quarta-feira, 31 de maio de 2017

Balanço de 2016/17: Jorge Jesus

Um desastre: não há outra forma de descrever o trabalho de Jorge Jesus nesta época. Depois de um ano em que o treinador conseguiu subir significativamente a competitividade da equipa, ninguém esperava que esta época se registasse uma quebra de rendimento tão significativa, ainda para mais quando o investimento em jogadores foi tão elevado. 

Jesus pode ter razão quando disse que as arbitragens ajudaram a afastar o Sporting do primeiro lugar do campeonato em momentos cirúrgicos, mas, infelizmente, o campeonato não foi a única competição em que ficámos prematuramente fora da luta. Saímos da Taça de Portugal após um jogo muito pobre em Chaves, tínhamos a obrigação de passar a fase de grupos na Taça da Liga - independentemente das circunstâncias -. e a campanha europeia acabou por ter contornos humilhantes quando nem conseguimos assegurar o 3º lugar no grupo.

Muito pouco para um plantel tão caro e desequilibrado. Jorge Jesus pediu e recebeu muitos jogadores, alguns bastante caros e quase todos eles a auferirem salários elevados, mas não conseguiu extrair deles a qualidade exibicional exigível, como André, Petrovic, Elias, Douglas, Markovic ou Campbell. Insistiu teimosamente num Bryan Ruiz em nítido subrendimento, deu inúmeras oportunidades a um Alan Ruiz que tardava em mostrar serviço, perdeu-se em equívocos na lateral esquerda, e não foi capaz de criar de inventar as alternativas de que a equipa necessitava.

Igualmente lamentável foi a forma - bem típica nele - como foi sacudindo as responsabilidades pelo que de mau ia acontecendo. Em Madrid, disse que o Sporting não teria perdido o jogo caso estivesse no banco, mas não fez o mea culpa pelos excessos que o levaram a ser expulso e suspenso por dois jogos. No final da época, ao fazer uma espécie de balanço, queixou-se de não ter jogadores suficientes de 10 milhões, mas esqueceu-se que faz parte do seu trabalho desenvolver e valorizar jogadores de valor inferior - principalmente quando recebe um salário principesco.

O único aspeto verdadeiramente positivo foi a explosão de Gelson Martins, um jogador que Jesus tinha lançado na época anterior.

Em dois anos de Sporting, Jorge Jesus realizou uma excelente época e uma época paupérrima. Justifica, obviamente, uma terceira época. Para o bem ou para o mal, servirá de tira-teimas para a quarta.


27 comentários :

  1. Mestre,

    Não sei se Jesus justifica uma terceira época, até porque o receio de maioria dos sportinguistas é que o desastre possa ser ainda maior, com reflexo nas finanças do clube, moral dos jogadores mais jovens e, sobretudo, moral dos sportinguistas.

    Espero estar completamente errado e que Jesus recupere a veia de treinador, fazendo regressar o bom futebol a Alvalade.
    Até porque era só isso que lhe exigia desde que chegou, que colocasse a equipa a jogar bom futebol e fosse factor de ainda maior mobilização dos sportinguistas.

    Já agora, o único ponto positivo que indicas, explosão do Gelson, é muito mais mérito do jogador que mérito de Jesus. E até neste ponto me parece que Gelson não está a evoluir como deveria pela castração que o futebol e táctica desta época impuseram a quem tem tanta arte.
    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai ser preciso dar ao treinador os jogadores de que este precisa e que esteja disposto a utilizar. A época vai depender isso.

