sexta-feira, 12 de junho de 2015

Ponto de não retorno


O TAS não tem meios para forçar testemunhas a comparecer nas sessões. Os que vão, fazem-no de livre vontade. A "notável" incompetência de Godinho Lopes até poderia ser esquecida com o tempo, mas testemunhar contra o próprio clube num processo desta natureza é, para mim, imperdoável. 

Infelizmente ao longo dos últimos anos passaram muitos incompetentes pelo Sporting, mas considero que a incompetência não é motivo para se expulsar alguém do clube. Aliás, desde que comecei a escrever no blogue, apenas por uma vez defendi uma situação de expulsão de um sócio: Paulo Pereira Cristóvão. 

Se Godinho Lopes e Nobre Guedes se sentem injustiçados pelas ações tomadas pela atual direção, devem fazer o seu combate nas Assembleias Gerais e nos tribunais, no âmbito das ações que os opõem diretamente ao clube. Até têm direito a fazerem os ataques que entenderem na comunicação social, por muito absurdos que sejam. Mas confirmando-se o testemunho voluntário destes ex-dirigentes (não coloco Pedro Sousa no mesmo saco, pois trata-se apenas de um ex-funcionário) num processo em que não estão diretamente implicados e que poderá penalizar o clube em milhões de euros, isso representa o atravessar de um ponto de não retorno que terá que culminar inevitavelmente na sua expulsão de sócios do Sporting Clube de Portugal.

24 comentários :

  1. Se está pouca vergonha for verdade, então temos a maior das evidências que o objetivo destes sacanas era mesmo acabar com o Sporting. Podemos pagar, mas não. Tenho dúvidas nenhumas que depois de limpar a escumalha, vamos sair muito mais fortes. Como sempre vou continuar a apoiar o meu presidente BRUNO DE CARVALHO.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. Começam os reembolsos! Preparem uns trocos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ricardo, tenho muitas dúvidas que GL possa dizer o quer que seja que influencie a decisão. Aliás, se houver algum tipo de contra-interrogatório até pode ser bom para o clube. Incomoda-me apenas a predisposição dele para testemunhar contra o Sporting. Um abraço.

      Eliminar
  4. Meu caro, lá por serem arrolados pela doyen não significa que não possam defender os interesses do Sporting, Nada de excitações descompensadas (por enquanto).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdoca, ouvi agora a entrevista que GL deu à RTP. Será uma enorme surpresa se for lá para defender a posição do Sporting. Um abraço.

      Eliminar
  5. agrada-me a presença de pinto da costa e vieira na lista de testemunhas... nada melhor que a evolução financeira desses clubes para demonstrar o carácter predador da empresa sediada na ilha de malta.

    A empresa cresce, os clubes desaparecem.

    Então agora que porto e benfica disfrutam de tanto sucesso, começam os cortes no investimento? então agora o parceiro já não consegue ir buscar jogadores às principais equipas da europa?

    O Sporting deve pedir apoio ao sindicato europeu de jogadores de futebol para que seja trazido a tribunal um manancial de histórias sobre os "agentes de jogadores".

    ResponderEliminar
  6. fica também a dúvida se isto é uma lista de testemunhas abonatórias ou lista de reféns?

    Até porque a empresa Doyen não convoca nenhum jogador representado/negociado por si... apenas presidentes de clubes onde é fornecedor ou proprietário de parcelas importantes.

    Tudo isto é muito significativo, o Sporting vai ganhar este processo de goleada!

    ResponderEliminar
  7. Continuo confiante em mais um desfecho favorável ao SCP. Como é que ter Godinho Lopes como testemunha abonatória é bom para alguém, quanto mais para a Doyen? Mais: mesmo na eventualidade de perder, possibilidade com que nunca o Sporting disse que não contava, fez-se o que se tinha a fazer. Não havia outra saída de cara levantada do processo.

    A Doyen já perdeu. Joga aqui a sua última vitória ou a sua última derrota. O outro mérito desta história é ter trazido à tona a União Internacional de Escumalha que enche toda a gente de dinheiro, e os clubes de dívidas.

    Alguns palhacitos, a Norte e a Sul de Alvalade, já esfregam as mãos. Começam a ser demasiados dias seguidos com azia... Bebam uma Tacinha que isso passa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Noureddine04, o conglomerado fica à vista de todos. Imagino os podres que partilham. Quando um cair, será uma questão de tempo para os outros irem atrás. Um abraço.

      Eliminar
  8. Se provar que estes gatos prejudicarem o Sporting neste diferendo, e propor a sua destituição de sócios e informa-los que são personas non gratas no clube.

    ResponderEliminar
  9. MdC

    Tal como em qualquer outra instituição o sócio de um clube tem direitos e deveres.Neste caso mal vi o título deste seu post cheguei fácilmente à seguinte conclusão:o Godinho Lopes ou por vontade própria deixa de ser sócio ou então tem de ser expulso.

