segunda-feira, 8 de maio de 2017

Facada nas costas

(via @ManuelReis)

Foi assim que Alvalade se apresentou para receber o penúltimo jogo da época. De uma época em que o número de desilusões foi muito superior às alegrias proporcionadas, sem qualquer objetivo por que lutar desde janeiro. Não há outro clube em Portugal capaz de registar uma assistência deste nível (os poucos lugares vazios que se podiam observar justificam-se com os detentores de Gamebox que não puderam ir ao jogo) nas mesmas condições.

Há cerca de um ano, com o terceiro lugar garantido, o Porto também realizou um jogo em casa às 11h45, contra o Boavista. O aspeto das bancadas era este:



O ambiente em Alvalade não podia ser melhor à partida para o jogo de ontem com o Belenenses. Muitos sportinguistas aproveitaram para levar as famílias que, num cenário mais descontraído, emprestaram à bancada um colorido e sonoridade diferentes do habitual. Era um final de manhã perfeito para a propagação do sportinguismo. Infelizmente, a equipa de futebol correspondeu a esta demonstração de amor ao clube com uma exibição inadmissível, desperdiçando-se assim uma onda positiva gerada a partir das bancadas que, bem aproveitada por quem estava no relvado, poderia ser transportada - mesmo que apenas parcialmente - para a época seguinte.

Não sei como explicar esta exibição, mas dispenso justificações que envolvam questões técnico-táticas ou a ausência de jogadores por lesão e castigo. Aquilo que aconteceu ontem não poderia ter sucedido, mesmo que o Sporting se apresentasse em campo com a equipa B.

Neste momento, estou mais inclinado para pensar que a origem do problema está na forma como os jogadores, habituados a viver numa redoma e a serem tratados como semideuses, não fazem um esforço para perceber aquilo que está em causa para os adeptos que os apoiam incansavelmente. Estou mais inclinado para pensar que a falta de futebol a que assistimos é uma consequência lógica dos inúmeros equívocos e teimosias de Jorge Jesus, incapaz de dar a mão à palmatória e explorar outro tipo de alternativas a partir do momento em que a época ficou perdida. Mas como a responsabilidade tem de partir sempre de cima, estou também inclinado para relembrar que os dirigentes, presidente incluído, têm de perceber que a determinação e paixão podem fazer muito pelo clube, mas só até certo ponto. Foi graças a eles que chegámos a um patamar em que já podemos exigir mais do que isso, mas é obrigatório que se reinventem e encontrem soluções que façam da estrutura (e não me refiro apenas ao futebol) algo que permita às respetivas equipas serem mais do que a soma das partes.

Foi uma facada nas costas. A mim, e às dezenas de milhares de pessoas que foram ontem ao estádio. Os três pontos são irrecuperáveis, mas acabam por ser o menos importante. Pior foi terem perdido a confiança de muitos sportinguistas como eu. Sinto que houve uma ligação que se quebrou com a falta de respeito que demonstraram este domingo.

Essa quebra de ligação não é irreversível, mas não é com pedidos de desculpas inúteis que a vão remendar. Só dependem de vós próprios para um dia a recuperarem, mas vão ter que transpirar e trabalhar muito e bem para o conseguirem.

50 comentários :

  1. A grande questão que se deve colocar a BdC é se vamos para 2017/18 repetir a fórmula desta época ou se é hora de se sentar com Jesus e decidir que é hora de fechar um ciclo e ambos chegarem ao entendimento sobre a sua saída.

    O empurrar de responsabilidades para tudo e todos, sem assumir nunca que ele é o principal responsável por este desastre de época apenas revela que, há muito, Jesus anda arredado da realidade.

    Por 5 milhões/época certamente que arranjamos melhor do que aquilo que nos foi oferecido esta época...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não ponho em causa a competência do JJ, nem o treinador que é. Simplesmente acho que as escolhas do plantel foram infelizes e um tiro no pé (à execepção de 3 ou 4 jogadores). Acho que JJ deve continuar mas deve haver ser imposta uma restrição/limitação no seu poder de contratação.

      Eliminar
  2. Mestre, infelizmente é devido a esta miserável atitude que não ganhamos nada. Os outros "factores" ajudam, mas com esta falta de exigência é impossível vencer seja o que for.
    Que falta de respeito para com os adeptos, tantos a levarem os filhos e as mães à Alvalade para uma festa. Quantos terão levado os filhos pela primeira vez para esta miséria? Recordo-me que levei o meu filho pela primeira vez num jogo semelhante, quando perdemos contra o Estoril num jogo parecido. Ontem levei-o novamente para esta tristeza... assim é dificil conseguir criar novos adeptos, por mais que tentemos... é mesmo muito mau.
    Ha equipas que são especialistas em ganhar. Nós somos especialistas em decpecionar... e ajudar equipas em crise a recuperar o ânimo... quantas equipas começam a sua recuperação num joguinho destes connosco?
    Acho que o BC acordou tarde. Ele começou bem, subindo a exigência no início do mandato. Mas com o JJ acho que errou demasiado... aceitou todas as desculpas deste ego gigantesco que nunca tem responsabilidade de nada... receito que agora seja tarde de mais para corrigir o rumo e que o monstro que trouxe para Alvalade seja mesmo o seu maior erro.
    Enfim, isto realmente forma o carácter e a resiliência, mas às vezes gostava que fosse mais fácil ser deste clube, com um bocadinho menos de tiros no pé.
    SL
    Lanterna Verde

    ResponderEliminar
  3. Na minha opinião, seria importante o estádio estar quase vazio na recepção ao Chaves. Para ver se eles percebem que a militância incondicional não suporta tudo. Fiquei bem mais chateado com a atitude do jogo de ontem que com a derrota em si ou o 3º lugar.

