sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Jesus e o top-10 dos treinadores

A FIFA revelou recentemente a lista de 10 treinadores candidatos à Bola de Ouro 2014:

  • Ancelotti (Real Madrid)
  • Conte (Juventus)
  • Guardiola (Bayern)
  • Klinsmann (EUA)
  • Low (Alemanha)
  • Mourinho (Chelsea)
  • Pellegrini (Manchester City)
  • Sabella (Argentina)
  • Simeone (Atletico Madrid)
  • Van Gaal (Holanda)


Seis treinadores de clubes (2 de Espanha, 1 da Alemanha, 2 de Inglaterra e 1 de Itália) e quatro selecionadores nacionais - o que é normal num ano de mundial.

Quem se sentiu injustiçado por não constar nesta lista foi Jorge Jesus.


Que Jesus se tem em muito boa consideração não é novidade para ninguém - afinal ainda há poucos meses afirmou sentir-se o melhor treinador do mundo. Tenho a opinião que Jesus se tem em demasiada boa conta, mas admito que o treinador tinha legítimas aspirações a fazer parte deste lote de nomeados.

A favor de Jesus está o facto de ter ganho, durante o ano de 2014, um total de 4 competições internas (Taça da Liga, Campeonato, Taça de Portugal e Supertaça) num país que aparece no top 5 do ranking da UEFA. Foi à final da Liga Europa, tendo perdido apenas nos penáltis e inclusivamente eliminado a Juventus, cujo treinador é um dos 10 candidatos. O facto de ter conseguido manter-se em todas as competições (Champions à parte) até ao fim é algo que deveria ser levado em consideração, pois não é fácil para qualquer equipa - por muitos recursos que tenham.

Por outro lado, Jesus está a caminho de ser mais uma vez eliminado da Champions ainda na fase de grupos, apesar de o Benfica ter sido uma equipa de pote 1 nas duas últimas épocas (Benfica e Porto foram as únicas equipas do pote 1 a serem eliminadas na época passada).

A principal conclusão que se pode tirar é que a importância dada à Liga Portuguesa é bastante mais pequena daquilo que gostaríamos - e, na minha opinião, há motivos para isso. Temos um campeonato altamente desequilibrado e em que a diferença de recursos entre os clubes é abissal. No ano passado, perante o colapso do Porto, seria inadmissível (no sentido de intolerável :) ) Jesus não ganhar o campeonato com o plantel que tinha ao seu dispor.

Se Jesus quiser efetivamente provar que se trata de um dos melhores treinadores do mundo, vai ter que sair da sua zona de conforto e ir para uma liga mais competitiva.

Mas a realidade é que há mais escolhas discutíveis nesta lista da FIFA. Não está Jesus, mas está Conte, que ganhou o scudetto com 18 pontos de avanço sobre o 2º classificado, mas que também foi eliminado da Champions e não foi tão longe na Liga Europa. Mourinho não ganhou nada, tendo sido eliminado nas meias-finais da Champions pelo Atletico Madrid e em 3º na liga inglesa (ultrapassado pelo Liverpool de Brendan Rogers, que não foi nomeado). Unai Emery, que ganhou a Liga Europa com o improvável Sevilha, também ficou esquecido nesta lista.

E ao nível dos selecionadores está, na minha opinião, a maior injustiça de todas. Se Low, Sabella e Van Gaal são compreensíveis (os 3 primeiros da competição), não estar o treinador que fez isto...


... é incompreensível. Jorge Luis Pinto devia definitivamente fazer parte dos 10 melhores do ano de 2014.

No fundo temos: os quatro semi-finalistas da Champions (que incluem o campeão alemão e espanhol), o campeão de Itália, o campeão de Inglaterra, os três selecionadores melhor classificados no mundial... e Klinsmann (?!). Percebe-se que o que realmente a FIFA considera importante é a Champions, as 4 principais ligas europeias, o Mundial e... politiquices (piscadela de olho ao futebol dos EUA).

Em relação ao vencedor, na minha opinião só poderá sair do duo Simeone / Low - mas acho que o argentino merece mais.