    Há uma questão muito importante é que o Godinho Lopes não é uma testemunha contra o Bruno de carvalho,o Godinho Lopes é uma testemunha num processo metido pela Doyen contra o Sporting.

    Penso que a sua expulsão vai ser boa para o clube e um exemplo para a restante banda do reumático que para além de terem deixado o clube em cacos denigrem a imagem do clube.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Precisamente, King Lion. Ele tem todo o direito de não gostar de BdC. Mas testemunhar contra o Sporting num processo desta dimensão não tem desculpa. Um abraço.

      Eliminar
  10. Godinho Lopes abandonou o Sporting em março de 2013 (23ª jornada) no 10º lugar, 10 pontos acima do Beira Mar que era último.

    ResponderEliminar
  11. Mas entao não querem que se descubra TODA a verdade sobre a ma influencia dos fundos ?

    Espera lá, é toda a verdade, ou a VOSSA verdade ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por mim podem ir lá todos. Só escumalha do futebol...

      Para o Godinho é só mostrar no tribunal os R&C do seu mandato e das parcerias com a doyen. Prejuízos de + de 90 M€ em pouco mais de dois anos e resultados desportivos desastrosos.

      Quanto ao corrupto da Costa, enfim, é só escolher...
      - O ”senhor "já foi condenado na justiça desportiva?
      - R&C desastrosos do Oporto desde que aprofundou parcerias com a doyen e correspondentes resultados desportivos medíocres, como explica?

      Repito, só escumalha do futebol. É um favor que nos fazem irem depor.

      Eliminar
    2. Espero que ele diga TODA a verdade, Costa. Mas o homem é um mentiroso compulsivo, por isso é mais provável que invente histórias.

      Eliminar
  12. a verdade do Sporting é a verdade de vários clubes explorados por essa empresa e que não tendo mais músculo para fornecer foram abandonados na falencia.

    o twente é um bom exemplo.

    UEFA and FIFPro Division Europe have launched a complaint with the European Commission, questioning whether third-party ownership (TPO) of football players complies with European law. The complaint alleges that the practice is harmful to the interests of players, clubs and fans, and undermines the integrity of football. FIFPro is the international body that represents the interests of national player associations.

    FIFA implemented a ban on TPO on 22 December last year, which will come into force on 1 May this year. However, the ban was challenged by the Spanish and Portuguese football leagues in February, and through a recent filing by player investment company Doyen Sports in a Paris court, reports Bloomberg.

    “We take this initiative now because the FIFA ban has been challenged legally, both before the European Commission and in a national court (Paris), arguing that the FIFA ban is against European law”, a UEFA spokesperson told the Sports Integrity Initiative. “Consequently, we make the case that it is not the FIFA ban that is against European law, but rather TPO itself”.

    The complaint by the Spanish and Portuguese leagues alleges that the TPO ban violates rules of competition set out in the Treaty on the Functioning of the European Union (TFEU), as well as the fundamental freedoms of establishment, services, labour and capital movements. More specifically, it argues that the ban infringes Article 101 of the TFEU concerning the prohibition of anti-competitive agreements, and Article 102, which prevents abuse of a dominant position – it claims that FIFA is abusing its dominant position by introducing such a ban.

    In contrast, the UEFA/FIFPro complaint argues that TPO is ‘directly contrary to the principles articulated and accepted by the European Commission itself back in 2001, when it previously conducted and concluded a far-reaching investigation of the player transfer rules in Europe’. The investigation that UEFA/FIFPro are referring to began in 1998, when a statement of objections was sent by the Commission to FIFA about the international transfer system. However, following the introduction of a new set of regulations governing international transfers by FIFA in 2001, the Commission found that: ‘The new rules find a balance between the players’ fundamental right to free movement and stability of contracts together with the legitimate objective of integrity of the sport and the stability of championships’. The UEFA/FIFPro complaint is alleging that TPO undermines this.

    “Third- party player ownership is a kind of modern slavery, where you see players belonging to investment funds, or other, generally unidentified, corporate entities”, said UEFA General Secretary Gianni Infantino. “Clearly, this is not something that can be accepted by European law and this is precisely why we have now, together with FIFPro, asked the European Commission to investigate and to declare third-party ownership illegal”.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora aí está. E o Twente é mesmo um excelente, aminhatvpifou. Aliás, já escrevi um post sobre isso: LINK

      Eliminar
  13. Mas o que está em causa é a transferência de rojo ou outra coisa qqr?! A lógica diria que os únicos ouvidos no tribunal fossem as partes envolvidas no negocio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ace-XXI, suponho que o GL vá falar da forma impecável como a Doyen agiu nos negócios com ele... o mesmo que dirão PdC, o advogado do Benfica, e dirigentes de outros clubes semi-detidos pela Doyen. Um abraço.

      Eliminar