    E BdC ontem foi simplesmente ridículo, um fugir com o rabo à seringa inadmissível.
    Em primeiro lugar achei extremamente indelicado e abusivo meter o futsal no mesmo saco. Esta época o futsal teve um jogo mal conseguido e acabou agora mesmo a fase regular sem derrotas. E quando BdC fala da maior derrota de sempre numa final 4, "esquece-se" que só foi a maior derrota porque o Sporting arriscou. Tivesse defendido uma derrota mais pequena e a "maior derrota" já não acontecia. Críticas daquelas só as admito se não formos campeões.
    E em segundo lugar, ele que não ache que andamos todos atrás dele como fez parecer com "os Sportinguistas acreditam num projecto". Não BdC, não. Não andamos atrás de presidentes ou projectos, andamos atrás do Sporting, seja quem for o presidente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente aquela tirada acerca do futsal foi ridícula! Como se pudesse haver comparação entre uma equipa que tem ganho praticamente a nível interno e que tem um treinador comprometido com o clube. Eu percebo a desilusão dele depois da final, mas fod"s2&, haja noção! O Futsal tem sido a modalidade profissional em que temos sido completamente dominadores!

      Eliminar
    2. Presidentes, jogadores, treinadores e dirigentes passam, mas o Sporting continua. E os seus adeptos também. BdC ainda não percebeu isso. E ao não perceber arrisca-se a "ser mais um" ainda antes de o seu mandato acabar.

      Eliminar
  4. Era importante conseguirmos ir à champions com apuramento directo e mais uma vez está época perdemos pontos quando o adversário directo perdeu. Por outro lado concordo com alguém que diz hoje que a liga Salazar continua. Já alguém criou a hastag tretacampeao e tretacampeonanto? Apesar do nosso fracasso acho que não é demais relembrar que outros sem jogarem nada demais lá vão somando pontos

    ResponderEliminar
  5. Tanto teria para dizer o que me vai na alma, mesmo passadas tantas horas depois do fim do jogo. Raramente me senti assim. E a principal razão para este sentimento é relembrar as perguntas da minha filha de 4 anos que ontem foi, pela primeira vez e depois de tanto insistir, a Alvalade. O olhar dela, as perguntas... pai, porque os outros marcaram tantos golos? Porque aquele senhor está a dizer que os chulos que ganham muito estão a dormir? O que é um chulo?

    Tanta criança que se ouviu dizer, à saída, "pai/mãe/tia, não quero voltar"... É melhor ficar-me por aqui tamanha é a desilusão pelo desrespeito mostrado perante tanta e tanta gente que, não havendo nada a ganhar, quis mostrar e transmitir o seu amor ao Sporting.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma vergonha do crl, foi só isso.
      E logo a seguir a um rival perder pontos e uma recuperação complicada na Pedreira.
      Há ali falta de trabalho psicológico. Os meninos têm de perceber a responsabilidade que carregam ao envergar aquela camisola.

      Eliminar
  6. Comecemos pelo elefante na sala: o nosso treinador.
    Acho que é consensual que a liberdade que nele foi depositada resultou nesta tragédia de época. Apesar de ser o melhor treinador a treinar em Portugal, não é mais do que isso: um treinador. É mediocre enquanto scout, é péssimo enquanto comunicador e é sofrível enquanto motivador.
    O Presidente é culpado por lhe ter dado esta sensação de impunidade. O contracto faraónico leva a que fique refém de Jorge Jesus. E isso tem-se notado. Com meia época para pôr a rodar as nossas maiores pérolas (Podence, Geraldes, Matheus) continua sempre a insistir nos mesmos, com a impunidade de quem se pode dar ao luxo de fazer o que quer. Mesmo depois do desastre.
    O Presidente só tem que fazer uma coisa. Assumir o controlo do barco. Impôr a utilização dos nossos jovens. Mostrar quem manda.
    Se o JJ não gostar, que se ponha mexer.
    Sendo mesmo controverso, porque não despachá-lo para o Porto? Evitávamos esta situação criada pelo Presidente de lhe termos de pagar uma cláusula elevadíssima e com o dinheiro dos seus salários poderíamos ir buscar outro treinador. Ou caramba, apostar em akguns que estão por cá: Pedro Martins, por exemplo. Se o Nuno conseguiu lutar pelo título quase até ao fim e com o Rui Vitória a ganhar dois títulos consecutivos, ficou patente que não adianta teres um mestre da tática se os teus jogadores abordam os jogos essencias desmotivados. Se as jovens pérolas são são lançadas.
    O jogo contra o benfica em Alvalade foi para mim a gota de água: a ganhar desde os 5 minutos, num golo que nasce de um erro deles, fomos recuando em vez de massacrar! Em vez de procurar um resultado que nos motivasse a todos!
    Jorge Jesus serviu para recuperarmos o respeito desportivo. Já não somos os coitadinhos. Discutimos o título até ao fim a época passada e fomos quase sempre superiores nos dérbies nestas duas épocas. No entanto, se é para ter 30% de possibilidades de conquista do título, seria preferível a aposta num treinador que se comprometesse com o projecto e com a filosofia do clube e não um treinador cheio de fetiches por jogadores Sul-Americanos.

