domingo, 10 de maio de 2015

Gentlemen, start your engines!

O jogo com o Estoril tem em si uma relevância bastante limitada, mas na minha opinião está na altura de a equipa começar a aquecer os motores para que no dia 31 não se corra o risco de a máquina gripar. Já estamos há demasiados jogos a fazer apenas exibições q.b. (ou mesmo medíocres em algumas situações), e será um grande risco se não aparecermos no Jamor com o motor a carburar devidamente, com os pneus já aquecidos e as afinações todas testadas. 

Curiosamente, a última exibição (em termos de qualidade de jogo apresentado) que me agradou foi precisamente contra o Paços de Ferreira, em que acabámos por empatar. Depois disso ganhámos sempre mas nunca saí satisfeito com as exibições (a do Moreirense fica num enquadramento à parte porque resolvemos o jogo cedo). Mas o ideal seria mesmo recuperar o bom futebol que estes jogadores já demonstraram saber praticar.

Mais uma vez, são várias as baixas por indisponibilidade física: Slimani, Nani e Miguel Lopes. A estes junta-se Jefferson, certamente para lhe dar algum descanso - a rotatividade ainda não tinha passado por ele - mas também pelos fraquíssimos jogos que tem realizado.

Excetuando estas ausências, para mim era colocar a carne toda no assador. Jogar a sério, como se disso dependesse o nosso futuro. Voltar a vencer, convencendo.


2 comentários :

  1. Gostava de continuar a ver o duplo pivot com dois avançados.

    O habitual 433 está mais do que rotinado e ainda há jogo para voltar a "afinar-lo" (coisa que estranho, a necessidade, ao fim de 40 jogos....)

    ResponderEliminar
  2. Jogue quem jogar, jogue-se como se jogar, o importante é ganharmos os jogos todos até ao fim. E se, pelo caminho, o FêQuêPê perder um e empatar dois, seria o ideal. E se o Braga acabasse por perder o quarto lugar para o Vitória, então, seria a cereja no topo do bolo. Se tudo isto acabar por se conjugar assim, não tenham dúvidas: teremos a vantagem moral para a final.

    ResponderEliminar