domingo, 27 de novembro de 2016

Uma vitória para acabar com traumas recentes

Depois do afastamento da Liga dos Campeões, e face à desvantagem pontual para o Benfica no campeonato, era absolutamente imperioso que o Sporting saísse do Bessa com os três pontos no bolso. A tarefa era tudo menos fácil: num campo complicado (onde, há um ano, perdemos dois pontos), contra uma equipa muito batalhadora (apesar de muito desfalcada), que tentou desgastar o Sporting, desde o início, através de uma pressão intensa, de forma a tentar tirar proveito da ressaca do esforço dispendido contra o Real Madrid.

Convém não esquecer que o Boavista - que é sobretudo vista como uma equipa de pinos caceteiros -, estava, à partida para esta jornada, na metade de cima da classificação, já não perdia há 5 jogos (quando se deslocou ao Dragão), e é orientada por um bom treinador, Miguel Leal.

O Sporting soube impor-se desde cedo, foi a única equipa que causou perigo, e poderia ter vencido confortavelmente caso a eficácia na finalização tivesse sido superior. O único período de maior preocupação veio com a (incorreta, a meu ver) expulsão de Rúben Semedo, aos 83', mas o Sporting soube, então, adaptar-se às circunstâncias - revelando uma faceta que ainda não tinha demonstrado esta época: soube ser uma equipa cínica, usando, para variar, o antijogo em seu favor.

Uma vitória duplamente importante: pelos pontos conquistados, obviamente, mas também porque a equipa estava a precisar de ganhar um jogo em que fosse obrigada a sofrer até ao fim - para ajudá-la a ultrapassar traumas recentes de golos sofridos ao cair do pano.





A linha avançada, na primeira parte - Jesus optou (finalmente) por colocar Campbell no apoio a Dost, com Bruno César encostado à esquerda e Gelson a semear o caos pela direita. Foi uma aposta ganha, o que não é uma propriamente uma surpresa: estes quatro elementos têm demonstrado ser os melhores da equipa para cada uma destas posições. A mobilidade desta linha complicou as tentativas de marcação do Boavista, e, a partir dos 15 minutos, o domínio sportinguista foi avassalador, sucedendo-se as oportunidades e adivinhando-se o golo, que acabaria, finalmente, por surgir aos 25', após uma grande jogada de Gelson para uma bela finalização de Bas Dost. Já antes Dost tinha atirado ao poste, após bom entendimento com Campbell, e Gelson (que exibição!) tinha falhado o golo, na cara de Agayev, após grande passe de Dost. É verdade que, na segunda parte, o rendimento ofensivo caiu um pouco e as oportunidades foram mais espaçadas - destacando-se mais um grande trabalho de Gelson a servir Bruno César, para um remate à barra -, mas creio que Jesus encontrou finalmente o melhor onze.

Um Adrien para 90+90 minutos - pode-se perceber agora que, até à lesão, estávamos perante um Adrien a 70% da sua capacidade física. A paragem forçada pela lesão contraída em Guimarães permitiu uma intervenção cirúrgica para resolver um outro problema que o impedia de estar a 100% - eram notórias as dificuldades a partir dos 60 minutos, obrigando a uma gestão cuidadosa de esforço -, e, nesta semana, o capitão teve uma prova de fogo, que superou plenamente: foram 90 minutos de intensidade máxima frente ao Real Madrid, e, quatro dias depois, novos 90 minutos de grande qualidade, sobretudo defensiva. Se o Boavista não criou qualquer perigo em lances de contra-ataque, deve-se muito à rapidez com que Adrien cortou muitas dessas iniciativas. Justiça seja feita, ajudou o facto de estar acompanhado por um grande William Carvalho, que também fez uma excelente exibição.

Uma vitória para dar confiança - é evidente que teria sido melhor vencer por 3 ou 4, caso tivéssemos concretizado as ocasiões flagrantes de que dispusemos, mas também estávamos necessitados de ganhar um jogo apertado e em condições adversas, para ajudar a ultrapassar os resultados que deixámos escapar nos últimos minutos contra o Real Madrid (por duas vezes) e V. Guimarães. Perante a contrariadade da expulsão de Semedo, a equipa manteve-se tranquila e lúcida, como se pôde comprovar pela... (avancemos para o próximo ponto)

Excelente gestão dos últimos minutos - depois de Rúben Semedo ter sido expulso, o Sporting praticamente não permitiu que se jogasse mais. Não é bonito de se ver, mas a equipa fez aquilo que tinha a fazer, perante uma vantagem tangencial no marcador e a desvantagem numérica a que ficou sujeita para os últimos dez minutos de jogo. Rúben adiou o mais possível a saída de campo - o suficiente para que Paulo Oliveira pudesse entrar ainda antes da marcação do livre -, tivemos as clássicas câimbras do guarda-redes, demora na reposição da bola em jogo, e aproveitaram-se todas as oportunidades em posse para conduzir a bola para junta das bandeirolas de canto opostas à baliza de Rui Patrício e mantê-la lá tanto tempo quanto possível. Neste departamento, estiveram particularmente bem Marvin Zeegelaar e Bryan Ruiz, que queimaram metade dos cinco minutos de descontos em sucessivos cantos e lançamentos laterais. Fazia falta esta ratice. A repetir sempre que se registarem circunstâncias idênticas.

