segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Boa injeção de tranquilidade

O futebol praticado pelo Sporting esteve longe de ser deslumbrante e a expulsão de Vítor Costa acabou por ser uma ajuda para a vitória de ontem, mas não se podia exigir muito mais a uma equipa que batalhava contra a falta de confiança nas suas próprias capacidades. O melhor que poderia acontecer a este inseguro Sporting era uma vitória tranquila, e foi uma vitória tranquila que o Sporting alcançou. Marcador inaugurado muito cedo, controlo total da partida - o Arouca não teve qualquer oportunidade para marcar -, e uma exibição que foi subindo de qualidade com o avançar do tempo, que revelou vontade em apagar a má imagem recente e iniciar uma fase positiva que coloque o clube a discutir o campeonato até ao fim.

Foto: José Cruz


Eficácia nas bolas paradas - os dois golos marcados por Dost aconteceram na sequência de lances de bola parada. O primeiro nasce de um lançamento lateral marcado por João Pereira, com um primeiro desvio de cabeça de Rúben Semedo e assistência de Coates. O terceiro foi numa segunda vaga de um canto, em que Campbell entra na área pela direita e serve o holandês em volley. Para além do bom trabalho que revela haver nos treinos (também foi bem desenhado aquele lance em que Gelson falhou na cara de Bracali), sustenta também uma outra tese que não pode ser ignorada: é mais fácil marcar golos quando há presença de mais jogadores (6 no primeiro golo e 5 no terceiro) na área adversária - algo que, em jogo corrido, quando se usa Bryan Ruiz, Alan Ruiz, Markovic ou Bruno César no apoio ao ponta-de-lança, costuma escassear. Voltando às bolas paradas, a equipa também esteve muito bem defensivamente, pois foram vários os livres a meio-campo que foram despejados para a nossa área, sem que qualquer perigo daí resultasse. 

Ena!, um golo em contra-ataque - a par da falta de sentido prático no ataque, o aproveitamento dos contra-ataques (ou dos momentos de transição ofensiva, para os mais eruditos) é aquilo que mais me exaspera no jogo do Sporting. Somos incapazes, em situações de superioridade ou igualdade numérica, de fazer a bola chegar à área adversária rapidamente. Hoje, finalmente, marcámos em contra-ataque. É verdade que o caminho da bola até à baliza não foi propriamente o mais curto e direto que poderia ter levado, mas, ainda assim, marcámos. Foi bom, para variar.

Dost e Campbell - o ponta-de-lança marcou dois golos... à ponta-de-lança, nas únicas duas oportunidades de que dispôs. Melhor era impossível. Campbell somou um golo e uma assistência à sua conta pessoal, subindo bastante de produção quando não tem de ficar preso ao flanco esquerdo. 

O capitão voltou - foi pena ter falhado o penálti, mas isso não mancha a boa exibição de Adrien Silva no seu regresso à titularidade após a lesão. Fez a assistência para o golo de Campbell, mas o seu regresso fez-se sentir, sobretudo, defensivamente: com ele em campo, o meio-campo fica mais rijo e é capaz de controlar melhor as tentativas adversárias - por mais ténues que sejam - de chegar à nossa área.

A exibição de João Pereira - esteve muito em jogo, acabando por ser um dos jogadores mais influentes nos lances de perigo: fez o lançamento lateral no 1º golo, aproveitou bem a asneira de Vítor Costa para o "expulsar" - o que acabou por ajudar a resolver o jogo -, quase que ia marcando de cabeça a passe de William, assistiu Campbell para um remate na zona da marca de grande penalidade que saiu ligeiramente ao lado, fez o passe para Adrien no lance do penálti e, <piada> não menos importante, agarrou-se com os dois braços e pernas a Joel Campbell nos festejos do segundo golo para impedir que o costa-riquenho tirasse a camisola e visse o segundo amarelo </piada>. Quer recuperar a titularidade e aproveitou muito bem a oportunidade que lhe foi dada.

A assistência em Alvalade - vou ser sincero: receava que, num jogo numa noite fria de domingo, que começava imediatamente a seguir a um Porto - Benfica, e com a sequência de maus resultados que se conhece, a assistência fosse bastante mais fraca do que acabou por ser. Mais uma casa acima dos 40.000, sinal de que os sportinguistas não atiraram a toalha ao chão e continuam a acreditar na equipa.