    ResponderEliminar
  7. Para eu não perder mais tempo com a miséria de ontem, Mestre, assino por baixo!

    ResponderEliminar
  8. Tudo dito. Não perdoarei a nenhum dos envolvidos o jogo de ontem, à semelhança da nossa derrota em Guimarães por 3-0 na época do Marco Sonsilva. Totalmente inaceitável. É uma derrota que acredito inclusive que deixará marcas para o início da próxima época e que só poderá ser sanada de certa forma através da passagem no playoff da Champions. Gostei do discurso do Presidente, odiei o do treinador... O treinador tem que se chegar à frente, ser duro com os jogadores (com todos eles, sem excepções), pedir desculpa aos adeptos e assumir a responsabilidade. Mas o que eu gostava mesmo é que nada disto tivesse acontecido, mau demais.

    Única nota positiva é o reforço da nossa lealdade e paixão. Como diz a música... "como nós não há igual!". Os adeptos do Sporting Clube de Portugal estão de parabéns, uma vez mais.

    PS. Deveríamos impor uma regra nos regulamentos dos jogadores: não se pode publicar nada nas redes sociais nas 24 horas seguintes a um resultado negativo (empate ou derrota).

    ResponderEliminar
  9. Mestre, desde Outubro no jogo com o Dortmund em casa que disse para mim e para os meus amigos que a época tinha terminado e que o meu capital de confiança em JJ tinha atingido o ponto 0.

    Todos sabemos que há muitos outros factores que nos impediram, novamente, de lutar até ao final. Mas essa desculpa tem de terminar quando vemos que os que estão dentro da nossa casa estão se a borrifar completamente para isso.

    Para mim William e Adrien vão ter de sair. É notório a falta de motivação dos dois em jogar por nós. Depois pseudo jogadores como Schelloto não podem sequer ficar no plantel, é mau de mais.

    Estou disposto a dar uma hipótese ao JJ mas temo que vá acontecer o que sempre achei quando ele chegou. Ele na primeira época é muito forte, faz revolução e corrige os jogadores para melhor, mas no longo prazo os jogadores cansam-se dele e só com colinho ganha. E a passagem dele no SCP prova isto claramente. Se ninguém se lembra eu lembro que as galinhas nas duas ultimas épocas do mestre jogaram um futebol miserável.

    Para mim já chegou desde Outubro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. William e Adrian são a coluna vertebral deste Sporting, sem substitutos à altura. Embora reconheça que a frustração de ambos deva ser muito alta nesta altura (mais um ano sem ganhar desportivamente nada) se saírem, é como começar de Zero e refazer um plantel...

      Eliminar
  10. Jesus pode ter os seus equívocos e a sua teimosia mas nada disso justifica que 11 jogadores do plantel principal...sendo ou não sendo habituais titulares... tenham um desempenho deste nível !
    Há claramente jogadores que não têm nivel para jogar no clube e outros que preferem ir para outras paragens...
    Agora resta dispensar e vender e compor o próximo plantel com gente capaz que queira cá estar !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depende. Um bom treinador (daqueles a sério) com o actual plantel do Sporting ganhava títulos. O V.S.C. de Guimarães com um plantel inferior está na final da Taça. E eliminou o Chaves...Jardim e Marco tiveram um plantel menos valioso...

      Eliminar
  11. Primeiro, alguns factos. Independentemente da exibição miserável, uma vez mais as maquinações do costume estiveram em cena ontem - o que, com uma equipa de arbitragem que incluía Bruno Paixão e Manuel Mota, seria sempre de esperar. O pénalti de Matheus Pereira é indiscutível, como também o é um cometido já não sei por quem ainda antes dos dez minutos, em muita coisa semelhante, e que poderia dar outra tranquilidade ao jogo do Sporting, caso fosse convertido. Mais: a "falta" que dá origem ao 1-2 é mesmo isso: uma "falta". E que prova bem o que já disse há quase uma semana: mais que os pénaltis, é no meio-campo e/ou perto da área que se inclina campos de futebol e isso é coisa que o VAR não vai resolver, sobretudo nos moldes apressados com que se está a querer impor a coisa. Pessoalmente, defendo algo mais próximo da NFL: deve ser o treinador a requerer o serviço do VAR, não o próprio árbitro de campo, pois isso, na prática, continuará a abrir caminho a todo o tipo de, vá, subjetividades.


    Mas indo para o prato principal. Quanto a mim, houve duas coisas que, desde logo, condenaram a época do Sporting, olhando para trás:

    1) Não termos conseguido ser campeões na época passada, da forma absolutamente escandalosa que toda a gente viu, mas que uns quantos milhões nunca irão admitir, mesmo que a sua vida dependesse disso - e isso poder-nos-ia levar a outras questões como militância vs. fanatismo puro e duro, mas não nos afastemos do essencial. Onde quero chegar é muito simples. A verdade é que, tirando Slimani e João Mário, a equipa é essencialmente a mesma. Porquê a diferença? Não me parece que o Euro e a valorização que alguns jogadores tenham tido e respetiva vontade de quererem outros voos explique tudo. Não sei, muito sinceramente, se a escandaleira da época passada não acabou por ter um efeito género para-quê-o-incómodo-porque-isto-já-está-minado-à-partida nos jogadores. É que sinto mesmo em muitos deles um sentimento de impotência (que não a sexual, presumo) perante tudo. Bem mais do que conformismo, até.

