segunda-feira, 14 de julho de 2014

Já cá faltava

A explicação da não conquista do mundial pela Argentina                                                            
No final do Alemanha - Argentina todos os canais de informação nacionais analisaram ao pormenor o confronto que definiu o novo campeão do mundo, apontando inevitavelmente o segredo do sucesso dos vencedores e aquilo que faltou aos vencidos para triunfarem.

No caso do que terá falhado na Argentina, a falta de inspiração de Messi, a má forma de Higuain e Aguero, a lesão de Di Maria e alguns equívocos táticos de Sabella foram provavelmente os mais mencionados. Mas existe um comentador irredutível, coerente até ao tutano, que se lembrou da única verdadeira coisa que faltou à Argentina:


Toni Kroos deve sentir neste momento um enorme alívio. Só teve direito a figurar no grupo dos melhores dez jogadores do mundial porque Sabella deixou o melhor 8 do mundo no banco, e quando o chamou foi para o encostar a um flanco (por acaso na final vi-o pisar outros terrenos, mas isso devia ser eu a confundir Enzo com outro jogador).

Rui Pedro Braz provavelmente ainda poderia sugerir a naturalização de Rúben Amorim para poder ser utilizado pela seleção argentina. O suplente de Enzo no Benfica poderia dar muito jeito caso o melhor 8 do mundo pedisse para ser substituído por se encontrar esgotado fisicamente ao fim dos 90 minutos...

30 comentários :

  1. É sempre consolador ver e ouvir esta painelaragem comentadora que analiza a frio e sem qualquer ponta de clubismo o desempenho de equipas e jogadores de partidas que todos nós vemos na TV , e lhe dão no fim umas pinceladas artísticas quase tornando esses jogos em partidas diferentes das que vimos. Pena não conseguirem alterar os resultados finais...isso é que era serviço completo. Por isso não consigo ver esses paineleiros a debitar barbaridades.
    Para mim como comentador só o Pedro Henriques, que fala com conhecimento de causa e não tem desvios clubísticos . De resto...é só lixo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A mim mete-me particular impressão o facto de a maior parte dos comentadores não conseguir arranjar meios termos nos seus comentários. Ou é 8 ou é 80 que muitos comentadores têm. Por exemplo, depois de ouvir anos a fio que o David Luiz era um dos melhores centrais do mundo, eis que agora os comentadores mudaram o discurso e dizem que é pouco mais que uma nulidade...

      Um abraço.

      Eliminar
  2. E estamos com sorte se não falarem que a culpa é do Rojo !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para o Paulo Sérgio (da RTP) quando o Rojo falhava um cruzamento (contra a Holanda) era sempre uma tragédia... desta vez os comentários foram bastante equilibrados, na minha opinião.

      Eliminar
  3. Este gajo é um merdas.
    Independentemente de o Enzo ser um grande jogador.

    Bruno

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bruno, concordo que é um excelente jogador (nem é isso que está em causa). Um abraço.

      Eliminar
  4. Incrível mesmo é o tipo sensacionalista de jornalismo desportivo que se continua a fazer em Portugal! Descobriram todos com a Alemanha que o futebol mais físico já era e o futebol mais latino é que é. Mais técnico, mais posse, mais apoiado e mais velocidade! E não foi coincidência nenhuma ver os expoentes máximos do futebol latino na Europa caírem todos na fase dos grupos. A Alemanha é que é! Tivesse Higuain ao mesmo nível da defesa a Argentina e não se aproveitava nada do que se escreveu! A defesa que o central mais caro da história definitivamente não sabe o que é. Surreal, 4º com David Luiz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, hoje em dia muitos comentadores gostam de falar de futebol como se fosse uma ciência em que o acaso e a contingência não tivessem nenhum papel a desempenhar no decurso de um jogo. Ontem, na minha opinião, a Alemanha não foi superior à Argentina. Mereceu vencer o mundial pelo que foi fazendo ao longo da competição, mas podia perfeitamente ter perdido o jogo. Seria interessante ver como encaixariam esses comentadores uma eventual vitória argentina atendendo ao que foram dizendo desde o início da competição sobre ambas as seleções. Um abraço.

