segunda-feira, 14 de março de 2016

De leitura obrigatória

Dois pesos e duas medidas também na defesa dos jornalistas, por João V. Sousa, no Bola na Rede.

LINK

É um texto muito longo, mas que deve ser lido até ao fim - principalmente por alguns jornalistas encartados.

20 comentários :

  1. É de facto um texto longo, mas onde o autor põe a nu o que já é sobejamente conhecido. A CS em Portugal está dominada por alguns e trabalha, a coberto das estruturas sindicais, em prol desses alguns nem que para isso seja necessário faltar à verdade, ao rigor e à isenção que a profissão de jornalista exige.

    É de leitura obrigatória, até por se tratar da visão de um jovem sobre este país podre e da sua CS serviçal de alguns interesses.

    ResponderEliminar
  2. bem aventurados sejam o que tentam furar o cerco montado pela estrutura.

    Há muito pra dizer sobre o jornalixo mas muito também são opções editoriais que os jornalistas não parecem interessados em combater.

    ResponderEliminar
  3. Espero que a este João V. Sousa, à medida que for crescendo, não se lhe vão faltando os tomates.

    ResponderEliminar
  4. O artigo é bom, bem fundamentado e expõe ao ridículo o sindicato e os "jornalistas" de causas.

    Mas para mim o que valeu mesmo a pena, e era um facto que desconhecia, foi verificar que o Rei Midas já defendeu que cortesias e ofertas de jantaradas e almoçaradas afinal podem influenciar as pessoas e servir de forma de pagamento a "encomendas".

    declarações proferidas pelo presidente do Benfica em Novembro de 2005, em que António Tavares-Teles era acusado de "ser pago para dizer mal", de receber "almoços, jantares e charutos" e de escrever artigos de opinião "encomendados". http://www.destak.pt/artigo/51494

    Terá sido deste acontecimento que germinou a ideia de imitar o seu mentor e consócio, Pinto da Costa, e de oferecer 4 vouchers para jantares de luxo sem limite de consumo a cada um dos árbitros, delegados e observadores em todos os jogos em casa da equipa A e B?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sar, por acaso já tinha um post pronto sobre esse episódio do Vieira para as 14h, mas vai ser adiado para amanhã. Entretanto deram-me a conhecer um artigo de opinião muito engraçado.

      Eliminar
  5. Só um cego é que não vê que o Colo Coca de carnide é o dono disto tudo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também o Bruno Vasco Carneiro queria mandar nesta merda toda, mas ninguém lhe liga.
      Fisicamente tem muito peso, mas a nível de influência o peso é negativo.
      E é isso que o deixa fulo e impotente, algo de que o Leonardo Jardim pelos vistos não padecia, daí ter sido escorraçado de Alvalixo.

      Eliminar
    2. jmfigueiredo

      Sejam ecológicos, não lhes dêem conversa.

      Eliminar
  6. Grande texto. É o que tenho dito, o jornalismo em Portugal morreu há muito, infelizmente. São todos umas marionetas.

    O futebol é o espelho da sociedade, um espelho em jeito de caricatura. O jornalismo está morto, o jornalismo desportivo está putrefacto. E o que é válido para analisar o jornalismo, também o será para analisar a corrupção, a falta de valores, etc. no nosso país real e no nosso país desportivo.

    Não é por aparecer um ou outro jornalista sério, que o panorama vai mudar. Uma andorinha não faz a Primavera.

    ResponderEliminar
  7. Não é preciso sequer argumentar muito, é evidente o que o texto demonstra, está explícito, o que se passa em Portugal a nível de jornalismo e a nível editorial é vergonhoso, é o que permite que pessoas medíocres e corruptas se perpetuem no poder e cargos enquanto exploram e roubam nas demais actividades...

    O Sporting já teve esse problema, o Sporting só conseguiu recuperar quando os tirou de lá para fora e pós um outsider (Bruno de Carvalho) no poder...

