quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Jognalistas: João Sanches

Ler artigos de opinião no jornal O Jogo é um exercício interessante: tanto nos podem calhar textos elogiosos que quase ensopam o leitor tanta é a baba que se imagina a escorrer dos cantos da boca do cronista, ou textos que provocam tonturas a quem lê devido aos vapores venenosos que destilam das críticas feitas a determinadas figuras.

João Sanches é chefe de redação do jornal O Jogo. Ontem escreveu um artigo de opinião que fala sobre a saga dos laterais esquerdos do Benfica. Tudo bem, é um tema relevante que tem muito para comentar. No entanto, irritou-me mais uma vez as indiretas rascas e as adjetivações sarcásticas que deveriam estar ausentes num artigo de opinião de um jornalista que, segundo o código deontológico da sua profissão, deveria ser isento e equilibrado.

Neste artigo poderemos encontrar coisas como "rejeitar a hipótese de dar uma 'goela' a Capdevila" ou "Então como agora, o lateral-esquerdo era o elo mais fraco da equipa, um verdadeiro maná para os adversários", ou "A plateia encarnada, ávida de (bons) resultados, não leva a mal. Pelo contrário, até aplaude de pé.".

Até pode ser verdade que Cortez seja mau a defender, mas até agora não teve responsabilidade direta em nenhum dos golos sofridos pelo Benfica no campeonato. Será que justificava esta apreciação tão categórica de João Sanches?

Podemos encontrar outras pérolas como "com Pedro Mendes, mais um miúdo da casa, a fazer uma espécie de manguito" ao falar sobre os casos das renovações de Ilori e Bruma, ou "é natural que os adeptos do Norwich já se vão rindo de quem alinhou na 'pechincha'" sobre a venda de Van Wolfswinkel, ou ainda "Franky entra sem medo num clube que, pelos resultados no futebol, tresanda a fracasso." sobre a entrada de Vercauteren no Sporting.

No site de O Jogo estão disponíveis 9 crónicas de João Sanches, escritas desde Setembro do ano passado. Destas 9, há uma que não fala de nenhum clube em particular. As restantes 8 falam de Benfica e Sporting, genericamente a falar mal. Se em alguns casos se entende perfeitamente, noutros as críticas parecem completamente forçadas.



Eu compreendo que existam pessoas que, quando escrevem, preferem escolher temas para criticar e não para elogiar. Tanto compreendo, que quem olhar para o histórico deste blog (que ainda é tão recente) pode ver que eu sou uma dessas pessoas. 

Mas será que o jornalista João Sanches só pode falar mal de lampiões e calimeros? Não terá encontrado nada de criticável ao longo de um ano noutras paragens?

Sem comentários :

Enviar um comentário