      Eliminar
    2. Caro Mestre, não foi isso que aconteceu no ano passado? Não foi o próprio Jorge Jesus que disse que o Presidente lhe deu tudo o que tinha pedido? Porque carga de água se continua a elogiar a grande época de estreia de Jorge Jesus em Alvalade quando o único trofeu ganho foi uma supertaça e logo no inicio da época. Considerava boa época se tivesse ganho mais algum troféu e se tivesse tido uma conduta positiva nas competições europeias, tudo o resto é conversa de encher saco. E o mais ridículo é que o cavalheiro de uma época para a outra ganhou mais dinheiro e trabalhou menos e pior. Só assim posso aceitar que o Jesus fez uma boa época: a encher os seus bolsos.
      Deixemo-nos de romantismos, que interessa jogar bonito e não ganhar nada? Não interessa. Este ano devido ao terrível e decepcionante final de época vai afectar indubitavelmente a preparação da próxima época tanto desportivamente como financeiramente e, esperemos, que não venha deixar marcas irreparáveis no futuro, como se apresenta com o namoro ao Coentrão.
      Por favor nao endeusem quem não o merece.

      S.L.

      Eliminar
  2. Rui Vitória, Zidane, Claudio Ranieri ou mesmo Fernando Santos são exemplos de treinadores que fazem pensar sobre o que é um bom treinador no futebol moderno.

    É muito importante para o desenvolvimento dos jogadores terem treinadores fortes do ponto de vista técnico-tático, especialmente na fase inicial das suas carreiras, mas durante quanto tempo esta é a principal mais-valia?

    Apesar de ser um defensor da sua continuidade, temo que o efeito JJ no Sporting possa ter terminado.

    Muito da nossa época vai ser definido com o mercado de transferências, e ai a responsabilidade é total do BdC.

    Depois é importante que durante a época o JJ se coloque ao mesmo nível dos jogadores, e para isso terá de descer 3 degraus do seu ego.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existem vários estilos de liderança. A questão motivacional é muito importante, mas acredito que a competência técnico-tática é mais importante - porque sendo essa competência demonstrada, acaba por motivar também os jogadores pela qualidade de futebol.

      No caso do Ranieri, vimos que foi uma combinação de fatores irrepetível, tal como estou convencido que foi o caso de Fernando Santos ao serviço da seleção. Rui Vitória dificilmente terá sucesso noutro clube que não seja o Benfica ou o Olympiakos (mas vejo-o com perfil para ser selecionador).

      Eliminar
    2. Porque é que o RV não teria sucesso noutro clube que não os mencionados?

      É a teoria do colinho? Mas o Benfica já não teve boas prestações na UEFA já ao leme do RV? A teoria ali não funciona. Quer dizer... A teoria da Gazprom... Essa sim.

      Foi com esse tipo de pensamento que o Sporting de JJ foi "comido" pelo Benfica do "não-treinador" Rui Vitória. A basófia MdC.

      Eliminar
    3. "Rui Vitória dificilmente terá sucesso noutro clube que não seja o Benfica ou o Olympiakos"

      Oh MdC, esse comentário foi mesmo digno do Jorge Jesus...
      O Jorge Jesus quando se quer colocar em bicos de pés, rebaixa o Sporting e toda a sua história. O MdC na ânsia de rebaixar o Rui Vitória, e continuar com a cartilha que o Benfica só ganha porque é beneficiado pelas arbitragens, rebaixa o Sporting e toda a sua história.

      E digo isto porque...

      ...o Rui Vitória na época passada SÓ igualou o melhor registo de SEMPRE do Sporting na Taça dos Clubes Campeões Europeus\Liga dos Campeões.
      O Sporting chegou aos quartos da Taça dos Clubes Campeões Europeus\Liga dos Campeões apenas UMA ÚNICA VEZ em toda a sua história. E atingiu os quartos no início da década de 80, ou seja, no formato antigo, no formato Taça dos Clubes Campeões Europeus, num formato onde era muito mais fácil de chegar mais longe do que no formato actual.

