segunda-feira, 27 de julho de 2015

A participação na Cape Town Cup

A principal conclusão que podemos retirar dos dois jogos efetuados em solo sul-africano pelo Sporting é que ainda há muito trabalho pela frente até termos a equipa totalmente afinada. Foram vários os erros coletivos e individuais a defender ou em perdas de bola que acabaram por proporcionar demasiadas ocasiões para Patrício brilhar - claro que ele está lá para isso, mas seria melhor sinal se passasse umas tardes mais tranquilas -, e em termos de acutilância ofensiva a equipa foi mais atabalhoada que esclarecida, revelando dificuldades em executar depressa e bem em zonas interiores com uma maior concentração de adversários.

Mas estranho seria que fosse de outra forma. A equipa está a assimilar princípios de jogo bastante diferentes daqueles a que estava habituada: a defender procura-se uma pressão alta sufocante, setores mais compactos e uma linha defensiva mais subida, enquanto que com a bola nos pés há maior dinamismo para oferecer linhas de passe aos colegas e privilegiando o centro do terreno às faixas laterais. Para além disso, a equipa está a aprender a viver sem William Carvalho, num sistema em que a posição 6 é fulcral para a saída para o ataque. Princípios de jogo que envolvem um elevado nível de risco e que numa fase de aprendizagem acabam por ter as consequências que verificámos, mas que uma vez encontrados os jogadores que melhor os interpretarão e depois de estarem totalmente assimilados prometem uma equipa bem mais perigosa no ataque e segura a defender.

Do ponto de vista individual, os jogadores demonstraram momentos de forma bastante díspares. O destaque óbvio vai para Rui Patrício. Penáltis defendidos no primeiro jogo, defesas de grande grau de dificuldade em ambas as partidas e, claro, isto:


Mas parecem-me também merecedores de destaque Paulo Oliveira (imperial em ambos os jogos), Jefferson (uma assistência e muito bem a descer pelo flanco e nas bolas paradas), Slimani (mal na finalização, mas o batalhador do costume, tendo sido decisivo no 2º golo de Montero) e Montero (pelos dois golos que marcou contra o Crystal Palace).

Bons indicadores também de Naldo (muito bem no jogo de ontem), Gélson (mais pelo primeiro jogo) e Wallyson (jogou pouco tempo mas demonstrou sempre grande classe com a bola nos pés e segurança no passe).

Vários jogadores estiveram abaixo do que seria desejável, mas nada de anormal atendendo à fase da época em que estamos: João Mário, Adrien, Carrillo, Ciani, Teo Gutierrez, Carlos Mané (apesar do golo que marcou) e Esgaio.

De qualquer forma, vencer um troféu destes não pode deixar de ser positivo. Aprender e aperfeiçoar ganhando e reforçando o prestígio do clube é sempre melhor do que aprender e aperfeiçoar perdendo. No próximo fim-de-semana há mais.


8 comentários :

  1. Um assunto que começa a preocupar é a falta de jogos de preparação que a equipa terá antes do dia 9. Serão jogos suficientes para a equipa assimilar os métodos do treinador?
    Já sabemos que a perfeição nunca seria, mas acho que esta pré-época poderia ter sido melhor planeada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também me parecem jogos particulares a menos... suponho que esta semana ainda haja 1 ou 2 jogos à porta fechada, mas não é a mesma coisa. Um abraço.

      Eliminar
  2. Mike,

    Mais jogos exigiria mais tempo, para tal a preparação teria de se iniciar mais cedo como tivemos vários jogadores envolvidos em competições internacionais;

    - Rui Patricio
    - Adrien
    - João Mário
    - William
    - Iuri
    - Paulo Olveira
    - Tobias
    - Esgaio
    - Mané
    - Teo
    - Brian Ruiz
    - Carrilho

    Iniciavas a pré época com 15/16 jogadores !?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim.
      Já não seria a 1ª vez que o faríamos em que os internacionais se juntariam mais tarde. E os da B poderíamos juntar-se para fazer número.

      Eliminar
  3. Ataque: Montero vai jogar ao lado do Slimani. São os 2 avançados que melhor se conhecem dentro da equipa.

    Paulo Oliveira vai jogar com o Naldo. Para a dupla Jonas-Rodriguez precisamos de ter disponibilidade física e não tanto de defesas de marcação. Ciani está fora de forma e o Tobias é mais de marcação.

    Para já parecem-me ser estas as únicas 2 conclusões a tirar para a supertaça.

    Mitroglou e Pizarro a virem já não terão qualquer influencia no jogo da supertaça...

    A cena do meio campo é caótica... acertem lá isso de vez.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A dupla Jonas-Rodriguez não vai durar mt mais tempo. Rui Vitoria está a tentar agarrar no trabalho feito pelo J e tem tentado meter os mesmos em campo para disfarçar a sua incompetência. Isso não chega até à Supertaça, onde vai mostrar o borradinho que é metendo mais um homem no apoio ao avançado.
      A nós basta-nos massacrar aquilo e só parar quando já não houver mais pernas e dps é meter os jogadores defensivos todos em campo para dar descanso aos nossos heróis.

      Eliminar
  4. Os trolls do Grupo do Seixali não andam por cá !...que faltam fazem os amigalhaços do Mota,do Paixão,do Duarte Gomes !...ahahahahahaha

    ResponderEliminar
  5. Mesmo assim, nesta pré época o Carnide já está a ganhar nos ...nós temos uma vitoria, e eles duas...a águia e o Rui ;-)

    ResponderEliminar