domingo, 18 de setembro de 2016

Três pontos a voar por culpa própria

Um jogo contra o Rio Ave nunca é fácil. É preciso recuar vários anos para encontrarmos uma vitória confortável do Sporting, mesmo incluindo nesse exercício as partidas disputadas em Alvalade. Jogar contra o Rio Ave em Vila do Conde, mais difícil se torna, e mais trabalhoso se torna vasculhar os arquivos para encontrar uma vitória que não tenha sido arrancada a ferros. Como tal - e independentemente da questão da mudança de chip depois de um grande jogo em Madrid -, seria de esperar que fossem tomadas as devidas cautelas na abordagem a um adversário que, por regra, faz-nos a vida negra.

E parece-me que foi aí que tudo começou a falhar, mais do que por uma questão de atitude da generalidade dos jogadores. O onze apresentado foi demasiado macio para uma equipa como o Rio Ave, e o próprio Jesus o admitiu com as alterações feitas ao intervalo. Campbell e Alan Ruiz desiludiram pela forma como não ajudaram no processo defensivo, apesar de não terem sido os únicos responsáveis. Esta abordagem funcionou contra o Moreirense, mas foi uma tremenda desilusão perante um adversário capaz de criar mais complicações. Esta primeira parte fez lembrar a derrota no Dragão por 3-0 de há dois anos, pela forma como adversário conseguia chegar ao último terço de terreno, sem qualquer oposição, e com todas as condições para definir da melhor forma e causar estragos que se viriam a revelar irreparáveis.


Apesar de tudo, a atitude na segunda parte - com Bryan e Dost, a equipa fez aquilo que devia ter feito na primeira. Infelizmente, havendo um fosso de três golos para ultrapassar, acabou por ficar longe de ser suficiente.

Dost e Gelson a picar o ponto - segundo golo do holandês, e mais uma assistência do extremo: ambos os jogadores marcaram ou assistiram em todos os jogos do campeonato que disputaram. A jogada golo foi, aliás, excelente, também com participação decisiva de Markovic e Bryan Ruiz.

O apoio incrível nas bancadas - mesmo a perder por 3-0, a bancada repleta de sportinguistas nunca deixou de apoiar a equipa. Não mereciam a derrota de hoje.



Via aberta para o adversário - demasiados jogadores incapazes de dar à equipa o trabalho defensivo necessário a tempo inteiro. No segundo golo, por exemplo, Campbell desistiu de perseguir Gil Dias, que pôde esperar sem qualquer incomodo o início da desmarcação de Guedes. Alan Ruiz não existe sem bola. E também me pareceu que Adrien esteve demasiado apático na primeira parte, podendo, inclusivamente, ter feito mais no primeiro e terceiro golo. O capitão corrigiu os níveis de intensidade na segunda parte, mas o mal estava feito.

A importância da eficácia - o Rio Ave ameaçou um par de vezes no início do jogo, mas foi letal numa altura em que o Sporting até estava por cima, marcando três golos no espaço de quinze minutos. Por outro lado, o Sporting poderia ter reentrado na discussão do resultado se não falhasse, de forma incrível, duas oportunidades que tinham de ser concretizadas: um remate de Ruiz completamente solto no interior da área e um desvio falhado de Coates na pequena área, este último já com o resultado em 3-1. Ganhou (e bem) o mais eficaz.

A exibição de Schelotto - jogo completamente desastrado do lateral direito, quer a defender, quer a atacar. O ponto mais baixo aconteceu no terceiro golo do Rio Ave, quando ficou a marcar Coates e deixou que aparecesse Gil Dias completamente solto para finalizar. Está muitos furos abaixo do nível que apresentou no final da época passada. Neste momento, João Pereira - havendo pernas - tem de ser o dono do lugar. 



Derrota sem espinhas, que deve relembrar-nos a todos que a dificuldade dos jogos depende muito da forma como forem encarados. Que a equipa técnica e os jogadores saibam tirar as lições que este jogo proporcionou. O descalabro que foi a primeira parte não pode voltar a repetir-se.

44 comentários :

  1. Agora já sabem qual é a diferença entre jogar uma vez a semana e duas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tirando o ano horribilis, o Sporting sabe perfeitamente o que é jogar duas vezes por semana.

      Não sejas (mais) parvo.

      Eliminar
    2. Vocês agora é que já sabem porque é que o ano passado o JJ colocava os suplentes nos jogos da liga Europa.

