quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Não era dia para tragédias gregas

Num jogo que teve duas partes completamente distintas, com um nível exibicional que começou num registo sublime e terminou de forma displicente e quase descontrolada, é normal que surjam sentimentos contraditórios em relação a como devemos encarar uma vitória tangencial frente ao Olympiacos. Para mim, este é um caso em que a parte boa da exibição (e que boa que foi!, e que durou praticamente todo o jogo) pode e deve ser elogiada bem para além das críticas que possam ser feitas ao que aconteceu nos minutos finais. Assustámo-nos todos, muitos de nós certamente praguejaram ferozmente quando os gregos marcaram o segundo golo - God knows I was one of them - mas, analisando a frio, a vitória do Sporting nunca esteve em causa. Acredito que, noutros tempos, poderia ter ocorrido uma singularidade cósmica que levasse a que o jogo acabasse empatado, mas o Sporting desta época já desafiou, por diversas vezes - e sempre com sucesso! -, aquela fatalidade que é tão própria do clube. Convém não abusar da sorte, claro, mas para já merece ir sendo desfrutado.




Primeira parte avassaladora - os primeiros 45 minutos estiveram, seguramente, ao nível do melhor que já vi o Sporting fazer nas competições europeias. Não poderíamos desejar melhor começo: aos dois minutos, Acuña faz um cruzamento açucarado para Doumbia - os mesmos dois jogadores já tinham desenhado o primeiro golo em Bucareste -, e estava lançado o mote para o que seria o jogo até ao intervalo. Para além dos golos de Gelson e Bruno Fernandes, o Sporting dispôs de mais quatro ocasiões flagrantíssimas para marcar: bolas ao ferro dos mesmos Gelson e Bruno Fernandes e duas oportunidades negadas a Doumbia e Coates por Kapino. Um festival de bem defender e bem contra-atacar que poderia (e merecia) ter gerado números históricos ao intervalo.

Excelente começo de Champions - para além dos 3 pontos e do milhão e meio de euros que caem na conta (o que eleva para 16,2 milhões + bilheteira com o Steaua os ganhos na competição, que antecipa um recorde no Sporting), o Sporting conseguiu colocar-se em excelente posição para garantir o terceiro lugar do grupo e poder continuar na Liga Europa na segunda metade da época. Mas essa não deve ser a bitola por onde alinhar: o terceiro lugar pode ser o lugar natural no final da fase de grupos, mas há condições para ambicionar surpreender Barcelona e Juventus nas partidas que se seguem. Estes três pontos poderão dar alguma tranquilidade extra, que será bastante necessária contra adversários que estão, obviamente, noutro patamar. 

Ameaças múltiplas - longe parecem ir os tempos em que Dost era o único abono de família da equipa. Doumbia foi titular pela segunda vez, e pela segunda vez correspondeu com o sempre importante golo inaugural da partida - e ainda fez a assistência para Gelson. Bruno Fernandes voltou a fazer o gosto ao pé, e já leva cinco golos marcados, os mesmos que Dost e Gelson. Acuña tem sido o municiador de serviço, contando já com cinco assistências. Falamos de cinco jogadores que têm colocado com enorme frequência (em função da sua utilização) a sua marca nos jogos em que participam. Junte-se a isto a possibilidade que, agora, Jesus tem para abordar os jogos em função das características dos adversários: Doumbia é alternativa para jogos com mais espaço nas costas da defesa adversária, enquanto Gelson e Acuña parecem cada vez mais confortáveis a jogar no flanco oposto. E a versatilidade e imprevisibilidade de Bruno Fernandes é uma adição de que o Sporting muito precisava. Tudo somado, o Sporting fica uma equipa bem mais difícil de ser contrariada. Esperemos que a equipa continue a evoluir como até aqui.

Seria injusto não referir - excelentes exibições de William (que supostamente devia estar desmotivado e cabisbaixo) e Battaglia. E a assistência de Coates para o golo de Bruno Fernandes? Minha nossa...



