto devia ser um case study.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas nem todas as expulsões foram injustas, e acho que ao fazer-se essa análise, se tem de perceber quais as que foram "excesso de zelo" (para não chamar outra coisa) do árbitro, quais as que foram burrice dos jogadores, quais as que se deveram a termos um processo defensivo miserável, etc...

      Eliminar
    2. Precisamente. Na minha opinião:
      - William vs. Académica - certa, mas já vi muitos árbitros a não amarelarem faltas como as 2 que ele cometeu, podia ter havido alguma condescendência
      - Jefferson vs. Belenenses - forçada (o árbitro empurrou-o duas vezes)
      - Nani vs. Estoril - certa, foi a pedido
      - Jonathan vs. Arouca - forçada, sofreu uma falta dura não punida e o banco rodeou-o sem que mais ninguém fosse amarelado
      - Cédric vs. Belenenses - forçada, até jogou a bola
      - Miguel Lopes vs. Nacional - injusta, não fez falta
      - Tobias vs. Penafiel - certa
      - Paulo Oliveira vs. Guimarães - forçada, o segundo amarelo era dispensável
      - Ewerton vs. Setúbal - injusta
      - Tobias vs. Boavista - certa

      Eliminar
  4. Imaginando que o Nani e o William apanham o cartão amarelo que origina nova exclusão na última jornada não havendo mais jogos nessa competição, o castigo pode transitar para a Taça?

    É possível? Muito cuidado...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Provavelmente eles limparão os amarelos antes do ultimo jogo, obviamente ;)

      Eliminar
    2. Não FCS, suspensões por atingir o limite de amarelos tem que ser cumprido na mesma competição. Apenas em expulsões diretas ou por segundo amarelo são cumpridos no jogo seguinte. Muito cuidado no último jogo do campeonato, portanto.

      Eliminar
    3. Sendo assim um eventual castigo seria cumprido na 1ª jornada da próxima época?

      Eliminar
    4. FCS,

      Sim, exatamente. Por isso é que acredito que limpem os cartões nestas últimas jornadas, de forma a começar a próxima época sem restrições.

      Eliminar
    5. Boa pergunta... não sei se na última jornada gera castigo que transite para a época seguinte.

      Eliminar
  5. Tenho visto as coisas mais incriveis e absurdas acontecerem no Sporting...

    ResponderEliminar
  6. apenas umas notas

    - a velocidade( ou falta dela) com que a equipa circulou a bola na primeira parte: a equipa do Boavista limitava-se a bascular de um lado para o outro e a seguir com os olhos.

    - na primeira parte fora o golo e uma oportunidade so slimani, o maior perigo foram dos cortes tortos do numero 32 do Boavista( pelo contrario o Boavista no livre apos a expulsão ia marcando e teve uma meia oportunidade do afonso figueiredo antes de marcar)

    - é certo que o cedric fez aquele corte, na segunda parte, mas no lance do golo não estava na sua posição, que foi de onde partiu o centro.

    - a expulsão revela imaturidade, o avançado nunca na vida apanhava aquela bola

    - jogar com o rossel de inicio num jogo que é para assumir a posse de bola é jogar com 10, já que o espanhol simplesmente não sabe construir jogo( enquanto teve em campo tinha de ser o adrien ou o joao mario a vir buscar jogo)

    no fundo valeu mais o resultado do que a exibição, o treinador esteve bem na leitura de jogo, embora tenha se calhar exposto um pouco a equipa aquando da ultima substituição.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Riga, é verdade, a primeira parte foi de facto de uma lentidão exasperante. Tudo perfeitamente previsível e facílimo de tapar.

      É verdade que o Cédric estava fora da posição, mas porque já tinha saído em contenção. De qualquer forma não foi por falta de presença de jogadores naquela zona do terreno que o golo aconteceu...

      Sim, a entrada do Mané para o lugar do Adrien só se compreende pelo desgaste do médio, sem que houvesse André Martins no banco. O que é facto é que se neste momento o Adrien não consegue jogar 90 minutos, se calhar é sinal que devia descansar em alguns jogos.

      Um abraço.

      Eliminar
  7. a expulsão é um abuso pois pela repetição percebe-se perfeitamente que a bola sai disparada para a esquerda sem enquadramento com o golo.

    Um coisa é ganhar a posição ao último homem da defesa, outra coisa bem diferente é ganhar e ter enquadramento com a baliza...

    ResponderEliminar