      Eliminar
  5. Dá-se importância a cada coisa!
    Daqui a alguns meses nem o Rojo estará no Sporting nem o Enzo estará no Benfica. E até poderão jogar contra as equipas que agora representam. Já não há jogadores para servirem de referência aos adeptos. E especialmente estes, Rojo e Enzo, quantos anos já jogaram nos seus actuais clubes? Pois...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto não tem nada a ver com o Enzo. Daqui a 4 anos Rui Pedro Braz estará a lamentar-se pelo facto de o selecionador polaco não apostar em Davidowicz no onze, ele que será na altura o melhor 8 do mundo.

      Eliminar
    2. Daqui a 4 anos Davidowicz já não é do Benfica. Vai ser uma excelente venda.

      Quanto ao Rui Pedro Braz, eu não o conhecia e fui consultar a internet. Ele esteve nos quadros do Benfica e é autor de um livro sobre o Benfica. Portanto é claro que é benfiquista. Pelo menos não anda a esconder as suas preferências clubísticas, ao contrário de muitos outros comentadores que se dizem independentes. Fiquei a saber que foi também nomeado para o Cruyff Forum Awards 2005.

      Eliminar
  6. Balanço do TORNEIO DE VERÃO Brasil2014

    Carlos Vela demonstrou grande profissionalismo ao renunciar à selecção.

    Os clubes mais uma vez deixaram-se comer pelas federações nacionais e obviamente pela FIFA e os jogadores mostraram uma enorme falta de profissionalismo.

    Variadíssimas lesões que irão continuar durante a próxima temporada como Reus (ainda antes do início do Mundial propriamente dito), Coentrão, Neymar, Di Maria, Mustafi, etc.

    Por pouco (2cm), segundo as palavras de Neymar, o Barcelona perderia um activo/investimento de várias dezenas de milhões de euros.

    Não se prevê que a grande maioria dos dirigentes dos clubes e jogadores reconheçam sequer estas evidências e continuem a prejudicar estrondosamente os clubes.


    A FIFA falhou com grande estrondo:

    1) O único lance (França-Honduras) em que houve dúvidas a olho nu sobre a linha de baliza ficou-se pelas dúvidas. Não houve nenhuma imagem real que comprovasse o golo. O sistema adoptado pela FIFA não é fiável.

    2) Falhou com a falta dos árbitros de baliza (postos do lado oposto ao do fiscal-linha) que permitiriam uma melhor/maior visualização dos lances (especialmente dentro da área).

    3) Só puniu Suarez (bem) em agressões/comportamentos incorrectos sem punição pelo árbitro e não puniu outros jogadores por outras agressões/comportamentos incorrectos.


    Em relação aos profissionais deste TORNEIO DE VERÃO (treinadores) destaque para a comprovação visível do falhanço de Scolari a todos os níveis (modelo de jogo, desorganização táctica, repetição de erros, escolha de jogadores).

    Novo falhanço de Joachim Low escondido pelo título e pela cabazada ao Brasil, falhou contra Gana e Argélia.

    Destaque para a substituição de Bruno Martins Indi (amarelado e sob pressão do flanco direito argentino) na meia-final; Van Gaal levou uma equipa mediana, com alteração do padrão táctico holandês ao 3º lugar revelando competência.

    Falhanço de Del Bosque com a introdução de Diego Costa levando a alterações nos hábitos de ataque da Espanha.

    Brilhante desempenho de Jorge Luís Pinto (criou organização e disciplina táctica) e destaque também para o realismo de Carlos Queiroz.

