domingo, 31 de maio de 2015

Incrível! Épico!



Está na hora



Vamos à 16ª!


Se há dias que podem definir aquele que será o futuro do Sporting, este poderá muito bem ser um deles. Há pouco mais de 2 anos o Sporting, tal como o conhecemos, esteve à beira de terminar. Ao longo dos últimos 26 meses tem sido feito um trabalho imenso de recuperação, em que nada nos foi facilitado, em que muitos obstáculos foram intencionalmente colocados no nosso caminho - como se todos os outros não fossem desafio suficiente. Ao longo deste tempo, para além dos adversários que defrontámos nas quatro linhas, para além das restrições financeiras a que nos tivemos que sujeitar para podermos continuar a existir, para além das desvantagens crónicas a que anos de má gestão nos condenaram, tivemos ainda que enfrentar Duques e Herculanos, Motas e Capelas, Serpas e Delgados. A nossa grandeza mede-se também pela forma como dia após dia, semana após semana, mês após mês, somos sistematicamente o alvo daqueles cujas funções os deviam obrigar a regular, julgar e exigir uma competição limpa e justa para todos. 

É por tudo isso que o dia de hoje é tão importante. Não há reservas para guardar para mais tarde, é altura de colocarmos tudo o que temos em campo e nas bancadas para podermos voltar a erguer a Taça de Portugal. E se o conseguirmos será triplamente saboroso: não só pelo retomar das conquistas que construíram o imenso nome do Sporting Clube de Portugal, mas também pelo que representará para o processo de recuperação do clube e, claro, pelo prazer que será esfregar essa vitória na cara de todos aqueles agentes desportivos que em vez de se manterem uma postura isenta a que as suas funções os deveriam obrigar, preferem diariamente apoucar-nos, atacar-nos e denegir o nome do nosso clube.

O Braga é uma equipa muito perigosa, que teve muito mérito na forma como atingiu esta final e não poderá de forma alguma ser menosprezado. Mas temos equipa para lhes ganhar. Seja qual for o onze que Marco Silva colocará em campo, que os jogadores saibam respeitar o adversário e a história do Sporting. Se essa postura estiver sempre presente desde o pontapé de saída até ao apito final do árbitro, estaremos seguramente muito mais próximos de ter a alegria que há demasiado tempo desejamos e, como só nós sabemos, tanto merecemos.

Vamos à 16ª!

sábado, 30 de maio de 2015

Celebremos mais um mandato de Blatter na FIFA




Chegaram os Fundos 2.0

Há uns anos, o Porto contratou Walter recorrendo a fundos de investimento. Os fundos que apoiaram o Porto nessa transação foram duas empresas chamadas Pearl Design Holding Ltd. e For Gool Co., conforme pode ser lido na notícia abaixo, publicada há 3 anos:

in bloomberg.com

Mais recentemente, em 2014, o Porto vendeu 25% do passe de Walter ao Fluminense, mais uma vez envolvendo a For Gool Co. no processo, conforme aparece na página 26 do R&C da FC Porto, SAD referente ao 3º trimestre de 2014/15, publicado ontem:


Ou seja, o relacionamento da For Gool Co. e Porto era a ligação tradicional entre um fundo e um clube de futebol que investem conjuntamente num determinado jogador.

Como se sabe, a FIFA proibiu os fundos de deterem percentagens de passe de jogadores. Já escrevi no passado que seria natural que os fundos passassem a agir como financiadores. Na impossibilidade de deterem passes de jogadores, certamente que passariam a incluir outro tipo de cláusulas que lhes manterão os níveis de recompensa a que se habituaram.

E não perderam tempo. Ontem, o R&C apresentado pelo Porto referente ao 3º trimestre de 2014/15 revelou o seguinte: 




Ou seja, o Porto financiou-se junto de um fundo comprometendo-se com uma taxa de juro que variará em função do preço e condições da venda de Herrera. Na teoria, o Porto continua a deter os mesmos 80% do passe de Herrera, mas na prática parece que estamos perante um estratagema muito semelhante aos que existiam antes da proibição da partilha de passes. Só que em vez de os fundos serem recompensados com uma percentagem fixa da venda, passamos a falar em taxas de juro variáveis indexadas ao preço de venda do jogador.

Ou seja, o Porto acabou de vender uma percentagem significativa de Herrera a um fundo por 5 milhões de Euros. E nada foi comunicado à CMVM. 

Vamos ver se e como a UEFA irá reagir a isto. Entretanto o Porto continuará a caminhar de forma imparável na direção do abismo.

quinta-feira, 28 de maio de 2015

O destaque dado às detenções de dirigentes da FIFA na imprensa

No mundo...

via @CarroVassoura

... e em Portugal:


Conforme escreveu alguém que sigo no Twitter, se os jornais desportivos portugueses não querem saber da corrupção que há por cá, por que raio quereriam saber daquela que se passa lá fora?

