segunda-feira, 24 de agosto de 2015

"Como a Doyen tentou forçar o Sporting a vender Rojo", por Pippo Russo

Artigo escrito na última sexta-feira para o site Calciomercato.com. O artigo original pode ser lido AQUI e, como já começa a ser habitual nos textos que dizem respeito ao Sporting, deixo aqui a tradução.



Um documento fundamental. Trata-se do contrato assinado entre a Doyen Sports Investments e a antiga direção do Sporting Clube de Portugal no verão de 2012 para a transferência do defesa argentino Marcos Rojo para Lisboa. Jogador que no verão de 2014 está no centro de um conflito entre o fundo maltês e o clube verde e branco, que entretanto tinha passado a ser conduzido pelo novo presidente Bruno de Carvalho. A controvérsia à margem da venda de Rojo ao Manchester United levou à quebra do contrato de TPO que tinha sido assinado entre a Doyen e a antiga direção sportinguista encabeçada pelo presidente Luís Godinho Lopes.

Segundo a versão de Bruno de Carvalho, a rotura do contrato é justificada pelas pressões feitas no verão de 2014 pela Doyen para convencer o Sporting a vender o jogador. A Doyen alega por sua vez nunca ter feito qualquer pressão sobre os clubes (Sporting incluído) para a cedência dos jogadores em que o fundo investiu, e que portanto os leões são culpados de uma rotura de contrato ilegal. Um contrato cujo conteúdo, até agora, não era do conhecimento público. Mas ontem, graças ao precioso trabalho desenvolvido por Tariq Panja da Bloomberg (LER AQUI), ficámos a saber mais. E aquilo que ficámos a saber contradiz a defesa do fundo, que se baseia no argumento de não ter influenciado a política do clube. Mas antes de analisar o conteúdo do contrato revelado pela Bloomberg é conveniente fazer um resumo rápido da história.

No verão de 2012 o Sporting Clube de Portugal, presidido por Godinho Lopes, contratou dois jogadores graças ao financiamento da Doyen Sports Investment: falamos de Zakaria Labyad, um ala de dupla-nacionalidade holandesa e marroquina, proveniente do PSV Eindhoven, e ainda de Marcos Rojo, proveniente do Spartak de Moscovo. O site da Doyen dá a notícia na área Press Room, especificando que o fundo financiou 35% da aquisição de Labyad e 75% da aquisição de Rojo (LER AQUI). Em relação a este último, cujo custo foi de 4 milhões, a Doyen pagou 3. Trata-se portanto de um caso de Third Party Investment (TPI), um esquema em que um fundo financia uma percentagem da aquisição de um jogador e como tal tem o direito a receber uma soma calculada a partir dessa percentagem numa futura venda. Passaram-se duas épocas, durante as quais Labyad não esteve particularmente impressionante. A conversa foi diferente com Rojo, protagonista no Brasil de um ótimo mundial com a finalista Argentina. A sua cotação disparou, e partir daí o conflito explode. Rojo faz pressão para ser cedido, enquanto o Sporting (que entretanto passou a ser liderado por Bruno de Carvalho) prefere mantê-lo ou vendê-lo por uma cifra mais elevada. No espaço de alguns dias chega-se a um confronto entre o jogador e o clube, mas posteriormente o Sporting decide vender Rojo ao Manchester United por 20 milhões. Nessa mesma altura o clube decide não entregar à Doyen a quota de TPI, acusando o fundo de ter estado na origem da atitude de Rojo e, como tal, ter entrado em incumprimento contratual. E fá-lo publicamente através de um comunicado detalhado no qual emergem detalhes grotescos a propósito da conduta do fundo e do seu CEO, Nélio Lucas (LER AQUI). Dos 20 milhões amealhados na venda, o Sporting entrega apenas os 3 milhões do investimento inicial a título de restituição. Por outro lado, contratualmente, cabe-lhe entregar ao Spartak Moscovo 20% das mais-valias realizadas acima de 5 milhões: portanto, 3 milhões. Sobram 14 milhões, que o Sporting retém para si. Se tudo tivesse corrido conforme o contrato, a única coisa certa seriam os 3 milhões a pagar ao Spartak. Tudo o resto é um mistério que não podemos resolver sem ler o contrato, com muitas interrogações a surgirem. Os 3 mihões entregues ao Spartak deveriam estar a cargo do Sporting e Doyen segundo a percentagem (25% e 75%), ou apenas a cargo do Sporting? Os 75% reclamados pela Doyen seriam calculados sobre a totalidade da venda (20 milhões) ou sobre os 17 que sobraram depois da parcela a que o Spartak tinha direito? Interrogações que permanecem sem resposta, porque Bruno de Carvalho declarou a nulidade do contrato assinado com a Doyen durante a presidência de Godinho Lopes. Para além disso, há que acrescentar que existem outras versões sobre a estrutura do valor de aquisição de Rojo comparticipado por Doyen e Sporting Clube de Portugal, o que faz-nos perceber o nível de incertezas que existem neste negócio. Um comentário de um internauta português no artigo da Calciomercato.com que citámos mais abaixo, reporta outros valores, e revela uma hipótese chocante: segundo notícias reportadas por alguma imprensa portuguesa no dia em que explodiu o conflito entre o clube e o fundo, o Sporting estava obrigado contratualmente a pagar uma prestação de 1 milhão por época por Rojo, como se o jogador estivesse alugado.