      Eliminar
    3. Para quem este 2 anos sem lá por os cotos pias muito ... É a chamada Basofia . Pior mesmo que a do JJ .

      Eliminar
  2. 100% de acordo. Diria ainda que talvez tenha sido uma derrota providencial. Já se estava a ver confiança a mais, por parte de toda a gente. Temos plantel, temos treinador, temos direção e temos adeptos, mas é preciso sempre trabalhar muito e manter os pés assentes no chão. O MdC não podia ter sido mais incisivo:

    'Derrota sem espinhas, que deve relembrar-nos a todos que a dificuldade dos jogos depende muito da forma como forem encarados. Que a equipa técnica e os jogadores saibam tirar as lições que este jogo proporcionou. O descalabro que foi a primeira parte não pode voltar a repetir-se.'

    Parabéns ao Rio Ave e ao seu treinador, que estiveram soberbos, e obrigado pelo puxão de orelhas didático.

    ResponderEliminar
  3. Um agradecimento a todos os adeptos do Sporting que apoiaram a equipa no estádio, não mereciam assistir a tamanha falta de empenho e competência por parte de jogadores e treinador.

    Três pontos já foram desperdiçados, não espero menos de 21 nos próximos sete jogos da liga.

    ResponderEliminar
  4. Analisar aquilo que o responsável máximo do clube ( jj ? / bdc?) diz, antes de um jogo como este, também seria interessante, digo eu, no âmbito do que é gerir uma equipa... Não?

    ResponderEliminar
  5. Sobre o Schelotto, numa das repetições do primeiro golo, é visível a aberração da sua movimentação! Em vez de se meter por dentro, voluntáriamente, encosta-se à faixa.

    ResponderEliminar
  6. O Bruno Cesar foi provavelmente o pior em campo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu votava no Campbell, porque o Schelloto subiu de nível na segunda parte. Mas teria de ser um destes dois.

      Eliminar
  7. Há quem nestes momentos entre em processo de histeria compulsiva e destrutiva, mas isso cura-se.
    Se na nossa vida estamos à espera em que aqueles que lideram determinado projeto errem para os criticarmos e assacarmos responsabilidades imediatas, pondo em causa todo um caminho cujo resultado final será a soma das partes, digo desde já que terão sempre sucesso. A não ser que se efetue um percurso imaculado sem derrotas e empates, o líder do projeto será no seu entender sujeito a imediato despedimento, ou seja à 5ª Jornada põe-se tudo em causa, limpa-se tudo, recomeça-se do zero, porque houve um resultado adverso, não importando se faltam 29 jornadas. Hoje aconteceu uma coisa muito simples o adversário jogou melhor, foi como se diz hoje em dia mais competente e mereceu a vitória. Da minha parte como Adepto e Sócio do Sporting, só tenho a exigir que aquilo que não existiu por parte do Sporting volte a existir, visto que o meu Clube continua a depender de si próprio para trilhar o caminho do sucesso. Não se pode é ao mínimo infortúnio por em causa tudo. Não podemos apesar de para alguns isso não ser fácil de aceitar, sobrepor o fator humildade (ausência) de um treinador à sua competência técnica, quando ele é pago é para treinar uma equipa treinando-a e potenciando-a de modo e ganhar jogos, o resto não pode ser colocado nos pratos da balança como fator de decisão para um processo de aferição de competências. Penso que não se poderá ser colocado em causa o “estofo” não só de quem lidera como de quem é liderado. Não queiramos voltar ao tempo “roda treinadores”. SL

    ResponderEliminar
  8. Perdemos, e perdemos muito bem. Para ganhar e preciso querer mais que o adversario. O Rio Ave ontem quiz mais do que nos. O resultado esta a vista.

    ResponderEliminar
  9. Mentalmente um jogo muito mal preparado, parecia que ainda estávamos a festejar a derrota de Madrid.!!...o Rio Ave só fez o que tinha que fazer, jogar a 100 !! filme já visto milhares de vezes, mas sempre a mesma coisa.....inadmissível os primeiros 45 minutos, e JJ é o principal culpado...

    ResponderEliminar
  10. Inadmissivel é a forma como sofremos os golos.....um raide de Roderick (!?) que dá o primeiro golo, ninguém acompanha o Gil no segundo (e não foi só o B.Cesar RP pareceu-me mal batido tb) e o terceiro ninguem fazer uma marcação em condições dentro da área.
    Se o JJ quer jogar assim tão aberto fora de casa, ou os da frente dão conta do recado ou então que tenha laterais de jeito.

