sexta-feira, 2 de junho de 2017

A propósito da venda de Sacko

Uma das críticas mais persistentes que tem sido feita à atual direção tem sido o fraco aproveitamento das contratações feitas. Um desses exemplos foi, precisamente, o jogador cuja venda foi anunciada hoje: Hadi Sacko. O francês foi contratado para juntar-se à equipa B, fez alguns bons jogos, mas nunca demonstrou qualidade para integrar o plantel principal.

Considerando os valores investidos pelo Sporting na maior parte das suas contratações, o normal é que nunca se venham a revelar material para serem jogadores de primeira linha. Aliás, a regra, em qualquer clube grande português, é que se falhe muito mais do que acerte. O que varia é o custo incorrido com essas contratações falhadas e o lucro / rendimento desportivo que se obtém com aquelas que correm bem.

No caso de Sacko, falamos de um jogador que acabou por dar, entre o valor da compra e o valor da venda (a que se deve juntar o fee de empréstimo da época que agora acaba), um lucro superior a 1 milhão de euros - mantendo o clube direitos sobre uma eventual futura mais-valia, que poderão tornar o negócio mais interessante. É, obviamente, um cenário "do mal o menos": nunca tendo dado retorno desportivo, deve-se considerar o custo de oportunidade da sua contratação - o milhão gasto poderia ter sido utilizado noutro jogador - e dos salários que auferiu enquanto jogou de leão ao peito, mas pelo menos, no final do dia, acabou por dar um retorno financeiro interessante (lucro superior a 100% do investimento).

Parece-me uma boa oportunidade para fazer um balanço de como têm corrido, do ponto de vista financeiro, os negócios envolvendo os atletas contratados por esta direção. Os quadros que se seguem estão separados por: jogadores que deram lucro; jogadores cujo investimento foi recuperado; jogadores que deram prejuízo. Os valores de compra incluem comissões pagas. Os valores de venda são líquidos de comissões, ou seja é o resultado da subtração do valor da transferência pelo valor de comissões pagas. Não estão incluídas as contratações feitas para os escalões de formação.

A. Contratações que deram lucro



B. Contratações cujo investimento foi recuperado



C. Contratações que deram prejuízo



D. Jogadores que ainda têm contrato com o clube



De um modo global, parece-me que tem havido muito mais critério na venda do que na compra, o que tem permitido que o clube poucas vezes perca dinheiro nas contratações - e quando perde, nunca falamos de valores elevados. O plantel atual inclui vários jogadores que interessa manter e que facilmente poderiam dar lucro caso fossem vendidos - como Paulo Oliveira, Bruno César, Schelotto, Coates ou Bas Dost. Podem não parecer muitos jogadores, mas é uma consequência lógica da existência de um peso grande de jogadores da formação entre os mais utilizados.

A maior dificuldade está em conseguir bons negócios daqueles que não têm espaço no plantel e que tiveram um preço de contratação não negligenciável - como Heldon, Slavchev, Rosell, Jonathan, Ewerton, Bryan Ruiz, Teo, Douglas, Castaignos e Petrovic. Está aqui um dos grandes desafios deste defeso para a direção.

22 comentários :

  1. Não estou convencido que o Petrovic não tenha lugar no plantel depois da boa meia-época que fez no Rio Ave. Acho que lhe vão dar uma segunda hipótese para confirmar qual das versões do jogador é a correta.

    ResponderEliminar
  2. Que saudades que eu tenho do tempo dos antigos Presidentes em que era só lucro e bons negócios ....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário cheira a cartilha.
      Este é daqueles que andou a ler não sei aonde que JJ não foi para FCP porque não quis, em vez de perceber que não foi pq o FCP teria de pagar 15milh ao SCP. Difícil de aceitar isso para um encartilhado não é?

      Eliminar
  3. Faça o favor de no primeiro quadro corrigir o sobrenome do Shikabala.

    Que vergonha o tratamento que deu a um jogador que deu LUCRO ao SCP, portanto pela sua lógica foi mais um acerto da actual direcção.

    Gostei especialmente dos jogadores comprados a custo zero que deram em "investimento recuperado". Está giro, a nível de macacada para encher tabela.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carlos, se acha que é macacada, tem bom remédio. Perca o seu tempo com coisas mais produtivas.

      Eliminar
    2. Efectivamente também gostei do quadro B, em que recuperaram o que não investiram. É um género de Zero a multiplicar por qualquer coisa.
      Quanto ao Shikavaka, depois digam que eu troco os nomes dos jogadores do Sporting.

      Eliminar
    3. Mestre, o canja de "galinha" só debita carvão.

      Eliminar
  4. Artista lanço-te um desafio. Faz um quadro desses comparando todas as contratações e vendas de Godinho e BdC. É fácil chegar à conclusão dos prejuízos causados por Godinho. A compra de Pongol é um exemplo disso. O BdC consegue lucrar mesmo com jogadores nunca utilizados.

    Dou-te outro exemplo Schelloto custou ZERO euros e será vendido por muitos milhões.

    Com um pormenor curioso: sem comissões para doyens o mendilhões.

    Dizem que o fcp só vai conseguir contratar um treinador com uma ajudinha da doyen. ahahaha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Pongolle por acaso foi contratado pelo JEB, mas sim, o que não faltaram foi jogadores que deram prejuízo...