    Esperemos que alguns destes treinadores e outros não mencionados regressem definitivamente ao FUTEBOL PROFISSIONAL.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Superleão, na minha opinião o sistema da linha de golo foi uma aposta ganha. Não há nada que tenha demonstrado que tenham havido erros, e a realidade é que se trata de um sistema tecnologicamente simples de implementar. Elimina a suspeição e é importante para tirar uma carga de responsabilidade e pressão dos ombros dos árbitros.

      Concordo com a questão da FIFA se recusar a castigar jogadores que agrediram adversários. Não é aceitável que o colombiano que arrumou o Neymar não tenha sido punido pelas imagens, bem como outros casos que foram sucedendo. Sempre foi esta a postura da FIFA (não é de hoje - até me lembro em 2006 a agressão de Figo a um holandês que o árbitro puniu com um amarelo, e que a FIFA optou por não castigar para não desautorizar o árbitro). Basicamente não estão para se chatear.

      Também não gostei das indicações da FIFA para os árbitros pouparem nos amarelos e vermelhos. Os jogadores aperceberam-se disso e houve muitas situações de abuso. Foram muitos os jogos que deviam ter acabado com menos jogadores em campo.

      Um abraço.

      Eliminar
  7. Esse rui escarro braz também disse que o Luisão é que devia ter sido convocado para a equipa do Brasil! Esse tipo é doente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Leão verde, essa não tinha ouvido... extraordinário... :)

      Eliminar
    2. O tipo de palavra que usa mostra bem a creddibilidade que tem.

      Permita-me que lhe diga que estive 3 vexes em trabalho no Brasil entre março e Junho e vi o Luisão referenciado em listas, inclusivamente em debates televisivos para ser o 4º central do Brasil. Listas onde estavam também o central DéDé (Cruzeiro?) e Marquinhos (PSG).

      Eu não concordo com essa opção, não faria sentido face à oferta, ofender baseado nisso parece-me bem mais um retrato do "Leaõ verde" que do tal Brás.

      Um pouco mais de elevação e respeito pelas opiniões dos outros algo que globalmente falta nos comentários deste blog (mas não do mestre que se refira isso).

      Bem hajam,

      Eliminar
  8. À Argentina só faltou marcar e curiosamente até teve mais oportunidades.

    ResponderEliminar
  9. A melhor dele nos ultimos tempos foi num programa em que começou por dizer que, quando o William entrou, estávamos a ganhar aos EUA e que acabámos empatados. 10 minutos depois alguém questionou a convocatória do A. Almeida (salvo erro) e ele insurgiu-se contra "essas análises superficiais".

    Esse já passou para categoria comédia e entretenimento há algum tempo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao contrário do que dizem muitos sportinguistas, a minha opinião é que, no seu primeiro jogo, o William não jogou bem, apesar dos 479 passes certeiros que fez. A preocupação dele foi só não errar. No segundo jogo esteve bastante melhor.

      Eliminar
    2. Sim mas para quem se insurge contra analises superficiais....

      Concordo consigo que o William do CM não foi o melhor que vimos este ano.

      Eliminar
    3. Concordo, o William do mundial não esteve ao nível do que lhe vimos fazer no Sporting. Mas seria complicado fazer melhor, o pouco ritmo de jogo e a falta de entrosamento com os companheiros não ajudaram.

      Para RPB provavelmente até o Paulo Lopes teria lugar nos 23 de Portugal.

      Eliminar
    4. Pois é porque o William desligou o de Carvalho e era só William. Com o de Carvalho ligado teria jogado bem. Não percebo essas análises, isso não faz sentido nenhum. O gajo foi o melhor do meio-campo. O que é obvio é que a equipa não estava à altura dele. Falhou passes porque o Paulo não lhe deu meio-campo e ele foi obrigado a tomar decisões que não tomaria de outro modo. Pssou para trás porque não havia ninguém a desmascar-se na frente.