Por seu lado, a Doyen referiu não ter feito pressões sobre o Sporting para a venda de Rojo e recorreu ao TAS em Lausanne, pedindo um ressarcimento calculado com base em 25 milhões de euros. Segundo o fundo, na realidade, há que considerar ainda o valor de Nani, jogador que o Manchester United cedeu por empréstimo ao Sporting no âmbito do negócio de Rojo. As audiências do TAS, que contaram com um desfile de testemunhos "ilustres" a favor do fundo (LER AQUI), iniciaram-se em meados de junho e a sentença deverá ser conhecida em setembro. Mas agora, aqui ficam os detalhes revelados pela Bloomberg, graças aos quais podemos ter uma ideia mais precisa.

A Bloomberg refere que, no contrato, Sporting e Doyen estabeleceram em 8 milhões a cifra mínima para a venda de Rojo, que seria o dobro do valor pago ao Spartak no momento da aquisição. E neste ponto, refere a Bloomberg, aparece uma cláusula que vai ao encontro das alegações do clube. A cláusula diz, de facto, que na eventualidade de chegar ao clube uma oferta igual a esse valor ou superior, e se o clube recusasse, teria que pagar à Doyen 75% do valor recusado. Para ajudar a perceber, façamos um exemplo. Suponhamos que Rojo interessa ao Bayern, e que o clube bávaro apresenta ao Sporting uma proposta de 10 milhões. E vamos assumir que o Sporting rejeita essa oferta pelo seguinte motivo: porque nesse momento não pretende privar-se do jogador, ou porque crê que o pode vender por um valor mais alto nessa janela de mercado ou numa janela de mercado posterior. E bem, se a Doyen não concordasse com a decisão do Sporting de não aceitar os 10 milhões, poderia pedir ao clube para ser compensada em 7,5 milhões. Não me parece uma liberdade total, do ponto de vista do clube. Assim como não é a outra cláusula do contrato que estabelecia que, se o clube renovasse com o jogador sem o consentimento da Doyen, o clube deveria ressarcir o fundo no prazo de 3 dias uma cifra designada como "juro". Cláusula que, como especifica o artigo da Bloomberg, estão fora do perímetro das regras da FIFA, que proíbem "qualquer entidade externa de influenciar (um clube), em matérias relacionadas com o recrutamento e com o mercado de transferências, a independência, as políticas e a composição do plantel. Para além disso, no artigo vem citado o peremptório SMS enviado por Nélio Lucas a Bruno de Carvalho, já mencionado no comunicado oficial do Sporting de há um ano. Um comportamento para o qual não há comentários possíveis.

Seguramente que o contrato conterá numerosos outros detalhes dignos de nota. Mas aqueles que são citados pela Bloomberg são mais que suficientes para definir a forma como esta questão deverá terminar. É difícil sustentar que certas cláusulas contratuais não são instrumentos de pressão sobre um clube.

83 comentários :

  1. Mestre,

    Já se sabe quando sai a decisão sobre o caso?

    ResponderEliminar
  2. "(...) favor do fundo (LER AQUI), iniciaram-se em meados de junho e a sentença deverá ser conhecida em setembro."

    ResponderEliminar
  3. Sobre o artigo da Bloomberg, fica o seguinte:

    "Marcos Motta, a Brazilian lawyer who advocated for third-party investment with soccer governing body FIFA, said CAS has upheld the contract in all five TPO cases it’s heard.
    “It will be very hard for Doyen to lose this case on a contractual basis,” he said by phone."

    Vamos ver no que isto dá.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse Marcos Motta é um habitué das conferências/festas dos fundos organizadas pelo Nélio Lucas e ele próprio um defensor incondicional dos TPO pelo que não espanta a opinião/desejo expressa.

      Eliminar
    2. Exatamente, estranho seria se o Marcos Motta dissesse outra coisa. O que é estranho é que haja quem noticie as palavras dele sem referir que o advogado é uma parte ativamente interessada no caso Rojo.

      Eliminar
    3. E ele fala especificamente em 'base contratual'. Sabemos que a argumentação do Sporting vai para além disso.

