quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Gobernices

Já perdi há muito a paciência para ver o Trio de Ataque. São duas horas de debate estupidificante (mesmo para a norma que impera neste tipo de programas) entre comentadores de terceira categoria, dos quais apenas Miguel Guedes consegue escapar. Não que o Blind Zero seja um paineleiro de Champions, mas é fácil perceber a facilidade com que navega no programa, incorrendo frequentemente em omissões e falsidades sem que nenhum dos seus interlocutores as consiga detetar. Basta ouvir uma edição do Grandes Adeptos para perceber que as dificuldades de Miguel Guedes aí encontra são outras. Quanto à oposição que tem no Trio de Ataque... bem, basta lembrar como ROC era sistematicamente gozado por Gomes da Silva e Guilherme Aguiar - esses sim, paineleiros de primeira divisão, que agora são acompanhados por Rogério Alves, que por sua vez é nitidamente de Champions.

Pois bem, ontem voltei a ver o programa porque me chamaram a atenção para o facto de Guedes & Gobern terem andado a dizer que a decisão de Bruno de Carvalho em acompanhar Jorge Jesus para a bancada era mais um indício de divisão entre os dois do que um sinal de solidariedade e entendimento. Uma tese absurda que Miguel Guedes tentou impingir com alguma habilidade, diga-se. Mas depois entrou João Gobern, tentando reforçar a ideia de uma forma que demonstra que não passa mesmo de um paineleiro de terceira divisão:


Rui Oliveira e Costa esteve bem na resposta ao virar a agulha para a azia do acusador, com o precioso auxílio de Hugo Gilberto (!). Mas de qualquer forma, mesmo que as imagens da SportTV não tivessem mostrado posteriormente Bruno de Carvalho ao lado de Jesus na bancada de imprensa, desde quando que isso provaria alguma coisa? Será que o presidente seria obrigado a acompanhar o treinador até nas idas à casa-de-banho para provar que realmente está tudo bem entre eles? 

Enfim, gobernices. Mas ainda houve mais. O que dizer desta outra tentativa patética de atacar Bruno de Carvalho?


Bruno de Carvalho, o maior inimigo do futebol português. O homem que tirou Pedro Proença de um lugar onde nos podia ser útil para esse posto de relevância insignificante que é a Liga. Há no entanto que admitir que Gobern deve saber bem a importância de ter gente amiga nas entidades que mandam na arbitragem. Para Pinto da Costa - que por este discurso podia passar por uma personagem secundária que pouco teve a ver com a eleição de Proença - ficaram apenas os desejos de melhoras.

Para finalizar pôs-se a debitar as frases feitas do Nélio. Será que em algum momento Gobern se questiona o motivo pelo qual o seu clube - que oficialmente vendeu largas dezenas de milhões em jogadores nos últimos meses - não consegue reforçar o seu plantel? Não percebeu ainda que os fundos são um dos vários parasitas que se agarram ao futebol a sugar-lhe a riqueza? E ainda tem coragem para os defender? É triste: anda o mundo a tentar evoluir, e Gobern continua a repetir acefalamente argumentos que qualquer pessoa que acompanhe de perto o fenómeno já percebeu serem extremamente redutores da real perversão que é a ação dos fundos no mercado. 

Fica um conselho gratuito para João Gobern: uma pessoa devia saber que tem que rever a sua postura em programas deste género quando começa a malhar no adversário e acaba a levar baile do ROC. E só de pensar que a RTP dispensou o enorme Júlio Machado Vaz para arranjar um tacho para uma figura medíocre como esta...

27 comentários :

  1. Sobre os fundos:

    "A SAD do Benfica chegou a acordo com a Doyen para o adiamento do pagamento de 6 milhões de euros por 50 por cento do passe de Ola John, noticia A BOLA esta quarta-feira."

    Aos poucos vamos vendo o porque da necessidade de vender/despachar certos jogadores.

    Abraço

    Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedro, é a forma de compensar o testemunho de Paulo Gonçalves no TAS. Mas mais cedo ou mais tarde vão ter que pagar os seis milhões... Um abraço.

      Eliminar
    2. Uns porreiraços, esses da Doyen. Fica por esclarecer se não cobram juros (e quanto) pelo adiamento desse pagamento.

      Sobre o Gobern: Um tipo que, de perfil, parece uma tenda com cabeça, tem que viver em permanente amargura...

      Eliminar
    3. Mais os juros...
      Creio que foi aqui, n'O Grande Artista, que foi publicada uma resenha do negócio Olá, na qual, a partir dos valores de Balanço da SAD benfa, se explicitavam os verdadeiros valores da aquisição + encargos do jogador.
      Por isso e a menos que a Doyen ainda não tenha pago o testemunho, aqueles 6 milhões são curtos...

      Eliminar
    4. Sim, fui eu que fiz o post. Não sei se haverá ou não juros a pagar, mas esse valor é compensado pelo valor do empréstimo ao Reading.

      Eliminar
    5. Porreiros, porreiros.. são os gajos do BPI... "vocês sabem do que estou a falar..."

      Eliminar
  2. Há séculos que não vejo esse programa, mas já reparei que o Gobern tá mais magrinho, o Guedes mais inteligente e o ROC bebe menos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gobern e Guedes a beneficiarem, clara e inequivocamente, do exemplo de ROC

      Eliminar
    2. O Gordern não está mais magro, a barba disfarça. Sei porque o vi novamente ao vivo e as balanças continuam a lamentar-se e a ter o estertor da morte.

