quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

As teorias mirabolantes de Rui Santos #2: Leonardo Jardim no Porto

Nota prévia: alterei o nome do post de ontem sobre a teoria de Rui Santos sobre Luís Filipe Vieira para "As teorias mirabolantes de Rui Santos #1: Vieira prepara saída do Benfica".

Vamos então ao episódio de hoje.

No programa Tempo Extra a 28 de Novembro de 2013, após o empate entre o Porto e o Nacional para a 10ª jornada, Rui Santos comentava a posição frágil em que Paulo Fonseca se encontrava.


(vídeo: 1m09s; retirado do canal do youtube Fernando Pereira)


Conclui-se, portanto, que é só uma questão de o Porto querer. Esqueçam a vontade de Leonardo Jardim, a capacidade desta nova direção defender os interesses do clube, e o contrato assinado entre as duas partes. Pinto da Costa estala os dedos e o mundo passa a girar no sentido que lhe der mais jeito.

8 comentários :

  1. Portanto estamos a fazer o tirocinio do Leonardo Jardim.

    O facto de estar satisfeito no Sporting, de lhe darem condições de ser pago a tempo e horas não conta para nada, basta o Pinto estalar os dedos e ai vai ele.
    Ah ah ah

    Que anormal, porquê que não diz o mesmo do Jesus? Aliás porquê que o Pinto não foi buscar o Jesualdo de novo.

    Recordo que para estes comentadeiros o Leonardo Jardim era uma opção de risco e a manutenção de Jesualdo a única alternativa para o SCP.

    É para vermos a tristeza de gente que deabula pelas pantallas portuguesas sem capacidade opinativa. Isto são teorias de café e nada mais. Mais uma semana e entra em cena o mito dos 14 milhões.

    É verdade o Vieira já preparou a saida do Benfica? Não era essa a teoria de há dois dias atrás? Só acho estranho que Vieira queira sair e tenha alterado os estatutos de forma a que só ele seja eleito.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Green Lantern, se o Rui Santos dissesse isso do Jesus, muitos adeptos benfiquistas aproveitariam para pôr o seu treinador numa caixinha bem apresentada, com um laçarote vistoso, e deixavam-no à porta do Estádio do Dragão. :) Não seria suficientemente polémico para o Rui Santos...

      Eliminar
  2. So gostava de saber se estas ideias lhe surgem quando esta a dormir, se alguem lhe supra aos ouvidos ou se por outro lado é so para criar polemica para o seu programa ter alguma audiencia.
    Eu aposto na 3.

    ResponderEliminar
  3. Se me permitem o humilde contributo gostaria de mudar o titulo do post para :
    AS TEORIAS DELIRANTES DE RUI SANTOS (mais conhecido pelo prof Marcelo do futebol...) . Chiça penico... que até estou incomodado com tanta burrice num vídeo de apenas 1 m e picos. Por esta e outras semelhantes é que não perco tempo com estes teóricos do desporto
    Sobre o mesmo, nem merece comentários, até porque seria uma total falta de respeito para com o treinador do SCP estar a comentar tamanha estupidez.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, o título "As teorias delirantes de Rui Santos" foi uma das 3 hipóteses que estive a considerar. As outras duas eram "mirabolantes" e "fantasiosas".

      Acabei por não ir pela opção dos delírios porque acho que ele está bem consciente quando decide mandar estas pérolas cá para fora... :) É o estilo dele, e pelos vistos a SIC gosta disso.

      Um abraço.

      Eliminar
  4. O Rui Santos vale o que vale (IMHO muito pouco), mas a Comunicação Social tem fidelidades que cada vez são mais claras e, por isso, estas atoardas visam tão só criar desestabilização nuns (na maioria das vezes no Sporting) e criar condições para que os protegidos possam reinar para sempre.

    Para a Comunicação Social primeiro está a desestabilização dos que podem causar prejuízos (Sporting à cabeça), de seguida o engrandecimento das realidades do slb e do fcp, para finalmente termos o branqueamento de tudo aquilo que possa ser interpretado como gestão danosa do slb ou do fcp (basta pensar numa simples conta de deve/haver do slb e fcp com os valores propagandeados das vendas das suas pérolas para perceber que algo está muito errado). Na mesma senda surgem as atuações dos APAF, protegidos por aquela máxima branqueadora de que no fim, o balanço entre o que se ganha e o que se perde equilibra-se.

    Só assim se compreende que assistamos a situações dúbias por parte das arbitragens que ninguém comenta nem dúvida da sua bondade, considerando já tudo normal.

    Um pouco off-topic gostaria de referir que ainda ontem no Porto- Penafiel, com esse grande amigo Duarte Gomes passou-se algo estranho. Não vi/li nada sobre isto. Se calhar não interessa, na linha dos branqueamentos que referi

    De acordo, com o que ouvi na Antena 1 em direto o jogo foi interrompido com 1-0, porque chovia muito. Os radialistas diziam que sim chovia muito, mas que uma decisão destas significaria que a maioria dos campeonatos não se realizasse. O repórter que estava na mesma altura no Rio Ave até gozava com a situação.

    Meia hora depois e sem já encontrar dificuldades no terreno (mais fácil de jogar, menos propenso a faltas, etc.. – vd. considerações do Joaquim Rita sobre o inverno e o Sporting) e após uma segunda palestra do treinador, o Porto ganha por 4-0, mais um golo do que o Sporting tinha obtido na véspera.

    Será que isto é normal? Nem sequer uma dúvida?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AMendes, na minha opinião (e creio que na opinião de quase todos os que seguem o fenómeno futebolístico) as linhas editoriais dos jornais estão claramente orientadas para carregar ao colo determinados clubes. Não quer dizer que todos os jornalistas que lá trabalhem possam ser colocados no mesmo saco (há alguns nos vários jornais de quem tenho uma boa opinião), mas as direções é que definem o rumo e todos têm que marchar de uma forma ou outra atrás do líder.

      O Rui Santos defende apenas o Rui Santos. Não poupa críticas a nenhum clube. A favor dele está o facto de ter coragem para dizer coisas que mais ninguém diz. Às vezes com razão, muitas vezes de forma completamente absurda. O que lhe interessa é ser polémico para continuar a ter audiências.

      Em relação ao Porto - Penafiel, aquela interrupção de facto deu um jeitaço ao Porto. É verdade que o relvado estava em muito más condições e não havia condições para se jogar com um mínimo de qualidade. Para além disso houve um painel publicitário que se soltou para dentro do campo, arrastado pelo vento, e que podia ter acertado num jogador -- isso foi efetivamente perigoso.

      Não me choca que o jogo tenha sido interrompido, mas lembro-me de ver muitos jogos (inclusivamente alguns em que estava no estádio) em que o terreno estava tão mau ou pior e ninguém se lembrou de interromper o jogo. É o grande problema do futebol em Portugal, há regras que se aplicam apenas a uns e não a outros.

      Eliminar