sexta-feira, 18 de julho de 2014

Critérios jornalísticos

Faz agora cerca de um ano em que o país era agitado por uma escandalosa e surpreendente tentativa de rapto de um jogador profissional de futebol. Catió Baldé, um homem que normalmente rejeita qualquer tipo de atenção mediática, fez o enorme sacrifício de se dirigir aos jornalistas para revelar que o seu protegido, Bruma, na altura em litígio com o Sporting e a viver num hotel, tinha sido alvo de uma tentativa de rapto por parte de elementos da Juventude Leonina.

Os jornais desportivos não hesitaram em seguir a dica do empresário, investigando (?) e dando honras de primeira página às palavras de Baldé logo na edição do dia seguinte.




Há alguns dias, o Correio da Manhã noticiou problemas entre empresários que gravitam à volta de Rolando, incluindo ocorrências de agressões e insultos racistas por parte de Alexandre Pinto da Costa. e de um sócio seu. A notícia já chegou inclusivamente a Itália.

in gazzetta.it

Depois de Pinto da Costa ter garantido que Rolando faria parte do plantel desta época, o jogador terá pedido a rescisão de contrato alegando salários e prémios em atraso, de forma a poder prosseguir a sua carreira em Itália.

Suponho que Rolando tenha excluído Alexandre Pinto da Costa (que era o seu empresário) do seu circulo de confiança, preferindo ser representado por outros agentes / acessores.

Voltando à história do CM, um emissário da Roma foi encontrar-se num hotel do Porto com o jogador e os seus representantes, mas Alexandre Pinto da Costa e um sócio terão acabado por interferir na reunião e acabaram por provocar, insultar e agredir os presentes, dizendo que ou os italianos pagam €10M ao Porto ou o jogador não vai a lado nenhum.

Bem sei que isto é uma história do Correio da Manhã, com tudo o que de mau isso normalmente implica, mas parece que a queixa-crime na PSP contra Alexandre Pinto da Costa é real, o que leva a crer que algo se terá efetivamente passado.


Os acontecimentos relatados também deixam a entender que é mais um caso que demonstra a inimizade entre Alexandre Pinto da Costa e Antero Henrique e, consequentemente, a luta de poder que continua a existir nos corredores do Dragão.

Na minha opinião, jornalistas com um mínimo de zelo profissional deveriam tentar saber o que efetivamente se passou (se é que se passou alguma coisa). No entanto, parece que nada disto interessa à nossa imprensa desportiva, vá lá perceber-se porquê. Medo de represálias? Vassalagem ao clube?

Nada de novo quando episódios destes ocorrem acima do Douro. De qualquer forma não consigo deixar de maginar a festa que seria e as montanhas de páginas que se escreveriam se esta história se tivesse passado com alguém ligado ao Sporting.

20 comentários :

  1. Caro Mestre de Cerimónias:
    O meu agradecimento por trazer este assunto aqui. Se o caso se tivesse passado com alguém do Sporting certamente ocupava várias primeiras páginas de jornais. O mesmo aconteceria se fosse com alguém ligado ao Benfica ou ao Belenenses, por exemplo. Eu diria que aconteceria o mesmo se fosse com alguém da política. Para ser franco, não consigo ver o caso abafado a não ser que o assunto tenha a ver com o FCPorto. Qual o motivo do encobrimento de notícias negativas relacionadas com esse clube? Parece que alguém morreu com um tiro na cabeça no Estádio do Dragão, mas isso não é falado. Há uma estranha nuvem de silêncio que envolve esse clube. É a própria "Justiça" da cidade que encobre as maroscas e que ajuda os possíveis criminosos. Os possíveis criminosos têm conhecimento prévio de rusgas que a polícia vão fazer a certas casas à procura de documentação comprometedora. Os possíveis criminosos são avisados de alguma acção da polícia para a sua captura, dando tempo que fujam do país. Mas o que se passa com esse clube e com as pessoas que gravitam em torno dele? Que se passa com a "Justiça" no Porto? A "Justiça" não pode ter clube.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, a justiça neste país é uma lástima, mas consegue ser particularmente cega e inoperante quando os acontecimentos envolvem este clube. Um abraço.

