quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Apesar de tudo, ganhámos

Foi um Sporting de contrastes que se apresentou ontem em Alvalade. A equipa de Jorge Jesus entrou de forma personalizada e ofereceu aos mais de 40.000 espectadores uns primeiros vinte minutos de excelente futebol, período em que acabaria por colocar-se em vantagem no marcador. No entanto, depois do golo de Teo, o CSKA pegou no jogo e começou a chegar à nossa área com demasiada facilidade. É certo que parar Musa e Doumbia não é fácil para nenhum jogador, mas foi o próprio Sporting que se colocou a jeito ao não conseguir evitar as inúmeras situações de 1 contra 1 que começaram a semear o pânico na nossa defesa. A jogada do penálti que Rui Patrício defenderia foi um aviso sério ao qual o resto da equipa não soube reagir da melhor forma, e há que reconhecer que foi graças ao nosso guarda-redes que acabámos por não sair ao intervalo em desvantagem. Até com bola o Sporting parecia uma equipa presa pelo medo de a perder, evitando esticar o jogo - mesmo em situações de contra-ataque em igualdade numérica.

Na segunda parte tudo mudou. As pilhas de Musa esgotaram-se e o Sporting ganhou confiança para partir para cima dos russos, realizando uma segunda parte de enorme qualidade. Não só graças ao génio peruano que esteve em praticamente todas as jogadas de perigo, mas também muito por causa da ajuda que veio do banco. O ascendente traduziu-se em oportunidades de golo, ora desperdiçadas por nós, ora defendidas por Akinfeev, ora evitadas por uma arbitragem tendenciosa com demasiadas semelhanças ao roubo russo de Gelsenkirchen. Valeu Slimani com um golo a fazer lembrar aquele que marcou no Jamor e que relançou o Sporting na conquista da Taça de Portugal. Esperemos que este tenha uma importância idêntica para o sucesso da equipa nesta eliminatória.



Positivo

Apesar de tudo, ganhámos - para além da óbvia importância da vitória, o golo de Slimani que nos colocou em vantagem na eliminatória obrigará o CSKA a sair da sua zona de conforto e assumir o jogo. Não quero dizer que devemos ir para Moscovo defender o resultado, mas é sempre melhor quando são os adversários a terem que assumir a maior fatia do risco do jogo.

Rui Patrício, who else? - mais uma enorme exibição. Alvalade festejou a defesa do penálti como se de um golo nosso se tratasse, mas viu também o seu guarda-redes a fazer mais um punhado de defesas importantíssimas. Mesmo no golo de Doumbia fez a mancha de forma exemplar, quase o suficiente para que Naldo conseguisse evitar o remate do jogador africano.


Apesar das intermitências, Carrillo - há muito para dizer sobre a exibição do peruano. Foi ele que assumiu quase sempre as despesas de levar a equipa para a frente, mas infelizmente parecia estar com o complicómetro ligado e foi um jogador menos esclarecido do que é habitual. Mas a verdade é que Carrillo esteve em praticamente todos os lances de perigo do Sporting: fez um passe de génio para Ruiz a rasgar a defesa do CSKA no primeiro golo, fez uma assistência deliciosa para o golo de Slimani, e até foi ele que fez o cruzamento teleguiado para a cabeça de Slimani que acabaria por encontrar a mão do defesa russo. All in all, nada mau para um dia de trabalho.

A diferença de atitude da segunda parte - ofensivamente foi um Sporting bem mais autoritário que regressou dos balneários; defensivamente foi um Sporting bem mais solidário, com níveis de entreajuda muito superiores quando comparados com os primeiros 45 minutos. Carrillo e Ruiz (e depois Mané e Gelson) garantiram um apoio aos laterais bem mais efetivo e as situações de 1 contra 1 - e consequentemente as jogadas de perigo para a nossa baliza - praticamente desapareceram.

As substituições - Jorge Jesus conseguiu agitar o jogo com as três substituições. Primeiro ao dar a estreia a Aquilani: sem bola, o italiano pareceu um elemento estranho à equipa, mas com a redondinha nos pés passeou classe. Sempre de olhos nos colegas mais adiantados, acrescentou verticalidade no passe, acabando por estar no princípio da jogada do 2º golo ao solicitar Slimani na quina da área. Mané e Gelson acrescentaram capacidade de explosão e desequilíbrio nas faixas e no centro. Uma palavra adicional sobre Gelson Martins: ninguém diria que se estava a estrear nestas andanças, atendendo à personalidade demonstrada na forma como quis pegar no jogo.


Negativo

O golo sofrido e os últimos 20 minutos da primeira parte - o golo que sofremos não foi uma surpresa, olhando para a facilidade com que o CSKA chegou à nossa área a partir dos 25 minutos da primeira parte. Infelizmente para nós, é um golo que nos deixa sem margem para errar na segunda mão. Provavelmente vai obrigar-nos a marcar um golo em Moscovo.