FIFA, Blatter e Qatar 2022

Na sequência das detenções de ontem, não é demais ver ou rever algumas reportagens / documentários / peças de humor feitas sobre a FIFA, Joseph Blatter e a organização do Qatar 2022.

Primeiro, uma reportagem da ESPN sobre as condições de escravatura em que os trabalhadores estrangeiros são sujeitos no Qatar (17 minutos, contém imagens chocantes):


Um programa de John Oliver feito no ano passado sobre os critérios das leis que a FIFA impõe nos países organizadores (13 minutos):


E por fim, um documentário da ESPN sobre a ascensão de Joseph Blatter ao poder, a sua perpetuação no cargo e as ligações antigas a figuras do Qatar - que acaba por ajudar a explicar o motivo da atribuição do mundial de 2022 a esse país (48 minutos):



A qualidade da gestão de Vieira

Com a conquista do bicampeonato temos assistido a uma chuva de elogios a Luís Filipe Vieira e à sua gestão da parte de muitos jornalistas, comentadores e opinion-makers. Como é óbvio, é normal que se elogie o timoneiro de um clube que nos últimos dois anos dominou o futebol nacional - para todos os efeitos trata-se de um clube desportivo que tem como finalidade última conquistar títulos -, mas creio que se andam a misturar várias coisas que deveriam ser analisadas de forma um pouco mais separada.

Quem costuma ler o que escrevo sabe que estou longe de ser um admirador de Vieira, mas não posso deixar de reconhecer que o presidente benfiquista teve um papel absolutamente decisivo no bicampeonato ao ter decidido manter Jorge Jesus quando a esmagadora maioria dos benfiquistas pedia a sua cabeça após o desastroso final de 2012/13. Essa tem sido, aliás, a maior qualidade de Vieira ao longo destes anos: quando percebe que tem a pessoa certa numa posição, não poupa esforços para a manter consigo - nem que isso implique algumas cedências ao nível da estratégia que tem para o clube.

Outra medida bastante corajosa que tomou foi a decisão de cortar a ligação com a Olivedesportos e assumir a transmissão dos próprios jogos. Foi (e continua a ser) uma medida de risco elevado - pois depende diretamente da prestação desportiva da equipa - mas a verdade é que nestes dois anos não só conseguiu aproximar-se do lucro que um contrato com a SportTV lhe proporcionaria (e este ano provavelmente até o ultrapassará) como foi uma ferramenta fundamental para tomar o poder do futebol português.

Ainda poderia falar da habilidade para algumas jogadas de bastidores que são obviamente pouco éticas, mas não é esse o objetivo deste post. Foquemo-nos nos números que são do conhecimento público - que têm a virtude de serem objetivos e de não estarem sujeitos a especulações.

Se desportivamente é indiscutível que os resultados estão a ser muito positivos, já não consigo perceber como há tanta gente a fechar os olhos ao facto de a gestão de Vieira ser ineficiente no aproveitamento dos recursos de que dispõe. Vejamos alguns exemplos:


O custo do plantel

Todos nos lembramos da sangria a que o plantel do Benfica foi sujeito no verão de 2014. Saíram Oblak, Garay, Siqueira, André Gomes, Markovic, Rodrigo e Cardozo. No mercado de inverno já tinha saído Matic. Alguns destes eram jogadores bem caros (diz-se, por exemplo, que Garay recebia cerca de €3M / ano), e o presidente referiu a necessidade de reduzir a massa salarial do plantel. 

O efeito prático - e que todos reconhecem, com exceção de Fernando Guerra - foi um decréscimo óbvio de qualidade do plantel. Passou-se de uma equipa com grande diversidade de soluções de qualidade para outra que assenta sobretudo num conjunto de 12 / 13 jogadores. A isto não é alheio o facto de terem sido contratados jogadores que simplesmente foram um não fator ao longo da época - Bebé, Derley, Cristante, Benito, César, Victor Andrade, Jonathan Rodriguez, Mukhtar, Friesenbichler, Dawidowicz, Luís Felipe e Djavan.  

A verdade é que comparando os relatórios e contas da SAD benfiquista nos 1ºs semestres de 2013/14 e 2014/15 vemos que apesar do decréscimo de qualidade do plantel, a massa salarial não só não caiu proporcionalmente, como acabou mesmo por aumentar:



Os investimentos

Domingos Soares Oliveira referiu há dias que a era dos grandes investimentos acabou. Entenda-se por grandes investimentos aquilo que se gasta em infra-estruturas e em passes de jogadores.