      Eliminar
  2. O Porto é uma região "autónoma" no que concerne à justiça, legalidade, e poder (desportivo e politico) . Deixa de ser "autonoma " quando se fala em fundos estruturais, regionalização, isenções de portagens etc. Valem-se de em tempos terem sido a 2ª região em criação de riqueza. mas ultimamente os números desmentem no e de que maneira!!!http://www.portugalglobal.pt/PT/InvestirPortugal/RegioesMultifacetadas/Paginas/RegioesMultifacetadas.aspx
    Com um bocadinho de simpatia, consigo vê-los como a Sardenha está para a Itália, mas verdade verdade verdadinha são como uma Sicilia em Portugal. E todos sabemos o que isso significa, motivo pelo qual tenho de manter anonimo eheh,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, concordo que parece haver um estatuto de imunidade em relação ao clube, a quem tudo é permitido. Em relação à região em si, já tive oportunidade de lá trabalhar por períodos bastante extensos, e só posso ser testemunha que trabalhei com gente muito dedicada e competente, que infelizmente tem salários bastante inferiores a pessoas que ocupam o mesmo tipo de cargos em Lisboa.

      Também tenho a noção que o peso e influência real que o FC Porto tem na região é claramente inferior ao que se pressupõe. A melhor prova disso foi o diferendo público entre Pinto da Costa e Rui Rio, no qual os portuenses demonstraram claramente o que consideram mais importante reelegendo o político por duas vezes.

      Um abraço.

      Eliminar
  3. Olha aqui dois idiotazinhos que nunca saíram da Estremadura.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem fala é um Sr. Juiz que tem assento num dos melhores lugares do Estádio do Dragão?
      Olhe que se enganou em relação a pelo menos um dos anónimos, que efetivamente sempre fez vida fora da Estremadura.

      Eliminar
    2. e o outro também não é da Extremadura, com a vantagem de ter trabalhado numa empresa com sede no Porto durante mais de 17 anos. Chegou para ver muitas empresas "falidas", sem dar lucro, e os empresários conduzindo Ferraris ou tendo belos iates nas bacias do Douro. Repito, produzem ...pagando (se pagam) dos ordenados mais baixos do País. É a verdade, que tem de ser dita respeitando as gentes do Norte .... Sobre o Porto e o tema do artigo, total verdade. ´´a um cheiro a Mafia em tudo o que diz respeito ao Porto, comprovado na lei da rolha que impera na imprensa desportiva. Desculpem se magoa...mas é a verdade comprovada. Quem se lembra do Jagunço empurrando um Oficial da PSP em directo na TV ? O que lhe aconteceu ??

      Eliminar
    3. Pois. Este anónimo também já acompanhou insolvências de empresas na zona do Porto, que não tinham problemas nenhuns em pagar publicidade nas Antas mas tinham enormes problemas em receber de alguns arbitros a quem eram prestados serviços e fornecidos bens. Curiosidades....

      Eliminar
  4. É muito curioso o silêncio ensurdecedor do caso Rolando em jornais como a Bola, no jornal do clube (o Jogo), na mortalha Record...ou mesmo no papel higiénico Correio da Manhã.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não usava o record para mortalha.... é capaz de ser prejudicial....

      Eliminar
    2. PM, neste caso o Correio da Manhã fez uma notícia sobre o assunto. Os outros jornais é que preferiram não pegar na história... Um abraço.

      Eliminar
  5. Atenção!!! Isto foi escrito em 2003!

    Para aquele(a)s portuguese(a)s que, como eu, gostam do desporto-rei (vulgo futebol) os últimos vinte anos têm sido, de facto, uma tristeza. Exceptuando os últimos 3 anos, onde o clube da minha simpatia tentou dar uma sapatada no sistema, quase tudo o resto foi mau de mais. Tanto mais que o sistema aí está de novo, foi ‘recauchetado’, e agora parece que está mais forte do que nunca.

    Para os mais esquecidos, existem uns senhores que, há vinte e tal anos, tomaram conta das estruturas dirigentes deste desporto em Portugal e, como viviam mal com eles próprios e com o resto da sociedade devem de ter pensado, espera lá, se eu dominar isto consigo sair do lamaçal em que me encontro. E assim foi, começaram a disparar contra tudo e contra todos, ameaçaram os mais fracos e suas famílias, ou seja, os árbitros, os jornalistas, os polícias, enfim, trouxeram um novo modus operandi para o meio futebolístico.