14 comentários :

  1. Trocava o Conte e o Klinsman pelo Jorge Luis Pinto(A Costa Rica saiu invicta do Mundial) e o Emery

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hugo, a Costa Rica saiu invicta - ainda por cima defrontando sempre equipas muito complicadas: Uruguai, Inglaterra, Itália, Grécia e Holanda. Seriam poucas as seleções que conseguiriam fazer melhor contra estes adversários. Um abraço.

      Eliminar
  2. Infelizmente será o Ancelotti o vencedor.

    Para mim, seria o Simeone (venceu a Liga ao Barça de Messi e ao Real de Ronaldo e Ancelotti) e só não venceu a Champions porque o Sérgio Ramos lembrou-se de ser aquilo que geralmente não é: jogador de futebol.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Octavio, por acaso não acredito que Ancelotti ganhe. O Platini já anda a apelar ao voto em quem tenha ganho o mundial, por isso acredito que as coisas se inclinem para o Low. Um abraço.

      Eliminar
    2. Mestre,

      geralmente aquilo que Platini e Blatter afirmam tendem a dar, exactamente, o oposto. Foi assim que Ronaldo ganhou a sua última Bola de Ouro (tal como ganhará esta), quando quem deveria ganhar era Ribery (este ano acho que deveria ser um destes 3: Neuer, Lahm ou Muller).

      abraço

      Eliminar
    3. Isso é verdade! Já deviam ter aprendido que quanto mais falam, mais se enterram! :)

      Eliminar
  3. Simeone o melhor dessa lista, sem dúvida.

    Embora deva dizer que o Ancelotti é mestre a jogar em contra-ataque, este Real é rápido e venenoso, como o Milan de 2007. Aliás diga-se que este homem fez a última grande equipa no Milan.

    O Unay Emre também merece estar não só pela liga Europa mas também pelo campeonato deste ano.

    Depois há as nomeações por estatuto como Mourinho e até Guardiola, não pondo em causa o valor de ambos e os fantásticos arranques que estão a fazer nas repectivas ligas e champions este ano.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Green Lantern, eu compreendo que o Guardiola esteja lá. Ganhou o campeonato muito confortavelmente e foi às meias-finais da champions. Para uma equipa com os meios do Bayern, isso deviam ser os mínimos, é certo, mas a verdade é que Guardiola conseguiu-o na primeira época e fazendo mudanças significativas na forma de jogar da equipa. Um abraço.

      Eliminar
  4. O Klinsmann é que nao tem explicação possível. Quanto ao mais, é subjectivo. Mourinho está porque é .. Mourinho e por nada de factual que o suporte convenhamos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anónimo, o Klinsmann é mesmo incompreensível... É a FIFA no seu pior. Um abraço.

      Eliminar
  5. O ego desse individuo é abissal. Mas a verdade é que se Jesus não foi nomeado este ano, dificilmente veremos algum trenador a treinar em Portugal a sê-lo. A não ser que vença uma competição europeia (e que se subentende ser a Champions dado que na LE o JJ só foi derrotado no desempate por grandes penalidades depois de chegar à final sem 1 única derrota).

    O homem tem-se mesmo em muito boa conta. mas o que ele disse, neste aspecto concreto não é minimamente descabido. O tema é subjectivo e o vencedor sairá de um lote de 2/3 (Simeone e Low no topo). Mas ver o nome do JJ na lista era tudo menos uma aberração.

    Saudações
    sic transit gloria mundi.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Stgm. Cada vez mais a FIFA / UEFA olha menos para o que se passa noutras competições que sejam as de 1ª linha. Só uma época tipo Villas-Boas no Porto é que poderia merecer nomeação, desde que não fosse em ano de mundial ou europeu. É triste, mas a verdade é que as competições em Portugal não contam para o totobola. Um abraço.

      Eliminar
    2. E bom recordar que o Emery venceu a competicao que disputou desde inicio ao contrario do JJ que foi repescado

      Eliminar
    3. Hugo, manifestamente não é esse o ponto em causa. O Emery não venceu mais nada. O facto de ter sido repescado não retira mérito ao percurso do JJ na LE.

      O JJ manteve a equipa até ao fim, venceu 3 competições e perdeu uma final europeia em penalties. Não vem mal ao mundo de não estar na lista. Mas se lá estivesse tinha sentido.
      Há ali nomes como o Klinsmann que são de bradar aos céus.

      Saudações
      sic transit gloria mundi.

      Eliminar