quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

O regresso do ciclismo


Qualquer sportinguista que começou a viver o clube a partir dos anos 80 terá seguramente ficado marcado pelas últimas pedaladas do lendário Joaquim Agostinho (lembro-me perfeitamente do momento em que soube do acidente que causaria a sua morte) e das Voltas a Portugal ganhas pelo grande Marco Chagas - numa altura em que começava a aparecer de leão ao peito um novo valor do ciclismo, de seu nome Joaquim Gomes.

Como tal, o regresso do Sporting ao ciclismo é algo que saúdo com grande satisfação, e é mais um passo na recuperação do ecletismo que faz parte da identidade do clube.

O único senão tem a ver com o situação por que passa a modalidade em si. Ao fim de tantos e tantos escândalos de doping, o ciclismo perdeu muita da sua credibilidade e encanto. Infelizmente, não é seguro que os hábitos que conspurcaram o nome da modalidade estejam definitivamente erradicados, pelo que não consigo deixar de pensar nos riscos de haver algum episódio dessa natureza a envolver o nome do Sporting.

Independentemente destes meus receios, parece-me ambiciosa (no sentido positivo) a ideia de um projeto financeiramente viável que será sustentado na equipa que tem dominado os últimos anos em Portugal num horizonte inicial de três anos. O ciclismo vai recuperar muito do seu encanto a partir de 2016.

16 comentários :

  1. Ao fim de tantos e tantos escândalos de doping, o ciclismo perdeu muita da sua credibilidade e encanto. Infelizmente, não é seguro que os hábitos que conspurcaram o nome da modalidade estejam definitivamente erradicados, pelo que não consigo deixar de pensar nos riscos de haver algum episódio dessa natureza a envolver o nome do Sporting.

    MdC, compreendo a preocupação mas o ciclismo tem escândalos de doping porque efectivamente existe um controlo para o mesmo. O futebol é praticado por, pelo menos, 22 jogadores dos quais 4 são sorteados para fazer um exame. Muitas vezes sabe-se à priori o resultado desse sorteio. Numa grande prova ciclística todos os atletas são controlados, muitos mais que uma vez ao dia.

    Não tenho dúvidas que não existe nenhum desporto que seja profissional e que não tenha grande parte dos atletas dopados, legal ou ilegalmente.

    Quando os treinadores se queixam que jogos de 3 em 3 dias é um esforço demasiado para um plantel composto por 25 pessoas onde no máximo 14 jogam, relembro que o ciclismo exige esforços de 5 horas todos os dias durante 15 dias, não que isto seja uma desculpa para o doping mas a necessidade existe. Quem segue o ciclismo tem consciência desse facto, muitos pode estar dopados mas não diminui o esforço dos que não estão.

    A única preocupação que temos de ter enquanto instituição é promover um desporto limpo e se por acaso existir um caso de doping que não seja imputado à instituição (por vontade da equipa) mas aos atletas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Basicamente, estou de acordo com o que escreveu, mas faço notar que todo o desporto, altamente profissionalizado, convive e muito com o doping. Neste horizonte, não há inocentes. O desporto "limpo" já foi, nos tempos do amadorismo, em que o dinheiro não circulava.
      Quanto ao ciclismo, é a modalidade profissional que tem os controlos de doping mais apertados e mais exigentes, e quase a raiar a paranoia, pelo que não é de estranhar o aparecimentos de diversos casos. Façam o mesmo, no futebol profissional, a nível mundial e sob a direção da UEFA, FIFA e Federações e vão-se admirar dos resultados, creio eu. Nas modalidades desportivas, onde circula muito e muito dinheiro e muitos interesses financeiros, em jogo, há de certeza doping. O problema são os controlos, ou a falta deles...

      Eliminar
    2. A. Martins, o nosso futebol é puro. E cristalino. Doping no futebol português? Deixe-se disso.

      No entanto, todos nós assistimos a fantásticas recuperações de jogadores que, num dia, parecem presos por arames e, poucos dias depois, graças a sessões especiais de repouso e de motivação..."ressuscitam".