      Eliminar
  4. Sobre este assunto, tenho a seguinte opinião (Benfiquista):

    1º Sporting consegue dois jogadores bem cotados e com mercado na Europa graças à intervenção da Doyen. Obviamente que a Doyen iria meter contrapartidas para os colocar no Sporting (o facto de as cláusulas serem legais ou não, a verdade é que foram assinadas por ambas as partes logo, à partida, deveriam ser interessantes e protetoras de ambas as partes, mas era a direção de Godinho Lopes logo...só deveriam proteger uma parte)

    2º Bruno de Carvalho entra no Sporting, Rojo é valorizado pelo Mundial e pela boa época no Sporting. Surgem propostas para a sua saída, muitas claramente motivadas pela própria Doyen em querer retorno do investimento. BdC tem pressão para colocar as contas do Sporting em cima, não lhe interessa vender o maior ativo (naquela altura) ao desbarato (10milhões). Rejeita propostas baixas. O fundo começa a cair em cima, BdC tem de arranjar maneira de "rasgar" o contrato que, pelo que se percebe, não dá autonomia nenhuma ao Sporting para tomar decisões sobre o jogador. Se as tomar, terá de compensar (e bem) o Fundo.

    3º Sinceramente, acho que BdC tentou sempre defender os interesses do Sporting e a verdade é que encaixar o valor da transferência do Rojo e só ressarcir o Fundo em 3M ajuda a equilibrar as contas do clube. Mas o caminho seguido e defendido por BdC poderá levar a que o Sporting tenha de encarar agora uma decisão negativa que leve a que tenha de pagar mais ainda do que se tivesse deixado o jogador nas mãos do Fundo. Sabendo como são os tribunais, que no final de tudo são pessoas a tomarem decisões, as negociatas envolvidas, o Sporting poderá não ficar com a razão. É certo que a FIFA proíbe os fundos de influenciarem decisões, na altura em que o contrato foi assinado os Fundos eram permitidos, além de que o contrato "foi assinado". Quem o assinou, pensou somente na vertente desportiva. Rojo deu muito desportivamente ao Sporting. Mas quem financiou o negócio foi um Fundo. E o Fundo vai querer retorno financeiro, o desportivo pouco lhe interessa diretamente. E sinceramente, não vejo mal no Fundo impor cláusulas que protejam o negócio que fez. Talvez por essas cláusulas "influenciarem" as decisões dos clubes, é que a FIFA proibiu passes partilhados com Fundos. Mas não menos verdade é que este negócio foi assinado há 3 anos, e assinado por gente do Sporting (sim, que não protegeu os interesses do Sporting). Ainda que BdC queira, e bem, defender os interesses do Sporting, não pode querer este e o outro mundo. Fez a venda que quis, ao Manchester United, paga o que tem a pagar à Doyen, não assina mais contrato nenhum com eles e siga. Conseguiu o que queria, negociar pelo preço que achava justo. E ainda conseguiu Nani. Só por isso já foi defender os interesses do Sporting e no fundo, até desrespeitou o contrato. Pelo que percebi, a Doyen só quer o dinheiro da transferência do Rojo que lhe diz respeito. E neste caso, penso que tem razão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Segundo a lógica contratual, podiam ser gajos da Doyen a fazerem-se passar por um clube qualquer, ofereciam 10 ou 15 milhões e o Sporting dizia que não permitindo que a Doyen, à luz do contrato, pudesse exigir 75% do valor rejeitado.

      Se bem me lembro, um dos pontos da "discórdia" era o facto de pessoas da Doyen terem-se feito representar como um clube.

      Coincidências?

      Eliminar
    2. Alberto, é verdade que o contrato foi assinado por uma direção do Sporting que estava completamente legitimada para o fazer, e que compromete o clube, independentemente de quem for o presidente. Mas aparentemente a defesa do Sporting baseia-se em dois pontos: 1) no facto de o contrato conter cláusulas ilegais - que é o centro da guerra, porque pode abrir um precedente para todos os clubes rasgarem os contratos de TPO ainda existentes; 2) no facto de a Doyen ter ilegitimamente pressionado o Sporting a vender, que não tendo nada a ver com o contrato acaba por ser uma ação ilegal e que dará, na visão do clube, motivo para rasgar o contrato.

      Um abraço.

      Eliminar
    3. Cenas Aleatórias, essa também é outra questão interessante... Um abraço.

      Eliminar
  5. AlbertoRaspadinha,

    Muito do que escreve está correto no meu entendimento no entanto existe uma premissa com a qual não concordo.

    O facto das clausulas terem sido assinadas pelo presidente do SCP de então GL, não as torna legais (caso efetivamente sejam ilegais), dou-lhe um exemplo um pouco idiota mas que facilmente demonstrara onde quero chegar:

    - Eu assino um contrato consigo em que caso eu não lhe pague o montante X que me emprestou no prazo Y, você está legitimado por mim a dar me um tiro.

    "dar me um tiro" seria sempre um crime apesar do acordo assinado certo.

    SL,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Calma, amigo Sérgio.

      Não é que não seja lógico, que na vida real, qualquer pessoa de bem consiga entender o que o meu amigo acaba de explicar com total clareza, quase como que desenhado a giz num quadro de escola primária...

      Eles é que não querem entender. O autismo caracteriza muitos dos rivais que por aqui passam, e até alguns dos nossos...

      Eliminar
    2. Por essa lógica o contrato inicial de compra aos russos era ilegal e por isso o jogador ainda seria dos russos.
      Todas as vezes que este assunto é debatido inventam explicações novas... O que só mostra a segurança nas explicações anteriores.