Alguém explica para que servem os árbitros de baliza? - como é possível não ter visto aquela mão do defesa russo na área? Penálti por assinalar, que se junta a uma falta sobre Brian Ruiz por volta dos 60 minutos que também poderia ter dado direito a um castigo máximo. Esperemos que estes erros não acabem por ter consequências nefastas no conjunto das duas mãos.



Os russos foram o adversário mais complicado que defrontámos esta época e confirmaram que são um autêntico adversário de Champions. Vão causar-nos imensas dificuldades perante o seu público, ao qual se junta o problema adicional de o jogo se disputar num relvado sintético. Mas, apesar de tudo isto, ficou amplamente demonstrado que temos equipa para eles. Está tudo em aberto para a segunda volta.

35 comentários :

  1. Tinha ideia que era o Spartak que tinha o relvado sintético...
    Quando Carrilho começar a soltar a bola quando deve vai ser craque!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tigas, posso estar enganado em relação ao relvado sintético, estou a repetir o que ouvi dizer e não confirmei se era verdade. Um abraço.

      Eliminar
    2. Parece ser este o estádio onde vamos jogar em Moscovo (foi onde jogaram a anterior pré-eliminatória da CL), relva natural:

      https://en.wikipedia.org/wiki/Arena_Khimki

      Eliminar
    3. Sim, já não têm relva artificial

      Eliminar
  2. já não jogam em artificial...

    o musa é um caso perdido, devemos isso sim marcar o tosic porque é dali que os ataques partem. Se não marcararmos na russia, não passamos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 2 em 2... pelos vistos estou mesmo enganado. :) Ainda bem!

      Eliminar
  3. a primeira vista parece-me que o golo deles é em fora de jogo

    e ainda não consegui ver repetições quer do penalty deles, quer do da segunda parte( o problema de estar por tras da outra baliza é que por vezes é difícil ver estas jogadas).

    de resto os russos vieram jogar tal como esperado( e deixar o joao pereira com o musa, ainda por cima embalado, mesmo assim até a coisa acabou por não correr muito mal)

    de resto concordo que o treinador acertou na substituições e na minha opinião tendo em conta que os russos não são equipa de assumir o jogo, mas mais de jogar em contra ataque e no erro, eu para o jogo da segunda mao jogaria no modelo apos as substituições, que deixa a equipa menos exposta e com o arriscar dos russos dá mais espaços para o contra ataque.

    alias na minha opinião vao existir golos e provavelmente para os 2 lados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Riga, o jogador do CSKA está mesmo à minha frente quando é feito o passe e fiquei com a ideia de que não havia fora-de-jogo... mas é um lance de tal forma rápido que é muito difícil de decidir. Concordo em relação ao onze a colocar na Rússia, talvez fosse de colocar Mané no lugar de Teo. Um abraço.

      Eliminar
    2. a única imagem que vi, foi a que passou nos écrans ao intervalo e pareceu-me fora de jogo

      Eliminar
    3. os fora de jogos sem ter a certeza absoluta são para deixar seguir, o fetubol precisa de golos. Também me pareceu fora de jogo no estádio mas parece que não estava:

      http://streamable.com/n963

      http://i.imgur.com/gxA9imD.png

      https://pbs.twimg.com/media/CMtvAWXW8AAVp5W.png:large

      Eliminar
    4. PTM, pausando a imagem do vídeo fica de facto claro que não há fora-de-jogo. Obrigado e um abraço.

      Eliminar
  4. O musa é só um dos gajos mais rápidos em velocidade de ponta A NÍVEL MUNDIAL. Não foi demérito nosso, é mérito deles, é preciso saber admitir.
    A única forma de correr menos riscos é jogar com a defesa alta.. Mas continuam a haver riscos..

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida, afl!. Mas facilitámos-lhe a tarefa perdendo demasiadas bolas no meio-campo e não dando o devido apoio ao seu marcador... Um abraço.

      Eliminar
  5. Mestre,

    se um árbitro faz uma exibição destas em Alvalade, como será em Moscovo, no estádio da equipa (ontem) beneficiada e que tem de ganhar?
    Não tenho ilusões nenhumas...

    Fizemos um grande, grande jogo mas contra estas equipas os pormenores decidem:
    - um erro na subida da defesa;
    - o ponta de lança que só marca após 3 oportunidades;
    - árbitros que deixam passar 2 penaltys claros (sendo que o senhor que os comete iria para a rua, principalmente na 2ª penalidade, deixava a equipa com 10 e não jogava na 2ª mão);

    Daqui a 1 semana, já ninguém falará deste roubo (sim, são cerca de 15M...), e caso o Sporting não se qualifique, as primeiras palavras são: "JJ e BC e Sporting FALHAM objectivo muito importante!" (com as consequências que isso terá).

    um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cantinho, é um receio com razões de ser. Este árbitro foi quem apitou a final da Champions e, conforme escreveu o Insustentável Leveza de Liedson, não é nada um bom indicador para nós que tenham havido tantos erros para o mesmo lado...

