quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Há vida para além da derrota de ontem

A derrota de ontem foi frustrante para todos os sportinguistas. Para mim, mais do que a derrota em si, custou-me ver uma equipa que foi incapaz de pegar no jogo e sem capacidade para manter afastados os jogadores adversários da baliza.

Não creio que tenha sido uma questão de falta de atitude. Apanhámos um Benfica que raramente joga com este nível de motivação, a querer procurar o golo desde o primeiro minuto sem nunca perder intensidade, o que foi fatal para um Sporting que jogava desfalcado e com um desenho completamente diferente do que está habituado.

Será caso para dizer que Leonardo Jardim escolheu mal o momento para inventar o plano C? Talvez, mas a verdade é que pela primeira vez esta época ficou em simultâneo sem dois dos jogadores mais influentes da equipa (William e Jefferson), precisamente quando iria defrontar a equipa mais talentosa da liga. 

A ausência de William é particularmente difícil de compensar. É um dos melhores jogadores a atuar em Portugal e não há no plantel nenhuma alternativa que sequer se aproxime ao inacreditável leque de qualidades que William oferece ao Sporting. Podemos agora criticar a decisão de deixar sair Rinaudo, mas mesmo que o argentino jogasse apenas resolveria um dos problemas que tivemos ontem, o da intensidade defensiva. Os outros problemas continuariam a existir e o resultado final dificilmente seria diferente.

É indiscutível que o Sporting está a passar por um mau momento, que se deve principalmente à dificuldade de causar situações de perigo para a baliza adversária. Mas estes ciclos de oscilação de forma são normais. 

Da mesma forma que acreditava que deveríamos refrear o nosso entusiasmo quando a equipa deslumbrava nas primeiras jornadas do campeonato, também me parece que não é caso para entrarmos numa depressão profunda perante esta sequência de resultados menos positiva.

Em 90% dos jogos a equipa tem tido uma atitude irrepreensível. Nem sempre consegue manter essa atitude ao longo dos 90 minutos de muitos jogos, é verdade, mas que equipa o consegue? À 18ª jornada quantos jogos o Sporting mereceu perder? Dois, e mesmo na derrota no Dragão o resultado poderia ter sido diferente se determinados acasos de jogo não tivessem sucedido. Em quantos jogos Sporting não mereceu ganhar? Poucos.

Esta equipa tem feito mais do que o suficiente para merecer o nosso apoio e confiança. Estamos a viver um ano em que o orçamento foi reduzido para 30% ou 40% em relação à época passada. Pensem nas expetativas que tínhamos em Agosto. Pensem no que nos foi prometido. Alguém nos está a dever alguma das promessas que nos foram feitas? Nem por sombras.

A competência e o talento continuam a existir no Sporting 2013/14. É uma questão de recuperar a confiança que parece andar perdida para que a equipa volte a proporcionar-nos excelentes momentos de futebol.

Cabe aos nossos rapazes fazerem das tripas coração para apagarem a má imagem deixada ontem na Luz, e cabe aos adeptos aparecerem em massa em Alvalade já no próximo sábado para os ajudarem nessa missão. É essa a nossa obrigação, estar com eles nos momentos difíceis para reafirmarmos a nossa crença neles e no trabalho que tem vindo a ser feito.

12 comentários :

  1. Mestre é isso mesmo. Roma e pavio não se fizeram num dia.Existem muitas batalhas ainda este ano para travar e ganhar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Guto, a nossa equipa pode ser inexperiente, pode ter as suas limitações, mas falta de caráter é coisa de que não pode ser acusada. Tenho muita confiança que vão reagir da melhor forma no sábado seja categórica. Um abraço.

      Eliminar
  2. Para além de tudo o que foi dito, existe ainda um facto, não sendo desculpa, mas um facto:
    o "11" foi feito para noite de chuva e vento forte onde o jogo iria ser LENTO, bola a prender, etc.

    Repito: não é desculpa mas uma análise apenas.
    Ficou 2-0 e com terreno de batatas podia ficar pior até, mas não seria possível o Benfica meter a velocidade que meteu no jogo.