      Eliminar
    3. Caro Sérgio, entendo perfeitamente o que está a querer dizer. As regras da FIFA proíbem os Fundos de exercer pressão na tomada de decisão dos clubes. O contrato previa uma "clausula de rescisão", por assim dizer, de valores superior a 8 milhões, simplesmente para haver uma proteção de retorno do investimento para a Doyen. Não me parece uma cláusula totalmente descabida nem de "morte". É certo que vai exercer pressão na tomada de decisão. Mas a verdade é que foi assinada e "servia" os interesses do Sporting (supostamente, mas era o Godinho Lopes).

      Caro Valdemar, ... comentário profundamente vazio. Acho que neste caso tanto a Doyen como o Sporting têm os seus motivos para discutir nos tribunais e da qual, ambas as partes, sentem que têm argumentos válidos.

      Eliminar
    4. O contrato TPO é entre a Doyen e o Sporting ó ”génio"...

      A ver se percebes: Sporting compra Rojo ao Spartak por 4.75M€. Passado uns dias vende 75% à Doyen por 3M€ (curiosa esta desvalorização do passe do jogador em questão de dias... em prejuízo do Sporting..).

      Realmente há quem goste de inventar teorias e explicações novas (e idiotas)...

      Eliminar
    5. Ó raspadinhas,

      é vazio?

      O que eu sempre disse aqui no blog é que se uma das partes é desonesta na parceria, usa de técnicas ilegais para forçar a venda do jogador, o mínimo é considerar o contrato nulo.

      Naturalmente que o meu amigo já assumiu acima ser lampião. O que leva a nem estranhar que esteja do lado dos que usam certo tipo de técnicas para chegar aos seus fins.

      Não é por acaso que os vemos por aqui a justificar as acções de um certo sistema que outrora tanto criticaram, ou a arranjar justificações interpretativas da conduta da própria direcção.

      Mas já aqui o disse tantas vezes, que se torna exaustivo, mesmo que para algum néscio o meu comentário assim tenha sido "profundamente vazio".

      Eliminar
    6. Sar se o contrato que deu condições ao sporting de comprar o rojo era ilegal nunca teria comprado o jogador!
      Eu apenas contradisse mais uma "explicação" para a rescisão... já foram tantas! Se houvesse uma inequívoca não tinham de cada vez que se fala deste tema andar com explicações novas.

      Eliminar
    7. Não vale a pena... ainda assim, atenta (novamente) na ordem cronológica dos acontecimentos:

      1- Sporting compra Rojo ao Spartak
      2- Sporting firma um acordo TPO Rojo/Doyen

      O Sporting não tinha dinheiro para comprar o Rojo? Tanto tinha que comprou por 5.425M€ (pensava que tinha sido por 4.75M€, fui confirmar e ainda foi pior do que eu me lembrava...) e passados algum tempo desvalorizou o jogador em 1.425M€ vendendo 75%à Doyen por 3M€... (consulta aqui: http://www.sporting.pt/incscp/pdf/investor_relations/RelatorioGestao20122013.pdf pág. 109 (compra de Rojo ao Spartak) e pág.113 (venda de 75% à Doyen)).

      E sim, as "explicações" para a rescisão são muitas, incluindo manifesta influência na gestão desportiva do Clube, ameaças concretizadas do jogador armar banzé, andarem a oferecer o jogador a vários Clubes, fazerem-se passar por emissários do ManU, acordo inicial a infrigir as regras da FIFA e isto é só o que se vai sabendo...

      Eliminar
    8. hum... se assim foi... ok. Não tinha essa noção do tempo da contratação... sempre li que tinha sido contratado com o apoio da doyen e não comprado e vendida a % posteriormente. Facto que não altera nada no contrato... ou ainda faz com que sporting tenha vendido parte do passe do jogador de sua livre vontade e nas condições que quis pois não precisou do $$$ da doyen para o comprar.

      Eliminar
  6. http://iusport.com/not/9592/en-belgica-no-piensan-lo-mismo-sobre-los-fondos-de-inversion-que-en-espana/

    ResponderEliminar
  7. Novidades? Só mesmo que continua a não haver grande fé numa vitória jurídica e se continua a fazer parar uma mensagem de Doyen=mauzao. O Sporting não assinou? Para receber os jogadores deu jeito.. Para pagar a % correspondente ao fundo já não dá.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não és tu que afirmas a peito cheio que só comentas os posts sobre o teu clube? Então o que fazes aqui?

      Eliminar
    2. E novidades da trampionagem? Nada?

      Continua-se a esquecer convenientemente as pressões da Doyen para vender o jogador a quem e por quanto lhes apetecer, as ameaças (concretizadas) do jogador armar um 31, as cláusulas que espezinham a independência do clube em matéria de gestão desportiva à revelia das leis da Fifa, as ações voluntárias do Nelito vestindo a pele de empresário/emissário a tentar negociar o jogador, enfim... E isto é o que se sabe...