Em relação ao betão, aquilo que o administrador da SAD referiu não vai ao encontro das palavras de Luís Filipe Vieira nas visitas guiadas ao Seixal que proporcionou aos jornalistas em dezembro passado. Depois da ampliação do centro de estágios e da construção dos novos campos relvados e do cubo mágico, o presidente já falou na ambição de construir a Casa do Atleta (penso que está em andamento) e um polo de ensino secundário e universitário. E creio que poucos duvidarão que depois do polo de ensino a visão de Vieira não deixará de produzir novas necessidades a serem supridas pelo setor da construção civil. Será que se tratam de equipamentos fundamentais para o sucesso desportivo do clube?

Ora, não vejo que haja grande mérito em construir tanto usando dinheiro dos outros - porque é disso que estamos a falar. Basta olhar para a evolução do endividamento do clube.

Quanto aos investimentos em passes de jogadores, Vieira referiu em agosto que tinham terminado as contratações de 8 milhões. Poucos dias depois entravam duas contratações milionárias para a mesma posição: Samaris e Cristante. Pode no entanto servir de consolo aos benfiquistas que tecnicamente Vieira não mentiu: o grego veio por 10 milhões e o italiano por 6. E no final do defeso, contas feitas, nunca o Benfica investiu tanto no seu plantel.


As vendas milionárias e o abatimento do passivo

No espaço de um ano, entre janeiro e dezembro de 2014, o Benfica vendeu Matic (25M), Rodrigo (22,8M por 74% do passe), André Gomes (10,5M por 70% do passe), Garay (2,4M por 40% do passe), Markovic (12,5M por 50% do passe), Oblak (16M por 80% do passe), Cardozo (4M por 80% do passe), Mitrovic (1,2M) e Enzo Perez (25M). 

Ou seja, todas estas vendas perfazem um valor total de 152 milhões de euros dos quais, retirando-se as parcelas de passes pertencentes a terceiros, renderam ao Benfica 120 milhões de euros. Olhemos qual o impacto que estas vendas tiveram na evolução de alguns indicadores entre o 1º semestre de 2013 e o 1º semestre de 2014 (período de tempo em que todas estas vendas foram contabilizadas):


O passivo baixou 20 milhões (de 449 para 429), as dívidas a fornecedores e outros credores subiram 3 milhões (de 74 para 77), os valores a receber de clientes e outros devedores subiram 35 milhões (de 52 para 87), os empréstimos bancários e obrigacionistas baixaram 10 milhões (de 319 para 309).

Genericamente são bons indicadores que apontam para uma recuperação das contas, mas não seria de esperar bastante melhor num ano de vendas absolutamente excecional? Duvido que alguém acredite que o Benfica volte tão cedo a receber um valor sequer aproximado de 120 milhões na transferência de jogadores - a não ser aqueles que acham que Cancelo foi mesmo vendido por 15 milhões e que Cavaleiro e Hélder Costa irão cada um por outro tanto. 


Conclusão

Não me compete a mim dizer se o Benfica estará no bom ou no mau caminho. O que queria demonstrar com estes números é que convém separar um pouco mais a prestação desportiva do Benfica em relação ao resto, pois existe um desperdício demasiado grande de recursos para se poder afirmar que a gestão benfiquista seja exemplar.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Alguém se distraiu, só pode...


PÁRA TUDO!!! Uma notícia sobre um jogador querer FICAR no Sporting?!? A quatro dias da final da Taça de Portugal?!? :O
Posted by GVMX Videos on Quarta-feira, 27 de Maio de 2015

Porque será que não estou surpreendido?

in comunidadeazul.pt

Os motivos indicados pela AFL até são legítimos - é normal que a qualificação do Belenenses para a Liga Europa seja motivo de destaque -, mas devia haver mais bom senso em não branquear uma série de episódios lamentáveis em que o presidente do Belenenses esteve envolvido e que puseram em causa a verdade desportiva da liga portuguesa nos últimos dois anos.

Mas depois lembramo-nos que o presidente da AFL é Nuno Lobo, e de repente tudo passa a fazer perfeito sentido.

A 2ª volta do Sporting

Devem ter sido poucos os sportinguistas que ficaram satisfeitos com a qualidade exibicional na equipa durante a 2ª volta. Depois de duas vitórias esforçadas mas pouco brilhantes contra Académica e Arouca, atravessámos um período horrível que começou com o empate com o Benfica, continuou com novo empate em Belém e terminou com uma pesada derrota no Dragão. Pelo meio ganhámos ao Gil Vicente e fomos eliminados da Liga Europa pelo Wolfsburgo.

Desde a derrota no Dragão, altura em que nos vimos arredados da luta pelos dois primeiros lugares, o futebol foi quase sempre pouco convincente. Mas a verdade é que dessas 11 partidas acabámos por vencer 9, sendo que no empate em Paços de Ferreira a equipa até fez mais que o suficiente para obter uma vitória folgada.