Os problemas do costume na primeira parte - apesar de se ter posto em vantagem bastante cedo, o Sporting fez uma primeira parte pouco conseguida, complicativa e pouco objetiva - na prática, aquilo que também tem acontecido nos últimos jogos. Exemplo: algures na primeiro parte, Gelson teve oportunidade para cruzar para a área, onde estavam dois jogadores de cada equipa; como é hábito, preferiu circular a bola para trás; o companheiro que a recebeu (não me recordo ao certo quem foi) fez um compasso de espera e cruzou para a área, onde já estavam 5 jogadores do Arouca contra os mesmos 2 do Sporting. Tirando o golo de Dost - que foi o único remate à baliza que qualquer uma das equipas conseguiu fazer nos primeiros 45 minutos -, pouco mais fizemos para justificar a vantagem com que chegámos ao intervalo. Ainda assim, muito mais do que o Arouca fez em campo.

Anti-jogo como uma forma de vida - ainda não tinham decorrido três minutos após o início da partida, e já o Arouca começava a fazer anti-jogo. Fizeram anti-jogo com 0-0, porque o resultado lhes satisfazia. Fizeram anti-jogo com 1-0, porque se mantinham à distância de um lance fortuito para chegar ao empate. Fizeram anti-jogo com 2-0, porque sim. E fizeram anti-jogo com 3-0 para não sofrerem o 4º. Estranho modo de se jogar futebol.

Aquela dúzia de assobiadores que não deve ter nada melhor para fazer - sinceramente, que benefícios para a equipa esperavam alcançar quando começaram a assobiar Elias no momento em que entrou em campo a substituir Gelson Martins? Por favor, se puderem, expliquem-me a estratégia, porque estou com imensas dificuldades em compreendê-la.



A polémica pós-jogo - sobre a questão das acusações de tentativa de agressão entre os dois presidentes: há duas versões idênticas, em que cada qual imputa à outra parte a responsabilidade pelo que aconteceu. Bruno de Carvalho tem a fama que tem, mas na única vez em que o acusaram de causar confusão nos túneis, acabou absolvido após ter cumprido a suspensão. Carlos Pinho e Joel Pinho são especialistas em confusões destas, tendo sido já suspensos várias vezes por episódios semelhantes. Só os próprios e os presentes no local saberão o que efetivamente se terá passado. Como tal, não faz qualquer sentido estar, neste momento, a acusar ou a defender quem quer que seja. Vou esperar para ver, mas considerando o histórico e as circunstâncias, estou muito mais inclinado a acreditar na versão apresentada por Nuno Saraiva.



Após três jogos para o campeonato sem ganhar, era importantíssimo, acima de tudo, que se quebrasse esta série negativa, nem que fosse por meio a zero. Missão cumprida com tranquilidade. Reduzimos a distância para o Benfica e apanhámos o Porto na classificação. Foi uma boa noite para o Sporting.

30 comentários :

  1. Mestre,

    Exasperante mesmo é a falta de cruzamentos para a área. Falta de quantidade de cruzamentos na primeira parte e falta de qualidade na segunda.

    Ontem, mais uma vez, foram inúmeras as ocasiões em que os nossos jogadores tinham espaço para centrar e preferiam voltar para trás ou passar a bola...
    Na parte final da partida isso já aconteceu mais vezes, mas fruto do cansaço, quase todos foram sempre mal direccionados.

    Mas bolas paradas, sejam cantos ou livres, e tendo nós jogadores de elevada estatura que fazem toda a diferença, como se viu no primeiro golo, continuamos a preferir trocar a bola antes de a colocar na molhada.
    Exasperante mais uma vez!

    De resto, destacaria as excelentes exibições de 3 jogadores, mesmo que nem sempre tenham decidido da melhor forma:

    João Pereira: Caso para perguntar a Jesus qual a razão para tirar João Pereira da equipa numa altura em que venciamos jogos, colocando um Schelotto cujo futebol pouco ou nada se compara com a avalanche ofensiva que o JP empresta ao corredor direito leonino.

    Gelson: Já é um clássico o elogio à quantidade e qualidade do futebol que sai dos pés do nosso menino.

    Campbell: Ora cá está o Campbell que todos ansiávamos quando a sua contratação foi anunciada. Chegou muitas vezes a rivalizar com Gelson nas iniciativas que deixaram os arouquenses à nora, e dos seus pés vieram inúmeros lances de perigo.
    Só lhe falta decidir no momento certo o último passe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, a falta de qualidade dos cruzamentos também é um problema. Infelizmente, na direita, não temos nenhum jogador verdadeiramente forte nessa vertente.

