terça-feira, 7 de abril de 2015

Revolução

Na semana passada, os vários jornais deram conta das mexidas profundas que o Sporting se prepara para fazer no plantel principal durante o próximo defeso. Apesar de Bruno de Carvalho ter dito que só se reuniria com Marco Silva para preparar a próxima época após as meias-finais da Taça de Portugal, é normal que já exista uma ideia do que há para fazer. Resta saber se a dimensão da tal revolução que os jornais relatam é fruto de especulação ou tem origem em alguma fonte ligada à direção.

in O Jogo

No entanto, quer se trate de especulação ou de uma fonte legítima, acho pouco provável que as mudanças sejam assim tão radicais quanto se apregoa. Antes de explicar o meu ponto de vista, vamos ver mais em concreto quais são as entradas e saídas que estão a ser mencionadas pelos vários jornais:

SAÍDAS

Salário elevado: Rui Patrício e Adrien Silva

Contrato a terminar: Cédric, Carrillo e André Martins 

Vontade do jogador: Jefferson e Slimani

Realização de grande venda: William Carvalho

Fim do empréstimo: Nani

Relação salário ou encaixe financeiro vs. rendimento desportivo: Montero, Marcelo Boeck, Sarr e Capel


ENTRADAS

Promoção da equipa B: Wallyson, Rubio, Gauld e Matheus Pereira.

Regresso de empréstimos: Esgaio, Iuri Medeiros, Labyad.

Outras contratações a definir.


Começando por comentar as hipotéticas saídas, estamos mesmo a falar praticamente de uma renovação ao nível do famoso cheque e vassoura de Luís Duque. Confiando no que dizem os jornais, metade do plantel estará já a preparar as malas. Pior: do onze habitualmente titular, só restarão os dois centrais e João Mário.

Basta usar um pouco de bom senso para perceber que mesmo que a direção tenha mostrado disponibilidade para deixar sair estes jogadores, isso não implica que saiam todos. Pelo contrário, a saída de uns poderá muito bem resolver o problema de outros. Se Capel sair, ganha-se margem orçamental para resolver o problema da renovação de Carrillo ou Cédric. Se entre Jefferson / Slimani / Adrien / Rui Patrício / Cédric / Carrillo dois deles forem bem vendidos - e não há motivo nenhum para não serem -, o Sporting deixa de ter necessidade de vender William Carvalho ou outro jogador qualquer. Em relação aos insatisfeitos que não sejam vendidos, não é nada que se possa resolver com um novo aumento salarial e alguma paciência até ao fecho do mercado.

O ideal seria conseguir receitas suficientes com jogadores que não são titulares. Como o Sporting não frequenta o circulo restrito dos clubes que negoceiam em milhões de treta, é complicado que essas potenciais vendas sejam suficientes para cobrir as necessidades. Mas pode ser que em conjunto dispensem a saída de um atual titular.

Existe um orçamento que é necessário cobrir e há que garantir receitas para isso. Dentro desses constrangimentos há opções para tomar. Bruno de Carvalho disse que o Sporting não está dependente de vendas para cumprir o seu orçamento. Isso até poderia ser verdade caso o clube fosse muito comedido nas contratações e conseguisse alcançar a fase de grupos da Liga dos Campeões. Mas em condições normais o Sporting terá mesmo que vender, o que é perfeitamente normal. Não precisa é de vender metade do plantel e 70% do onze titular. O facto de não existirem intocáveis no plantel e de haver abertura para negociar a maior parte dos ativos está muito longe de significar a sangria que estas peças dos jornais deixam entender.

Em relação às entradas, fala-se que há sete jogadores escalonados para fazer a pré-época: Wallyson, Rubio, Esgaio, Iuri, Labyad, Matheus e Gauld. Lá por integrarem os trabalhos da pré-temporada não significa que acabarão todos por ficar - aliás, é de uma enorme improbabilidade que haja espaço para todos.