Mas olhando para o comportamento das equipas da I Liga na 2ª volta, vemos que o Sporting acabou por ter uma prestação ao nível de Benfica e Porto:


Mesmo considerando que tivemos uma defesa demasiado permeável para uma equipa com as nossas ambições (15 golos sofridos contra 9 do Benfica e 4 do Porto), isso acabou por não corresponder a uma perda de pontos adicional.

Estes números reforçam a ideia de que perdemos o comboio graças aos empates caseiros que cedemos durante a 1ª volta: Belenenses, Porto (em que podíamos ter acabado com o jogo durante a 1ª parte), Paços (que na realidade só não ganhámos por causa de um golo mal anulado a Montero perto do fim) e Moreirense. Todos esses empates antecederam ou seguiram-se a jogos europeus, o que parece implicar dificuldades da equipa técnica e / ou jogadores em mudar o foco entre o campeonato e competições internacionais. Creio que não terá sido tanto uma questão de gestão física do plantel, pois na minha opinião essa questão só se colocou realmente em fevereiro e no princípio de março, numa altura em que jogámos consecutivamente uma série de partidas decisivas e de intensidade elevadíssima sem qualquer pausa a meio da semana.

A morning at the museum

No fim-de-semana passado "paguei" uma dívida que tinha para mim próprio e fui visitar pela primeira vez o museu do Sporting. O motivo principal que me levou finalmente a fazer essa visita foi o meu filho mais novo, que há meses queria ver o estádio por dentro - como tem 4 anos ainda não o levei a ver nenhum jogo (a mais velha já foi ver 3 jogos).

Telefonei aos serviços do clube para saber se isso era possível, e fiquei a saber que existem visitas guiadas ao estádio em todos os dias em que não há jogo, em três horários diferentes: 11h30, 14h30 e 16h. Não é necessário fazer qualquer marcação. Basta aparecer uns minutos antes desse horário no salão VIP para fazer o pagamento e aguardar pela guia.

Lá decidi fazer a surpresa aos meus filhos - sem ter a certeza se iriam gostar -, e também convenci o meu pai a vir connosco.

Pois bem, devo dizer-vos que foi uma visita que encheu as medidas a todos. Os miúdos adoraram tudo: começámos pela explicação de determinados marcos existentes no salão VIP, descemos para os pisos inferiores onde podemos visitar o balneário, a sala de aquecimento e a entrada do túnel, subimos ao relvado (não se pode pisar a relva nem sentar nos bancos dos jogadores), depois passa-se pela sala de imprensa e sobe-se ao camarote presidencial. E, por fim, o museu.

Não é possível tirar fotografias na zona inferior do estádio - balneários, sala de aquecimento e túnel de acesso - mas foi possível na mesma registar momentos bem giros como este:


Marco Silva pode ficar descansado: Bruno de Carvalho ainda não contratou ninguém para o seu lugar.

Mesmo no museu o interesse dos miúdos (e também dos adultos, como é óbvio) não esmoreceu. Ver expostas 5.000 taças das 19.000 que o Sporting conquistou impressiona qualquer um, mas os miúdos (nomeadamente a mais velha) também gostaram muito da zona dedicada às modalidades, onde estão expostas fotografias, taças e equipamento utilizado pelos atletas. No meu caso em particular, o que mais gostei de ver foi esta vitrina:


A visita ao estádio demorou cerca de 45 minutos. No museu podemos ficar o tempo que quisermos, mas há material para ficar lá uma manhã inteira.

Resumindo: foi uma experiência que superou as expetativas que tinha à partida. E sei que daqui a uns meses os miúdos estarão a pedir para lá voltar. Recomendo vivamente a todos os sportinguistas, em particular aos que vivem na Grande Lisboa. Não se irão arrepender.




terça-feira, 26 de maio de 2015

Obrigado Simão!



Se lançar um jogador na equipa principal aos 17 anos e vendê-lo 3 anos depois ao Barcelona é tratá-lo mal, tenho que rever todos os meus conceitos daquilo que é certo ou errado.

É de facto necessário admitir que o Sporting não teve sucesso na formação do então jovem Simão: na mesma medida que soube fazer dele um excelente jogador de futebol, falhou redondamente na construção de um homem de carácter.

Obrigado, Simão. Palavras destas, vindas de ti, são medalhas para nós.

(obrigado @JoaoVazMing!)