Novamente, dificuldades em gerir um resultado tranquilo - o Sporting jogou praticamente toda a segunda parte sem grandes pressas, dando poucos espaços no seu meio-campo e parecendo - compreensivelmente - pouco interessado em esticar o jogo. Parecia estar a gerir o resultado de forma bastante competente e tranquila... até que começaram a aparecer os erros individuais não forçados que podiam ter deitado tudo a perder. É certo que, nesse mesmo período, Dost ainda atirou a terceira bola ao ferro e Bruno César teve um golo incompreensivelmente anulado, mas... não devíamos ter sofrido tanto. O mais preocupante é que não é a primeira nem a segunda vez em que o Sporting quase desperdiça vantagens confortáveis: é o terceiro jogo consecutivo em que acabamos de credo na boca após termos estado a vencer por dois ou mais golos. Não se pode atribuir ao acaso e às incidências de jogo algo que se tem repetido com tanta frequência. Cansaço físico? Falta de concentração? Seja o que for, é um problema que tem de ser tratado urgentemente.



Vitória importantíssima que pode ajudar a lançar uma participação interessante nesta edição da Liga dos Campeões, mas que ainda não garantiu nada. Apesar do susto final, pela qualidade demonstrada durante a maior parte do tempo, devemos desfrutar desta vitória e não desatar a anunciar um apocalipse iminente. No entanto, alerta máximo para a receção ao Tondela, uma equipa a quem nunca ganhámos em Alvalade.

33 comentários :

  1. Primeiro que tudo é como Jesus bem o referiu, elogie-se mais uma excelente Vitória do Sporting na Champions, a segunda consecutiva fora de portas, algo que não me recordo nunca de ter visto ser conseguido pela nossa equipa, alicerçada numa exibição de gala nos primeiros 45 minutos, onde os contra ataques foram gizados de forma brilhante.
    Deixa muita curiosidade relativamente ao que conseguiremos fazer frente aos favoritos Barcelona e Juventus (esta última principalmente).

    Infelizmente continuamos a ir do Excelente ao Péssimo com muita facilidade e há jogadores que perdem a concentração de forma inesperada.
    Jonathan teima em dar razão a quem nele não vê solução credível para a equipa, mas surpreendentemente negativa foi mesmo a exibição do Rui, algo a que não estamos mesmo nada habituados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É raro mas já aconteceu...em 2007/2008, salvo erro.
      Vitórias na Suíça, em Basileia e vitória na Ucrânia, em Donetsk.

      Eliminar
    2. Toda a razão caro Fernando, foi em 2008/09.
      Fomos derrotados em Barcelona e vencemos de seguida em Donetsk e Basileia.

      Eliminar
  2. Muito boa primeira parte!

    Quanto ao descontrolo final (e outros descontrolos que já se viram), não vale a pena estar a comparar porque não têm as mesmas razões.

    Sporting X Steaua: Um jogo que foi francamente mau. Também acontece haverem jogos maus, ás vezes por razão absolutamente nenhuma.

    Estoril X Sporting: A descompensação final deveu-se ao cansaço da equipa. A partir dos 60m estava tudo roto e a pedir para sair. Não é justo estar a culpar os jogadores por aquele sofrimento todo, aliás a capacidade de sacrifício que tiveram foi espantosa. Nem dá para culpar o Jota, porque era a equipa toda que estava rota, e ele nunca poderia ir para um jogo destes e mudar metade de uma equipa que já de si é também ela metade nova.

    Setúbal X Sporting: As dificuldades deveram-se ao estilo de jogo do Couceiro, que a sabe toda contra o Sporting, aliás contra todos os grandes. Sabe montar o autocarro como ninguém. Também houve perdidas fantásticas, mas isso faz parte do jogo.

    Olympiacos X Sporting: O descontrolo final deveu-se ao pensarem que o jogo estava feito e adormecerem completamente nos 15m finais. Já se tinha visto que estavam em modo praia há muito tempo com tanto falhanço na primeira parte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas ontem também havia vários jogadores em dificuldades físicas, começando pelo Gelson, Acuña e Bruno Fernandes. Já não havia discernimento com a bola no pé.