    2) Aquela entrevista do Adrien publicada mesmo em cima do fecho de mercado de verão foi, sinceramente, uma ainda maior facada nas costas do que o jogo de ontem. Adrien teve, na altura, oportunidade para se demarcar daquelas palavras, caso não as tivesse dito. Não o fez. E quem cala...
    Mas pior que isso foi a atitude passiva por parte da Direção. Por algo semelhante, Slimani e Rojo levaram o castigo que se impunha. Já o CAPITÃO, pelo contrário, passou por entre os pingos da chuva e não só não teve direito a corretivo, como manteve a braçadeira. Desculpem lá, mas que mensagem é que isto manda? Precisamente: que se pode dizer/fazer o que se quer, que as consequências serão nenhumas. Isto, desculpem lá, parece coisa de Dias da Cunha a desculpar Liedson, Rochemback e Polga por mandarem o treinador a sítios feios! E não sei se isso não foi também decisivo para a atitude algo displicente que vimos ao longo de muitos (demasiados) jogos ao longo desta época.


    Enfim, é a minha perspetiva.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos sempre a esquecermo-nos do Teo. Embora não aprecie muito as suas qualidades humanas, a verdade é que nos fez muita falta.

      Eliminar
    2. #tretacampeonanto #tretacampeao
      É lembrar bem estas épocas do sistema

      Eliminar
  12. Vergonhoso o que se passou ontem em Alvalade. 45 mil pessoas, quando já não há nada em disputa...e joga-se tão pouco futebol?! Mais uma conferência de imprensa lamentável do nosso treinador.

    Se fosse BC começava a atalhar caminho:
    1) Contratar um director de futebol...que percebesse de futebol!
    2) Despachar/vender entulho que temos - Marvin, Schelloto, Jefferson, Douglas, Castaignos, o comboio de emprestados sem qualidade.
    3) Definir com JJ 3 contratações - defesa direito, esquerdo e avançado. Mais só se sair algum das peças-chaves.
    4) Chamar de volta Iuri e Jonathan Silva.
    5) Mudar o nome na camisola de alguns jovens jogadores: Podencovic, Dalovic, Geraldovic, Palhinhovic e Gauldovic.

    ResponderEliminar
  13. A comparação das imagens é falaciosa, porque é falso que as circunstâncias fossem semelhantes, tanto em objectivos como no estado emocional dos adeptos. Em primeiro lugar, na tal partida do Porto não estava nada em jogo; neste do Sporting, com a escorregadela da Madeira, estava em causa o ataque ao 2º lugar. E em segundo, o "carrossel" emocional dos adeptos do Porto, tendo em conta o seu passado recente, é completamente diferente do caso Sportinguista. Quem está habituado a ganhar quase sempre e se vê atirado para o fosso em que vive o FCP assim de repente, não reage como um adepto apaixonado de outro clube, que, não obstante lutar pelos mesmos objectivos, está mais habituado a chegar a esta altura sem a possibilidade de lutar por títulos.
    Se pusermos de lado a honestidade intelectual, as comparações, tal como as opiniões, nas palavras da sempinterna Drª Rute Remédios, são como as vaginas.

    O momento emocional no Porto é mais parecido com este

    http://leaodaestrela.blogspot.pt/2008/10/alvalade-cada-vez-mais-vazio.html

    Claro que os Sportinguistas estão desesperados por ouvir algo de positivo - como os Portistas - e inventam virtudes que não estão lá, ou, pelo menos, são de veracidade muito duvidosa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Curioso que os adeptos sportinguistas sejam cm a Maya:adivinham o futuro.
      Bilhetes esgotaram na quarta feira e o Porto escorrega no fds. :/

      Quanto ao estado emocional, se ficam assim tristonhos só pq estão fora da corrida (com taça ainda no horizonte), nem quero imaginar a depressão se chegassem aos 15 anos sem ser campeão.

      Ja agr, em 2008 além da desilusão com equipa (4o ano com P Bento!), era mesmo cm a direcção que o clube estava a tomar.
      E 35k era normal para assistência no estádio novo nessa altura. Quer comparar esse números com o vazio q estava o dragão? Desonestidade intelectual não vem deste lado de certeza. Todos sabemos que maioria os adeptos do Porto são aspetos de vitórias, não dá equipa. No Sporting não são assim de certeza, por razões tristes e de incompetência continuada...

      Eliminar
    2. 1 - A lotação esgotou bastante antes de se saber o resultado da Madeira.

      2 - O seu argumento corrobora a ideia do post: sem nada para ganhar, continuamos a encher o Estádio de Alvalade e a levar a Onda Verde a todo o lado.

      Eliminar
    3. Nem mais. O estado já estava lotado antes do fim de semana. A realidade é que somos Sporting e ser do Sporting é ser (e bem) diferente.

      Eliminar
  14. E que fique claro: correr com JJ não vai resolver coisíssima nenhuma. Durante anos e anos, andámos nesse regime de cemitério de treinadores e viu-se no que deu. Para lá de que, sinceramente, muitos dos que exigem rua com JJ são aqueles que, na verdade, nunca aceitaram que ele fosse treinador do Sporting, fosse por que motivo fosse. E essa foi a estratégia principal da Cartilha durante esta época: tentar virar os adeptos contra o treinador. Infelizmente, ao contrário da tática Presidente-e-treinador-não-se-dão, esta parece ter resultado em cheio.
    Espero que estejam contentes com vocês mesmos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Ricardo,

      Tem razão, mas com Jardim e depois Marco Silva e mesmo agora com JJ abandonámos essa política. 5 milhões por época e já vai na terceira, um tipo mal educado, arrogante e que não cumpre os objectivos. Já não se qualifica no grupo de treinadores que foram enterrados.

