quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Brincar às seleções

Tenho muitas dificuldades em perceber a lógica que orienta a marcação dos compromissos particulares da seleção. Tirando o inevitável impulso das estatísticas individuais dos jogadores e do historial de Portugal, não consigo encontrar qualquer benefício na realização de um jogo com o Luxemburgo, uma seleção que na qualificação teve um duelo aceso com a poderosa Macedónia pelo 5º lugar do grupo C.

Para piorar, o jogo foi disputado num relvado deplorável. Tivesse sido o Luxemburgo - Portugal disputado há duas semanas, e teria sido um maravilhoso ensaio para os internacionais do Sporting prepararem o jogo de Arouca.

Dá toda a ideia que este planeamento e calendarização de jogos tem sobretudo o dedo da direção da FPF, e menos o do selecionador. Já sabemos que para Fernando Gomes, Humberto Coelho & Cª, os interesses desportivos são tipicamente relegados para segundo plano. O princípio orientador da marcação de particulares costuma ser o cachet recebido. Se o adversário tem ou não o perfil ideal para a preparação idealizada pelo selecionador, é uma questão secundária. É difícil esquecer que há precisamente três anos a seleção foi fazer um jogo ao GABÃO. Repito: ao GABÃO.

O lado positivo deste conjunto de dois jogos foi a possibilidade de Fernando Santos observar um conjunto de jogadores que serão o futuro desta seleção. É urgente a renovação da seleção, é bom ver que começa a haver  espaço para caras novas, mas apesar disso penso que esse processo deveria ter sido iniciado durante a fase de qualificação de uma forma mais gradual. Parece-me de uma utilidade algo discutível estar a lançar novos jogadores em massa num jogo a feijões, em vez de ir integrando um par de jogadores de cada vez ao lado do núcleo duro.

Aliás, qualquer ensaio que não inclua Cristiano Ronaldo acaba por ser um meio-ensaio. A partir do momento em que no seu lugar aparecem jogadores como Éder ou Lucas João, a estratégia de jogo tem que mudar radicalmente. É a cruz de estarmos tão dependentes de um único jogador. Compreendo a dispensa de Ronaldo (temos todo o interesse em que o nosso bola de ouro chegue a junho o mais fresco possível), mas por outro lado é um pouco constrangedor ver que o tempo de descanso que a seleção lhe concedeu acabou por servir para o jogador pôr em dia os seus compromissos relacionados com os seus negócios pessoais - no espaço destas duas semanas estreou um filme, desdobrou-se em entrevistas, tentou bater um recorde do Guiness de selfies tiradas, e sabe-se lá que outras atividades Jorge Mendes lhe terá arranjado para se ocupar...

P.S.: Fernando Santos disse no início do estágio que iria levar em consideração o Sporting - Benfica e o Real Madrid - Barcelona, e cumpriu de forma equilibrada para os clubes interessados. Valha-nos isso.

P.S.2: Parece que o Porto está indignado com o selecionador por não ter tido direito ao mesmo tratamento. Já têm a desculpa perfeita para usar se forem eliminados pelo Angrense.

19 comentários :

  1. Em relação ao Ps2: A questão obviamente não é o jogo com o Angrense mas sim a grande quantidade de jogos nas próximas semanas. 6 jogos em 19 dias. Se fosse para o vosso lado iríamos ter um comunicado e mais uma entrevista do Octávio.
    E na escolha do Luxemburgo de certeza que pesou a questão dos emigrantes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais palavras para quê Hugo.. resumiste bem tudo.

      Claro que a questão não é o Angrense, mas sim o tratamento diferencial, deferencial, reverencial para com os 2 vizinhos desavindos de Lisboa.. E, é evidente que o FCP não está nada 'indignado'. Apenas e bem, fez questão de marcar a sua posição. De dizer que está atento. Pois há mais marés que marinheiros.. e, já na altura, o FCP foi o 1º e único a pôr em causa, a criticar e questionar o passeio ao Gabão de Gibão!!!

      E é óbvio que a nível desportivo, FS aproveitou (e bem) para rodar a Equipa B, para fazer experiências contra um adversário mais acessível!!

      Eliminar
    2. Pela primeira vez em muito tempo o Porto colocou 3 jogadores na seleção portuguesa. Se há clube que não tem sido particularmente afetado pelos jogos da seleção portuguesa, é o Porto. Não vejo indignação semelhante pelos 3 jogadores mexicanos, tal como não via pelos colombianos quando ainda os tinham no plantel.

      Eliminar
    3. Oh Mestre.. acabei de lhe dizer que o FCP não está nada 'indignado'. Pelo contrario, até gostou de ver os seus 3 meninos a jogar a titular!! Acabei de dizer que o FCP apenas quis marcar posição. Para memória futura..

      - - -

      "Pela primeira vez em muito tempo o Porto colocou 3 jogadores na Selecção portuguesa" ??? !!!

