segunda-feira, 11 de julho de 2016

Ronaldo a sofrer (e a fazer sofrer) no banco

A sofrer...


... e a fazer sofrer.

8 comentários :

  1. E o melhor jogador Portugues de todos os tempos! De longe! E um grande capitao! Tenho muito orgulho nele e nos restantes 22 jogadores! Uma palavra de apreco para os NOSSOS 4 magnificos!
    PORTUGAL E SPORTING CLUBE DE PORTUGAL SEMPRE!

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Um líder,um capitão,um grande jogador.O melhor jogador português de todos os tempos.

    ResponderEliminar
  4. Ronaldo mais ou menos como todos nós, depois daquele golo do Éder...

    ResponderEliminar
  5. Mestre,

    Sofre-se mais fora do que lá dentro, essa é a grande verdade, CR7 teve ontem que sofrer e muito!

    Tive a oportunidade de ver este final ao vivo e apenas tenho uma frase para descrever o feito de nossas selecção:

    INESQUECÍVEL CARALHO!

    ResponderEliminar
  6. Ontem Ronaldo sofreu mais do que normalmente se sofre dentro das 4 linhas ! e ainda por cima ontem era uma "má" companhia

    ResponderEliminar
  7. Ronaldo, o melhor jogador de futebol do mundo e quiçá de Portugal, que a selecção portuguesa tem dependido demasiado nos últimos dez anos, como se de um exército de um homem só se tratasse. Nos momentos em que corre tudo bem, é ele a estrela maior. Nos momentos em que corre mal, é ele o escolhido para levar com as culpas.

    Ronaldo, o expoente máximo de um português emigrante que trabalha arduamente para chegar ao topo, e que devia servir de exemplo a seguir para este povo todo (ao contrário de bêbados que batem nas mulheres). Em vez disso, é enxovalhado durante anos porque é um azeiteiro convencido (tudo o resto é cheio de gosto e muito humilde) e porque foi formado na escola do Sporting.

    Reza a história que na batalha final para a glória europeia de Portugal, Ronaldo não contribuiu em campo, mas foi ele que assim mesmo foi a estrela que guiou os colegas a vencer. Reza a história que foram 14 jogadores, mas os mais importantes foram um guarda-redes enxovalhado durante anos porque é "bronco" e formado na escola do Sporting, e outro emigrante "desconhecido" criticado quando as coisas corriam mal.

    Um grande momento para Ronaldo também, após a desilusão imerecida em 2004, toda a sua carreira premiada finalmente com um título pelo seu país, em que viu os colegas superarem-se para chegarem à glória quando tantas TANTAS vezes no desespero do momento o melhor do mundo tentava resolver sozinho. Ronaldo matou o borrego nacional que tanto queria e merecia, e levantou-se o peso de 11 milhões dos seus ombros.

    ResponderEliminar