      Eliminar
    5. Este RPB deve ser mais um filho de uma nota de 20 €. Viva o SPORTING CLUBE DE PORTUGAL

      Eliminar
    6. Acho que o William teve um impacto positivo imediato quando entrou na seleção. Esteve bem e com a entrada dele e Amorim na equipa também Moutinho rendeu mais. Mas na minha opinião faltou-lhe alguma confiança para atingir o nível que teve ao longo do ano no Sporting. Um abraço.

      Eliminar
  10. Mas será que aquilo que esse tal Brás diz neste excerto é assim tão descabido?
    A Argentina perdeu muito com o facto de ele ter sido encostado à linha (ver a performance individual e colectiva na 2ª parte contra a Holanda até á sua saída).

    Tirar Enzo para colocar Gago, juntando-o a Mascherano e a Biglia fez algum sentido?
    A não ser por uma questão física (que não se vislumbrou), a saída do Enzo penalizou a Argentina.
    Ele foi sub-aproveitado no Mundial.

    Obviamente não seriam campeões apenas e só por isso, mas seria um caminho mais lógico e potencialmente mais positivo.
    Ninguém na Argentina tinha a mesma capacidade de romper entre o meio campo defensivo e a zona da entrada da área como ele.
    Di Maria e até Lavezzi faziam-no a espaços nas alas. Messi é Messi e naqueles últimos 20/30 metros pode ser explosivo, mas na zona entre os 2 meio campos defensivos ninguém o fez.


    Classificar o Enzo como "um dos melhores 8 do mundo" fica ao critério de casa um.
    Mas aquilo que refiro parece-me evidente.

    Bem hajam,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, parece unânime que o Enzo do Benfica poderia render mais do que Gago. Mas mesmo que Sabella o colocasse na posição de Gago, aquela continuaria a ser a Argentina de Sabella, com as ideias de Sabella, com o sistema tático de Sabella. Não é a Argentina de Jesus, com as ideias de Jesus, com o sistema tático de Jesus e com os colegas com que costuma jogar o ano inteiro.

      Poderia melhorar, claro que sim. Se calhar até o suficiente para fazer a diferença. Mas não me parece que tenha sido o principal fator que levou à derrota da Argentina na final.

      Quanto a ser o melhor 8 do mundo, lamento, mas não estou absolutamente nada de acordo.

      Um abraço.

      Eliminar
    2. Quanto a ser o melhor 8 do mundo, lamento, mas não estou absolutamente nada de acordo

      Nem o mestre nem eu. Mas o que o Brás diz é que é um dos melhores. Isso não me parece assim tão idiota ou descabido. Ele é um grande número 8.
      Obviamente que há melhores jogadores nessa posição, mais habituados a campeonatos de alta rotação.
      Não vem mal ao mundo por isso :)

      Eliminar
    3. Com um treinador decente esta Argentina era outra equipa, por completo. Mesmo jogando no meio (que a espaços jogou na final), Enzo não faria metade da diferença que faz no Benfica (ou teria feito com um bom treinador) porque a Argentina despejava bolas para a frente, nas costas dos centrais alemães mais lentos.

      Portanto, a análise do Brás é completamente descabida. Já chegar à final foi um milagre assente na capacidade de decisão e execução de Messi, do bombeiro Mascherano, e na falta de qualidade (ou coragem no caso da Holanda) dos adversários. Não era por jogar Enzo no meio que a equipa ficaria mais equilibrada. Talvez ficasse um bocadinho menos má, pq o Gago é péssimo...

      Eliminar
  11. Esse senhor quando se referiu ao William, que quando ele entrou estávamos a ganhar 1-0, e que com ele em campo empatámos 2-2. Se vamos por aí, então digo o seguinte: O único jogo que ganhámos, o William foi titular. Mas a partir do dia 17, temos mais uma arma, para nos defendermos dessa gentalha. Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. F. Pais, claro, se entramos em raciocínios simplistas como esse todas as conclusões passam a ser possíveis. Um abraço.

      Eliminar