      Abraço,
      Pedro

      Eliminar
    2. JJ ainda tem apoio para mais uma época, mas será sempre sob grande pressão. Se repetir a época passada, ng se vai queixar e dirão apenas que esta foi a excepção. Caso contrário, nem passa do natal...

      Eliminar
    3. Kóboi, é caso para dizer: hee-haw! :)

      Eliminar
  15. Acho que o primeiro grande problema actualmente no Sporting é não haver hiérarquia no futebol, ou seja, quem parece que a tem (Jorge Jesus), não a deveria ter. Depois há as vacas sagradas do balneário, como por exemplo o Adrien que, depois de dizer publicamente que queria sair, tenta-se de arranjar desculpas, da-se umas palmadinhas nas costas e, fica resolvido. Os reforços, a maior parte deles foi um fracasso mas, a culpa desta época miserável não é só deles.

    ResponderEliminar
  16. É tempo de reflexão, tanto para o PRESIDENTE tanto para Jorge Jesus. Em relação ao nosso técnico é chegada a altura de deixar "O EU", para se focar no "NÓS". JJ teve em duas épocas desportivas planteis que dentro das possibilidades financeiras, lhe deram uma panóplia de soluções que os anteriores técnicos não tiveram. JJ teve carta branca para construir nestas duas épocas desportivas uma mentalidade de vitória (não o conseguiu). A terceira época de JJ é o tudo ao nada! Estamos em Maio, faltam 3 meses para a próxima época desportiva começar e já temos essa pressão em cima!

    Há que ter conhecimento profundo dos erros cometidos, terá de se ter discernimento e humildade para se reconhecer os erros, tanto pela parte da administração como da parte da equipa técnica.

    Quanto ao PRESIDENTE (que sou na maior parte das vezes, defensor e apologista das suas declarações), onde desiludiu-me.

    BdC não pode meter no mesmo barco a equipa de futebol e a equipa de futsal… gostaríamos todos nós sportinguistas que a equipa de futebol profissional, ganha-se tantos títulos como a equipa de futsal, acho que foi um desrespeito por uma equipa que é CAMPEÃ NACIONAL EM TÍTULO E VICE-CAMPEÃ EUROPEIA, e que acabou este fim de semana de realizar uma fase regular sem qualquer derrota…

    Peço ao PRESIDENTE, que também tenha a noção que a estrada da beira, não é a beira da estrada.

    REFLEXÃO INTERIOR É NECESSÁRIA, DISCERNIMENTO É NECESSÁRIO!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais... meter no mesmo saco a equipa de futsal e a futebol é uma tremenda injustiça!! Se estes burgueses do futebol 11 tivessem 1/3 do brio da maioria dos jogadores do futsal estavamos nós bem... Os jogadores do futsal mereciam apoio e não criticas após aquela final...

      Eliminar
  17. Caros,

    Estava eu todo contente com a hora deste jogo porque ia levar a minha filha de 5 anos a Alvalade pela primeira vez. Mais, ela tinha me pedido para lhe comprar o equipamento do SCP para ir ao jogo e para levar às sextas feiras para a escola que é dia de futebol! Infelizmente, fiz mal as contas, e era semana de estar fora do pais em trabalho. Fiquei triste... Eis senão quando, com uma diferença de 6 horas, acompanho a desgraça que se passou...

    Votei em branco nestas eleições porque nenhum dos candidatos que se apresentou é sério. O nosso presidente confiou que indo buscar o JJ conseguia o sucesso e esteve perto no ano passado mas jogou mal nos bastidores. Contou que conseguia ser mais esperto que os outros... azar. Este ano, foi o ano do Jesus! Igual a si próprio, o comissionista. Faz me lembrar o scketch do herman em que ele diz que foi ele que tirou a pequenita Ana malhoa da lama. Aqui é tudo obra do senhor... quando corre bem, porque quando corre mal são os jogadores que não percebem. Não admira não o perceberem. Este presidente que percebe tanto de futebol como qualquer adepto alcoolizado, apostou todas as fichas num mentecapto que vai destruir a nossa academia. Como é que entra com Palhinha e Mateus nas Antas e não dá continuidade? Porque é que insiste no brian com continuas exibições miseráveis? Mas os jornalistas não lhe fazem estas perguntas?

    Estamos presos ao JJ e a culpa é do presidente, que da sua forma mais original, é tão boçal como o primeiro. Preparemo nos para nada ganhar na era JJ e BdC.

    Com isto, tenho orgulho em ser do Sporting, ter sido ateleta e ter vestido a camisola (no meu caso a touca) deste grande clube, que nos dá, a nós verdadeiros sportinguistas, imagens como as que o MdC abre este post.

    Um bem hajam e abraço do outro lado do oceano!

    Pedro

    ResponderEliminar
  18. Os estádios dos rivais ficam vazios quando a época corre mal. Porquê? Arrisco dizer que os adeptos divorciam-se da equipa imediatamente. Não aceitam, não toleram, caem em cima dos jogadores (e às vezes também da direcção), é vê-los todos olhar para trás com medo. Infelizmente, a "cultura de exigência" também se "cultiva" assim. Ora, no Sporting nada disto acontece, diria que no geral nós aturamos tudo e mais alguma coisa, somos demasiado permissivos para o nosso próprio bem. Os rivais agradecem.
    Gosto da ideia de não comparecer no estádio contra o Chaves.
    Saudações Leoninas,
    José Campos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não. É-me difícil não ir a Alvalade ver o Sporting.