Last, but not the least - mais atrás, de registar o bom jogo de Coates (o que é um hábito) e de Marvin Zeegelaar. Em relação ao holandês, parece estar a recuperar a confiança perdida. Já tinha feito uma boa exibição contra o Real, e repetiu-a hoje. A insistência de Jesus no holandês parece estar, finalmente, a dar frutos.



"Pôs-se a jeito", o #@$%*& - foi muito ouvido por aí, no rescaldo do jogo com Real Madrid: o João Pereira não fez nada, mas pôs-se a jeito. E já adivinho que, com Rúben Semedo, muita gente volte a ter a mesma opinião - "não acertou no outro, mas já tinha amarelo, pôs-se a jeito". Lamento, mas não estou de acordo. Rúben Semedo entra de forma impetuosa, sim, mas em momento algum coloca em risco a integridade física do adversário, que não estava assim tão próximo. Pôr-se a jeito é quando se faz efetivamente algo que justifique a punição, porque os árbitros estão lá para fazer cumprir as leis. Jogo perigoso, sim, mas apenas isso. Quando um jogador não faz nada que justifique um cartão, não se está a pôr a jeito, está a... jogar. Aos 3', Carlos Santos cortou um ataque mais que prometedor com um pisão perigoso no calcanhar de Gelson (até o descalçou):



Carlos Santos "pôs-se a jeito" para jogar 87 minutos sem margem para se "pôr a jeito" outra vez, mas, para sua felicidade, Fábio Veríssimo não viu aqui qualquer motivo para cartão. Carlos Santos, que, por acaso, acabaria por ver mesmo um amarelo aos 30 minutos. O que aconteceu com Rúben Semedo não foi uma questão de "se pôr a jeito", foi apenas um caso evidente de dualidade de critérios (e existiram vários, durante os 90 minutos).



Missão cumprida, com o bónus adicional de ter valido o segundo lugar isolado, já que, de seguida, o Porto empataria em Belém. O ciclo infernal continua já esta quarta-feira, num jogo em Alvalade - que se prevê quentinho -, para a Taça da Liga, contra o Arouca.

46 comentários :

  1. ENORME VITÓRIA contra 14 Comparando lances o Eliseu na temporada passada seria irradiado do futebol Mas como joga de milhafre ao peito é apenas viril

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem lembrado, Pedro. O Fábio Veríssimo arbitrou o Boavista-Benfica do ano passado, em que o Eliseu tem uma entrada clara para vermelho... e só lhe mostrou o amarelo.

      Eliminar
  2. Que se lixe o Arouca e a Taça da Liga. Não tenho interesse nenhum nele. Poupanças. Muitos jogadores pouco utiliados e até homens da B.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu interesse é nos Pinhos, não é no Arouca em si. :)

      Eliminar
  3. hahaha que cara de pau! Nem uma referência ao golo roubado ao Boavista.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mostra aí o videoarbitro.
      Espera, vocês não querem o videoarbitro...

      Imbecis há em todo o lado, normalmente lampiões como o Bilhas.

      Eliminar
    2. Não há golo nenhum para referir, mas o Mestre perdeu uma oportunidade de lembrar aos lampiões hipócritas que o vídeo-árbitro ajudaria a perceber melhor lances deste género. Como não interessa ao presidente da agremiação carnidense que haja mais transparência no futebol, lá terá que ser o Sporting a continuar sozinho a luta pela introdução de tecnologias que tornem o futebol mais transparente e justo.

      Eliminar
  4. Mestre, também acabei por escrever (demasiado) sobre o Fábio Veríssimo.
    Este ilustre produto do Lab é algo assustador (mas de grande regularidade). Quem não se recorda da sua grande exibição, na época passada em Braga na Taça de Portugal?
    Está bem lançado.
    A esse lance do Gelson, acrescento um sobre o B. César, também na 1ª parte, e a cotovelada em Coates, já na 2ª parte.

    O que é certo é que podíamos ter perdido mais 2 pontos e hoje o tópico seria:
    - "Sporting colocou-se a jeito";
    - "temos de jogar mais";
    - "falhámos muito;"
    - "meu querido Slimani"

    quando não era por isso que poderíamos perder.