      Mas claro, a tua análise vesga, parcial e amputada não passa disso.

      Eliminar
    3. Nuno, orienta mazé ai uns milhanitos pó Olá Jon continuar.

      #ContamosComAGarotada

      Eliminar
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    5. já descobri a verdadeira identidade do teu amigo http://imgur.com/ZhtNg4N

      Eliminar
    6. Sar esquecer pressões? Segundo este novo artigo até havia clausulas previstas e assinadas... logo dizer que querer cumprir as clausulas é pressão é algo pouco inteligente! Acho eu!
      Belfodil o ola jonh é bem melhor que o treinador... todos os problemas fossem o ola jonh. E segundo li á uns tempos até ao final de agosto terá de ser comprado o restante... posteriormente li que já tinha sido... por isso esses milhoezitos já foram arranjados... dá sempre algum jeito ter patrocínio!

      Eliminar
    7. "Belfodil o ola jonh é bem melhor que o treinador... todos os problemas fossem o ola jonh. E segundo li á uns tempos até ao final de agosto terá de ser comprado o restante... posteriormente li que já tinha sido... por isso esses milhoezitos já foram arranjados... dá sempre algum jeito ter patrocínio!"

      Sim, tinham de pagar mais uns milhões à Doyen para além dos milhões que já pagaram por ele, mesmo que o gajo seja um cepo(como se veio a confirmar). Acho que no total o gajo deve ter custado mais que as aquisições todas do Sporting este ano.
      Acho muito bem que provavelmente tenham pago com dinheiro da Fly Emirates, até agora o slogan tinha sido "Fly Emirates - Tudo a voar para fora", agora já podem dizer "Fly Emirates - Olá João, temos de ficar contigo"

      Eliminar
    8. Belfodil chama-se cumprir contratos mesmo que não sejam totalmente favoráveis... umas vezes ganha-se mais outras menos... quebrar contratos para tentar ganhar uma parte que não é a nossa já não é politica dos presidentes do meu clube embora á cerca de 15 anos tenha sido!

      Eliminar
    9. "Belfodil chama-se cumprir contratos mesmo que não sejam totalmente favoráveis... umas vezes ganha-se mais outras menos... "

      Ou então chama-se mamar à conta do clube, mas eu tenho a certeza que o Midas e seus muchachos não fariam investimentos nesse fundo, mas lá está, provavelmente nunca vamos ficar a saber. Eu se lá tivesse e assinasse um contrato daqueles, investia no fundo de olhos fechados, win-win numa altura de crise?! ui ui

      " quebrar contratos para tentar ganhar uma parte que não é a nossa "

      Quebrar contratos que têm indícios de irregularidade e que podem prejudicar o clube? Se fosse eu rasgava-os todos.

      Eliminar
    10. Nuno Bobby tareco então o teu presidente não quer pagar ao jesus porque???? Isso, não é rasgar contrato? AZIA.

      Eliminar
  8. Realmente estes gajos da Doyen têm cá uma lata !

    Pagam 75% da aquisição do jogador e caso o Sporting rejeite uma proposta acima de determinado valor exigem que seja o sporting a comprar o jogador e liquide a divida de 75%.
    Ou seja, se o sporting rejeita uma proposta tem que a igualar...

    Querem mais justo que isto ?!
    É este o vosso melhor argumento ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Osvaldo dá-me a tua a camisola e faz-me um filho"

      #DaniloMaisUmaGrandePerdaPóRival

      Eliminar
    2. o osvaldo ainda vai papar as gajas todas do porto canal

      Eliminar
    3. Oh Costa se com todas as explicações no Post e outras acrescidas não chegas lá não vale a pena continuarmos a ter estas conversas.

      Eliminar
    4. "o osvaldo ainda vai papar as gajas todas do porto canal"

      O hit do momento é o "Diário da Sara Carbonero", ontem deparei-me com essa pérola, acho que dá todos os dias na CMTV

      Eliminar
    5. http://videos.sapo.pt/RbO6QJqI7kMQgTbGpv39

      XD

      Tá previsto um "Diário de Pablo Osvaldo" onde o gajo vai aparecer, entre muitas coisas, a bater couro Mercado do Bolhão e também numa esteticista rival daquela onde o Jesus a foi afiar as unhas.

      Eliminar
    6. A ver se não há um daqueles episódios em que se lança um spin-off, e acabamos por ter um episódio com a Sara e o Osvaldo. :)

      Eliminar
    7. 7 respostas e nenhum consegue contrapor um argumento!

      Eliminar
    8. Após vários posts ao longo de vários meses sobre o tema e tu ainda não percebeste os argumentos do SCP!

      Eliminar
    9. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    10. Podem achar que sou um coração mole, mas ver um benfiquista a dar força a um portista não deixa de me emocionar. O namoro entre clubes estendido ao espaço virtual. Digam lá que não é lindo?

      Eliminar
    11. Meszaros é dificil perceber que não se trata de ser portista mas de defender que se cumpram contratos!?