Para terminar, um pequeno comentário ao título que O Jogo escolheu para abordar este assunto: Bruno faz revolução no plantel - entre saídas e entradas, há 20 mudanças em perspetiva para 2015/16. Como é costume, sempre que têm possibilidade os senhores dessa publicação tentam explorar o lado mais sensacionalista de tudo o que envolve o presidente do Sporting, se possível com um juízo de valor depreciativo subentendido. Mas só por curiosidade, olhemos para as movimentações dos plantéis principais dos grandes nos últimos dois defesos:


(é possível que existam algumas incorreções, mas não afetarão o ponto que quero demonstrar; estou apenas a considerar as mudanças entre o plantel que terminou a época anterior e o que começou os trabalhos na época seguinte)

Sporting 2014/15
Entradas: 8 - Jonathan Silva, Slavchev, Paulo Oliveira, Rosell, Sarr, Tanaka. Nani, João Mário
Saídas: 5 - Rojo, Dier, Vítor Silva, Gerson Magrão, Piris
Total: 13

Sporting 2013/14
Entradas: 10 - Montero, Jefferson, Maurício, Slimani, Cissé, Gerson Magrão, Vítor Silva, Ivan Piris, Wilson Eduardo, William Carvalho
Saídas: 12 - Bruma, Ilori, Van Wolfswinkel, Schaars, Viola, Jeffren, Pranjic, Labyad, Onyewu, Boulahrouz, Bojinov, Joãozinho
Total: 22

Benfica 2014/15
Entradas: 18 - Samaris, Cristante, Talisca, Bebé, Benito, César, Derley, Djavan, Luís Felipe, Eliseu, Candeias, Júlio César, Jonas, Pizzi, Ola John, Lisandro Lopez, Jara, Nélson Oliveira
Saídas: 11 - Markovic, Oblak, André Gomes, Garay, Cardozo, Djavan, Candeias, Luís Felipe, Rodrigo, Siqueira, Funes Mori
Total: 29

Benfica 2013/14
Entradas: 12 - Markovic, Djuricic, Fejsa, Lisandro Lopez, Fariña, Mitrovic, Siqueira, Sulejmani, Bruno Cortez, Sílvio, Rúben Amorim, Oblak
Saídas: 14 - Melgarejo, Nolito, Nélson Oliveira, Ola John, Aimar, Sidnei, Lisandro Lopez, Luisinho, Urreta, Roderick, Jara, Carlos Martins, Kardec, Bruno Cortez
Total26

Porto 2014/15
Entradas: 16 - Adrian, Martins Indi, Otávio, Brahimi, Aboubakar, Tello, Marcano, Andrés Fernandez, Casemiro, Evandro, Oliver Torres, Ricardo Nunes, Opare, José Angel, Sami, Campaña
Saídas: 12 - Mangala, Fernando, Defour, Josué, Abdoulaye, Licá, Fucile, Ghilas, Varela, Carlos Eduardo, Sami, Kelvin
Total: 28

Porto 2013/14
Entradas: 11 - Quintero, Herrera, Reyes, Ghilas, Ricardo Pereira, Josué, Licá, Carlos Eduardo, Tiago Rodrigues, Bolat, Iturbe
Saídas: 9 - James Rodriguez, João Moutinho, Atsu, Iturbe, Abdoulaye, Castro, Izmailov, Liedson, Sebá
Total: 20



Olhando para isto, mesmo que se verificassem 20 mexidas no plantel do Sporting, não seria nada de anormal para a típica realidade do futebol português.