      Hellooo Daaaaa.

      :-)

      Se desde há 20 anos para cá a espinha dorsal da Selecção de Portugal tem como base o FCP!!!

      :-)

      O Mestre ainda deve estar nos anos 70, 80... só pode !!!

      Eliminar
    4. Ou se calhar pensa que os Baías, Jorge Costas, F. Coutos, Pepes, Bruno Alves, R. Carvalhos, Bosingwas, Decos, Moutinhos, Meireles são do Desportivo do Campo Grande?!


      Eliminar
    5. realmente, os da fruta estão indignados porque se falou nos jogadores do fcp na selecção. nos últimos anos quantos jogadores de referencia o fcp teve na selecção?
      na era lopetegui contasse pelos dedos a quantidade de jogadores na selecção da parte do fcp.

      Eliminar
    6. Viper, duas coisas:

      1. Sobre a indignação do Porto, recomendo a visualização da capa do jornal O Jogo.
      2. Nos últimos 5 anos, quantos jogadores do plantel do Porto foram habitualmente titulares? Moutinho, durante duas épocas... Varela de vez em quando... não me lembro de mais ninguém.

      Eliminar
    7. Estão a esquecer-se do Lord Licá, do Josué das escarretas e de outros "cracks".

      Qualquer trambolho Português que jogue um joguito ou dois no Oporto & Doyen Balonpié (e já agora no beifica) arrisca-se a ser internacional.

      Já ser Português e do Sporting torna tudo muito mais difícil, o Adrien, Cédric e mesmo o William que o digam.

      Quem não se lembra da maçã podre não ser convocada para o Mundial da África do Sul mesmo antes de fazer birrinha para ir jogar para os corruptos. Realmente há Clubes com razões de queixa das manigâncias usuais nas nossas seleções.

      Eliminar
    8. Pensei que não iamos responder ao víbora...

      Eliminar
    9. Estas queixinhas dos andrades galegos são habituais... já em 2004 mandavam vir com o Scolari no porque; cansava o Costinha ao colocá-lo a jogar, e desprezava o Baía e o Maniche porque... ficavam de fora! Tudo no mesmo jogo... ahahahah! É só rir... só não têm sido muito chatos nos últimos tempos, porque quase não têm metido lá um jogador que seja...

      Eliminar
  2. Mestre,

    O calendário de jogos das seleções é decidido pela FIFA e não pela FPF. A FPF só decide quem vai enfrentar nesse calendário.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei disso, Mike. Eu não coloco em causa a existência de jogos particulares, coloco em causa a opção por um adversário como o Luxemburgo. Um abraço.

      Eliminar
  3. Mestre,

    mas a selecção nacional interessa para alguma coisa?

    Mas estes jogos com adversários poderosos como o Luxemburgo servem para alguma coisa?

    Claro que servem:
    - para se dizer que se dominou o adversário (era o Luxemburgo... e não há muitas oportunidades para se dizer isso);
    - para se dizer que se teve muitas oportunidades (era o Luxemburgo... e não há muitas oportunidades para se dizer isso);
    - para se ir dando internacionalizações a cepos (ex: Lucas João - que só joga bem contra o Sporting;)
    - para se dar internacionalizações e valorizar quem, ainda, não fez muito por isso (a facilidade com que Guedes, André André, Danilo e Ruben Neves obtêm internacionalizações, em contraste com a dificuldade que Cédric, Adrien e William tiveram para as obter, mesmo após 2 épocas de alto nível; não digo que estes jogadores do FCP e SLB não sejam dignos de representarem a selecção mas é fácil constatar a diferença de tratamento)
    Para se perceber - Danilo - 7 internacionalizações; Guedes - 1 chamada, 2 internacionalizações; R. Neves - 1 chamada, 2 internacionalizações; André André - 4 internacionalizações;
    Adrien - 5 internacionalizações; Cédric - 8 internacionalizações;

    Guedes, André André e Danilo estão com, somente, 13 a 14 jogos disputados pelas primeiras equipas do FCP e SLB. Nesse período conseguiram contabilizar 2, 3 e 5 internacionalizações respectivamente.

    Em quanto tempo é que Cédric, William e Adrien demoraram a obter essa marca? 40, 50, 60 jogos pela 1ª equipa do Sporting?

    Já agora, qual a utilidade de usar Rui Patrício em amigáveis? Ainda está em treinos de captação? Ou é para se ver se ocorre uma lesão (aconteceu contra a Albânia e ia acontecendo contra a Rússia - só os 2 últimos jogos que fez...)

    Para mim, a selecção teve algum valor entre 2004 e 2008. Foi quando ignorou interesses dos clubes do sistema. Curiosamente (ou não), foi quando atingiu dos melhores resultados de sempre.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sou capaz de discordar de nada, Cantinho.