 

Capas que não fizeram história, nº 49: Escolheram a mão errada

Há não muito tempo, um diário desportivo com um diretor recém-contratado procurava de forma determinada conquistar o coração dos benfiquistas e decidiu iniciar uma campanha de promoção da formação encarnada de uma forma nunca antes vista. Nesse mês, por exemplo, o tal jornal fez 13 capas com Ivan Cavaleiro no espaço de 23 dias, 12 das quais foram feitas antes do jogador se ter estreado no campeonato pela equipa principal. Depois Ivan começou a jogar e, curiosamente, as capas terminaram.

De todas as capas que foram feitas na altura, uma das que provavelmente terá obtido mais atenção foi esta:

Outubro de 2013

O Benfica tinha escolhido 5 joias para promover à equipa principal e lançar ao mais alto nível: Bruno Varela, João Cancelo, Bernardo Silva, Hélder Costa e Ivan Cavaleiro. Dezanove meses passaram e o que sobra?
  • Bruno Varela continua na equipa B, sem qualquer minuto na equipa principal; a chegada de Ederson, um GR da mesma idade, provavelmente significará que terá as portas fechadas ao plantel principal - a não ser como 3º guarda-redes;
  • João Cancelo foi emprestado (e ontem vendido) ao Valencia;
  • Bernardo Silva - o mais talentoso produto da formação do Seixal nos últimos anos e benfiquista ferrenho - foi escorraçado para o Mónaco onde começa a justificar o valor da sua transferência (resta saber se os 16 milhões foram em Euros ou em Euros da Treta);
  • Hélder Costa foi emprestado ao Corunha em janeiro mas só fez 130 minutos; dificilmente será uma opção viável para a equipa principal em função da sua escassa utilização;
  • Ivan Cavaleiro dificilmente voltará, não só por causa das palavras críticas que dirigiu ao Benfica ao ser emprestado, mas acima de tudo porque palpita-me que o seu passe é detido pelo mesmo empresário que vendeu Rodrigo e André Gomes.

Claro que é sempre mais fácil escrever depois dos acontecimentos, mas parece-me que houve claramente um erro de casting da mão escolhida pelo Record de Manha para aquela capa. Assim de repente parece-me que teria sido bem mais adequado usarem a mão de alguém como esta personagem do Game of Thrones...


... mas mesmo assim continuaríamos a ter excesso de dedos para as joias efetivamente disponíveis para o plantel principal.

(obrigado ao José Cruz, do blogue Tu Vais Vencer, por me ter lembrado desta capa!)

P.S.: sobre os valores falados da venda de Cancelo (15M), Cavaleiro (15M), Fariña (10M) e Sidnei (5M) hei-de escrever noutra oportunidade. Ainda estou à espera que o Benfica ou a CMVM dêem sinais de vida relativamente à venda de Cancelo.

Ingratidão!

Parece-me natural que o cidadão destacado pelo circulo azul na imagem abaixo tenha sido convidado para a homenagem aos bicampeões nacionais que se realizou ontem na Praça do Município, mas é curto. Muito curto, mesmo. Depois de tudo o que fez, o homem não merecia menos que um lugar na varanda ao lado de Medina, Vieira, Jesus, Luisão e demais jogadores. Ingratos...


(obrigado, André!)

domingo, 24 de maio de 2015

sábado, 23 de maio de 2015

Inglório

Basta escrever que perdemos um campeonato no 2º prolongamento no 5º jogo para se perceber o nível de dramatismo em que a partida decorreu e a frustração de novamente termos ficado tão perto do título de andebol e não conseguirmos agarrá-lo.

Fica uma palavra de apoio para um grupo de jogadores que deixou tudo o que tinha em campo. A hora deles há-de chegar.


Risco zero

É fácil compreender o motivo pelo qual Marco Silva deixou metade da equipa habitualmente titular fora dos convocados para Vila do Conde, a saber: Rui Patrício, Paulo Oliveira, Jefferson, William, Adrien e Carrillo. Aliás, no que dependesse de mim até poderíamos apresentar uma equipa composta por elementos menos utilizados, mas percebo que Marco Silva queira aproveitar esta última partida do campeonato para dar mais ritmo competitivo a Slimani e tentar recuperar o melhor Nani.

De qualquer forma, conto que Ewerton, Cédric / M. Lopes, João Mário, Nani e Slimani (se forem utilizados) joguem de forma relativamente macia quando a bola estiver na posse do adversário, já que não podem de forma alguma ver o cartão vermelho (seja direto, seja por acumulação de amarelos) - o castigo seria cumprido na final da Taça. E se por acaso virem algum cartão, espero que Marco Silva não arrisque e os retire de imediato de campo.

