quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Balanço das arbitragens: 1ª jornada

Nunca vi uma análise global ao impacto que as arbitragens têm no decurso de um campeonato. Admito que é uma coisa muito complicada de se fazer. Rui Santos tem a liga da verdade, mas nunca percebi muito bem os critérios que utiliza para determinar os pontos que acha que os grandes deviam ter. Para além disso é limitador dizer que uma equipa devia ter x pontos a mais ou a menos, já que não é impossível saber os efeitos que uma boa decisão ou uma decisão que deixa dúvidas teria no resto do jogo. Quando há um erro do árbitro, os efeitos na verdade desportiva podem ser muito diversos, nomeadamente em função do resultado que havia no momento do erro e, já agora, do tempo que falta para o jogo acabar.

Outra coisa que nunca é analisada é a tolerância que os árbitros têm para o antijogo dos adversários dos grandes. É difícil medir isto. O número de faltas assinaladas e o rácio para os cartões mostrados poderia ser uma, mas não há na internet nenhuma estatística das faltas cometidas e sofridas por cada equipa. Outro indicador relevante é o momento em que os cartões amarelos são mostrados. Se o árbitro começa a punir cedo equipas que fazem muitas faltas, isso terá certamente um efeito muito diferente do que se guardarem os cartões no bolso até perto do final. Por isso vou separar os cartões mostrados até aos 10 minutos da 2ª parte. Depois dos 55 minutos é um bocado indiferente, porque entramos na altura típica de substituições e um treinador não terá grandes problemas em substituir um jogador que tenha grandes hipóteses de ser expulso.

Finalmente, o critério que cada árbitro tem para diferentes grandes. Mais uma vez, é difícil retirar conclusões pois cada jogo tem a sua história, mas estatísticas acumuladas árbitro / equipa podem mostrar algumas tendências.

Com base nas estatísticas dos jogos, vou a partir de agora agrupar e acumular valores por equipas e árbitros / equipas. Pode ser que alguma tendência se possa perceber.

A parte complicada disto é determinar o que é ou não um erro crítico de arbitragem. Muitas vezes é difícil, mesmo recorrendo a inúmeras repetições, perceber se o árbitro errou ou não. Para além disso  as preferências clubísticas de cada um também têm a tendência de levar a diferentes julgamentos do mesmo lance. Eu vou fazer os meus julgamentos, a frio (daí que estes posts sejam feitos alguns dias depois) e vou basear-me nos casos que o "Dia Seguinte" vai apresentando, o que não me impede de acrescentar algum lance que não tenha sido discutido.

A conversa vai longa, por isso vamos à 1ª jornada. Relembro que, para o bem ou para o mal, esta é a minha visão sobre os lances. Posso estar enganado e posso ser convencido, com os argumentos certos, a mudar de opinião.

Sporting 5-1 Arouca (Rui Costa)
28' - Penalty sobre Montero - não é possível ter a certeza pelas repetições, em ambas o braço do defesa do Arouca está tapado pelo corpo de Montero
=: Decisões de arbitragem nos lances críticos não tiveram influência no resultado final

Marítimo 2-1 Benfica (Jorge Sousa)
44' - Penalty de Artur sobre Derley - decisão correta, o GR impede o avançado de chegar à bola
44' - Cartão amarelo para Artur - decisão correta, a bola estava a desviar-se para uma zona mais lateral e não justificava a exibição do cartão vermelho
90'+3 - Penalty sobre Lima - decisão correta, não consegui ver qualquer toque que provocasse a queda de Lima, com bons ângulos de repetições
=: Decisões de arbitragem nos lances críticos não tiveram influência no resultado final

Setúbal 1-3 Porto (João Capela)
4' - Remate de Jackson é retirado sobre a linha de golo - não é possível ter a certeza pelas repetições
21' - Penalty sobre Licá - decisão correta, o jogador sente o contacto e deixa-se cair
47' - Penalty sobre Jackson - decisão correta, Jackson cai um bocado em câmara lenta mas o toque do adversário na sua perna de apoio (seguido de tentativa de tesoura) parece ser falta
49' - Expulsão de Kieszek - decisão correta, a cabeçada existe, independentemente de ser suscetível ou não de mandar Josué para os cuidados intensivos 
49' - Amarelo para Josué - decisão correta, o jogador empurra o adversário mas não se pode considerar agressão, ainda por cima porque Kieszek não tinha nada que tentar segurar a bola para perder tempo
66' - Remate do Setúbal retirado sobre a linha de golo - não é possível ter a certeza pelas repetições
=: Decisões de arbitragem nos lances críticos acabaram por não ter influência no resultado final; os dois casos duvidosos são exatamente iguais, um para cada lado, e ainda por cima o do Porto foi o primeiro a acontecer; se o árbitro tivesse assinalado golo aos 4', muito possivelmente o jogo seria mais fácil para o Porto










Sem comentários :

Enviar um comentário