      O Rui Vitória, esse treinador que "dificilmente terá sucesso noutro clube que não seja o Benfica ou o Olympiakos" conseguiu chegar aos quartos tendo ultrapassado nos oitavos o Zenit, o principal rosto dessa máfia tentacular (Gazprom), que segundo mais uma das vossas teorias da conspiração, controla a UEFA.
      Já o Jorge Jesus, com a sua "competência técnico-tática", é humilhado por Skenderbeus e Legias.


      "Rui Vitória dificilmente terá sucesso noutro clube que não seja o Benfica ou o Olympiakos"
      Continuem a pensar dessa forma! É não mexer, por favor :)

      Eliminar
    4. Já? quais? A goleada dos italianos? Ou dos alemães?

      Eliminar
    5. Se o problema estivesse na basofia o benfica tibha descido de divisao... o problema é a "estrutura"...

      Eliminar
    6. Vitória já teve sucesso nos clubes que antecederam o Benfica. Deixa-te disso, Artista. Os outros ganham, é combinação de fatores irrepetíveis; o Jesus ganha, é o maior. Foca-te no que referiste: "Existem vários estilos de liderança".

      Eliminar
    7. Tens aqui muitos leitores que gostavam que fundamentasses essa tua afirmação, "Rui Vitoria dificilmente terá sucesso noutro clube que não seja o Benfica".
      É uma mera e banal opinião, ou tens dados que fundamentem essa análise tão criteriosa ?
      Parece-me que fora do Benfica, Rui Vitoria até já teve mais sucesso do que o seu antecessor em toda a sua longa carreira, aparte do Benfica
      Vitoria - 1 taça de Portugal
      JJ - 1 supertaça

      Eliminar
    8. Comentando a parte do 'vejo-o com perfil para seleccionador' concordo em absoluto!!

      Eliminar
  3. O plantel fica na avaliação do Jesus? Então... sobra o quê para o Balanço do resto da estrutura de futebol do SCP e do presidente do SCP?

    E não falta ai no quadro a avaliação dele na época passada?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se foi o treinador que escolheu a maior parte, é o treinador que tem de responder por isso. Se tivesse sido o presidente, teria sido o presidente a responder por isso isoladamente.

      Eliminar
  4. Atrevo-me a dizer que se o apuramento para a LC não for conseguido, eu retirava a estrela. Não há estrelas no céu. Aí seria o desastre completo, ao nível de um Braga ou Marítimo, abaixo de um Guimarães que com menos recursos chegou honrosamente à final da Taça e atrás de um Moreirense.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mas o que é que este boneco ainda aqui anda a fazer?

      Eliminar
    2. Vindo do Marques que não consegue ir ao Marquês....

      Eliminar
  5. Excelente análise Mestre.

    Eu também defendo uma 3ª época para JJ mas tenho de ser sincero. Neste momento tenho muitas dúvidas se é o treinador certo para um projecto sustentável e baseado numa aposta forte da formação (com a qualidade inegável da nossa!) como o Sporting. Vamos ver se jogadores como Iuri, Podence, Francisco Geraldes e Matheus serão apostas reais de JJ.

    É que basta reforçar 3 ou 4 posições...com jogadores de qualidades. E mais do que dinheiro é preciso é bom scouting!

    O JJ dizer que precisa de 4 ou 5 jogadores de 10M enfim...então qual a necessidade de pagar tanto a um treinador? É que para potenciar esse tipo de jogadores um treinador de 1M serve! Eu lembro me sempre daquela grande equipa do Porto do Mourinho em que foi buscar Nuno Valente e Derlei ao Leiria, Paulo Ferreira ao Setubal, Maniche ao Benfica B...

    ResponderEliminar
  6. Independentemente de tudo o que se possa dizer, na minha opinião há um facto indesmentível, os adversários encaram os jogos com o Sporting de uma forma completamente diferente. Em termos de preparação dos jogos, nota-se que apôs JJ o Sporting é muito mais respeitado, sobretudo pelos rivais directos. Parecendo que não, isto (foi) é um facto importante.