      Eliminar
    3. É o mundo em que vivemos e em Portugal, nem sabemos o que se passa, quanto ao controlo do doping, no futebol profissional. Antes, havia muita "vigarice", muita "esperteza saloia" e muita informação por debaixo da mesa. Hoje nem isso, porque parece estarmos perante um segredo de Estado. Agora que há equipas que abusam em determinados jogos...

      Eliminar
    4. Sim, concordo que é uma questão do rigor dos controlos que acaba por estar na origem de uma percentagem de casos muito mais elevada que noutros desportos.

      Eliminar
  2. O regresso de uma modalidade que tantos títulos e tanta notoriedade deu ao Sporting.O Joaquim Agostinho foi o maior valor do ciclismo nacional chegando a levar bem longe o nome de Portugal na prova rainha que é a Volta a França.Um acidente estúpido tirou-lhe a vida prematuramente mas ficará para sempre como um ídolo de todos sportinguistas.É justamente considerado um dos maiores valores do desporto nacional.

    É verdade que esta modalidade tem sido manchada por grandes escândalos de doping mas esperamos que nada disso se passe no regresso do Sporting a um desporto que em notoriedade popular só fica atrás do futebol.

    ResponderEliminar
  3. Como adepto do Sporting, e como grande fã de ciclismo, fico paradoxalmente inquieto com esta notícia.

    É que na minha opinião (repito: minha opinião), o ciclismo em Portugal é um paraíso para o doping...

    A W52, equipa com quem o Sporting fez o acordo, ganhou as últimas três voltas a Portugal com um grande domínio, sendo que na etapa da Torre deste ano conseguiu ter 7 ciclistas num grupo de 14 ciclistas, alguns deles sem serem trepadores... O que é no mínimo suspeito...

    Será que voltaremos aos anos 60, 70 e 80, em que apensas os atletas do Sporting eram acusados de doping??? (ex: Agostinho e Chagas)

    Espero que no contrato esteja uma cláusula para o caso de atletas da equipa acusarem positivo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. os atletas que acusarem positivo são suspensos pela federação e obviamente despedidos da equipa. Não é necessário nenhum contrato especial.

      Eliminar
  4. Como fervoroso adepto do ciclismo, fico bastante agradado por esta notícia.
    Como adepto não sportinguista, prevejo que seja a única modalidade onde poderão suplantar o Glorioso. E não se esqueçam de por uma roda de bicicleta no emblema.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nós já fomos grandes no ciclismo e nunca necessitámos de roda de bicicleta, no nosso emblema. Aliás, Joaquim Agostinho vestia a "verde branca" e nunca teve rival em Portugal, nem Fernando Mendes ou Venceslau Fernandes. Voltaremos a ser grandes no ciclismo, coisa que vocês não vão poder ser.

      Eliminar
    2. Sem dúvida, parabéns ao SCP.. por esta bela iniciativa. Mas, convém não esquecer que a nível de clubes, o FCP ainda é o que detém mais Títulos no Ciclismo em Portugal

      Eliminar
    3. Única modalidade Rudolfo?

      Só assim por alto lembro me do futsal, do andebol e do atlestimo!
      Em qualquer uma destas 3 modalidade temos um palmarés superior ao vosso!

      Eliminar
    4. Natação, Ténis de Mesa, Ginástica, Karaté, KicBoxing, Boxe, Bilhar...

      Eliminar
    5. Judo, Tiro com Arma, Tiro com Arco, Xadrez...

      Eliminar
    6. Fernando Reis, vamos ser sérios. Futsal admito que é taco a taco mas somos os campeões. No andebol. o SLB e o scp vão estar no mesmo nível a discutir o 2º lugar no campeonato. No atletismo se um é melhor em femininos, o outro é superior em masculinos.
      Quanto a grande parte das restantes modalidades mencionadas, o SLB nem tem secção, por isso é fraca força entre ovelhas ser leão.

      Eliminar
  5. este ano competimos associados ao W52... no próximo ano talvez possamos arranjar uma equipa de formação.

    ResponderEliminar