      Quanto ao spin que será dado na eventualidade de sermos eliminados, é uma fatalidade. O CM já começou. :)

      Um abraço.

      Eliminar
  6. Bom dia! Com uma arbitragem decente e a eliminatória teria ficado resolvida já hoje...
    Se nos outros lances dou de barato (Bryan Ruiz carregado na área) o lance da mão é por demais escandaloso! Mas afinal de contas para que servem os árbitros de baliza? Que estão estes lá a fazer?
    Ainda assim estou como JJ...tenho plena confiança que o SCP marca na Rússia e, para além disso o CSKA é uma equipa de transições...jogar em contra ataque é o forte deles! Na 2ª mão vão ter que assumir o jogo e isso é uma vantagem para nós...Estou confiante!
    Agora é vencer o Paços de Ferreira!
    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também acredito que vamos marcar na Rússa, Fernando. Esperemos apenas que a arbitragem não venha novamente dificultar-nos a tarefa... Um abraço.

      Eliminar
  7. Antes do jogo na Rússia há jogo sábado....
    Importante dar a titularidade a outros jogadores (havia jogadores aos 30m muito cansados...)! Apostava em 5 mexidas, espero que os "suplentes" estejam à altura.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Miguel, assim à partida diria que Aquilani seja titular para ter mais minutos, e talvez Montero e Mané. Não gostaria de ver demasiadas alterações, caso contrário arriscamo-nos a ter um amargo de boca... Um abraço.

      Eliminar
    2. Sim essas alteração são importantes, penso que o jeff e o JP também deviam "descansar", fizeram muitos Kms...
      Espero não ter nenhum amargo de boca nem com o resultado nem com as exibições dos jogadores... que dêem uma boa dor de cabeça ao JJ!!

      Um Abraço
      SL

      Eliminar
  8. Na Rússia não podemos abdicar da nossa identidade e devemos encarar o jogo como um jogo a ganhar. Se formos jogar para o empate estamos bem tramados... como normalmente (sei lá, 9 em cada 10 vezes) acontece neste tipo de situações.

    Vamos precisar é de ser matreiros e Mané no lugar de Teo: para ganhar velocidade no contra-ataque!

    Eu acardito - apesar dos bois pretos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, Rute, ficou mais que comprovado que colocando velocidade a defesa dos russos abana. E Teo ainda está muito preso...

      Por outro lado, não podemos deixar os laterais sozinhos a defender como aconteceu na primeira parte. Há que correr menos riscos, e podemos fazê-lo pois a eliminatória para já está inclinada para o nosso lado.

      Eliminar
  9. E ainda na segunda-feira, o Rui Gomes da Silva dizia que "se não jogasse com o Patrício, [o Sporting] tinha mais hipóteses de ganhar mais jogos". eh eh eh

    http://www.abolanaotempulmao.blogspot.pt/2015/08/patricio-responde-rui-gomes-da-silva.html

    ResponderEliminar
  10. o CSKA tem uma boa equipa mas jogou em alvalade um futebol de pontapé para a frente.

    levam 30 jogos consecutivos na champions a sofrer golos, a maior dificuldade em Moscovo vai ser o sintético

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. PTM, bola para a frente para a velocidade das setas deles... de facto não foi muito mais do que isso. Afinal o relvado é natural... fui enganado por um comentador qualquer.

      Eliminar
  11. Houve 3 penalties. Na primeira parte um defesa russo faz um carinho e com a mao levantada corta a bola e o arbitro viu e disse que nao tinha sido intencional. Fomos roubados e tb fomos mto perdularios. Ha que aumentar os niveis de eficacia.

    SL.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, o Slimani então foi muito ineficaz... temos que inverter essa tendência. Um abraço.

      Eliminar
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não era preciso apagar, Aboim... :) Obrigado pelo reparo, é o que dá andar a acabar de escrever os posts às 2 da manhã! :) Um abraço.

      Eliminar
  13. So por muito mero acaso vi a sua resposta da 15:07! Apaguei porque até tinha hesitado em fazer o tal reparo! Eu tenho o condão de não ver os meus erros quando tecleo (do verbo teclear que nem sei se existe) mas sei que cometo muitos erros quando escrevo! Aproveito para dizer que não consigo colocar acentos agudos e mesmo alguns graves em letras que o merecem! Mas entre sportinguistas de verdade nada disso é grave (nem agudo)! Continue o seu esforço que precisamos dos seus textos mas saiba que a saude é mais importante que a fé! Receba um abraço sincero! O meu nickname é falso mas o e-mail funciona! Isto no caso de que queira e aceite um contacto mais real!

    ResponderEliminar