      Eliminar
  2. Concordo em absoluto Mestre! Não entendi de facto os assobios com a entrada de Elias... enfim! Queria só destacar campbell. acho que foi o primeiro jogo completo que fez e esteve muito bem! Espero que JJ aposte nele!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, J1906, o Campbell justificou plenamente a titularidade, espero que seja para continuar - e de preferência, no apoio ao Dost.

      Eliminar
  3. Na Capa do Record Verde até dizem que o SCP ganhou pontos aos rivais.. quando na verdade recuperou !!

    Não vi o jogo, mas fazendo zapping ouvi alguns comentadores a falar que houve um jogador do Arouca que se fez expulsar, parece em nome de resultados combinados de casas de apostas on line.. ainda bem que a policia esteve lá no fim do jogo para averiguar.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. (s)quid, vai fazer desenhinhos com o atrasado mental do teu treinador pá!

      Eliminar
    2. Oh meu, vai dizer ISSO aos comentadores avençados carnidenses das Tvs Regionais de Lisboa.. Foram eles que o disseram, não fui eu.

      Infelizmente o meu clube não tem Treinador. Mas, pelos vistos os jogadores do SCP podem marcar golos com a mão, o Mitroglou também.. já o Felipe, como é do FCP não !!

      Em 10 jornadas, só ficaram 10 penaltis por marcar a favor do FCP.

      Eliminar
    3. Ahahaha isso e tudo azia por não terem conseguido segurar o resultado? Calma rapazito

      Eliminar
    4. (s)quid, puto charila, ouve a voz do teu dono, pá...

      https://www.youtube.com/watch?v=U17At6w0nDw

      Eliminar
    5. Pois o Herrera pelos vistos também está sob suspeita...e possivelmente quem deveria ser investigado não é como por exemplo o Nuno Coelho,o Ghazal e o Luís Aurélio, então este último é de bradar aos céus !...

      Eliminar
    6. Tenho 50 anos rapazinho... e não sou avençado, nem seguidista de ex-pastores da IURD!!

      Eliminar
    7. "Em 10 jornadas, só ficaram 10 penaltis por marcar a favor do FCP"

      O exagero, a forma de comedia mais antiga e facil de fazer!

      Quando devolveres os campeonatos da fruta, entao podes reclamar por esses penaltis nao marcados e se Deus quiser ainda mais alguns.

      Eliminar
    8. Chaval, e tu, por algum acaso, sabes quantos anos tenho eu?! Atão... CALA-TE! Eheheheheh...

      Independentemente de terem razão ou não, ouvir um tripas a queixar-se da arbitragem, é o mesmo que ouvir o Capone a queixar-se dos impostos... altos!

      Eliminar
  4. Mestre:

    - o JJ tem que meter estes gajos na ordem! Amolecem (quase) sempre quando marcam o 1º golo...
    - quem assobiou ontem o Elias na entrada, devem ser os mesmo animais que assobiavam o Acosta... o Nani... ou mesmo o Patrício...e no entanto... sabemos depois como foi... não são (não podem ser) Sportinguistas... são umas "coisas" que mais valia estarem do outro lado da 2ª Circular... naquele aterro sanitário em frente ao Colombo...

    Mas já gostei muito mais da fluidez...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, de facto a equipa abrandou na primeira parte, depois do golo. Na segunda parte já se notou maior confiança, fruto também da vantagem numérica, e vontade de ampliar o resultado. Só nos últimos 10/15 minutos se voltou a tirar o pé do acelerador.

      Eliminar
  5. Não vejo porque havia o presidente de um clube que estava a ganhar por 3-0, a jogar em casa, com o adversário a jogar com 10, com as modalidades a vencerem todas nesse dia,

    armar confusão gratuitamente com a direcção de um clube adversário...

    Já os tipos do Arouca, useiros e vezeiros nesse tipo de confusões...

    ResponderEliminar
  6. A 1a parte fraca é devido a gestão de esforço, mas também de calções borrados. Nada a fazer quanto a ambos, o 1o tem de se dar tempo e o 2o tem de se dar tempo e haver vitórias.