Mas o grande fator de interesse prende-se com o facto de podermos ter já hoje um cheirinho a 2015/16, com a chamada de Wallyson - que aparece com vários jogos de atraso - e de Matheus Pereira. No caso de Wallyson, parece-me que tem uma boa chance de entrar, visto que Marco Silva apenas convocou 4 médios. Por mim era titular. Quanto a Matheus, será um bom prémio se tiver direito a 20 / 30 minutos rendendo, por exemplo, Nani. Até porque seria uma interessante passagem de testemunho de uma das bandeiras da Academia para aquele que será provavelmente o próximo fenómeno made in Alcochete. 


sexta-feira, 22 de maio de 2015

Duas entrevistas interessantes...

... na edição de hoje de A Bola: uma a Ângelo Girão...

Carregar na imagem para ampliar

... e outra a Luís Boa Morte, que pode ser vista AQUI.

Já que os incidentes de domingo ainda mexem...

... e aparentemente há alguma vontade de associar o que aconteceu a adeptos do Sporting, aqui fica:


(obrigado, Rui Ferreira!)

E num tom mais light:




Balanço das arbitragens: 33ª jornada

Esta será a último vez em que farei esta análise nesta época, visto que os lugares na classificação dos grandes estão definidos e não se pode considerar como crítico qualquer lance que aconteça na última jornada.



Guimarães 0-0 Benfica (Artur Soares Dias)

7': Golo anulado a Salvio por fora-de-jogo - decisão errada, tanto Maxi, que recebe a bola e faz a assistência, como Salvio estão em posição regular no momento do passe

27': Otávio cai na área ao passar por Jardel, o árbitro considera simulação - decisão certa, Jardel toca-lhe com o braço no peito mas sem falta, e o jogador do Guimarães tentou tirar proveito disso atirando-se para o chão

33': Moreno, ao tentar cabecear a bola, acaba por jogar a bola com o braço; o árbitro não assinalou penálti - decisão errada, existe um primeiro toque com o braço na bola completamente inadvertido, resultante do ressalto de um cabeceamente defeituoso, mas no momento seguinte existe novo toque com o braço que poderia ter sido evitado; esse segundo toque era causa para penálti

=: arbitragem com influência no resultado (2)


Belenenses 1-1 Porto (Rui Costa)

42': Jackson faz uma falta por trás sobre Ricardo Dias, o árbitro mostrou amarelo - decisão errada, uns segundos antes, Jackson é atingido por Ricardo Dias com o braço, e reage correndo atrás do adversário fazendo uma falta duríssima, sem qualquer intenção de jogar a bola; devia ter sido expulso



64':
Herrera cai na área após contacto com Dálcio, o árbitro não assinala penálti - decisão certa, os dois jogadores estão a procurar ganhar posição, existe um encosto, mas não parece ser suficientemente forte para ser considerado falta

=: Jackson devia ter sido expulso numa altura em que o resultado ainda era de 0-0 (1X)


Sporting 4-1 Braga (Carlos Xistra)


12': Luiz Carlos cai na área após tentativa de corte de Tobias Figueiredo, o árbitro assinala penálti - decisão certa, Tobias não corta a bola e acaba por derrubar o adversário

32': Golo anulado a Carrillo por fora-de-jogo - decisão certa, o jogador está adiantado no momento do remate de Montero

38': Luiz Carlos, que já tinha amarelo, faz um carrinho e acaba por cortar a bola com a mão; o árbitro não lhe mostrou amarelo - decisão errada, é um corte deliberado com a mão, pelo que devia ter visto amarelo e consequente expulsão


44': O árbitro assinala penálti por falta de Menga sobre Carrillo - decisão errada, as imagens não são esclarecedoras, mas não parece haver falta (nota: aqui guio-me também pela perceção que tive no estádio - fiquei surpreendido por ter sido marcado penálti)

59': Pardo cai na área após toque de Miguel Lopes, o árbitro considera simulação e mostra amarelo ao jogador do Braga - decisão errada, existe de facto falta de Miguel Lopes, pelo que devia ter sido assinalado penálti

=: vários erros; Luiz Carlos devia ter sido expulso com o resultado em 0-1; o penálti que dá o 1-1 ao Sporting não existe; e o Braga pode queixar-se de um penálti não assinalado a seu favor quando o resultado era 2-1; o erro da não expulsão de Luiz Carlos é o de maior impacto, pois deixaria o Sporting em vantagem numérica durante 50 minutos; mas não se pode ignorar os penáltis que prejudicaram o Braga (1X)



Estatísticas da jornada



Estatísticas acumuladas



Classificação



Jogos com influência da arbitragem no resultado



Erros de arbitragem com o resultado em aberto




Erros de arbitragem com o resultado em aberto agrupados por árbitro, desde 2013/14