      Eliminar
  5. Semedo por 20 milhões será a venda do ano. Não dura 6 meses no Newcastle. Fisicamente muito forte; tacticamente, um farrapo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Jorgen80,

      Será isso portanto um problema do Newcastle!

      Abraço,
      Pedro

      Eliminar
    2. Não sei se o Sporting o consegue vender por esses valores. Depois da época que fez não vale isso.

      Eliminar
    3. Os árbitros tiveram o seu papelzinho, como aquela expulsão ridícula quando Ruben ganha a bola a um jogador do Boavista no Bessa. jorgen802 não se preocupe que quando os Edersons, Guedes, Sanches, Gomes, Cancelos, Gaitans etc saem do colinho a coisa treme toda. Os jogadores que saem do SCP livram-se de uma coisa: da perseguição dos árbitros portugueses.

      Eliminar
    4. Este fez-me lembrar o saudoso Valdemar (por onde andas, pá?), quando afirmou que o Enzo por cá tinha o manto protector mas que depois de chegar a Espanha foi expulso uma série de vezes nos primeiros jogos. Quando foi ver o Enzo estava há época e meia em Espanha e ainda não tinha visto nenhum vermelho. LOL
      Geladinhos com a testa, é o que é!

      Eliminar
    5. Semmedo por 20 só se forem Traffiquilhões.

      Eliminar
    6. O que não falta para aí é jogadores ex carnide a passar a levar cartões à tromba esticada, quando não viam nem um pelo lampioburgo. Até no fcporquito se viu isso. E não, não vou fazer tabela nenhuma.

      Eliminar
  6. Pelo que vi do Petrovic acho que pode ser uma boa alternativa ao titular (possivelmente Palhinha). Fez uma 2ª metade sólida e para mim as alternativas não devem ser foras de série, mas sim regulares no pouco tempo que jogam.
    O Slavchev também pelo que ouvi falar ele fez uma boa época na polónia quase sempre a titular. Depois de amanhã se ganhar ao legia varsóvia é campeão polaco. Dáva-lhe mais um ano na liga portuguesa (Moreirense ou Rio Ave por exemplo) pois não é caso perdido.
    O Jonathan é o defesa esquerdo titular para a próxima época, e já leva uma de atraso, tal como o Iuri.

    Dos restantes concordo, são para mandar embora, se bem que o Rosell me parece um bom jogador

    ResponderEliminar
  7. Acho que o meu comentário se perdeu. Se vier repetido é só colocar deles. Disse que é contas à carnide, idealizadas. Tem que se contar os salários para se perceber os resultados de facto dessas operações. Assim como está, principalmente os que estão no verde, é enganador. E os do vermelho serão piores ainda.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma forma de ver as coisas, se bem que não concordo plenamente. Porque esses custos entram nos custos operacionais. E isso sim, julgo que está ligeiramente acima das capacidades (os custos operacionais). Esta análise permite analisar as compras e vendas. Que ao contrário do que muita gente sempre apregoou não é nada do outro mundo. Tem muita margem para se melhorar, mas existe algum critério tanto na venda como na compra.

      O único "se não" nesta estratégia de comprar muitos jogadores é, para mim, a falta de hipóteses que muitas vezes se dá aos nossos miúdos em detrimento de outras estrelas doutros lados que, assim como os nossos, não provaram nada ainda.

      E existe outro trabalho silencioso que esta direção tem vindo a fazer que há de ter os seus resultados a longo prazo, havendo capacidade de manter esse projeto, que é a abertura e manutenção de escolas por todo o mundo ligadas ao Sporting.

      Eliminar
    2. Sinceramente eu acho que somos obrigados a concordar com a minha posição porque quando se contabiliza lucros e perdas tem que se calcular, do lado dos custos, todas as despesas. Se o clube adquire o jogador x por 2 milhões, paga-lhe 500 mil de salários e transfere-o por 3 milhões não se pode dizer que se lucrou um milhão senão as contas têm um erro de 500 mil em 1 milhão. É muito erro.

      Eliminar
    3. Essa do sermos obrigados a concordar com a tua posição...

      Eu percebo o que queres dizer, eu eu contraponho logo de imediato dizendo que mesmo encorporando os salários existem outros custos que não estão incorporados. Já foi mencionado um - Custo de perder a oportunidade de dar mais oportunidades aos jogadores da casa, posso meter outro que será o do departamento de scouting e negociação. E posso acrescentar um outro beneficio que não estás a contabilizar que é o do beneficio desportivo, e se quiseres continuar podemos acrescentar outro beneficio as camisolas vendidas, que nalguns casos pode valer mais do que o próprio salário do jogador (e podia continuar e continuar...).

      O que quero dizer com isto é simples. Não consegues ter um modelo de análise que traduza o real ganho, seja lá o que isso for.

      A forma mais fácil de analisar é arranjar modelos simples mas que sejam fidedignos e que se arrange uma maneira de incorporar/avaliar todos estes imputs do processo. Depois cabe à gestão afinar o modelo.

      Hoje apeteceu-me simplesmente não ser obrigado a concordar contigo, porque como vistes o teu modelo é extremamente incompleto. E a mim o que me interessa é saber de que forma é que os ativos que o Sporting comprou foram ou não valorizados. Amanha analizo a operacionalidade do negócio do Sporting, onde estão incluídos os salários dos jogadores.

      Eliminar