    ResponderEliminar
  7. Já tinha dito e continuo a dizer que o Campbell TEM que ser o nosso 2º avançado. Preso a um corredor não causa tanto desequilibrio. Ainda por cima tem técnica suficiente para conseguir receber a bola de costas para a baliza e virar-se com perigo para o adversário.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fez esse movimento de rotação várias vezes a meio-campo. Se o puder fazer junto à área, pode ser um perigo para os adversários.

      Eliminar
  8. A ansiedade da equipa é tanta que não me lembro de tantas faltas cometidas em 45 minutos!
    Algumas até patéticas. Valeu o resultado, algumas boas exibições (Campbell, Dost, João Pereira, Adrien) e os mais de 40.000 em Alvalade.
    SL

    ResponderEliminar
  9. Para mim, há duas coisas que denunciam que o Arouca Jr. estava a mentir:

    1) Numa frase, afirma, num tom de nervoso miudinho, que foram agredidos. Na frase a seguir, num tom ainda mais de nervoso miudinho, diz que foi uma tentativa de agressão.

    2) A prontidão e, sobretudo, a calma com que Nuno Saraiva respondeu, sem nunca se contradizer ou sequer dar oportunidade a que a jornaleiragem pudesse ripostar e, consequentemente, aquecer ainda mais o churrasco.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E pelos vistos há imagens dos incidentes que não abonam a favor do arouca senior e junior.. ups!

      Eliminar
  10. Não sei o que se passou na tal importantíssima polémica.

    Mas sei que muitos a noticiaram dizendo que "BRUNO CARVALHO AGREDIU..." e em baixo complementam com "e o sporting diz que foi ao contrário".

    ResponderEliminar
  11. Boa analise Mestre, concordo com quase tudo, e o que mais me assusta ainda sao estas primeiras partes apáticas, problema que se vem arrastando desde o ano passado, e que, contra estas equipas pequenas nos dificulta e muito a vida. Um golo no inicio do jogo obriga o adversário a abrir e a arriscar mais. Nao entrando no jogo em máxima rotação e nao marcando cedo, aumenta a confiança destes pequenos adversários, que com o passar dos 90 minutos se tornando ainda mais pequenos, e se dedicam exclusivamente ao anti-jogo para conseguir o seu pontinho. No caso do Arouca é um vale tudo, basta recordar a lambada que Lito deu ao Naldo.

    O Campbell,é uma caixinha de surpresas,é muito bom jogador, ja o sigo desde que estreou no Arsenal, e sempre me pareceu um pouco inconstante, é capaz de fazer 1 jogo incrível e depois passa outros 2\3 que ninguém dá por ele, espero que mude.

    Quanto aos assobiadores, também nao entendo, e eu ate sou dos que nao gosta de adeptos zombies. Mas existem sítios para se fazer as criticas. E durante a refrega nao me parece ser o lugar e o tempo ideal, para se fazerem criticas a quem anda na luta.
    Mais valia ter la um minhocao ( http://prntscr.com/d46mzx ) no lugar de cada um.

    Segunda Feira descansada... Finalmente!

    SL

    ResponderEliminar
  12. Algumas notas do que acho que há a melhorar:

    Jesus não aposta muito no Campbell como 2º avançado. Para ele, o Campbell é um ponta direita, mas como está lá o Gelson, aquele joga na esquerda. Também gostava de ver o Campbell a 2º avançado.
    Por falar em Gelson, nota-se que o seu jogo já não está com o mesmo fulgor. Creio que o Miúdo está fatigado e necessita de descansar. Vem ai o tempo da Selecção para isto.

    O William também não está com a confiança de há uns jogos a trás. Precisa de adquiri-la rapidamente.

    O Marvin não me convence. Está com muito pouca auto-estima e com pouca garra também. Terá que fazer muito mais para agarrar o lugar. Em Janeiro deveria passar a suplente de alguém que contratemos.

    ResponderEliminar
  13. Alguém que esteve dentro dos corredores de acesso aos balneários contou-me os factos tal e qual como aconteceram. Mas não os posso aqui expor pois Torquemada saraivosamente guilhotina-os.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aposto que foi o Pedro Guerra. Afinal, foi ele que ouviu o Sérgio Conceição dizer aos jogadores durante o intervalo que estavam prometidos uns bons euricos se conseguissem pontuar na Luz!

      https://oartistadodia.blogspot.pt/2016/05/como-soube-pedro-guerra-aquilo-que.html

      Eliminar