      Eliminar
    2. Isso não faz sentido. Não comparecer em casa porque os meninos mimados não dão o litro? Jamais! Isso queriam eles...

      O que se deve fazer é encher o estádio sempre, e em dias como o de ontem enxovalhar os jogadores, já que eles também nos enxovalharam a nós. Apertar com eles, em vez de lhes pedirem fotografias quando os vêm na rua, peçam-lhes explicações. Apertem com eles. Nas ruas, nas redes sociais, no estádio, na Academia. Isto não é incompatível com ter o estádio cheio a cantar durante os 90 minutos. Sejam cânticos de apoio, sejam cânticos de contestação. Assim é que se defende o Sporting, não é a boicotar os jogos em casa.

      Eliminar
    3. Também me custará a mim e de certeza que custará a muitos outros. À parte das arbitragens (que infelizmente, no final do campeonato, pesam sempre contra nós) nas últimas épocas temos assistido a algumas exibições absolutamente ridículas e humilhantes. Quando a inspiração não aparece, transpiração extra precisa-se. Neste último jogo parecia que os nossos jogadores levaram os pijamas para dentro do campo! Inaceitável. Pergunto então, não deveríamos nós ser um bocadinho intolerantes e fazer questão de o mostrar à nossa equipa? Será um mal/sacrifício necessário que vem por bem?
      SL,
      José Campos

      Eliminar
  19. Em primeiro lugar, tive pena de não ir ao jogo, mas o horário do jogo foi totalmente incompatível com um almoço de família do Dia da Mãe. A direcção deveria ter tido isso em conta, bastava que o mesmo fosse antecipado um dia.


    Infelizmente, voltei a constatar e reforçar que Jorge Jesus não serve para o clube e a solução será a sua saída rápida. A sua postura/personalidade/exigência assentam num estilo que poderia servir em equipas de colossos europeus, que têm planteis vastos e cheios de opções para substituir os jogadores titulares.

    Apenas num clubes desses se admite e tolera sem danos, a prosápia com que alega que com ele os jogadores precisam de vários meses para se integrarem nos esquemas de jogo – só assim consigo admitir porque não colocou ontem Francisco Geraldes no onze, lembrei-me logo da colocação de Bruno César na direita em Légia, desta vez com Matheus – e não percebe que se quer ter sucesso na próxima época já devia ter começado a ter alternatvias de qualidade, pelo menos, para Adrien e Willam.

    Quer com eles ou sem eles, vemos que Jesus não está preocupado em rodar mais no onze alternativas como Palhinha, Gauld, Chico Geraldes (sim, para mim, ele faria muito bem o lugar de Adrien, basta ver no panorama europeu grandes médios como David Silva ou Modric sem grande físico mas com pezinhos e inteligência superior). Já se percebeu que Adrien/William precisam, pelo menos, de terem 2 boas alternativas para enfrentarem uma época completa.

    O que vemos é que mesmo com essa teoria de inserção de novos jogadores, os resultados (triunfos e títulos) como equipa são maus. Resultados à parte, não me lembro de bons jogos este ano em Alvalade (talvez a 1ª parte contra o Feirense). Roda pouco, é teimoso e inflexível. O primeiro ano foi quase-bom e o melhor Jesus a lutar pelo título tem sido o dos primeiros anos, como no Benfica, agora vai ser sempre a descer, porque não temos o colinho deles.

    Isso é um muito mau sinal do que aí virá se ele continuar, além das insistências em Ruiz, Schelotto, Castagnos, Campbel, .... e a cereja em cima do bolo é o anunciado interesse em Coentrão. Onde é que eu já vi isto, num passado recente (época de 2016/17) a formar um plantel ??!!!


    Bruno de Carvalho que pondere bem se vai manter Jesus. É caro despedi-lo ?? É sim senhor, mas poderá ser mais barato do que um época má e pelo que ouço a contestação ao técnico é cada vez maior atingindo níveis impensáveis há meses atrás.

    O presidente deve saber que a seguir a Jesus será ele a ser posto em causa. Da minha parte, apenas uma coisa é certa: a minha renovação do lugar cativo no Estádio está dependente do que acontecer ao técnico. Mais um ano de suplicio, não quero para o meu Sporting e se assim for eu, pelo menos, não vejo ao vivo.

    ResponderEliminar
  20. No final da época é tempo de todos fazermos uma analise do que foi esta época, espero pelo um post do Mestre sobre isso e depois sim vou tentar elaborar um comentário mais longo.

    Ontem foi só mais um capitulo de uma época desastrosa a todos os níveis, ninguém esta isento de culpas, desde o Presidente, Treinador e jogadores.
    Fora de campo, ontem mais uma post(a) de Bruno Carvalho no Facebook...agora lembrou-se misturar a modadalidade que dá de "comer" ao Sporting aos anos, o futsal, enfim que acabe a época.

    Para finalizar, Onda Verde continua de boa saúde, o que ainda é mais frustrante depois vermos exibições destas em campo.