      Ainda hei-de fazer um levantamento da quantidade de jogos que os jogadores de Sporting, Benfica e Porto demoraram até se estrearem pela seleção.

      Um abraço.

      Eliminar
    2. Mestre,

      é que é impressionante a facilidade com que uns obtêm internacionalizações e outros, bem... coitados, o que tiveram (e têm) de penar. Serão estes tão inferiores?
      E esta lista é imensa (com Cavaleiros, Nelson Oliveira, Licá, Josué, Nelson Semedo à mistura).

      E é interessante verificar outra apetência que é comum aos clubes de poder e fpf: chamar emprestados altamente desvalorizados, na esperança que se possam valorizar, apesar de não merecerem a chamada: Nelson Oliveira (onde antes se viu Varela, Sereno, Rolando).

      Esqueci-me de acrescentar à lista do comentário de cima o Ricardo Pereira (enfim...). Se está bem no Nice (isto é, no Setúbal de França), é a def-direito. Na Rússia e ontem jogou no meio-campo. Sem coerência. Ou, talvez, bem coerente.

      Um abraço

      Eliminar
    3. Claramente mais uma conspiracao contra o Spirting. Mas o Adrien e jogador de alguma coisa?

      Eliminar
    4. Não Hugo,

      Se conhecesse o Cantinho saberia que por acaso não vai muito à bola com o Adrien...Mas isto é só um aparte.

      Mas entre André André, Varela,Rolando, Ricardo Pereira,Licá, Josué,Cavaleiro,N. Oliveira, Semedo venha o diabo e escolha....e não é que todos os outros marretas mais depressa juntaram internacionalizações que o Adrien!

      Segundo o Dragões Diário parece é que é uma conspiração contra o FCP. No entanto como estão repletos de portugueses no 11, vai na volta e até é.

      Quando a inteligência é pouca sai verborreia mental...

      MdC ,

      Peço que possa por na sua barra lateral: peaoverde.blogspot.com. Quanto mais blogs de sportinguistas tiver, mais bela ela se tornará

      Eliminar
  4. Concordo inteiramente, nem sequer consegui prestar grande atenção ao jogo, aproveitei para ir adiantando algum trabalho para hoje e espreitava para a TV de vez em quando...

    Só gostava de acrescentar uma coisa, e isto analisando o Rússia-Portugal, que efetivamente vi: Sem treinador é difícil... Fernando Santos é um nabo.

    É triste ver Portugal jogar contra a Rússia como uma equipa pequena. Durante boa parte do jogo Portugal limitou-se a tentar fazer lançamentos longos lá para a frente, com zero por cento de aproveitamento. Todos os poucos lances de perigo de Portugal resultaram de jogadas elaboradas a partir de trás, com paciência, como toca a uma equipa que não joga para o pontinho... Aliás, na ausência (absurda) de Ronaldo, seria de esperar que B. Silva, um dos nossos jogadores mais talentosos e criativos, jogasse de início... Não, jogou o A. André... Entrou o Bernardo para os últimos minutos, já depois de a Rússia ter marcado, pois aí (que chatice) já precisávamos de marcar um golo...

    Aquele lado esquerdo da defesa é um desastre à espera de acontecer: B. Alves já há muito que não tem pedalada para a seleção e Eliseu é um dos piores jogadores que já vi envergar a camisola das quinas (provavelmente só atrás do A. Almeida). Foram papados a torto e a direito. Enumerem-me uma situação de golo da Rússia que não tenha passado por pelo menos um deles. E isto com Raphael Guerreiro e José Fonte no banco...

    Se não temos ponta-de-lança, não temos ponta-de-lança, joga-se com 3 avançados móveis na frente, como aliás FS já fez repetidas vezes. Agora meter em campo um jogador que nem é titular indiscutível no 18º classificado da segunda liga inglesa é de bradar aos céus... N. Oliveira foi um a menos durante todo o jogo...

    Nani, quando está bem é um jogador tremendo, quando não está, só atrapalha. Com a Rússia foi uma nulidade. No entanto, quando FS decidiu refrescar as alas, foi Guedes, que na minha opinião esteve bastantes furos acima de Nani, que saiu...

    Patrício teve que ser assistido ainda na primeira parte e jogou o resto do jogo com uma coxa ligada. Porque motivo não foi retirado ao intervalo? Algum motivo para se arriscar agravar a lesão num particular?

    Enfim, desde Scolari que vamos de mal a pior... A FPF deve ser, às custas do Ronaldo, a única entidade pública portuguesa que dá lucro. Porque não investir esse dinheiro num treinador a sério, um Ancelotti ou assim? Cada vez aguardo com menos antecipação as fases finais das competições de seleções...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está tudo certo: desrespeito com os seleccionáveis e escolhas idiotas nas substituições.

      Infelizmente a solução que indicas não iria adiantar.
      São FPF e Mendes que fazem a escolha de quem aparece na montra.

      Eliminar