    ResponderEliminar
  11. Ainda estou de ressaca. Acordem-me 6ª, sffv.

    ResponderEliminar
  12. curioso nao haver uma unica palavra sobre JJ...so qdo ganham e' que e' merito dele? quando perdem sao os jogadores?
    se entrou uma equipa macia em campo quem a pos la?
    ou nao e' politicamente correcto criticar JJ?
    grande banhinho de humildade que JJ levou hoje...ou entao se calhar ja tem a desculpa habitual pra se marimbar pra provas europeias e "dedicar se ao campeonato"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Jesus é isto: eu nas vitórias, nós ou eles nas derrotas. Já era assim no Benfica, onde os ataques de bazófia eram sempre acompanhados de humilhações.
      A diferença é que no Benfica ainda se tentava controlar o homem, no Sporting parece que é incentivado.

      Eliminar
    2. Tanto se tentava controlar, que ele quase andou à batatada com quase metade da "estrutura" em Londres!

      Eliminar
    3. Lá vem a propaganda...

      O Vieira também é isto, eu nas vitorias e o Rui Costa quando se contratam flops.

      Eliminar
    4. Isto custa mas é uma verdade: "eu nas vitórias, nós ou eles nas derrotas". Imagino se este homem tivesse os titulos de um Guardiola ou Mourinho. Esquece-se que pode ser um novo Peseiro, treinador do quase.

      Eliminar
    5. João, convenhamos que o Jesus já deve ter pelo menos 8x mais títulos que o Peseiro, e que as equipas do JJ jogam muito mais à bola... Pode ser um azeiteiro arrogante, desbocado e sobranceiro, mas é um grande treinador. Dizer o contrário, só por despeito...

      Eliminar
  13. Equipa gabada...equipa estragada . Descemos à terra, e isso até tem de ser visto de forma positiva. Agora, resta TRABALHAR TRABALHAR TRABALHAR . E no fim é que podemos falar ! Até lá......

    ResponderEliminar
  14. JJ não errou em Madrid ou Vila do Conde no 11 escolhido, nem nas substituições que daí vieram: foram consentâneas com a sua maneira de pensar, ler o jogo o poderio de cada equipa.

    JJ errou ao achar que a equipa estava preparada táctica e mentalmente para o que aí vinha.

    Em 2003 a Nova Zelândia, melhor selecção de sempre em Rugby (pouco acima dos 80% de vitórias em todos os jogos disputados até então) foi eliminada nos quartos-de-final do Mundial. Desde então até cá, já foram duas vezes campões mundiais e têm pouco mais de 90% de vitórias (com vários recordes batidos). O que mudou? Revolução? Não - evolução.

    Sendo já a melhor do mundo mas estando a ser apanhada pelas outras equipas (que as começaram a copiar), os Neo-Zelandezes decidiram manter o que já tinham de bom e passar para outro nível tudo isso, numa mistura de back-to-basics (trabalhar muito o indivídual), aumento de velocidade de execução e intenso trabalho psicológico, passando do excelente para o extraordinário.

    JJ sabe o que faz e sabe onde está o problema. É um eterno estudante do jogo, evoluíndo com ele e fanzendo-o evoluír (daí as constantes bocas ao rui vitória, por exemplo) - tenho plena confiança que ele irá aprender com os erros tácticos e iremos todos melhorar.

    Que esta derrota seja a porta para uma nova sequência de vitórias, como tivemos até agora (13 seguidas)!

    ResponderEliminar
  15. Esgaio acabou de entrar para 2a opção da lateral direita, espero eu.
    Continuo a achar que Schelotto beneficiou da excelente forma física para se superiorizar aos adversários na época passada, já que sempre demonstrou enormes debilidades técnicas e tácticas a defender.
    Com época a começar ao mesmo tempo para todos, vamos ver se consegue subir o nível. Para já, está a ser uma desgraça, e Esgaio provavelmente terá a sua oportunidade.

    ResponderEliminar
  16. Primeira parte ridicula!
    As vezes ha males que vem por bem e que este jogo sirva como abre olhos!
    Humildade precisa-se!!Sempre!!
    SCP SEMPRE!

