quinta-feira, 17 de agosto de 2017

M*rdas que só mesmo connosco, nº 13: O erro faz parte do futebol

"O futebol é um jogo de erro. E um erro é possível. E o erro serve de discussão para semanas, meses e anos." - Ribeiro Cristóvão, 22 de julho de 2017, criticando o VAR após a (correta) anulação do golo de Rony Lopes no Sporting - Monaco

Um dos argumentos mais fascinantes que os detratores do VAR utilizam é o de que o erro faz parte do futebol. A constatação é digna de La Palice: se errar é humano e se o futebol é interpretado por seres humanos, então é inevitável que existam erros no futebol.

No entanto, também faz parte da natureza humana tentar reduzir o erro, quer em quantidade, quer no impacto que têm. Os seres humanos aprendem com a experiência e procuram aperfeiçoar técnicas, metodologias e sistemas que reduzam as probabilidades de voltarem a cometer os mesmos erros. É por aí que deve ser visto a implementação do VAR: é um sistema que não vai acabar com o erro e com a polémica, nem tem pretensões de acabar com o erro e com a polémica, mas que quer (e vai) reduzir a ocorrência de erros grosseiros no futebol.

Dizer que o futebol é um jogo de erro é a desculpa mais preguiçosa que existe. Se o futebol é um jogo de erro, por que razão as equipas treinam todos os dias? Por que razão procuram os melhores jogadores que os seus orçamentos permitem? Por que razão montam estruturas que potenciem o rendimento dos seus profissionais? 

Mas uma coisa são os erros de jogadores e treinadores, no confronto direto contra outros jogadores e treinadores - a melhor equipa também se define pela capacidade de evitar erros e de forçar o adversário a cometer erros. Outra coisa são os erros dos árbitros, que, supostamente, devem ser elementos neutros na equação do jogo.

Numa altura em que a tecnologia nos deixou perceber que o erro dos árbitros é muito mais frequente e muito mais impactante do que se desejaria, é normal que se tire proveito dessa tecnologia para ajudar os juízes a tomarem melhores decisões.

Isto tudo vem a propósito da frase de Ribeiro Cristóvão, que me fez lembrar, numa interpretação mais literal, que nem sempre o futebol é um jogo de erro, no singular: às vezes é um jogo de dois erros, de três erros, ou até de quatro erros... na mesma jogada.

Na jornada inaugural da época 2015/16, o Sporting defrontou o Tondela em Aveiro, casa emprestada da equipa recém-promovida à I Liga. Numa altura em que vencia por 1-0, o Tondela empatou numa jogada em que foram cometidos não um, não dois, não três, mas quatro (!) erros de arbitragem:



Os quatro erros cometidos pela equipa de Carlos Xistra foram:

1. O livre surge de uma falta não existente

2. No momento em que Bruno Nascimento desvia a bola, Luís Alberto (o marcador do golo) está em posição irregular (como se pode ver na imagem ao lado)

3. Luís Alberto ajeita a bola com o braço

4. Antes de a bola cruzar a linha, Luís Alberto dá um segundo toque na bola com o braço

De todas as coisas estranhas que têm acontecido ao clube, esta é daquelas que mais facilmente se digerem: o Sporting conseguiria vencer o jogo nos descontos. Mas esteve muito, muito perto de perder dois pontos por causa de um lance aberrante que, com o recurso à tecnologia, seria anulado com enorme rapidez.

O erro faz parte do futebol, sim. E às vezes dá muito jeito... para alguns.

23 comentários :

  1. Ponto 1:

    Ora... Temos que aceitar os erros de um árbitro sem ajudas, porque errar é humano. Para o provar, apontam-se os erros de um auxiliar vídeo que é operado por... humanos?

    Ponto 2: claro que o que eles estão contra é de retirar poder da mão de uma série de árbitros, meninos queridos, que lhes deu tanto trabalho a promover até onde os podem beneficiar.

    Ponto 3: todos sabemos que os comentadores, como o Ribeiro Cristóvão e os outros marretas e pasquins vivem de noticiar tragédia, real ou fictícia. Todos sabemos que os principais consumidores de lixo noticioso, neste caso, desportivo, são lampiões acéfalos, profundamente infelizes numa vida de merda, que só sentem alívio a ler que os outros estão piores que eles.

    No caso desportivo, se aparecer que há tragédia no Sporting, uns bons milhares (os que sabem ler) correm a comprar A Bola para ler sobre isso. Se for um roubo de catedral, em vez de se envergonharem, até ficam felizes e fazem campanhas publicitárias a gozar com o roubo da verdade desportiva.

    Portanto, tudo o que esteja mais longe de favorecer este estado de coisas cá no nosso futebolzinho, é bastante mal visto. Como o VAR.

