domingo, 6 de abril de 2014

Vitória tranquila com acabamentos de requinte

O Sporting conseguiu ontem em Paços de Ferreira uma vitória justa que foi, seguramente, a mais tranquila dos últimos meses para o campeonato.

A equipa fez por isso: entrou forte, e chegou ao golo com naturalidade. Já tinha ameaçado por Slimani e Mané, até que marcou na sequência de uma grande jogada que William Carvalho iniciou e concluiu com grande frieza, embelezada por um adorno de calcanhar de Slimani. Sérgio Oliveira também teve o seu papel no lance do golo: quando viu William soltar a bola em Slimani, alheou-se completamente da marcação que estava a fazer e permitiu ao médio sportinguista progredir para a área e voltar a receber a bola sem qualquer oposição.



O Paços tentou reagir e teve três boas oportunidades, mostrando um Bebé de remate fácil que fez questão em pôr à prova Rui Patrício. De facto Bebé parece merecer uma equipa de outro nível, que ajude definitivamente a libertá-lo do estigma de flop que lhe ficou colado após a transferência milionária para Manchester.

Pouco depois da meia-hora de jogo, Adrien bateu um canto da esquerda que encontrou Rojo completamente solto, que apenas teve que parar a bola e rematá-la para o fundo das redes. Pareciam estar lançadas as bases para um jogo tranquilo, como há muito o Sporting não tinha.

No resto da primeira parte e no princípio da segunda o Paços assumiu a iniciativa de jogo, mas a verdade é que não existiram situações de perigo. No entanto, a equipa da casa conseguiria reduzir para 1-2 através de um remate de ângulo apertado de Bebé, com algumas responsabilidades para Rui Patrício. No entanto, em abono do guarda-redes, é necessário dizer que o remate foi súbito, forte e existia um outro jogador do Paços que surgia ao primeiro poste e poderia fazer o desvio, pelo que se existem atenuantes para a reação tardia de Patrício.

Soube reagir bem o Sporting, que voltaria a repôr, doze minutos depois, uma vantagem tranquila no marcador, numa excelente jogada de contra-ataque iniciada com uma recuperação de bola de André Martins. O médio soltaria na esquerda para Slimani que esperou pela aproximação de Adrien para lhe pôr a bola mesmo a jeito para um remate de belo efeito. Cinco minutos depois o Paços ficaria reduzido a 10 por um 2º amarelo a Filipe Anunciação, terminando com as esperanças do Paços em conseguir conquistar pelo menos um ponto.

Foi no geral uma exibição bem conseguida, com muitos jogadores em bom nível. Destaque para o meio-campo, em que William, Adrien e André Martins estiveram muito bem, e para Slimani pelo imenso trabalho que dá aos defesas adversários e pelas duas assistências para golo. Maurício e Rojo voltaram a estar muito bem, especialmente o brasileiro, e Cédric esteve também muito bem defensivamente. Mané estava a fazer um bom jogo até ao momento em que se lesionou.

Desde a 13ª jornada, quando que o Sporting derrotou o Belenenses por 3-0, a equipa conseguiu apenas uma vitória por mais que um golo de diferença -- 3-1 ao Marítimo, em que o golo da tranquilidade surgiu apenas a quatro minutos do fim. A enorme sequência de vitórias à tangente vem, na prática, corroborar o que Leonardo Jardim disse no final do jogo: no princípio da época os adversários não respeitavam o Sporting como agora respeitam. Felizmente o Sporting soube adaptar-se às novas circunstâncias com distinção: já lá vão sete vitórias nos últimos oito jogos (com um interregno em Setúbal) e conseguiu assegurar o objetivo inicial da época a quatro jornadas do fim. O que vier agora será por acréscimo.

Sem comentários :

Enviar um comentário