    ResponderEliminar
  17. Sexta feira tudo a Alvalade! Vai demorar bastante até que esta derrota seja ultrapassada, ontem foi um muito mau dia, que pode acontecer no futebol. Agora é dar a volta por cima, a luta continua.

    ResponderEliminar
  18. Um exemplo do que fui escrevendo depois do jogo de Madrid:

    "King Lion17 de setembro de 2016 às 11:07
    Bom Dia,

    Já mudei o chip para Vila do Conde.Primeiro de tudo temos de vencer internamente,o Sporting para crescer lá fora tem de se afirmar cá dentro.

    É óbvio que se o Sporting jogassse sempre da forma que o fez em Madrid seriamos uma equipa quase imbatível,tenho dúvidas que isso aconteça e espero que a motivação que os jogadores tiveram contra o Madrid seja a mesma contra o nosso próximo adversário,isto é,contra o Rio Ave.

    O futebol nacional está com um problema no ranking da UEFA,a continuar assim em 2018-19 só teremos duas equipas na champions,uma com entrada directa, outra a discutir a 3ª pré-eliminatória,dada a importância das receitas da champions é quase imperativo vencermos o campeonato ou pelo menos atingir o 2º lugar.
    Sabendo nós das tropelias e vigarices que existem no nosso futebol só um grande Sporting conseguirá ultrapassar todas as pedras que nos vão pôr no sapatinho.

    É verdade não se pode comparar o incomparável,neste momento o Sporting já começa a ser o clube que nós ambicionamos e mais o será sem vitórias morais e sim com vitórias efectivas.
    O investimento nas modalidades tem sido grande,queremos um clube eclético e vencedor e acredito que é isso que o Bruno de Carvalho está a fazer.

    Para Domingo o que me interessa são os 3 pontinhos para mantermos a liderança isolada do campeonato.Essa é que é essa."King Lion18 de setembro de 2016 às 12:05
    Para mim tem de jogar todos aqueles que são os melhores e assim o Bryan Ruiz tem lugar neste 11.Se está convocado deve jogar.

    Vai ser um jogo bastante complicado e como tal espero poucas mexidas na equipa.Este é que o jogo mais importante,vamos ver como corre."

    "King Lion18 de setembro de 2016 às 12:05
    Para mim tem de jogar todos aqueles que são os melhores e assim o Bryan Ruiz tem lugar neste 11.Se está convocado deve jogar.

    Vai ser um jogo bastante complicado e como tal espero poucas mexidas na equipa.Este é que o jogo mais importante,vamos ver como corre."

    Aquilo que eu suspeitava acabou por acontecer,isto é,uma derrota sem espinhas por causa da estupidez do treinador,ele sim o verdadeiro responsável pelo resultado em Vila do Conde.

    Sabendo-se das dificuldades que normalmente todas as equipas tem contra o Rio-Ave o parvalhão do treinador inventa uma equipa sem pés na cabeça.
    Quando estamos no inicio de campeonato há necessidade de não colocar aqueles que mais garantias dão para obter melhores resultados ?.O resultado de ontem responde a essa questão.

    Mais todos nós sabemos que os jogadores que só recentemente chegaram ao clube ainda não estão identificados com o resto da equipa.O que aconteceu ?,não houve conjunto.

    A perder por 3 ao intervalo o que fez o burro ?,claro teve de meter o Bryan e o Bas Dost.Claro que já foi tarde.
    Se estavam em condições porque estavam convocados porque os não meteu de inicio?.Depois se uns "descansam" outros mais se desgastam como o Adrien, o William,o Bruno César..O "descanso" de uns é a sobrecarga de outros que ficam com o peso da equipa em cima deles.

    Em suma espero que tenha sido uma lição para o burro do treinador e espero que alguém dentro da direcção o alerte que o Sporting não é o Jorge Jesus nem o raio que o parta.

    ResponderEliminar
  19. Faltaram perninhas e cabecinha. E faltaram os reforços.
    O que mais me impressionou foi a falta de respeito da equipa com a sua própria identidade. O Sporting de JJ gosta de ter bola, jogar apoiado em espaços curtos, penetrar nas zonas mais avançadas das laterais para o centro. Ontem, na 1ª parte, muita precipitação, pontapé para a frente, à espera que algo caísse do céu. E caiu. Três golos sem resposta de uma equipa que abordou o jogo muito melhor.