    Foi o nascimento de uma nova era, a era do sistema. E este deu frutos pouco tempo depois de concebido, foi precoce, então, estes senhores da lama começaram a fazer arquivos contendo, nomeadamente, com quem falaram, quem ameaçaram, quem era subornável, quem não era, quem se calava, etc, etc.

    Deste modo, pouco estruturado mas eficaz, lá foram conseguindo amealhar algumas vitórias que, embora tenham feito correr muita tinta nos jornais (com as histórias sobre as vergonhas), acabaram quase sempre por ser abafadas. No entanto, e como o clube que albergava estes tipos tinha (e tem) uma dimensão regional, com poucos títulos, estes senhores pensaram que tinham de abater os principais clubes, e aí começou uma nova era no futebol português, os subornos a jogadores, das equipas que jogavam contra o clube regional, para deixarem entrar uns golitos, e, de jogadores das equipas que defrontavam os principais adversários, para lesionarem os jogadores da concorrência. Ao que sei é ainda um método utilizado. Como seria de esperar, lá vão os dados para o arquivo.

    Depois como o dinheiro não abundava pensaram assim, vamos comprar os melhores jogadores às equipas portuguesas mais fracas ou em maiores dificuldades, e o que se viu foi que, não só desmembraram essas equipas como ainda as levaram a descer de divisão (basta lembrar-mo-nos dos últimos 6 a 7 anos). Exemplos: Estrela da Amadora, Belenenses, Vitória de Setúbal, Gil Vicente, etc.

    Por outro lado, têm de há muitos anos a esta parte jogadores emprestados por diversas equipas na 1ª e 2ª divisões, o que é uma prática que dá sempre jeito, pois quando jogam contra essas equipas esses jogadores não podem defrontar a casa-mãe.

    Como se tudo isto não bastasse, ainda queriam mais, e então pensaram assim, a nossa região é pobrezinha, coitadinha, temos que a engrandecer, aí viraram baterias para a política, nasceu uma famosa aliança que concebeu uma estratégia, a luta do norte que é pobre contra o sul que é rico, a luta do Porto contra Lisboa, a capital. E, quem eram os gladiadores que podiam encarnar essa luta?!?, os jogadores de futebol das equipas do norte, em geral, e, os da tal equipa regional, em particular. Revelou-se assim, a profunda mágoa, ódio e sei lá que mais, que vai na alma desses senhores, ou será antes o culto da inferioridade e mediocridade que povoa a mente desses energúmenos e de todos os que os seguem de forma cega.

    (continua...)

    ResponderEliminar
  6. (cont.)

    As vitórias iam aumentando, bem como o arquivo, e então passaram a estabelecer-se como empresários, aí é que foi o bom e o bonito, começaram, ou melhor, continuaram as trapaças e falcatruas, com lavagens de dinheiro ás escuras, ás claras, enfim, um espectáculo. Então, uma família de iluminados, ligado a esse clube, apareceu na cena futebolística, com um propósito, conquistar tudo sem olhar a meios para atingir fins. Vou apenas citar alguns exemplos do percurso destes seres superiores:

     Domínio do meio audiovisual desportivo português (televisão estatal e privadas, jornais, rádios), através da compra ou por maioria de acções dessas empresas
     Aquisições e criações de empresas para branqueamento de capitais
     Participações elevadas nas SAD’s de quase todos os clubes profissionais em Portugal
     Compras e vendas de jogadores, etc, etc, etc.

    Com isto conseguiram criar um sistema que vai ao pormenor de ter, nos dias que correm, os comentadores das rádios e televisões que querem, ou que lhes dá mais jeito, e o arquivo agora já passou para a era moderna, já têm sistemas informáticos com servidores para albergar a quantidade de informação em suporte digital.

    Os comentadores, antes do início desta prática, diziam o que viam ou o que lhes parecia ter visto, mas aprenderam, por força de serem postos na prateleira ou terem sido agredidos física e psicologicamente que, não é a verdade que interessa é outra a história. Agora temos um sistema maduro onde se vê que estes jornalistas até têm dificuldade em opinar sobre uma falta que foi marcada contra a equipa regional, e um penalty então, têm sempre dúvidas, mas quando as faltas são marcadas a favor dessa tribo então concordam de letra.