Links para jornadas anteriores

32ª J: Benfica - Penafiel; Estoril - Sporting; Porto - Gil Vicente: LINK
31ª J: Gil Vicente - Benfica; Sporting - Nacional; Setúbal - Porto: LINK
30ª J: Benfica - Porto; Moreirense - Sporting: LINK
29ª J: Belenenses - Benfica; Porto - Académica; Sporting - Boavista: LINK
28ª J: Benfica - Académica; Rio Ave - Porto; Setúbal - Sporting: LINK
27ª J: Benfica - Nacional; P. Ferreira - Sporting; Porto - Estoril: LINK
26ª J: Rio Ave - Benfica; Nacional - Porto; Sporting - Guimarães: LINK
25ª J: Benfica - Rio Ave; Marítimo - Sporting; Porto - Arouca: LINK
24ª J: Braga - Porto; Arouca - Benfica; Sporting - Penafiel: LINK
23ª J: Benfica - Estoril; Porto - Sporting: LINK
22ª J: Moreirense - Benfica; Sporting - Gil Vicente; Boavista - Porto: LINK
21ª J: Porto - Guimarães; Belenenses - Sporting; Benfica - Setúbal: LINK
20ª J: Moreirense - Porto; Sporting - Benfica: LINK
19ª J: Benfica - Boavista; Arouca - Sporting; Porto - P. Ferreira: LINK
18ª J: Sporting - Académica; Marítimo - Porto; P. Ferreira - Benfica: LINK
17ª J: Penafiel - Porto; Marítimo - Benfica; Sporting - Rio Ave: LINK
16ª J: Benfica - Guimarães; Porto - Belenenses; Braga - Sporting: LINK
15ª J: Sporting - Estoril; Gil Vicente - Porto; Penafiel - Benfica: LINK
14ª J: Porto - Setúbal; Benfica - Gil Vicente; Nacional - Sporting: LINK
13ª J: Sporting - Moreirense; Porto - Benfica: LINK
12ª J: Boavista - Sporting; Benfica - Belenenses; Académica - Porto: LINK
11ª J: Sporting - Setúbal; Académica - Benfica; Porto - Rio Ave: LINK
10ª J: Nacional - Benfica; Sporting - P. Ferreira; Estoril - Porto: LINK
9ª J: Benfica - Rio Ave; Guimarães - Sporting; Porto - Nacional: LINK
8ª J: Arouca - Porto; Sporting - Marítimo; Braga - Benfica: LINK
7ª J: Penafiel - Sporting; Porto - Braga; Benfica - Arouca: LINK
6ª J: Sporting - Porto; Estoril - Benfica: LINK
5ª J: Benfica - Moreirense; Gil Vicente - Sporting; Porto - Boavista: LINK
4ª J: Setúbal - Benfica; Sporting - Belenenses; Guimarães - Porto: LINK
3ª J: Porto - Moreirense; Benfica - Sporting: LINK
2ª J: Paços Ferreira - Porto; Sporting - Arouca; Boavista - Benfica: LINK
1ª J: Porto - Marítimo; Académica - Sporting; Benfica - Paços Ferreira: LINK

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Jesus no Sporting?


Em primeiro lugar, deixem-me dizer que este rumor já me tinha chegado aos ouvidos de duas origens completamente diferentes, ambas tradicionalmente bem informadas (nenhuma delas ligada ao Sporting), a primeira das quais na sexta-feira passada (ou seja, 5 dias antes da notícia ter sido divulgada pelo jornal). Tanto quanto sei o jornal A Bola já estava a par disso na altura, ou seja, optaram - por motivos que facilmente se percebem - por soltar a notícia apenas após a conquista do título.

Mas estas coisas valem o que valem, e sinceramente parece-me que as probabilidades de esta notícia ser verdadeira são quase nulas. Não que o Sporting - confirmando-se o divórcio com Marco Silva - não estivesse teoricamente interessado em Jesus, mas acima de tudo porque não faz sentido que:
  • Jesus abandone o seu atual posto para ir para o Sporting, onde iria dispor de um orçamento muito inferior ao que tem atualmente e, pior ainda, passaria para o lado de fora do sistema;
  • Se o objetivo de Jesus é conquistar visibilidade internacional, como é evidente faria mais sentido ir para um clube (não necessariamente de top europeu) de uma das principais ligas do que ficar em Portugal no Sporting ou mesmo no Benfica.

Acho bem mais provável que esta história tenha partido do principal interessado em toda esta novela , ou seja, o próprio Jorge Jesus. É preciso não esquecer que há dois anos tivemos direito a uma novela semelhante, mas que envolveu o Porto como potencial interessado. O resultado na altura foi a renovação pelos valores e duração que Jesus quis.