      Eliminar
  3. Felizmente não vejo programas com adeptos porque cada um puxa a brasa a sua sardinha.
    Custa-me ver gente que ganha dinheiro defendendo o seu clube(não sendo especialistas na matéria) da mesma forma que vocês sportinguistas defendem o vosso clube(aqui)assim como eu defendo o meu nos blogues afectos ao meu clube e de borla.
    Estes paineleiros clubistas é que são autênticos incendiários devido a sua irracionalidade quando defendem as suas damas.
    Em suma percebem tanto de bola como nós.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me incomodam estes programas, porque todos sabemos ao que cada um vai e pode dar os devidos descontos. Mas efetivamente há programas em que uma pessoa se sente mais estúpida ao vê-los, do princípio ao fim, sem nada que se aproveite, e o Trio de Ataque é um deles.

      Eliminar
  4. Felizmente não vejo programas com adeptos porque cada um puxa a brasa a sua sardinha.
    Custa-me ver gente que ganha dinheiro defendendo o seu clube(não sendo especialistas na matéria) da mesma forma que vocês sportinguistas defendem o vosso clube(aqui)assim como eu defendo o meu nos blogues afectos ao meu clube e de borla.
    Estes paineleiros clubistas é que são autênticos incendiários devido a sua irracionalidade quando defendem as suas damas.
    Em suma percebem tanto de bola como nós.

    ResponderEliminar
  5. Nem vejo, mas, obrigado uma vez mais pelo serviço publico!

    ResponderEliminar
  6. Eu acho que alguém que prepare minimamente a sua intervenção neste tipo de programas, fica logo com meio caminho andado para partir na frente e "liderar" certas conversas.
    Reparemos nos exemplos de Pedro Guerra e RGS. Qualquer pessoa minimamente preparada, poderia rebater com mais ou menos facilidade os argumentos preparados e encomendados de ambos.
    No entanto, enquanto uns têm o TPC feito e vão para lá com um discurso definido, outros limitam-se somente a soltar a sua opinião face a determinado tema que é referido na discussão.
    Obviamente que com a fraca qualidade do moderador, tudo isto faz com que seja normalmente programas de ataque por parte destas personagens, e defesa por parte do restantes participantes.
    Obviamente que em Rogério Alves temos alguém que faz bem esse papel, mas com Eduardo Barroso ou até ROC já fica em evidência essa falta de preparação

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu estou de acordo no que toca à falta de preparação dos participantes sportinguistas, no entanto há diferenças substanciais entre o Barroso e o ROC.

      O Barroso de facto não se prepara o suficiente mas também eevita entrar em diálogo com o Pedro Guerra porque não é capaz de o fazer sem se baixar ao nível rasteiro daquele besta. É pena pois não seria difícil dar um baile àquela espécie de hipópótamo histérico.

      O ROC é um caso perdido. É um resquício do que há de pior no Sporting: oportunista, invertebrado, completamente vazio de ideias.

      Valha-nos o Rogério Alves e obviamente o Inácio.

      Eliminar
    2. Concordo, o Eduardo Barroso compensa isso desvalorizando a importância de tudo o que Pedro Guerra diz. Está ali no programa como um sportinguista apaixonado e é ele próprio também a desvalorizar a importância das coisas que diz (está sempre a admitir que as opiniões que dá estão afetadas pelas suas lentes verdes).

      O Pedro Guerra pode ter muitos defeitos, mas ninguém lhe pode tirar que vai com a lição muito bem estudada. Até me parece mais eficaz a abordagem de Barroso e Serrão, que não entram no jogo dele e acabam por deixá-lo a falar sozinho. Alguém que lhe desse réplica provavelmente não conseguiria falar com a técnica do Guerra em falar constantemente mais alto.

      Eliminar
    3. Eheheh Hipopótamo Histérico. É que é mesmo isso! O melhor descritivo possível para aquela espécie de ser amorfo é hipócrita.

      Um Hipócrita Hipopótamo Histérico. Uma verdadeira Popota!

      Eliminar
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  8. O que me mete ainda mais pena no caso do Gobern é que ele até é uma pessoa que eu respeito quando se trata de fazer o que sabe: falar e escrever sobre música.

    É mais uma prova de que nem toda a gente que gosta de futebol percebe alguma coisa do assunto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Chirola, tinha boa opinião de Gobern quando o ouvia apenas na rúbrica matinal que tinha (não sei se continua a ter) na Antena 1. Essa boa opinião esfumou-se.

      Eliminar
  9. O único programa de jeito é o Dia Seguinte. Tudo o resto é uma pobreza enorme de ecos e/ou de visitantes regulares dos camarotes da Gestifute.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse post é demasiado ofensivo para um dos melhores comentadores benfiquistas na TV:

      http://i.imgur.com/ZL510f5.png

      Eliminar
    2. Concordo, Shadows. Se excluírmos as estéreis discussões do penálti-que-não-é-penálti e das teorias de posicionamento dos fiscais-de-linha em que o Guilherme Aguiar insiste, conseguem retirar-se pontos interessantes sobres os temas discutidos. E o facto de RGS ser um VP do Benfica é um trunfo que mais nenhum programa tem.

      Eliminar
    3. Isso. Pode-se gostar mais ou menos do estilo de cada um, RGS incluído, mas ali discutem temas vitais do futebol português.
      O resto são personagens vazias e que procuram destaque pessoal.

      Eliminar
  10. não vejo, mas o ver estes vídeos fico com um sentimento de nojo por haver quem pague a esta gente para dizer merda...

    ResponderEliminar
  11. É penoso ver o Gobern, por quem já tive algum respeito, neste papel de Pedro Guerra dos pequeninos.

    Acabará um dia com lugar na BTV, como recompensa pelos bons serviços prestados ao orellhas.

    ResponderEliminar
  12. https://www.youtube.com/watch?v=Z7v3aaRTuHMnem o Medina Carreira gosta daquilo

    ResponderEliminar