    Um abraço e bom domingo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cantinho, eu até acho que, da fornada Benfica Lab, o Fábio Veríssimo é o único que poderá dar bom árbitro, se quiser. Mas ontem a dualidade de critérios foi gritante.

      Eliminar
  5. arbitragem habilidosa...

    na primeira parte o boavista estava completamente fora do jogo e perdia quase todos os duelos ou ganhava-os em falta.

    2-2 em amarelos.

    Este jogo era para ter ficado arrumado no remate do bruno cesar que foi à barra.

    ResponderEliminar
  6. Grandes Gelson, Bas, Adrien, William e Coates.

    Árbitro voucheirista ridículo. Cartões para Bruno César e expulsão de Semedo só possível no mundo vermelho dos voucheiristas à lá carte da porta 18 formados na academia do Rola.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Outras equipas não levavam esses cartões, isso é certinho.

      Eliminar
  7. Pôs-se a jeito ou o Sporting é que esta sempre a jeito?

    Para quem lá foi viu bem o que é estar a jeito, a partir de certa altura com bolas na trave e tudo o caldinho começou a ser preparado tal como o foi em Guimarães.
    O sóares dias fez escola e este de ontem já aprendeu, a expulsão só a ele não deixou dúvidas.
    Correu mal e o Sporting finalmente deixou de ser ajinho e fez como todos os outros, é para queimar, então queima-se tempo.
    Em Portugal só assim se tem hipotese de ganhar jogos onde o factor apitadeiro esta sempre presente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Sporting, ao entrar em campo para jogar, está automaticamente a pôr-se a jeito.

      Eliminar
  8. Concordo com tudo.

    Bom jogo, gostaria de o rever.

    ResponderEliminar
  9. Mdc onde andam os especialistas em perspectiva e AutoCAD que traçavam linhas na época passada?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nuno, eu não tenho dúvidas: a bola não entrou. Basta olhar para os pés do Patrício, para a inclinação do corpo, e para a forma como segura a bola. Não são precisos CADs para nada. Sendo que foram vocês que estrearam essa moda das linhas e pontos de fuga.

      Eliminar
    2. Que grande cara de pau.
      Se fosse o Benfica, era dissecado ao milímetro e arranjavam uma perspectiva delirante em 4D que provava que a bola tinha entrado, como é o Scp não existem dúvidas.

      Eliminar
    3. Eu pelo menos, sou a favor das novas tecnologias e do vídeo-arbitro, no futebol profissional, coisa que muitos vermelhuscos não gostam, pois assim as "cortesias" terão menos efeitos.

      Eliminar
    4. E o penalty do coates?
      Empurrão pelas costas!!!
      Também não há necessidade de falar?
      Lol
      A coerência dos "somos diferentes"

      Eliminar
  10. O certo é que este Sporting dá ainda muitos sinais de não estar preparado para ser a equipa que chegou a ser no ano passado.
    Acho que por mais que Gelson desequilibre, que um meio campo com Adrien-William-Cesar domine e Bas Dost concretize, falta ainda alguma coisa a este Sporting.
    Acho que a falta de qualidade nas laterais é gritante, que a dupla de centrais ainda comete certos erros de concentração que compromete a equipa, e que no banco não existem reais opções para os indiscutiveis desta equipa.

    ResponderEliminar
  11. Off topic mestrinho, se com o vencimento que a estrutura Bruno-Saraivosa investe em si comprasse um Porsche, emprestava-o a amigos para irem curtir até às 3 da manhã?

    ResponderEliminar
  12. A bola entrou sim senhor...saiam mais 3 Kebabs.

    ResponderEliminar
  13. Agora imagine-se só como seria este Post, as Capas e as Manchetes dos pasquins gémeos de Lixoboa se fosse o Boavista a jogar impedido de 7 jogadores titulares... se fosse o g.r. do Baovista a entrar dentro da sua baliza com a bola nas mãos, a recuar para lá da linha de golo com a bola...

    Imagine-se só o chinfrim, a vitimização, o calimerismo... mas como ganharam, está tudo bem. Quando se ganha com batota, nunca se importam. Foi assim com o FC Porto, foi assim ontem. Mas está tudo bem. E ainda criticam os vizinhos do lado por ganharem com batota.

    Para o FCP até foi bom, que continuem a ganhar... sobretudo no dia 10 de Dezembro. Cá os esperaremos na 2ª volta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 15 pénaltis. 15

      É quantos o porto já tinha foi gamado este ano!

      Vocês não têm noção do ridículo

      Eliminar
    2. Por este caminho na 2 volta já vocês estão a 15 pontos... como tem sido hábito nestes ultimos anos.