    O outro factor, que se cruza com a rotatividade, é que os reforços ainda não estão no mesmo comprimento de onda quanto ao estilo de jogo e intensidade, sobretudo defensiva. JJ confiou que sim, eles mostraram que ainda não perceberam em que campeonato estão. E não vou falar de individualidades, não vale a pena.

    Da "rotatividade", só não percebi não termos Bas Dost de início.

    É interessante que os mesmos que criticaram JJ pela jactância na Conferência de Imprensa, dizendo que era um desrespeito com os jogadores, são os mesmos que querem pôr toda a carga da derrota aos ombros de JJ. O maior mal dele ontem foi ter confiado. Ele disse-o: o que mais o surpreendeu foi os jogadores do Sporting, não o Rio Ave. É correcta esta leitura, da mesma pessoa que tinha avisado, nessa Conferência de Imprensa, que o Rio Ave ia colocar mais problemas que o Real Madrid. Portanto, houve aqui um trabalho psicológico que não passou.

    Vê-se também que a disponibilidade física dos reforços não é a mesma dos que já cá estavam no ano passado. Lembremo-nos como nas primeiras jornadas da época anterior pareciam andar todos sem poder com uma gata pelo rabo, e talvez, repito, talvez, os reforços estejam a passar apenas por um período de adaptação física, psicológica e futebolística, para se tornarem as alternativas que ainda não são. A ver vamos. Esperemos que todos tenham aprendido e percebido como é que este campeonato é.

    Já agora, JJ é sim um mestre da dinâmica, não tanto da táctica. Ontem o que falhou, em particular na 1ª parte, foi a dinâmica. A táctica era a mesma de Madrid, p. e..

    ResponderEliminar
  20. Ontem no estádio, senti um arrepio na espinha, quando começaram todos a festejar o empate do FCP.
    Senti o Karma a pairar...e foi o que se viu.
    De resto, tudo dito, péssimo escalonamento, não sei se condicionantes físicas ou não mas pelo que se viu, por exemplo de Bas Dost e Ruiz, se estavam em condições, tem de jogar de início, ponto.
    Ver um Bruno César completamente à mercê de um Gil Dias endriabado e não reforçar a ala esquerda com a descida do B.César e meter o Jefferson foi meio caminho andado para a desgraça.
    Nada está perdido. Quem me dera poder ir já 6a feira dar o apoio à equipa.
    SL

    ResponderEliminar
  21. A equipa não esteve bem e não me parece que tivesse sido um problema de atitude na primeira parte.

    No futebol é sempre assim, ganha-se há atitude, não se ganha não há atitude. A equipa que entrou na primeira parte não tem dinâmica colectiva na frente e o Jesus sabe disso. Alan Ruiz, André e Campbell estão há muito pouco tempo juntos para entrarem num esquema tão exigente como o nosso e produzirem o que os outros produzem. A entrar um Ruiz, era o Bryan atrás do ponta de lança e haveria apenas dois elementos novos e um maduro, criativo e responsável que poderia fazer a diferença.

    Crítica feita ao Jesus pela forma como entrou, voltar a bater nesta tecla. Estou satisfeitíssimo com o trabalho do mister à frente da equipa. É o homem certo no momento ideal. Mas isso não me impede de fazer reparos como: ter o Schelloto no plantel sendo um jogador tremendamente limitado tecnica e cognitivamente, sabendo que o Esgaio é um jogador da casa, responsável, tecnicamente muito superior ao primeiro mas que simplesmente perde em termos físicos é uma tristeza. Podemos ganhar imenso tendo um jogador com a qualidade do Esgaio a construir ao invés de termos o barrote do Schelloto que não passará nunca de medíocre.

    Outra situação, a compra do Alan Ruiz (um jogador que foi caríssimo), que não sendo mau jogador e nem é isso que quero implicar, acabou por tapar o Iuri quando tem exactamente o mesmo defeito: não corre para trás. Imenso talento, ótimo pé esquerdo, mas não existe defensivamente. Se se aponta esse como o problema do Iuri, não se pode admitir comprar um jogador igual com a diferença de ser mais alto (tal como o Schelloto, puramente físico o critério que separa os dois jogadores).

    Não acredito que o Jesus ainda vá a tempo de corrigir esse problema, mas não deixa de ser uma coisa que me chateia. O privilégio do físico em detrimento de tanta coisa...

    Recuperar na Sexta é tudo o que interessa agora.

