terça-feira, 23 de junho de 2015

Balanço de 2014/15: Médios



William Carvalho (**)

Uma época em crescendo. William desiludiu ao apresentar-se durante a primeira metade da época bastantes furos abaixo das exibições explosivas que protagonizou em 2013/14. Começou de forma péssima com uma expulsão em Coimbra que poderá ter custado dois pontos ao clube, e prosseguiu durante alguns meses a não conseguir pouco mais que exibições desinspiradas. Com o aproximar do final da primeira volta foi elevando o nível e voltou a ser Sir William durante a segunda volta. 


Adrien (**)

Uma época em sentido inverso à de William. Teve uma primeira volta de bom nível, apesar de nunca ter conseguido igual o incrível rendimento que apresentou na época anterior. Nunca foi poupado e acabou por pagar a fatura do esforço no período de Fevereiro / Março. A partir daí Marco Silva geriu a sua utilização com maiores cuidados e foi recuperando a forma. Globalmente uma época positiva.


João Mário (**)

Uma das revelações da época. Entrou ao intervalo do jogo com o Maribor na Eslovénia e não mais largou o lugar. Mesmo jogando mais adiantado daquilo que será a sua posição ideal, ofereceu um dinamismo bastante superior à equipa. Falta-lhe sobretudo remate de meia distância e de maior eficácia a finalizar dentro da área para ser o jogador de que necessitamos para aquela posição.


André Martins (*)

Começou por ser titular mas perdeu o lugar para João Mário e desapareceu durante meses das opções de Marco Silva. No final da época voltou a ser utilizado para fazer descansar Adrien. Fez alguns jogos competentes, mas nenhum que se destacasse a ponto de justificar a reconquista de estatuto de titular.

Uri Rosell (*)

Tapado por William, não conseguiu ser convincente nas oportunidades de que dispôs. É competente nas tarefas defensivas mas pouco útil na construção, pois o seu estilo de recebe e passa curto é muito limitado contra equipas fechadas. Duvido que tenha lugar no plantel da próxima época.

Slavchev (-)

Erro de casting ou caso extremo de inadaptação a um novo país e clube? Ou os dois em simultâneo? O dinheiro que foi gasto na sua contratação impõe que seja novamente incluído no plantel do próximo ano.

Shikabala (-)

Missing in action. Um ponto positivo: o facto de ter optado por desaparecer de Portugal pelo menos poupou-nos a cenas de prima donna ao ficar de fora dos convocados. Por outro lado, expôs de forma inequívoca o enorme tiro ao lado que foi a sua contratação, mesmo tendo apenas custado €180.000.

Ryan Gauld (-)

Oportunidades a menos para aquilo que prometia. Poderia ter sido útil numa ótica de rotatividade em alturas de maior concentração de jogos.

Wallyson Mallmann (-)

Ler o que foi escrito em relação a Ryan Gauld.

2 comentários :

  1. não percebo porque é que o Rosell é tão rebaixado... acho-o bom jogador. O andré martins parece-me ter chegado ao fim da linha.

    William - Rosell - Slavchev, a menos que o Danilo se resolva a nosso favor. Nesse caso e por opção do treinador já aceitaria emprestar o Rosell

    ResponderEliminar
  2. Slavchev é bom jogador. Não teve foi hipóteses

    ResponderEliminar