      Eliminar
  3. O culpado dos 2 golos sofridos foi, diretamente, Jonathan Silva.

    ResponderEliminar
  4. Bom dia.
    A sua nota final está excelente, caro MdC.
    Deixo aqui o link que mostra bem o que é o EL.
    SL

    http://egolo.com.pt/jornalista-da-sport-tv-eles-tem-de-conseguir-cavar-um-penalti/

    ResponderEliminar
  5. Foi um excelente jogo do SCP durante 88 minutos. Os últimos minutos foram o habitual nestes primeiros jogos desta época e, é algo que urge corrigir.
    Controlar o jogo é com bola sff.

    Sempre acreditei no potencial de Jonathan Silva, afinal de contas é internacional Argentino e, um jogador muito apreciado na Argentina mas, com estas exibições torna-se difícil defendê-lo. Espero que evolua senão é melhor sair em Janeiro e irmos ao mercado buscar uma alternativa.

    No outro flanco quem me tem surpreendido nos últimos jogos é Piccini. Tem melhorado a olhos vistos.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tinha grande confiança no Jonathan... não fez grande sentido o empréstimo para a Argentina, certamente que não aprendeu muito mais enquanto esteve por lá. Basicamente recuperámos o mesmo jogador que dispensámos dois anos antes, apenas está mais velho...

      Eliminar
  6. Como estou meio adoentado e me apetece pouco escrever, direi somente que no primeiro golo do Sporting existe uma carga descarada na pequena área do Coats sobre o guarda redes Olympiaquense, não assinalada pelo árbitro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depois de ler o teu comentário só me ocorre dizer o seguinte :
      Não estás doente pá... ÉS DOENTE!

      Eliminar
    2. acalma lá a azia lampião, para a próxima fazem melhor!

      Eliminar
    3. É natural que não te apeteça escrever, aqueles matulões russos bem podiam ter usado vaselina...

      Quanto ao Coates...

      Eliminar
    4. Eheheheh.

      Agora volta para a toca, sff.

      Eliminar
    5. (cantar na melodia da "Vida de Marinheiro")

      Esta vida de avençado
      Está a dar cabo de mim
      Romporom-porom-porom-porom-porom-porom-pari!

      Eliminar
    6. É à saída da pequena área, logo é indiferente o contacto. Mas obrigado por participares e confirmares a tua ignorância em tudo o que é futebol.

      Já agora, a tua mãe?

      Eliminar
    7. O Olympiaquense já pregou ao teu reles clube 5-1.

      Eliminar
    8. Não há qualquer falta pois o redes está fora da pequena área.

      Já agora houve um penalti bem assinalado no jogo benfica CSKA por mão do Maradona de Loures. Os negadores da realidade dizem que não é penalti porque é contra o benfica e cá os padres não marcavam.

      Ridiculos

      Eliminar
    9. Apesar de ainda estar meio adoentado, vou tentar responder.
      Com que então, fora da pequena área?
      https://www.sogolo.pt/20296/resumo-olympiacos-2-3-sporting-liga-dos-campeoes/
      Se o Coats não joga a bola e se carregou o guarda redes, fora(com os vossos óculos) ou dentro, não é falta à mesma? Só fez obstrução ao guarda redes, impedindo-o de disputar a bola com o Doubia.

      Eliminar
  7. Que prazer é ver este Sporting jogar <3 ADORO :D Nunca mais é sábado :D

    P.S Recuso-me a focar hoje nos 2 golos sofridos. Penso que a equipa técnica saberá que estamos a ter problemas em gerir o jogo quando ele tá ganho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero é que saibam fazer o diagnóstico correto. Não faz sentido colocar toda a responsabilidade nos jogadores e não ver que muitas das substituições pouco têm acrescentado.