Ou então - não nos podemos esquecer que a notícia sai no jornal A Bola - poderá ter tido origem no próprio Benfica, que desta forma acaba por legitimar junto dos sócios um novo adiamento da antiga promessa de contenção orçamental. Aliás, no próprio dia da notícia, José Manuel Delgado defende no seu editorial que a renovação de Jesus com o Benfica traria vantagens mútuas. Se fosse mesmo verdade que Jesus quisesse sair, se houvesse uma possibilidade real de isso acontecer, Delgado já teria iniciado o processo de descredibilização do treinador em vez de continuar a defender a renovação.

Überlampião

Muito interessante o vídeo feito pelo @captomente a partir das declarações de Rui Gomes da Silva no último Dia Seguinte:

vídeo retirado do blogue Com quem joga o Sporting

Afinal a responsabilidade é toda da polícia. É extraordinária a forma como o vice-presidente do clube - repito, o VICE-PRESIDENTE DO CLUBE - sacode a água do capote com tanta facilidade. Aliás, toda a argumentação de Rui Gomes da Silva é absurda, mas justificar tudo o que aconteceu pela hora e meia em que os adeptos foram deixados à espera na bancada ultrapassa todos os limites da razoabilidade e do bom-senso. 

Se a moda pega vou passar a ter mais cuidado quando usufruir de serviços públicos como urgências hospitalares ou conservatórias do registo civil para renovação do cartão de cidadão. Atendendo aos tempos médios de espera, será um milagre se não me vir envolvido no meio de um motim. 

A determinada altura Rui Gomes da Silva usa como termo de comparação a forma como se processam as saídas dos adeptos adversários em Alvalade, Luz e Dragão. Mas lembro-me pelo menos de uma situação em que essa saída não se processou de forma assim tão rápida:


Sim, é verdade: num dia em que a cobertura do Estádio da Luz se desfazia aos olhos de todos, em que foi dada ordem de evacuação de toda a assistência por motivos de segurança, os adeptos sportinguistas ficaram mais de uma hora à espera para poderem abandonar as bancadas. E tanto quanto me lembro não houve relatos de casas-de-banho vandalizadas ou bares saqueados.

Mas a cereja no topo do bolo do raciocínio de Rui Gomes da Silva foi a forma como se referiu aos roubos ao armazém da loja do Estádio D. Afonso Henriques. Pelos vistos agora as pilhagens passam a ser definidas como acontecimentos urbanamente desaconselháveis. Alguém devia ter avisado as autoridades de Baltimore para abrandar a perseguição aos desordeiros -- perdão, aos cidadãos menos urbanos. Há realmente quem decrete estados de emergência por muito pouco. (relaxem, estou a exagerar propositadamente - os acontecimentos de Guimarães e Baltimore não são comparáveis, como é óbvio)

Não compreendo: custava-lhe assim tanto condenar uma atitude claramente reprovável de uma pequena minoria dos milhares de adeptos benfiquistas que estavam naquela bancada? Ainda para mais quando tantos benfiquistas tiveram o carácter de se demarcarem dessa gente e desses acontecimentos? 

Há os benfiquistas. Depois há os lampiões. E depois ainda há Rui Gomes da Silva.

P.S.: aplicando o raciocínio de Rui Gomes da Silva a outros episódios de vandalismo, podemos então assumir que o fogo posto por sportinguistas no Estádio da Luz em 2012 afinal foi responsabilidade da polícia?

Andebol: decisão levada para o jogo 5

O Sporting ganhou ontem ao Porto por 25-24 (a.p.) em mais um jogo impróprio para cardíacos, colocando a final do playoff em 2-2.

Para quem não viu, deixo aqui os segundos finais da primeira parte do prolongamento (que termina com um ataque do Porto que só por felicidade não os colocou com 2 golos de vantagem, e que na sequência ainda nos permitiu empatar mesmo em cima do intervalo), e a segunda parte completa do prolongamento.

Acho que se pode dizer que tivemos ontem a sorte que nos faltou em tantos outros jogos contra o Porto. Mas como se costuma dizer, a sorte faz-se por merecer, e estes jogadores conseguiram sair de uma situação muito complicada e forçar a negra no Dragão Caixa no sábado.


quarta-feira, 20 de maio de 2015

Viagem com a equipa de Iniciados após o título

Reportagem da Sporting TV com a festa dos miúdos após a conquista do campeonato de Iniciados no passado domingo. Vale a pena ver.


Resultado maldito

Não me tinha apercebido até ter ouvido Jaime Mourão-Ferreira no Grandes Adeptos de segunda-feira que os 10 empates do Sporting no campeonato terminaram todos com o resultado de 1-1.


Ainda poderíamos somar o empate de Maribor, particularmente maldito pela forma como os eslovenos chegaram ao empate. De toda a época, apenas o empate caseiro com o Wolfsburgo teve um final diferente.

Curiosamente, também as duas derrotas que temos no campeonato registaram o mesmo resultado: 3-0.