    Outro exemplo é que o castigo a Bruno de Carvalho por uma cuspidela que se provou não ter acontecido, mas que rendeu 6 meses, obteve mais destaque que o caso dos vergonhosos mails carnidenses.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao contrário dos avençados encarnados, ou da malta que recebe o RSI, há quem tenha que trabalhar e não possa passar a vida aqui.

      Mas leio quando tenho oportunidade.

      Adoro ver como vos sodomizam constantemente aqui nas caixas de comentário.

      P.S.:Benfica é merda. :)

      Eliminar
  2. O argumento do Cristovão - e outros - é uma palhaçada. Não só porque é totalmente estupido mas especialmente porque permite isto. Permite que se ignore qualquer outro argumento e se encha posts, e tempo de discussão a derrotar um argumento que cai sozinho.

    ResponderEliminar
  3. Mas é exactamente isto que digo do VAR... não vai acabar com o erro... nem com o gamanço premeditado... mas no caso da roubalheira, já terão que ser muito mais descarados, já que não vão poder dizer que [ainda] não dispõem das mesmas condições do espectador em casa, ou do comentador no estúdio... passam a ficar comprometidos com os seus actos, ou ausência deles!

    ResponderEliminar
  4. Este mestre é um artista.
    E então o VAR no segundo golo do Sporting não actuava?
    João Pereira faz um lançamento metro e meio dentro do campo. Era o suficiente para o lançamento ser mal executado e ser dada a bola ao Tondela.
    Quanto ao lance em questão, a mão do jogador do Tondela é perfeitamente casual, pelo que o VAR não mudava a decisão.
    Resultado sem VAR: 1-2
    Resultado com VAR: 1-1

    Já esta época no SportingXSetúbal
    Resultado com o vosso VAR: 1-0
    Resultado com um VAR neutro: 0-0

    #pelaverdeadedesportiva
    #verdeoarbitro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tu és atrasado mental. só pode... e os outros dois penaltis antes? não contam?

      #retardadobenfiquista
      #oexemplodaespécie

      Eliminar
    2. Oh minha bestinha cornuda... se o VAR anulasse o 2º golo ao Sporting, anularia o 1º do Tondela, não achas?! Achas mesmo que o resultado com VAR ficaria em 1-1?!

      Eu fico com uma tremenda vontade de rir quando leio as cagadas que tu e outras lã-parinas escrevem, mas depois lembro-me que pode ser doença... pode, não, será com toda a certeza!

      PS - carnide com um VAR normal, a lutar pela UEFA...

      Eliminar
    3. Ó rudulfina sua besta amestrada!

      O pé do João Pereira mmetro e meio dentro do campo sua besta? Está dentro do campo, é verdade, junto à linha, aconselho-te a ir calibrar as lentes...

      Quanto aos "juízos" de jogar bolas com a mão, pelo menos vais sendo coerente, Pizzi e Nelson Semedo tmbém não jogaram, para ti a bola com as mãos.

      #pelocaralhoquetefoda

      Eliminar
    4. Caldo Dushe, meu Gayleão, golo do Tondela válido, 2º golo do Sporting inválido, logo 1-1.
      Para argumentares (pois tu só sabes insultar, não tens a mínima capacidade argumentativa) convém leres o meu comentário até ao fim, principalmente onde digo "João Pereira faz um lançamento metro e meio dentro do campo. Era o suficiente para o lançamento ser mal executado e ser dada a bola ao Tondela."

      Eliminar
    5. O fora de jogo tambem conta como casual?

      Eliminar
    6. Ahahahahahahah! Só mesmo um atrasado mental como tu, minha bichona histérica, para considerar o "quadruplamente" ilegal golo do Tondela como... legal! Ahahahahahahahahahahah!

      lã-pião, roto e bruto que nem uma porta... nem uma experiência biológica conseguiria alcançar tal nível de degeneração...

      PS - quanto aos "insultos"... não leves [tão] a mal... são uma simples réplica aos insultos à nossa inteligência que tu, e demais rabolhos carnidenses, prepetram a toda a hora, aqui...

      Eliminar
  5. Mas esse não foi o jogo em que "vocês" acabariam por ganhar com um golo, nos últimos minutos, marcado a partir de um lançamento de linha lateral em que o "vosso" jogador tinha os pés dentro do campo?

    Citando um ilustre conhecido: "O erro faz parte do futebol, sim. E às vezes dá muito jeito... para alguns."

    (Disclaimer: Este meu comentário não é provido de ódio/raiva. É apenas uma "boca" que um Benfiquista mandaria aos seus AMIGOS Sportinguistas numa conversa deste género! :) )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou seja, para ficar 1-1 o golo do Tondela em fora de jogo devia contar, mas o nosso lançamento que dá o penalti nao devia.
      Ou seu comentário resume a logica lampiã na perfeição.

      Eliminar
    2. Diria apenas que houve um erro para cada lado em cada um dos golos!

      Não quero ir buscar teorias da conspiração que, salvo raríssimas excepções nunca são provadas.