      Eliminar
  8. Acho que os primeiros 15/20 min da 2a parte foram muito bons o descalabro veio depois, por falta de concentração e atitude competitiva ate ao fim, e ja agora, por falta de melhores alternativas no banco.
    É injusto n referir nas notas positivas as exibições do Coatese do Piccini ( acho que n perderam um único duelo individual). Nas negativas falta referência ao J.Silva... confirmou-me que n é solução aceitável para DE, ainda para mais qdo o titular tem o historicode lesoes do Coentrao. N esquecendo que o F.Coentrao para ano vai embora. É preciso ir ao mercado em janeiro, pois n me parece que o Empis e o abdu conte estejam prontos. Aproveitem a boa relação com o porto e vao la buscar o Layun ou o Rafa Soares. SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gostei do Piccini, defensivamente. Muito útil para este tipo de jogos.

      Eliminar
  9. ajudem o hugo gil... há 17 horas que não tem internet.

    eu vou acender uma vela.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o miguel almada enviou-lhe uma receita de salada russa ontem... pode estar dedicado à culinária ;)

      Eliminar
  10. Advinhava-se uma paragem cerebral colectiva com tanta displicência na segunda parte. Comprava este resultado sem ver o jogo, no entanto, estar a ganhar 0-3 aos 85m e acabar o jogo com 2 golos no bucho deixou-me verdadeiramente angustiado. Quem não se lembra das derrotas "last minute" do ano passado na champions ou mesmo o 3-3 com o Guimaraes? Aceito a gestão do jogo e do resultado, agora aquilo foi mau.

    Ainda assim, orgulho pela vitória e pelas mensagens recebidas dos meus colegas (vivo em Barcelona) de respeito por uma vitoria categorica. Estou com JJ, a ver quem vai lá ganhar ou marcar 3 batatas...

    ResponderEliminar
  11. Boa tarde Mestre.

    Mais uma vez estou feliz da vida ;), que grande jogatana o NOSSO GRANDE AMOR realizou ontem em Atenas!

    Como tinha escrito aqui neste espaço após termos conhecimento da composição dos grupos, afirmei que teríamos hipóteses de nos classificarmos em terceiro lugar, pois já tinha assistido ao jogo do Olympiacos com o Rijeka para ver como era o nosso Ristovski, e notei a equipa grega bem ao nosso alcance. Os gregos têm sim mais traquejo europeu e jogar em Atenas nunca foi e nunca será fácil, pois o ambiente é bem intimidatório para quem os visita e aí o SPORTING teria (e foi) que ser corajoso.

    Realizamos uma primeira parte de sonho, talvez ao mesmo nível de Madrid, se tivéssemos saído para os balneários com um 0-5, não espantaria ninguém, tal a "sopa de bola" que demos!

    Na segunda parte controlamos a espaços o resultado, mas sempre com a impressão que a equipa não se sente confortável neste aspecto do jogo, vejo um SPORTING cheio de jogadores com muita experiência internacional mas que não conseguem "congelar" o jogo! É um contra senso, e aí JJ tem de saber trabalhar o plantel e treinar psicologicamente estes atletas, pois não podemos andar 70/80 minutos em alta rotação (não há quem aguente)!

    Penso que demos um passo de gigante, para em fevereiro de 2018 continuarmos a fazer jogos europeus, tudo o que vier por acréscimo será bem vindo, nada dentro deste grupo nos obrigará a mais...

    PS: uma ressalva para os comentadores da RTP que pareciam gregos a comentar um jogo de uma equipa portugesa, e outra palavrinha para o nosso querido Luís, que vá urgentemente ter com o Paulo Gonçalves para que este faça descer a nota do árbitro espanhol... (quem com ferros mata, com ferros morre)!

    Para os cartilheiros e avençados da paróquia carnidense, ontem o tema era: "O carnide quase ganhou!" e o SPORTING "quase perdeu... ao fim", a isto chamo ESTUPIDEZ PURA!

    QUELA CHUPEN Y LA SIGUEN CHUPANDO!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao intervalo até podia estar 7-0, se fossemos 100% eficazes nas oportunidades flagrantes... :)

      Eliminar