    ResponderEliminar
  7. Um desastre? Algumas contratações não foram felizes mas não considero um desastre. O que esteve mais mal foi a defesa que sofreu muitos golos. Se a pontuação fosse fruto exclusivo da verdade desportiva então aí seria um desastre, mas tens que ver os erros dos homens dos vouchers. JJ tem matéria prima no clube para formar uma boa equipa. Esperem para ver o Dala a explodir.

    Fico admirado e espantado com a total submissão dos media quando Rui Sonso diz que o carnide não foi beneficiado em nenhum jogo. É de facto muita lata, basta ver que quem devia ter estado no Jamor era o Estoril...Mas algum clube europeu algum dia vai interessar-se pelo Rui Sonso?

    ResponderEliminar
  8. Muito fraquinha esta análise. Muito mesmo. Tás-te a esquecer do Bas Dost pré-JJ e do Bas Dost pós-JJ. Dá gosto ver o holandês a defender, a marcar penaltys (nunca marcava) e a marcar que se farta.

    Bater em JJ é o que querem os cartilheiros encomendados e ressabiados. Fico espantado é de ver adeptos leoninos a fazerem o mesmo.

    O SCP até podia ganhar o campeonato com o manel ou o joaquim. O problema é que está lá JJ, que saiu a mal do carnide e vê-lo a ganhar um campeonato de leão ao peito vai ser difícil de engolir. Percebem?

    ResponderEliminar
  9. Temos o melhor treinador Português da Atualidade. Sim, melhor que o Mourinho. Não fala tão bem como ele, mas tira muito mais rendimento dos jogadores e as equipas jogam um futebol mais atrativo.

    Jesus, na 2ª época de Benfica, ficou a 21 pontos do Líder.

    Estamos todos a vacilar com uma má Época, onde a responsabilidade não será, certamente, só do Jesus. Até parece que o habitual no Sporting não é ter Épocas destas ou piores.

    Temos de apoiar o Treinador, a Direção tem de apoiar o Treinador e fazer de tudo, dentro das possibilidades, para cumprir com as necessidades que o Jesus identifica. Já temos muita gente da formação. Os mais novos têm de ir rodar e crescer e depois voltam ao Clube com outra pujança.

    Jesus tem falhado, como todos os treinadores falham, mas a Direção também não tem sido eficaz. A vinda da maior parte dos reforços à 4ª jornada foi decisão do Jesus? Este foi o maior erro estratégico do ano passado. Foi bom para os negócios mas comprometeu a Época. Os jogadores que vieram não tiveram o necessário entrosamento.

    Temos de mostrar mais UNIÃO no Clube, Presidente e Treinador à cabeça, mas os Sócios e Adeptos também. Continuam a sair cá para fora informações a mais. Quem é o bufo? Será que não se consegue pôr fim a isto?

    ResponderEliminar
  10. Concordo com a 3ª época a JJ, aliás, não tenho duvidas que o Sporting neste momento estaria pior sem ele, do que com ele ao leme.

    Sobre a época passada, para além dos mencionados, um dos erros de JJ esteve na alternativa a João Mário primeiro, e a Adrien durante a época. Jesus insistiu no mesmo modelo, nos mesmos processos, com jogadores diferentes. Não resultou e ele não soube adaptar a equipa a isso. A juntar-lhe a péssima forma dos laterais, de Bryan, o insistir num Alan totalmente desfocado da realidade, muito dificilmente daria bom resultado.

    Para a próxima, JJ terá dois grandes desafios:
    1 - Substituição de William e/ou Adrien. Por eles passou todo o nosso jogo nos ultimos anos, a substituição de um ou de ambos tem de ser um tiro certeiro.
    2 - Champions. Não tenhamos ilusões, o Sporting foi 5 vezes ao playoff, passou 1 (Beitar). Sendo que o mais provável é nem sermos cabeças de série, o desfecho final quase seguramente não passará por aqui. O problema vai ser gerir isso. A época terminou em polvorosa, e pode começar em polvorosa.
    Gestão da equipa e adeptos tem de ser muito bem feita...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 100% de acordo.