    ResponderEliminar
  8. O João Sousa, que escreveu o artigo, utilizou um vídeo teu Mestre. Bom sinal que uma pessoa inteligente e estudante de jornalismo utiliza material postado aqui no blog e talvez até comente aqui e nós nem nos apercebemos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não o conheço, Diogo, mas escreve muito melhor do que muitos jornalistas que por aí andam.

      Eliminar
  9. Faltou apenas acrescentar aqui um outro registo marcante, já com uns anos, mas a que eu e todo o Portugal então, teve ocasião de assistir em directo.

    https://www.youtube.com/watch?v=dp_hKzv1UUM


    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Outro clássico que muita gente faz por esquecer.

      Eliminar
    2. Um postzinho de vez em quando a falar destas coisas era engraçado.

      Eliminar
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  11. Só comentei aqui uma vez ou duas, mas há bastante tempo que esta página faz parte do meu leque de leituras obrigatórias sobre futebol. Foi, por isso, com grande orgulho e surpresa que vi que publicaram o meu texto, e estou muito agradecido pelo vosso reconhecimento. O meu único medo relacionado com O Artista do Dia é que deixe um dia de existir, porque o que aqui se faz é serviço público. Um abraço e obrigado não só à página, mas também a todos os que leram e comentaram a mostrar o seu agrado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. bom artigo João, tal como todos os que escreves para lá (são praticamente os únicos que leio). Continua o bom trabalho e cumprimentos

      Eliminar
  12. Obrigado pela leitura e Bom trabalho João. O que a sociedade precisa é de jornalismo como deve de ser e não avençados. Pena é que Portugal seja tão pequeno e para se singrar com mérito próprio não é fácil.

    ResponderEliminar
  13. Foda-se aqui o Sousa tem os tomates no sítio é daqueles que ainda não tem medo que as cartilagens do joelho estoirem,

    Muita incongruente e animada narrativa poderia eu pra aqui vomitar depois de ler este magnífico parecer do diminuto país que é portugal, mas não iria acrescentar nada ao caso e a insensatez propositada e premente de todas as classes laborais no cantinho luso.

    O atrofiamento é tão elevado que se metade do que é falado aqui no estrangeiro sobre a nação e as suas dependências (i)morais chegassem correctamente decifradas qualquer sociedade morreria de vergonha, mas infelizmente o tradicional portuguesito tem o esfíncter apertadíssimo até ao momento certo
    Sendo que depois e perante a presença de um qualquer pretendente mais ou menos sério desde angolanos, chineses, brasileiros e cobres€€€€€€€€€ a diarreia passa a ser total, aqui na Europa foram enviados alguns clones palhaços como o barroso, guterres, mourinho sempre predisposto assumir o papel de lambe bostas e este é o verdadeiro português.

    Vergonhoso como é destratado o padrão social prol de ganhos iminentes as todas classes laborais que pactuam com a distorção da Verdade e Verticalidade eles são políticos, juízes, deputados, forças policiais, agentes desportivos, jornalistas, acessória assalariada e todas as outras sem escrúpulos, vão bater nas ridículas figuras de gente como o novo presidente do repúdio (marcelo "Nabo" de sousa) e o primeiro ministro antonio preto,
    Hoje ao estar olhar para conferência de impresa do treinador dos tondeleses deparei-me e constatei que entre o petit pitbull ou o tino de rás a comandar aquela equipa era a mesma coisa ou seja a conclusão é que ter um inqualificado naquela função devido à cunha e como funciona no cômputo geral e social.

    portugal é um país pequeno onde só os Fracos sobrevivem a razão de falta de escrúpulos e tenacidade,
    Cambada de fantoches espartilhados sob a égide de apertar o cinto a ver até onde isto vai?'....

    Conclusão,
    Obrigado João Sousa por proporcionar este belo momento de leitura e clarividência intelectual

    Acrescentado de que não foi só o jornalismo que Morreu em portugal foi também a IDENTIDADE

    Um bem Haja para si e todos os Seus,
    Atentamente.

    ResponderEliminar