      Eliminar
    12. Aliás se há alguém que aqui pede ao mdc para falar das negociatas do porto sou eu... andei quase um mês á espera de um post sobre o "vai exercer" do comunicado sobre o jackson.

      Eliminar
    13. Fofinhos que vocês são...

      Tenho uma duvida que já te perguntei há tempo e nunca respondeste: em vez de andares a tentar definir a agenda dos outros, como faz o teu clube, porque não abres um blog teu onde podes escrever sobre o que te apetece? Tens cá uma lata...

      Eliminar
    14. Implica uma dedicação que eu não tenho disponibilidade... Penso que deve ser bem diferente comentar e criar conteúdo para um blog. E se posso desfrutar de bons trabalhos como o do mdc... Não vou estar a ter trabalho a fazer algo que pode não ter a máxima qualidade.

      Eliminar
    15. Este nuno é tal e qual o Pedro "Gordo" Guerra... Haja pachorra..

      Eliminar
    16. Mas os outros têm que ter disponibilidade para escrever o que tu queres e quando queres, é isso? 'se há alguém que aqui pede ao mdc para falar das negociatas do porto sou eu... andei quase um mês á espera de um post'... E depois dizes que és coerente e não tens dupla moral. Tens cá uma lata...

      Eliminar
    17. Nuno Martins. O argumento é simples, o contrato tem clausulas ilegais em prejuizo do Sporting e a ingerência ilegítima da Doyen na venda do Rojo configura justa causa de resolução, com a consequência de o Sporting ter de devolver à Doyen o que a Doyen investiu. O Sporting poderá ter razão ou não, poderá conseguir provar o que alega ou não, é a vida. Não precisas de ficar tão nervoso porque brevemente isso vai saber-se. Coisa diferente, e na qual ninguém acredita, é vires agora dizer que não conheces ou não entendes ou não há argumentos. E dizeres que os contratos são para cumprir, esquecendo que, antes disso, a lei que os regula também é para se cumprir. Isso tem um nome: má-fé. Assim sendo, vai chatear a "estrutura" se faz favor, porque daqui não levas nada.

      Eliminar
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  10. Mestre, isto é off:

    Assim a titulo de curiosidade, tens dados sobre o numero de espectadores nos jogos do Sporting na semana passada e do Arouca-Benfica ontem em Aveiro?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esquece, já vi no site da liga:

      http://i.imgur.com/KyTQY3K.png

      Diferença brutal para o clube com mais adeptos que a população de Itália

      #carregaPropaganda

      Eliminar
    2. Por acaso já tinha ido ver... tive a mesma curiosidade. :)

      Eliminar
    3. Pode dar-se o caso de que o Tondela tenha menos simpatizantes que o Arouca.

      Mas com o clube em 7º, vamos deixar de ver tantos lampiões.

      Ou muito me engano ou a frase mais escutada nos locais de trabalho esta segunda feira, e nas próximas semanas é "eu nem ligo muito a futebol", "eles é que o ganham", "o país tem problemas maiores", "quando é que começa a Casa dos Segredos?"

      Eliminar
    4. Belfodil o FACTO é que em casa a diferença foi de cerca de 13m e fora foram 1,5m... sempre com o mesmo á frente! Mas para vocês perder por pouco não é mau.
      Valdemar depois de todos os anos hibernares é preciso ter lata...

      Eliminar
    5. Nuno Martins

      Só por curiosidade...tens que idade?
      Lembraste dos anos 90?
      Olha que eu lembro me...e lembro me do estádio da luz ás moscas...

      Eliminar
    6. "Belfodil o FACTO é que em casa a diferença foi de cerca de 13m e fora foram 1,5m... sempre com o mesmo á frente! Mas para vocês perder por pouco não é mau.

      A vossa bazófia(estádio cheio) nunca bate certo com os números
      Até o presidente do Arouca, que vos faz sempre o favor de jogar em campo neutro, nota-se logo pela bazófia que é lampião.
      http://i.imgur.com/oVcM4KY.png


      Estou curioso se em Novembro o Sporting também vai jogar a Aveiro, visto que está provado que metemos praticamente os mesmos adeptos fora que vocês.

      Eliminar
    7. Só mais uma nota relativa às recepções em Aveiro e respectivas assistências:

      Preço do bilhete mais caro para o Arouca-Beifica - 25€

      Preço do bilhete mais caro para o Tondela-Sporting - 35€

      Eliminar
    8. Eu hibernar, facínora?

      Conheces o Cabelo?

      Onde sempre escrevi como meu nome e foto? Onde convidei vários invertebrados amigos teus a aparecerem depois de me insultarem para me baterem ou pagarem uma imperial, sem que ninguém alguma vez o tenha feito?

      Esconder-me?