      Acrescentaria um terceiro grande desafio, resolver o problema dos laterais. Com os actuais a defesa continuará desequilibrada e o ataque previsível.

      Eliminar
  11. O planeamento do plantel, as culpas têm que ser divididas com o Bruno Carvalho, que é este último que assina os cheques.
    Marco Silva, num ano, fez mais que Jesus em dois. Ganhou a Taça de Portugal; Foi roubado na fase de grupos da Champions e lutou como podia, contra planteis milionários como o do Porto e Benfica.
    Isso do ser mais competitivo, não passa de uma falácia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Falacia é o que tu vens aqui escrever todos os dias

      Eliminar
  12. Há vários momentos que explicam a época. O primeiro foi a venda, perto do final da janela de transferências, de Slimani e João Mário, dois jogadores nucleares na manobra ofensiva e até defensiva da equipa. As alternativas à excepção de Castagnos, ao contrário do que se é dito, não pecaram por falta de qualidade. Verdadeiramente alguém questiona a qualidade ou o potencial de Markovic, Campbell ou Elias para uma liga como a portuguesa? O facto de virem de contextos diferentes (Markovic não jogava ou treinava há vários meses) aliado ao facto de terem características de jogo diferentes em relação aos que saíram (Bas Dost marca golos, mas não tem as movimentações de Slimani, assim como Elias não tem o mesmo jogo de Adrién ou João Mário) obrigava, naturalmente, a um tempo de integração e de assimilação de ideias por parte dos novos jogadores e da equipa. A lesão de Adrién também condicionou bastante e tudo isso se reflectiu na qualidade de jogo e falta de consistência da época anterior. Os resultados, neste período, teriam um peso acrescido. Tinha que se conquistar o máximo de pontos, enquanto havia integração e não era possível atingir um outro nível de qualidade de jogo, até para que os jogadores "crescessem" em outro ambiente e confiança. E foi precisamente aqui - e isso não pode ser ignorado - que 47% dos golos sofridos foram irregulares, o que vai de encontro às palavras de JJ sobre o impacto da arbitragem na luta do SCP pelo título. A somar a isto, o Sporting viva um período eleitoral. A pressão tornou-se insuportável de todos os lados, até porque, por todos os motivos, JJ e Bruno de Carvalho são alvos implacáveis de críticas internas e externas, sendo que a cada deslize, por mais subtil que seja, lá estão os cães de fila.

    Aqui, tudo valeu para criticar, com ou sem razão. Uma das críticas foi que Jesus só sabia trabalhar com estrangeiros, ignorando a Academia, ainda que, jogadores como Gelson, Ruben Semedo, Palhinha, Matheus e até Esgaio, tenham sido jogadores em quem fez questão de dar oportunidades. A pressão surtiu efeito e Bruno de Carvalho e JJ não conseguiram segurar Markovic, Petrovic, André, entre outros, que acabariam por sair sem ter tido tempo para terem condições de provar o que quer que fosse.

    Já com a época perdida (fora de CL e campeonato) mudou-se as agulhas e, numa nova fase, começou a preparar-se a próxima época, chamando à equipa principal Geraldes e Podense, para term as oportunidades que Gelson teve no ano passado e que lhe possibilitaram este ano jogar de início com outras condições. Com arbitragens mais regulares, o Sporting tornou-se a melhor equipa da segunda volta. Faltou alguma consistência a alguns jogadores jovens, como não poderia deixar de ser, e por isso mesmo não tinha sido aposta no início do ano quando tudo estava ainda por ganhar. Bryan Ruiz foi, de resto, a principal desilusão mostrando que já não está com a cabeça no campeonato português. A sua saída este verão será inevitável.

    ResponderEliminar