    ResponderEliminar
  22. Um enorme banho de humildade na equipa e principalmente no tagarelas do JJ.
    Não basta apenas ser bom treinador, são precisos títulos para sustentar o ego.
    No ano passado ainda tinha desculpa, mas este ano tem plantel suficiente para vencer todas as competições internas.
    O problema não foi a equipa que escolheu porque mesmo os 11 suplentes do Sporting têm obrigação de vencer o Rio Ave, o problema foi a falta de motivação e nisso a culpa é do treinador que antes do jogo já dizia que os jogadores não mudam o chip. Não mudam porque alguém falha na motivação, o treinador.

    PÉSSIMO!!! Foi apenas um jogo é verdade, mas já diz muito do que vai acontecer daqui para a frente.
    O JJ esquece-se que no Sporting não existe "o colinho", não é tão fácil de vencer.

    ResponderEliminar
  23. Perdermos claramente por falta de níveis físicos:
    - O Campbell apresentou-se numa forma miserável. Parecia um junior a jogar entre os séniores.
    - O Alan Ruiz esforçou-se mas ainda não tem os capacidade física para jogos com esta intensidade.
    - O Adrien e Bruno César evidenciaram desgaste do jogo de 4ª feira.

    O schelloto no terceiro golo tem um erro de posicionamento de amador.

    Enfim, o JJ tem de meter os novos jogadores em treino de intensidade máxima e até subirem de forma tem de rodar menos a equipa, principalmente nos jogos fora de casa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os níveis físicos tiveram grande influência mas não explicam tudo. A equipa defendeu muito mal na primeira parte. Um Bruno César desgastado a partilhar a ala esquerda com um Campbell que se recusou a defender contra um Gil Dias absolutamente endiabrado... E como é que ninguém tombou o Roderick no lance do primeiro golo!? Aliás, se os dois da frente pressionassem logo à entrada da área do Rio Ave, provavelmente ele nem tinha arrancado. André pareceu-me ainda muito desenquadrado do jogo da equipa, o que é natural, mas Ruiz fez a pré-época toda. Tinha obrigação de já compreender melhor o que JJ lhe pede...

      Sim, o Schelloto esteve horrível. Gostei muito dele no final da época passada, mas começou esta muito mal.

      Confesso que a exibição de Madrid também me deixou um pouco sobranceiro e que, quando vi o 11 inicial, achei por bem aquela rotatividade. Já agora, a posteriori... :(

      Eliminar
  24. Hoje o MdCeT está de muito mau humor na moderação.
    Não consigo dar os meus "parabéns" pela exibição e resultado de ontem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Guarda para logo, depois do jogo com o Braga. Talvez tenhas mais qualquer coisa a acrescentar...

      Eliminar
    2. nao tenhas muitas speranças o resultado de logo deve estar incluido no negoçio do Rafa so assim se justifica o preço!

      Eliminar
  25. "A exibição de Schelotto"

    Mestre, eu só gostava de saber como é que este rapaz pode ser opção no plantel do Sporting? Desculpem-me, mas é dos piores laterais que vi passar em Alvalade nos últimos anos. Não tem capacidade técnica, não tira um bom cruzamento, não tem capacidade de passe, defende mal e tem um posicionamento completamente deficiente. Para além da velocidade e capacidade física, gostava de saber o que é que Jesus (e todos os outros Sportinguistas que se referem a ele como "O Galgo") vêem neste rapaz. Espero que o mercado de inverno nos traga um lateral direito no mínimo, já para não falar na esquerda. Bruno César vai fazendo o lugar, mas quando há uma mota pela frente, a coisa complica-se e bem. Para além disso, o desgaste do jogo de quarta-feira deixou marcas bem visíveis nele.

    SL

    ResponderEliminar
  26. Caro mestre,

    Parece-me que houve aqui e ali um cheiro a retaliação dos jogadores com alguma sobranceria do JJ... Ele é o maior, ele é que domina a equipa... Mas há também que assumir as derrotas! Cheirou-me a pouco empenho dos jogadores como resposta a algumas afirmações menos felizes do JJ. espero estar mesmo erradíssimo. Mesmo assim, parabéns ao Rio Ave, que jogando assim roubaram por certo pontos ao porto e ao benfica, ou não?

    Abraço,
    pedro

    ResponderEliminar
  27. O João Pereira pagou pela infantil "cereja em cima do bolo"... em Madrid (minuto 93)

    ResponderEliminar