      Ahahah. #Ahah

      Eliminar
    9. fernando... 32... 1983... e por ter memoria desses tempos é que defendo o presidente atual quando há muitos adeptos do meu clube que se põe com ataques pessoais ao lfv. Ainda há uns tempos aqui me acusavam de ser o pedro guerra e questionavam sobre porque defendia o lfv... os anos de 95 a 00 são a resposta! Mas a atualidade é a atualidade!
      Belfodil falando de dados globais (porque duas jornadas não são amostra), no ano passado os 9 jogos com maior assistência foram do Benfica, em 10 jogos 9 são com o Benfica, em 15 jogos 13 são com o Benfica!
      Valdemar sim conheço. E é dai que conheço a tua espécie! E é dai que eu sei e todas as pessoas que leêm blogs de futebol sabem que HIBERNAS!

      Eliminar
    10. Nuno Martins

      Normalissimo...afinal de contas estiveram quase sempre na lideranca...quero ver esse apoio numa epoca ma! Quer dizer...ja se viu...estadio da luz as moscas...assim como os outros estadios onde jogavam...

      Eliminar
    11. "Enchemos o estádio..." Pedro Guerra dixit

      Podia ter levado um cartaz com estes dados:

      http://i.imgur.com/KyTQY3K.png

      #carregaPropaganda
      #NunoMartinsQueresMagnumDeAmendoaOuClassic

      Eliminar
    12. Belfodil apenas me limitei a seguir a tua fonte.. Mas no meu caso já é propaganda? Pois... Quando não agrada é propaganda.

      Eliminar
    13. Estou a falar do que o gajo disse agora na TVI, o gajo é uma anedota.

      Eliminar
    14. Acho que o facto de o tempo estar horrível naquela zona do país tirou alguma gente do estádio, nomeadamente aquelas compras de impulso na ultima hora. Mas aceito perfeitamente que o Sporting tenha metido mais visitantes que o Benfica. Esse facto apenas ganha campeonatos morais.

      Eliminar
    15. "Esse facto apenas ganha campeonatos morais."

      Ou isso, ou então prova mais uma vez que o vosso clube só faz propaganda barata, ainda ontem o vosso porta voz Pedro Guerra, disse que os clubes pequenos vivem à custa das assistências dos jogos com o Benfica para justificar o jogo em Aveiro, sem ninguém lhe ter perguntado nada, acrescente-se.

      Eliminar
    16. Mas eu hiberno quando, meu porco?

      Eu fartei-me várias vezes de escrever para burgessos da tua laia e só um amigo de lá me convencia pelo cansaço a regressar.

      Mas desta vez foi a ultima. Não tenho consideração pela legião de palermas dos quais és um clone, e quando é assim, é melhor ir fazer outra coisa.

      Nota o seguinte: tu a mim conheces-me, aparentemente. Sabes quem eu sou, quando escrevia, quando deixava de o fazer por algum motivo (eu tenho vida para além da bola e satisfaz-me bastante), tanto que me sentias a falta.

      Tu, para mim, és um badameco anónimo.

      Eliminar
  11. Factos à Nuno Martins,

    SCP 125.000 sócios 22.000 adeptos em Aveiro = 17,6% dos adeptos
    SLB 157.000 sócios 23.000 adeptos em Aveiro = 14,6% dos adeptos

    Há e tal somos os maiores em percentagem sócios vs lotação do estádio de aveiro :).

    Rumo aos 6M€ para o JJ! Carrega BdC! Doyen we trust!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se queres conhecer o nuno martins
      https://www.facebook.com/artur.graca.92/videos/vb.1430484821/10207741369958819/?type=2

      Eliminar
    2. Nuno Bobby tareco martins ontem foi uma das ratazanas que não apareceu por aqui...... Cobarde.

      Eliminar
  12. Há duas temporadas atrás, o SCP teve mais espectadores, na situação de visitante, que o clube de Carnide que acabou por ganhar esse campeonato. Um clube que não ganha nada há muitos anos, como gostam os boifiquistas de referir, é obra rivalizar, em n.º de espectadores, com um clube que tudo ganha, com milhões de adeptos e sócios até mais não, segundo a propaganda vermelhusca. É milagre! e quando começar a ganhar consistentemente?
    Quanto aos contratos, nem todas as clausulas são admissíveis, por lei, ainda que assinadas por todos os intervenientes. Por exemplo, em Portugal, contratos de swapps, em que intervieram entidades financeiras e empresas, que depois entraram em litigio, foram anulados por sentenças em Tribunal Superior, com base em clausulas leoninas, em favor de uma das partes (entidades financeiras), não admitidas legalmente. Assim, aguardemos serenamente a decisão do TAS, tanto mais que o Sporting Clube de Portugal continuará o seu percurso, rumo à glória, independentemente da natureza da decisão em causa.
    Por outro lado, quantos contratos não rasgou já o LFV? E quantos contratos não são rasgados todos os dias? Os advogados e os tribunais podem responder a isso.
    Há vermelhuscos que em determinadas circunstâncias, gostam de se armar em "moralistas". Não passam de hipócritas iguais àquele conservador americano que de tão "moralista" acabou por lhe descobrirem a careca, em sites de relacionamento amoroso. São "bandidos" armados em moralistas e que deviam ser corridos À CHIBATADA como, em tempos idos, aconteceu aos vendilhões do templo. O SCP é grande, maior que todas as Doyens e dos seus tão "admiráveis" defensores. HIPÓCRITAS!!!!