      O blog não é meu, sigo-o há algum tempo e hoje apeteceu-me comentar e o meu comentário resume-se apenas a isto: brincar com um Sportinguista que num jogo em que há um erro contra e um erro a favor...apenas refere o erro contra :)

      Nem comentei nada sobre o vídeo mostrado no post (que na minha opinião é ilegal mas perfeitamente aceitável (SEM VAR!))

      Daí que citei o nosso ilustre conhecido: "O erro faz parte do futebol, sim. E às vezes dá muito jeito... para alguns."

      O erro do vídeo deu jeito ao Tondela (directamente) e a todos os que lutavam com o Sporting;
      O erro do lance do vosso golo no final do jogo deu jeito ao Sporting (directamente) e a todos os que lutavam com o Tondela (muito menos mediáticos, claro!).

      Eliminar
    3. Já o primeiro golo esse desaparece da analise com um pó de pirlimpimpim e dá empate porque sim.

      Ele há com cada um!

      Eliminar
  6. Mestre de Cerimónias
    É um prazer e um gosto ver novamente tua escrita.
    Faz falta alguém que, de forma séria e construtiva defenda o nosso clube. E que não dê descanso a quem todos os dias menospreza o caminho da verdade e da igualdade dentro das quatro linhas. O SCP precisa de pessoas atentas e que não deixem cair no esquecimento a história a que terceiros nos quiseram empurrar.

    Mas seria importante, numa perspectiva construtiva, e sabendo que faltam 14 dias para o fim do período de transferências, o Mestre poder dar a sua opinião sobre o período desportivo que atravessamos... Em 3 jogos oficiais não perdemos mas não conseguimos entusiasmar, ainda estamos na luta por um objectivo da época mas será mais difícil concretizá-lo, fizemos 9 contratações e dispensamos outros mas continuamos sem opções no banco, não sabemos com quem podemos contar dos habituais titulares no dia 1 de Setembro ou o cúmulo de termos um jogador que é titular da Selecção que não sabemos se podemos por a jogar ou não, em vez de consolidar um estilo de jogo de um treinador que está à 3 anos estamos a definhar no objectivo colectivo de construção, ver jogadores que mostraram que devem ser titulares (Bruno Fernandes) e não terem a oportunidade para não estragarem outro negócio (Adrien)....

    Sei que são muitos assuntos, sei que no post de ontem mencionou algumas lacunas sectoriais, mas gostaria muito de perceber a sua opinião sobre a politica e direcção desportiva : Presidente e Director Desportivo, Treinador e Equipa.

    Não pretende que seja um profeta da desgraça, mas como bom Mestre de Cerimónias, pudesse indicar o caminho.

    Bem haja Mestre

    ResponderEliminar
  7. Caro Mestre,
    Onde estaria o Ribeiro Cristóvão caso os erros não pudessem ser discutidos durante semanas?
    Está "apenas" a segurar o poiso!
    SL
    DGBR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Correcto, onde estariam ele e os outros 300 comentadores nacionais?

      Eliminar
  8. Erro (e crasso) é dar tempo de antena a jumentos como o Ribeiro Cristóvão que têm de tudo menos imparcialidade, são esta espécie que se vende por um copo de vinho.

    Alguém diga a este comentarista e não comentador, que o errar faz parte do futebol como na vida, por isso mesmo tentamos evoluir para que se comentam menos erros... Errar é natural, inclinar campos sempre para os mesmos e depois quem tem direito de antena e quem manipula a opinião pública deitando areia para os olhos, e às vezes ridiculamente justificando o injustificável é que não é natural.

    Concluindo os Ribeiros Cristóvãos da nossa comunicação social são eles próprios o exemplo como é errado dar-lhes "faladura". Estes senhores precisavam de um(a) VARridela!

    ResponderEliminar
  9. O erro faz parte e dá um jeito do caraças para decidir quem ganha ou não um campeonato.

    https://www.youtube.com/watch?v=7pEMQIpCezQ

    Por um ponto se ganha por um ponto se perde mas é só um erro e o que é isso se faz parte?
    Curiosamente o apitador é o joão ferreira, o vice que rege o VAR.

    Mais um erro que decide

    https://www.youtube.com/watch?v=vdAw9usmbaM

    Cuirosamente os comentários são do mesmo canal do desse walking DREAD .

    Não menos curioso é o apitador, o lucilio que também hoje em dia esta ligado ao VAR.

    É so curiosidades e coincidências no futebol do erro que faz parte do portugalzinho onde quem anda errado é quem tenta ser sério.


    ResponderEliminar
  10. O Var um dia pode jogar contra ti. Veremos como te comportarás no futuro se essas situações começarem a ser frequentes.

    ResponderEliminar
  11. Eu sou cem por cento a favor do uso de tecnologia no futebol. Em qualquer circunstância, piorar não piora. Mas tentarei manter a coerência.

    ResponderEliminar