    Nem de propósito lembrem-se do que disse o Benfica depois do empate em Barcelos com o campo pesado.

    Repito outra vez: não estou a dar uma desculpa, mas que o "11" do Sporting para um jogo lento, com bola pelo ar, vento e chuva era uma coisa que não podia ter sido para um bom relvado sem chuva é verdade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É bem visto, Peyroteo. Não tinha pensado nisso mas faz todo o sentido.

      Eliminar
    2. Atenta ao nosso jogo em Arouca e à entrada de Slimani no batatal.

      Atenta ao batatal de Barcelos.

      Atenta que no Domingo a Luz ficaria batatal.

      Repara que em Barcelos o Benfica dominou completamente mas sujeitou-se ao 1-1.
      Está bem que com um frango do caraças. Fosse do Patrício e eram cartazes nos estádios e capas de jornais.

      Podia não dar nada, mas Leo Garden fez a equipa para um batatal e depois não a mudou.

      Dier não fez nada, mas num batatal era capaz de se aguentar relativamente.

      Eliminar
    3. Sem dúvida, com um terreno mais pesado seria impossível o Enzo ter feito uma exibição daquele nível, e a diferença de argumentos técnicos não teria o impacto que teve.

      Eliminar
  3. Independente do que aconteça até ao final do campeonato é preciso que o Sporting prepare a próxima época.

    É preciso reforços de categoria, experientes, relativamente baratos e de preferência jogadores que não brincam nas selecções.

    Aderlan Santos, Tarantini, Danilo Dias, Leonel Olímpio, Diego Barcelos, Evandro, João Pedro Galvão, Derley seriam boas opções.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Superleão, parece-me que a direção já está a trabalhar nesse sentido. As contratações de Heldon e Shikabala parecem-me mais a pensar na próxima época do que nesta.

      Bom e barato é difícil de encontrar, pelo que devem ser exploradas todas as oportunidades que forem aparecendo. O novo Jefferson pode estar aqui mesmo ao lado.

      Eliminar
  4. Confesso que fiquei desiludida com a derrota, especialmente pela incapacidade demonstrada pelo Sporting para contrariar o dominio exercido pelo adversário. Mesmo sem Wiliam, mesmo sem Jefferson, mesmo sabendo que as equipas atravessam momentos diferentes, esperava mais. No entanto, o que é importante é o processo e há que continuar! Espero que o Sporting consiga regressar às boas exibições já na próxima jornada, em casa, e reencontrar a veia goleadora da primeira volta. É importante reforçar a confiança doa jogadores - dentro de algumas jornadas recebemos o Porto e seria fantástico obter um resultado positivo para embalar para o final do campeonato positivo. Já agora, adorei ver o Pedro Barbosa a defender a equipa do Sporting no Mais Futebol de Sexta-Feira. Ao contrario dos comentadores "oficiais" doutros programas é ponderado e nada faccioso. Mas na Sexta notou-se que queria muito que o Sporting ganhasse. É dos nossos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida, Marisa. Todos esperávamos mais, mesmo considerando as ausências de William e Jefferson e as dificuldades que o adversário iria causar. Mas apenas se perderam 3 pontos, que não comprometem os objetivos traçados desde o início da época.

      O Pedro Barbosa é um senhor.

      Eliminar
  5. Mestre, antes do jogo de ontem, não éramos os melhores do mundo, nem hoje somos os piores. Percebe-se porque não éramos (este ano) candidatos ao título, viu-se as nossas fragilidades e a nossa inexperiência. Mas calma, este é o ano zero deste presidente. O futebol é bonito, quando se fala só de futebol e não haver motivos para falar da arbitragem. Sr. Vítor Pereira e sr presidente da APAF, registe aí que o presidente do Sporting depois de perder, disse que foi uma excelente arbitragem, oxalá que tivesse motivos para dizer sempre isso. Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. F. Pais, ficou bem ao presidente reconhecer isso no final do jogo. Um abraço.

      Eliminar