    ResponderEliminar
  13. Já comentei neste blog que acho muito dificil o Sporting ganhar esta batalha mas darei de novo a minha opinião.

    Rojo nunca viria para o Sporting sem a Doyen e esse é um facto inquestionável.

    Mas se o Sporting questionava a postura da Doyen, do próprio jogador e talvez do Manchester United que não sabemos ao certo que postura teve neste caso, porque não denunciou durante as negociações a situação à FIFA? Não vendia o jogador ao Man United pelo mesmo valor que acabou por vender, punha o jogador a treinar na equipa B o tempo que demorasse a resolver a situação e metia a Doyen em tribunal exigindo os 20M (+ salarios do Rojo) que tinha deixado de receber de um clube 3º por interferência directa da DOYEN. Fazendo isto o Sporting ganhava um crédito moral que ninguém poderia questionar.

    Mas o Sporting quis o proveito de curto prazo acabando por vender o jogador ao mesmo clube que a Doyen sugeriu, pelo mesmo preço (+ Nani) e no mesmo espaço temporal. Acho dificil de sustentar em termos morais e possivelmente jurídicos (que usalmente tenta acompanhar a questão moral).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É simples, não denunciou nada porque a pessoa que dirigia o clube na altura se chama godinho lopes

      Eliminar
    2. Rui Ferreira....durante as negociações com o Man United o presidente era Bruno de Carvalho

      Eliminar
    3. Nesse caso, a sugestão do meu amigo era, porque uma terceira parte tinha prejudicado o clube, a direcção devia tomar uma resolução de... prejudicar o clube?

      Isso faz-me lembrar aqueles piratas do Asterix.

      Muito inteligente, de facto.

      Eliminar
  14. E uma questão para algum jurista que visite este blog. Quando se assina um contrato existem direitos e deveres para ambas as partes. Quando se considera um contrato ilegal quem tem a responsabilidade de tal? Pode o Sporting ficar com o todas as vantagens e não ser responsabilizado pelo facto de ter assinado um contrato ilegal para o qual tambem deve ter contribuido com clausulas. Por ultimo e no caso extremo do contrato ser considerado ilegal não seria como se o activo (jogador) nunca tivesse saído do clube Russo e este sim tivesse o direito a receber o valor da transferência do Man United, ressarcindo o Sporting e a Doyen do valor que investiram na compra do jogador (4M)?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Repito o meu comentário só para desmontar a falácia recorrente do " sem a Doyen o Sporting não comprava o Rojo":

      Não vale a pena... ainda assim, atenta (novamente) na ordem cronológica dos acontecimentos:

      1- Sporting compra Rojo ao Spartak
      2- Sporting firma um acordo TPO Rojo/Doyen

      O Sporting não tinha dinheiro para comprar o Rojo? Tanto tinha que comprou por 5.425M€ (pensava que tinha sido por 4.75M€, fui confirmar e ainda foi pior do que eu me lembrava...) e passado algum tempo desvalorizou o jogador em 1.425M€ vendendo 75%à Doyen por 3M€... (consulta aqui: http://www.sporting.pt/incscp/pdf/investor_relations/RelatorioGestao20122013.pdf pág. 109 (compra de Rojo ao Spartak) e pág.113 (venda de 75% à Doyen)).

      E sim, as "explicações" para a rescisão são muitas, incluindo manifesta influência na gestão desportiva do Clube, ameaças concretizadas do jogador armar banzé, andarem a oferecer o jogador a vários Clubes, fazerem-se passar por emissários do ManU, acordo inicial a infrigir as regras da FIFA e isto é só o que se vai sabendo...

      Eliminar
    2. Isto era em resposta ao “facto inquestionável ” de sem a Doyen o Rojo nunca vir para o Sporting...
      “Facto inquestionável”... É com cada certeza... Mas afinal vai-se ver...

      Eliminar
  15. Ao Nuno Martins e demais lampiões. O argumento do Sporting são simples: o contrato tem cláusulas ilegais em prejuizo do Sporting e a ingerência ilegítima da Doyen na venda do Rojo configura justa causa de resolução, com a consequência de o Sporting ter de devolver à Doyen apenas o que a Doyen investiu na contratação. O Sporting poderá ter razão ou não, poderá conseguir provar o que alega ou não, é a vida. Não precisam de ficar tão nervosos porque brevemente isso vai saber-se. Coisa diferente, e na qual ninguém acredita, é virem agora dizer que não conhecem ou não entendem ou não há argumentos. E, pior ainda, dizerem que os contratos são para cumprir, esquecendo que, antes disso, a lei que os regula também é para se cumprir. Isso tem um nome: má-fé. Assim sendo, podem ir chatear a "estrutura" se faz favor, porque daqui não levam nada.

    ResponderEliminar