    ResponderEliminar
  21. Eu estive lá a ver como sempre e vi varias coisa graves e uma muito grave, as várias graves já foram dissecadas por todos, falta de brio, de vontade, atitude de soberba e falta de respeito pelo adversário, clube e pelo público que nem era o do costume, dos habitues era gente, famílias que se calhar só vão uma vez ou duas à bola por ano, inadmissível....
    Mas o muito grave passou-se à minha frente, o Adrien tinha a bola estava tudo parado e ele manda o zieglaer avançar para lhe dar linha de passe, o nosso lateral IGNOROU-O completamente o que demonstra que o balneário está estralhacado e com péssimo ambiente, mais a autoridade do capitão de equipa nem sequer è reconhecida....
    Depois do Adrien e do pai, irmão, empresário terem feito o que fizeram na tentativa de forçar o SCP a vender o passe dele "por baixo" ele NUNCA mais deveria ter envergado a braçadeira de capitão nunca mais, porque senão o que è que os outros jogadores ficam a pensar? Eu compreendo que o BDC tenha engolido um sapo em prol dos objectivos da equipa, aliás ainda não temos substituto para o Adrien, mas o que deverá ter acontecido era ele ter levado com uns jogos no banco (nada de cenas de treinar à parte como no carnide e no clube da fruta) e depois entrava como mais um simples jogador de campo e isso passava uma mensagem clara ao grupo, foi decidido de outra maneira, não resultou pelos vistos, espero que ao menos tenha servido de lição!!!!!

    ResponderEliminar
  22. Já vi que estás em estado depressivo. O facto de não haver dinheiro para o ano, poderá jogar a favor do Sporting.
    A questão que gostaria de perguntar. Não sei se viram o Rio Ave, mas o Petrovic afinal não é tão mau como o pintam. Como é possível funcionar com o Castro, e não funciona com Jesus? Alguém explica? Fez uma boa exibição.

    Artista, é um comentário de bem.

    ResponderEliminar
  23. Fiz este comentário no mister do café ontem:

    Ainda estou para perceber quando é que é socialmente aceitável fazer críticas ao Jesus, que é claramente o causador desta embrulhada de jogadores dispensados que sem dar para perceber as razões ou o contexto regressam do purgatório (castagnos, campbell) enquanto outros têm de ganhar a bota d'ouro para entrar na equipa (xico, gauld, palhinha).
    O Bruno tem de se decidir, porque a próxima época sem o William e o Adrien não vai ser melhor que esta (veja-se o que aconteceu no início desta quando se andava à procura do parceiro para o Bas), pois o treinador vai parecer uma barata tonta à procura de petroviques (jogadores velhos e grandes como ele gosta) para o lugar deles enquanto vamos perdendo pontos
    Para concluir, o Xico ou o Gauld já deviam (há uns bons 3 meses) estar a preparar o lugar do Adrien, pois não vai ser outro Elias que nos vai safar.

    Já fui acérrimo defensor do Jesus, mas agora que vejo que ano após ano ele não cria valor no plantel para além daquilo que já lá está, além de tirar toda a confiança aos putos com aquela conversa habitual depois de uma derrota "eu tinha razão, como eu já tinha dito, a culpa é dos putos", mas é óbvio que eles sabem que entram sempre em cima de brasas sem poderem pisar o risco, rendendo assim 40% do que conseguem. Agora tenho a certeza, ele que vá pela sombra e tragam o Paulo Sousa ou o Sá.

    Já agora deixo aqui este comentário que resume o treinador e o seu hype sem sentido

    http://oi64.tinypic.com/9pte2d.jpg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o link que eu queria meter

      http://imgur.com/mR6YWEC

      Eliminar
    2. O teu texto é bom, Diogo. Pena o anexo de um anti-benfiquista. Vocês deviam ser superiores a isso.

      O Porto deixou de ganhar quando do ano do Vítor Pereira para o do Paulo Fonseca, pensou que com Licas, Quinteros e Josués iam continuar a ganhar tudo. Foram arrogantes no acreditar das suas capacidades como o meio realmente diferenciador na luta pelo título. Erraram. Sem jogadores de qualidade, tudo o resto é pormenor.

      Eliminar
  24. Muito boa TARDE, concordo com aquilo que foi aqui escrito e se me permitem faço a minha reflexão. Esta equipa tem por base embora já com muitas alterações o projeto iniciado pelo Leonardo Jardim, apostas em jovens que se foram afirmando ao longo dos anos e que agora só pensam em sair. O problema é saber que Jesus não é treinador de lançar jovens, portanto não existe valorização da formação, aposta em jogadores já feitos e sobretudo falados da altura em treinava o benfica, já lá vão uns anos, chegam sempre já numa altura de reforma ou pré reforma e com bons salários. A nova época sem investimento, sem grandes vendas como vai ser?? Uma camioneta de jogadores tipo compre 5 pague 3? Essa será a questão e a pré época responderá a estas dúvidas, em Novembro do ano que passou ficámos praticamente sem objetivos este outubro ou novembro logo se vê.
    Saudações leoninas, é minha opinião.

    ResponderEliminar
  25. Não alinho em dizer que os nossos jogadores não prestam. Dizer mal do Adrien e outros não é o caminho. Então os "nossos" são piores que os jogadores de 7 (SETE) equipas que acabaram por derrotar o Belenenses? A questão é outra. E o treinador também não é bom... se calhar não! Porque será que no "nosso" rival qualquer um (como disse Wilson) está sujeito a ser campeão? Sinceramente não sei.... mas alguma culpa,estará em nós próprios que aceitamos tudo e não cobramos devidamente? (ordeiramente, claro!) É só uma opinião (desabafo) gostaria de ter a solução!