8 comentários :

  1. O que eu acho que vai acontecer:

    - Vende-se William, Slimani, Jefferson e Cedric (retornando Esgaio para a posição);
    - Consegue-se uma resolução do contrato com Capel, retornando Heldon à equipa principal (que é bem melhor que o Espanhol);
    - Não acredito que Patricio e Adrien saiam (embora gostasse que Adrien saísse);
    - Iremos contratar um defesa esquerdo e um avançado;
    - Renovamos contrato com Carrillo e André Martins;
    - Após a pré-época ficam na equipa principal Wallyson, Gauld e Rubio;
    - Iremos emprestar Iuri (de novo), Mattheus, Chaby e Podence;

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mike, se vendermos o Slimani, o Jefferson e o Cédric, não temos necessidade de vender o William. Aumenta-se o salário ao rapaz e fica mais um ano! :)

      Também acho que não seria mau se o Adrien fosse vendido, atendendo ao salário e às outras alternativas que existem para o lugar dele.

      Carrillo é para renovar, sem dúvida. O Iuri talvez já esteja pronto, gostava de o ver pelo menos na primeira metade da época no plantel principal.

      Um abraço.

      Eliminar
  2. MdC Top! mais uma vez desmontaste com a maior das facilidades +1 mentira que a CS tenta vender.

    SL,

    ResponderEliminar
  3. Mestre, dou os parabéns, pois eu não consigo ler uma linha do jornal “O Jogo”. Claro que o objetivo é destabilizar em primeiro lugar o nosso presidente e depois o nosso clube. Neste momento não acredito em jornal nenhum é tudo merda. Os únicos jogadores neste momento em final de contrato são : André Martins. Os outros 2 ainda têm pelo menos mais um ano de contrato(Cédric e Carrilho). Porque se fala tanto neles ??? No Sporting não se renova quando a comunicação social quer, mas sim quando a SAD quer…. Já deu para perceber como trabalha este novo Sporting.
    Será mesmo necessário vender algum jogador ???? Neste momento com a restruturação e com as contas no positivo, acredito que não seja uma urgência e muito menos um ultimato da banca. Claro, que um clube como o Sporting, pode sempre encaixar um bom valor com a venda dos seus ativos e penso que é provável que isso aconteça neste final de época, mas sempre na linha do que Bruno de carvalho diz e faz…. com muita tranquilidade, sem presa e só se existir uma boa oportunidade para encaixar um bom dinheiro.
    O mais engraçado e ver está comunicação social, depois engolir uns sapos…será que Nani está mesmo fora do Sporting ? Não é o M. United que quer o William carvalho ???? Não pode existir outro tipo de negocio igual ao Rojo ? Fica estás perguntas no ar ???

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carlos, creio que o André Martins só acaba contrato em 2016, tal como Cédric e Carrillo.

      Sim, é mesmo necessário vender. Nas contas do 1º semestre, se não fosse a venda do Rojo e do Dier teríamos dado prejuízo. E a tendência do 2º semestre (em todos os clubes) é para os custos piorarem. Daí o Porto ter vendido o Danilo ainda no 3º trimestre.

      As contas do Sporting estão de facto equilibradas, mas continuam a precisar de um certo encaixe de vendas.

      Um abraço.

      Eliminar
  4. Mestre, partilho de muitos aspectos da sua análise, e ainda bem que a faz. Contudo, reservo-me de falar sobre estes assuntos apenas depois final da temporada. É que isto é aquela caixa de Pandora, que se fôssemos a ver bem, até os urinóis do estádio tinham que ser trocados.
    Mas o que se sublinha aqui, mais uma vez, é:
    - a diferença de tratamento, para pior, da pasquinagem desportiva em relação ao Sporting (atirando tanto tiro para o ar que depois virão dizer que algum acertaram)
    - a articulação descarada entre redacções e a estratégica comunicacional de determinados clubes e agentes do futebol. São uma das componentes do lado podre da bola.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro, qualquer conversa que se tenha sobre entradas e saídas é prematura e está dependente acima de tudo das exigências do mercado. O ponto do post, para além da campanha que O Jogo insiste em fazer contra o "Bruno", é precisamente relativizar a inevitabilidade do êxodo que estão a anunciar. Duvido muito que se verifique tal sangria. Um abraço.

      Eliminar