    Mais uma vergonha deste País é, ter na secção desportiva da Radiotelevisão Portuguesa (RTP) uma cambada de servilistas, Rui Cerqueira, Rui Loura, Cristiano Miguel, Hugo Gilberto, Nicolau de Melo, Marques de Sousa, etc, etc. Estes tipos são os rostos do sistema, conseguem ver um jogo completamente diferente do que se passou, e, quando joga o tal clube detecta-se um timbre orgásmico na voz destes tipos. Tal facto só encontra paralelo quando joga uma qualquer equipa do norte contra qualquer equipa do sul.

    Jornalismo devia de ser sinónimo de imparcialidade, senão tanto quando são artigos de fundo, já o mesmo se requer em directos, sob pena de estarmos a ser constantemente engandos, de forma dissimulada, por estes artistas do microfone.

    A forma do sistema passar as mensagens que lhe convém refinou-se, e assim temos uma máquina bem afinada que faz milagres, ao que parece tal como o departamento médico desse clube. No início da semana têm sempre 1 ou 2 jogadores lesionados, que, milagrosamente recuperam para na próxima convocatória já estarem aptos.

    O exemplo bem flagrante do sistema a trabalhar foi a recente cruzada dos meios audiovisuais pela convocatória para a selecção de um guarda-redes e um defesa desse clube. O mais caricato é que a selecção portuguesa jogava com a Espanha, e o meio campo era composto por aqueles jogadores desse mesmo clube que tantos elogios recebem na imprensa da especialidade, resultado, perdemos por 0-3, com um meio-campo abúlico, coincidências.

    Na altura das transferências, é um espectáculo, a engrandecerem os jogadores que vêm para esse clube de uma forma quase prosaica e mesmo poética. Quando esses pretensos reforços não rendem, então não se fala mais nisso. Ao passo que quando ocorrem aquisições noutros clubes que não vingam, lá vem o sistema apontar o dedo.

    Melhor só quando começaram a ir contratar jogadores libertados pelos rivais, e depois realizavam grandes épocas e passavam a ser os maiores. As pessoas esquecem-se que os jogadores nesse clube podem fazer quase tudo em campo que não são expulsos, ao passo que se o fizessem ao serviço do anterior clube passavam mais tempo a ver os jogos da bancada.

    (continua)

    ResponderEliminar
  7. (Cont.)

    Quando se diz que essa equipa regional é que tem contribuido, nos últimos anos, com mais pontos para o coeficiente português na UEFA, é matematicamente verdade, mas andar a apregoar esse feito para camuflar a verdade é que não, já chega. Pois quando eram os dois maiores clubes portugueses que andavam na mó de cima nunca ouvi esse tipo de argumentação, e, recordo que era nessa altura que as equipas portuguesas mais competiam de igual para igual com as congéneres europeias.

    Chega a ser assustador pensar se isto que refiro tem alguma base de verdade, pois se assim for a vergonha ainda é maior do que aquela que se vê todos os fins-de-semana. A ser assim a mentira é tão grande que os monstrinhos que a criaram deviam era de estar presos, mas não. Deve ser por causa de polvos como este que, Portugal é o País mais corrupto da Europa Comunitária. Contudo vou apenas referir mais alguns episódios deste triste fado, que ajudam a concretizar com factos alguns dos parágrafos supracitados:

     Escandaloso caso de corrupção, entretanto abafado, do árbitro Carlos Calheiros que viajava para o Brasil, de férias com a família, com viagens pagas pelo tal clube, através de uma agência de viagens ligada ao sistema, a COSMOS.
     Devido a favores no seio da arbitragem, que antes estava sob a tutela da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), uma empresa do sector das madeiras, a VICAIMA, que apoia o referido sistema, empregou o filho de um funcionário da FPF, curioso foi o facto desse indíviduo ser preso, acusado de tráfico de droga que vinha da América do Sul dentro da madeira importada pela referida empresa, e, mais uma vez, a correlação entre a empresa e o sistema foi abafada
     O famoso caso do guarda Abel, com agressões e diversas ameaças
     O caso de um jogador desse clube, de origem de Leste, que matou uma pessoa nessa cidade do norte do País e nunca foi julgado por tal
     Os diversos casos das agressões no estádio desse clube a jornalistas, até da RTP (mas isto foi antes de lá estar a corja que agora nos entope os ouvidos), a adeptos de outros clubes, e mesmo entre os próprios adeptos desse clube
     O caso de diversos jornalistas que foram agredidos por funcionários desse clube, apenas por escreverem livros que desmascaravam estes mafiosos. Esse agressor foi culpado em tribunal, hoje ocupa um destacado lugar na estrutura interna desse clube
     Enquanto não se voltou ao sistema das nomeações dos árbitros não descansaram, pois o sorteio, que já de si era condicionado, revelava-se muito aleatório para os propósitos dos administradores do sistema
     A materialização do sistema quando se disputa o jogo é fabulosa, e então em jogos disputados em casa do tal clube a situação atinge o seu auge, lembro só os casos do guarda-redes, quando em saídas fora da grande área fez faltas passíveis de expulsão, e nunca o foi; o caso do jogo desse clube em casa com uma equipa madeirense onde, com 0-0, anularam um golo limpo aos forasteiros; o caso de uma equipa que subiu à 1ª Liga na época passada e que em casa do tal clube teve uma postura inatacável, mas perdeu e viu 2 ou 3 jogadores serem expulsos, ao passo que, os jogadores do tal clube distribuiram pancada e nenhum foi expulso
     Nem vou referir outros casos de arbitragem pois o arquivo das ocorrências a favor deste clube é de tal modo extenso, que nem vale a pena.

    Este clube não representa a encarnação do mal na terra, as pessoas que se têm servido dele é que são de má índole. No entanto, fiquem descansados que já há seguidores deste modus operandi, e, desse modo, já conquistaram um título nacional. Por isso, cuidado, o sistema pode estar mesmo ao pé de sua casa.

    E por aqui podia continuar, com exemplos reais, do que tem sido a tristeza do futebol em Portugal nos últimos vinte anos. Com estas linhas não pretendo macular nenhuma instituição, mas sim revelar (para quem não sabe) que não há de facto coincidências, há sim um sistema umas vezes mais óbvio outras nem tanto que continua a passar atestados de imbecilidade a todos aqueles que vão aos estádios de futebol.

    ResponderEliminar
  8. (cont... final)

    Ainda esperei que, com o aproximar do EURO-2004, e consequentemente com mais olhos sobre o campeonato da 1ª Liga, o sistema se escondesse, mas parece que o efeito foi o inverso. Está sem dúvida imparável. Como me disse, há pouco tempo atrás, uma pessoa do meio futebolístico: “O FUTEBOL PORTUGUÊS É UMA MENTIRA”.


    O Incrível, é como, 11 anos depois, isto continua actual... Que miséria de País... E esta gentalha continua a sua impunidade para lá da Ponte do Freixo... Deviam de estar presos há muitos anos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se me rio ou se fico assustado.

      Bruno

      Eliminar
    2. Meu Deus, por isso é que depois caem aviões.
      Você é doente...

      Eliminar
    3. YaZalde, quem escreveu isso?

      Não subscrevendo na totalidade o que está escrito, não tenho grandes dúvidas em considerar que há bastantes verdades que são ditas, muitas das quais ainda se aplicam aos dias de hoje...

      Um abraço.

      Eliminar
    4. Caro Mestre,

      Isto foi um documento em *.word que recebi há mais de 11 anos atrás... Quem mo enviou disse que foi um dos documentos que serviu para por em andamento o processo "Apito Dourado" (será mais Azulado), e que, depois de mais um triste episódio como o que o Mestre transcreveu me recordou outros, tristes, acontecimentos...

      Essa bandidagem tem aquilo tudo minado, e agora que o 'corrupto mor' anda a querer saltar fora, está a lançar o filhinho no mundo da malandragem... Mesmo contra muitos que deram o 'couro' por aquela "causa" e que agora se vêm relegados para 2º plano... Aquilo das duas uma, ou fazem a passagem para o 'corruptozinho em formação' de forma mais ou menos pacifica (sem darem muito nas vistas), ou, vai ser um lavar de roupa suja que até tresanda... De resto como aquela gente, que tresanda por todo o lado onde se metem...

      Abraço Leonino

      Eliminar
  9. http://www.youtube.com/watch?v=nnFKvqIenRI

    ResponderEliminar