      Eliminar
    3. Ainda pensas no título???
      Hahahahaha
      Isso, continua a enterrar a cabeça na areia!
      Ridículo!
      Não jogam pevide, e ainda "ambicionam" ser campeões!!!!
      Tem juízo...e cuidado é com o 3o lugar...
      Até para o ano... Ou quiça, o mais provável, até nunca mais...

      Eliminar
  14. Como é um hábito, a lampionagem agarra-se a qualquer coisa ligeiramente duvidosa e tentar menorizar a vitória difícil do Sporting, num jogo em que dominámos embora devíamos ter resolvido o jogo cedo.

    O boavista só foi mantido em jogo com a incessante ajuda do árbitro a marcar faltas atrás de faltas no nosso meio campo campo. Até admito que sim, fizemos algumas mas mais de metade foram mal marcadas.

    Bastava ver a cara de incredulidade enojada dos nossos.

    ResponderEliminar
  15. Artista, há semanas que digo que o Semedo não passa de um central mediano: É o Ramos Português. Bons pés, mas sempre de cabeça perdida no campo. Perdida, isto é, mal posicionado.
    Espero que o Paulo Oliveira agarre a titularidade para o bem da seleção.

    ResponderEliminar
  16. Boa venda por 8 milhões do Elias a concretizar-se. É excelente negócio. Se fosse o Benfica, o que se iria ouvir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O benfica é mais vendas tipo Garay.

      Vendem para Garay vocês :D

      Eliminar
    2. Precisamente por ser apenas uma notícia de jornal é que os sportinguistas lhe dão pouco valor, percebes QI80?

      Eliminar
    3. Pelo que se diz nos corredores de alvalade (excluindo o túnel de acesso aos balneários, pois aí não se diz, faz-se) até janeiro seguem o mesmo caminho as outras contratações falhadas do Jota, a saber, Castainos, Meli e os irmãos emplastro Ruiz.
      Só Petrovic é poupado, pois engrossará as fileiras da selecção da ex-Jugoslávia que joga no andebol com a camisola do Scp.

      Eliminar
    4. Enquanto isso, outros clubes continuam a não conseguir despachar jogadores. É a vida.

      Eliminar
    5. A rena agora tem acesso aos "corredores de alvalade".
      2 pontos apenas, porque nem vou comentar o conteúdo repleto de "diz que disse" (chega para o Record, mas aqui temos outros padrõezinhos - upa, upa).
      1- Alvadade escreve-se com maiúscula.
      2- CastaiGnos e não Castainos. Bem sei que estás habituado a nomes mais pequenos (um dos critérios de contratação no carnide), para não baralhar mentes mais simples (veja-se o exemplo do teu amigo QI80).
      SL

      Eliminar
  17. Sempre as teorias que são roubados e todos os de apito tão a mando do Benfica...

    Vamos ter um pouco de noção se Ele tivesse a fazer todo esse filme que por aqui dizem só tinha de considerar golo a jogada do Patrício ou marcar penalti no lance do Coates. E assim tinha chegado ao objectivo obscuro que lhe tão atribuir.

    Atenção não tou a dizer que eram, estou apenas a salientar o ridículo de chamar ladrão ao arbitro quando ele tem dois lances duvidosos que se tivesse sido como aqui dizem "jogar contra 14, produto do Lab, Árbitro voucheirista" tinha obviamente decidido contra o Sporting e não a favor como fez.

    ResponderEliminar
  18. O SCP avaliou o elias em 5M no verão e pelo que sabe ele teve proposta de 10M para ir para a china no ano passado...

    Parece me ser um bom negócio (pelo pouco que Elias joga) mas nada de extraordinário para motivar esse teu comentário.

    ResponderEliminar
  19. O Podence e o Geraldes andam a fazer o quê no Moreirense? Estes já valiam 40 cada um no Benfica. Craques.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Geraldes no benfica? nunca, ele é dos nossos https://www.instagram.com/p/BEXDaP1O9Wq/ e pode ser que venha já em janeiro quando o elias for para a indochina onde existem 2000000 de benfiquistas.

      Eliminar
    2. xiiiiiiu J... ou entao diz isso baixinho senao vem de la o manxester e eles teem de esconder o moço na equipa B!

      guedes escondido com orelha de fora

      Eliminar
  20. LOL ainda hei-de ver os lampioes vergados e humilhados a pedir o video arbitro...


    ...mas só para os jogos do Sporting!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "...mas só para os jogos do Sporting!"

      correcção: só na baliza e grande-área do Sporting

      Eliminar
    2. eheheheh,,, ok, aceito a correção!

      Eliminar