    ResponderEliminar
  26. Meus amigos sportinguistas, o sucesso custa dinheiro. O Benfica investiu 30M€ para poder ter uma época cheia de sucesso... O Sporting não atingiu os 5M€...
    O Mendes controla muita coisa, muitos clubes e outros orgãos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Finalmente, alguém com os olhos bem abertos! Farto-me de dizer isso a quem quiser ouvir.

      Eliminar
  27. Somos e continuamos a ser complexados. Tenho observado com interesse intervenções diversas de sportinguistas. Sou sócio há muitos anos e ajudei na eleição desta direcção pelo que estou à vontade. Do meu ponto de vista, grande parte do problema do SCP como clube radica no modo como vivemos o clube. Somos indefectíveis e presentes o que é muito bom e só nosso. Mas também temos aquilo que denomino "complexo de soberba". Não temos tido a capacidade de encarar os jogos e os nossos atletas humildemente. Veja-se o jogo decisivo do ano passado, que estava ganho antes de disputar. Fizemos uma recepção à equipa em Alvalade que sinceramente desconcentrou toda a equipa. O empolgamento e euforia excessivas têm destas coisas. Devíamos ter tido contenção e humildade suficientes para (re)centrar a importância do jogo contra o slb. Paralelamente, qq bom desempenho de um nosso jogador, da formação ou não, leva-nos imediatamente a idolatrá-lo para logo depois criticar mal falhe. Os jogadores têm que saber que os sócios e adeptos gostam mas também exigem carácter e rigor. É esse "complexo" que a isso nos leva. Estamos constantemente a arranjar super atletas e grandes feitos. Ora é o A. Ruiz, o Dost, o Geraldes ou ainda o Gelson, entre outros. Caramba são jogadores tão importantes como os outros todos do plantel. É isso que eles devem sentir de nós: Não temos preferidos nem "deuses". Temos tido sucesso em várias modalidades mas deveríamos encarar com naturalidade algo que é inerente à nossa grandeza como clube ecléctico. Por isso refiro que temos o complexo fatal da soberba e da antecipação constante de cenários vitoriosos e idílicos onde esmagamos sempre. Neste domingo às 11h45, o estádio vivia um misto de euforia, festa e vitória garantida. Era um dia especial. Os jogadores e técnicos não sentiram o valor da vitória. Sentiram aquilo que nunca deveriam: vitória garantida. Faltou algo que nestes últimos anos tem sido recorrente. Humildade e rigor competitivos e acima de tudo comprometimento com a função que desempenham em prol do colectivo. Um clube é o espelho da qualidade da direcção, técnicos e jogadores. É minha convicção que a direcção expõe-se permanentemente e "provoca" constantes manchetes negativas nos media, sedentos de "sangue"; o treinador deve ter uma atitude pública de respeito por todos os jogadores, humilde e ser melhor, muito melhor gestor de atletas; os jogadores devem ser atletas comprometidos com os objectivos da equipa. Quanto à sua qualidade, estão lá porque alguém os escolheu no mercado. Mas, de facto, grande parte foi escolhida com base em critérios pouco claros. Não são acutilantes e agressivos, talvez com mentalidade pouco dada a sofrimento. Os exemplos durante estes últimos 15/20 anos são imensos. A solução será sempre em função da capacidade de inverter estes dados, esses sim deprimentes.
    José Santos - sócio do SCP

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro sócio José Santos, compreendo tão bem as suas palavras. Sei que está desiludido, como eu estou e como estão todos os SPORTINGUISTAS. Peço que me deixe discordar do seu diagnóstico chamado "complexo de soberba". Caro José ser do SPORTING não é para toda a gente é sim para as pessoas especiais, ser do SPORTING não é ser um adepto materialista de títulos, ser do SPORTING é sentir o clube de uma forma muito especial, uma forma de AMOR INCONDICIONAL que não há barreira que separe o adepto do clube. Ser do SPORTING é viver o espírito de Francisco Stromp na sua plenitude. SER DO SPORTING É SEM DÚVIDA SER MUITO DIFERENTE DOS DEMAIS, sim porque eles não aguentariam nem metade do que NÓS SPORTINGUISTAS aguentamos.

      Obviamente, caro José ao viver este amor tão intensamente e o retorno de resultados/titulos ser tão deficitário faz com que todos NÓS entremos em euforia quando vemos uma ESPERANÇA ao fundo do túnel. É normal que assim seja. Os nossos (praticamente) 111 anos de vida mostram que somos dos clubes mais nobres do mundo. Somos e seremos sempre fiéis, com depressões ou com euforias o tal complexo que o José nos fala. Nunca nos virá a rasgar cartões, nunca nos virá a virar as costas ao clube, e estes últimos anos caro José saímos de uma "belenizacao" leonina em que realmente tudo esteve para cair, para este momento mesmo não ganhando ainda títulos, já termos direito à euforia ou ao "complexo de soberba".

      É isto que todos os atletas que representem o Leão Rampante têm de entender e não deixarem-se inferiorizar com fobias de vitória. Terá de haver COMPROMISSO da parte deles e quando assim for ninguém levará a "peito" as derrotas, os adeptos do SPORTING TÊM ESSA INTELIGÊNCIA como foi o exemplo do final da época passada.

      Caro José o SPORTING SOMOS NÓS, SOMOS DA RAÇA QUE NUNCA VERGA!

      SAUDAÇÕES LEONINAS!

      Eliminar