segunda-feira, 1 de maio de 2017

Dost, Dost, Dost

Numa época em que, no que diz respeito a objetivos, resta pouco mais do que ver até que ponto Bas Dost conseguirá incomodar Messi na tabela dos melhores marcadores europeus, o adepto sportinguista só pede que lhe continuem a dar motivos para continuar a seguir com interesse os jogos que faltam: futebol bem jogado, de preferência recorrendo aos miúdos - já com a próxima época em mente -, e que se proporcione ao holandês tantas oportunidades para marcar quanto possível. 

Nesse sentido, o final de tarde de ontem acabou por ser bastante agradável. Num bom jogo de futebol que teve incerteza no resultado até ao fim, o Sporting realizou uma exibição bastante interessante, alimentada pela genialidade dos meninos Gelson e Podence e pelo killer instinct do inevitável Dost.




Dost, Dost, Dost - três golos do holandês que valeram mais três pontos. O primeiro de penálti, os outros dois de cabeça após cruzamentos dos laterais. Já vai com 31 golos em 28 jogos (para o campeonato), com uma média de um golo marcado a cada 78 minutos. Destacadamente o melhor e mais influente jogador desta edição da liga, mas, como estamos em Portugal, já se sabe que os responsáveis pela atribuição dos prémios individuais irão arranjar formas criativas de não lhe atribuir essa distinção.

Gelson, enquanto teve pulmões - o menino fez uma primeira parte fantástica, conseguindo aparecer por diversas vezes nas costas da defesa bracarense. Esteve perto de marcar por duas vezes logo no princípio, mas Marafona opôs-se bem em ambas as ocasiões. A primeira meia-hora de jogo foi toda sua: não só foi capaz de dar quase sempre boa sequência às jogadas, como também parece ter havido uma espécie de falta de comparência dos seus companheiros da frente. Na segunda parte sofreu o penálti que deu o empate. As pilhas gastaram-se por volta dos 60', mas, globalmente, teve uma exibição muito positiva.

A entrada de Podence - aconteceu pelos piores motivos (lesão - que parece grave - de Alan Ruiz), mas veio mexer com o jogo do Sporting. A equipa deixou de precisar de recorrer apenas a Gelson para gerar desequilíbrios. Enquanto Alan Ruiz esteve pouco interventivo e quase sempre lento a definir, Podence deu-se muito mais ao jogo, recebendo inúmeras vezes a bola entre linhas e atacando de imediato a defensiva adversária de forma destemida e esclarecida. Dois minutos depois de entrar sofreu o penálti que Adrien desperdiçaria, dando o mote para uma excelente exibição. Na minha opinião, Podence já fez o suficiente para ser titular - seja no apoio a Dost, ou na esquerda.

Jogo entretido - a história do jogo teve duas partes bastante distintas. Nos primeiros 45 minutos, o Sporting dominou a partida perante um Braga completamente fechado no seu meio-campo e a colocar as fichas todas no contra-ataque, mas o resultado ao intervalo não poderia ser mais enganador: o Braga marcou por duas vezes nas duas oportunidades de que dispôs (um desses golos foi bem anulado), enquanto o Sporting teimava em não acertar na baliza - nem sequer de penálti. Na segunda parte, a história foi diferente. O Sporting empatou poucos minutos após o regresso dos balneários e, a partir daí, o Braga começou a tentar (efetivamente) discutir o jogo pelo jogo. Nos últimos quinze minutos, fase em que o jogo estava muito mais partido, a eficácia de Dost acabou por fazer a diferença e colocou justiça no resultado. Bela partida de futebol em que ganhou a melhor equipa no relvado.


A enorme quantidade de golos sofridos - com os dois golos sofridos hoje, o Sporting aumentou para 30 o número de tentos concedidos aos adversários. Um número demasiado grande para qualquer clube que ambicione lutar pelo título. Os problemas estão diagnosticados, mas falta a matéria-prima. Mais uma vez, como em tantas outras ocasiões ao longo da época, os golos surgiram a partir de investidas pelo nosso flanco esquerdo - o que não quer dizer que, no caso de ontem, a responsabilidade seja do lateral. No primeiro, Adrien e Paulo Oliveira não se entenderam em qual deles deveria fazer a contenção a Battaglia (Zeegelaar estava a meio do meio-campo, a transmissão não mostrou por que motivo não estava a acompanhar a incursão do adversário), e no segundo Paulo Oliveira vê.se sem apoio perante Pedro Santos (onde estava Adrien?) e acaba por ter azar na forma como a bola lhe passa entre as pernas. Tudo está bem quando marcamos mais golos do que sofremos, mas nem sempre o ataque consegue compensar as insuficiências da defesa, como se tem visto esta época. O que é facto é que enquanto a nossa produção ofensiva está ao nível das de Benfica e Porto, a defesa tem estado muito mais permeável: sofremos o dobro dos golos dos nossos rivais.

A insistência em Bryan - à semelhança do que aconteceu no dérbi da semana passada, Jesus voltou a mexer mal no jogo. É verdade que a substituição de Podence resultou, mas foi forçada. Bem pior esteve na substituição seguinte. Podia ter tirado Gelson - nitidamente em dificuldades - para meter Geraldes, por exemplo, mas decidiu-se pela substituição da praxe: tirou Bruno César e colocou Bryan Ruiz. O costa-riquenho teve uma exibição na linha do que têm sido as dos últimos meses: enormes dificuldades em contribuir para a produção ofensiva da equipa. Segundo dados da Goalpoint, aos 90', Bryan Ruiz tinha tocado 8 vezes na bola... e perdeu-a 5 vezes. Uma insistência que não se entende. Se o Sporting ganhou o jogo, não foi graças à ação de Jesus no banco.



Sexta vitória consecutiva fora de portas. Segue-se um Sporting - Belenenses à hora de almoço, com duas baixas garantidas e uma terceira quase certa: Gelson e Podence, suspensos por terem atingido o 5º amarelo, e, muito provavelmente, Alan Ruiz por lesão. Jesus será obrigado a fazer mudanças profundas no apoio a Dost. Confesso que gostaria de ver Matheus, Dala e Francisco Geraldes no onze, mas como não sou ingénuo já me estou a mentalizar para ver Bruno César, Bryan Ruiz e Joel Campbell...

18 comentários :

  1. Se o Alan Ruiz não se lesiona, não sei se ganhávamos o jogo. O rapaz pode ter um bom pé esquerdo mas é o maior travão ao jogo do Sporting. Jogo esse que até nem é muito rápido, na equipa titular de ontem, do meio campo para a frente apenas o Gelson consegue sprintar... todos os outros, não!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em cheio !!!
      Alana Ruiz é claramente o maior travão ao jogo do Sporting .
      Podence é muito melhor .

      Eliminar
    2. Também acredito que a infeliz lesão de Alan Ruiz foi decisiva para podermos lutar pela vitória neste jogo.
      Podence foi lá para dentro à força e mostrou argumentos para ser titular e não apenas bombeiro de serviço...

      Com Podence em campo e com a aceleração do jogo do Sporting, quem se viu às aranhas foi Adrien, ainda a milhas de melhor forma.

      Eliminar
    3. "Com Podence em campo e com a aceleração do jogo do Sporting, quem se viu às aranhas foi Adrien, ainda a milhas de melhor forma."

      Ora, nem mais! Para ser o WC a evidenciar-se no meio campo...

      Eliminar
  2. Caros,

    Mais uma vez um dos "impostos a JJ" a dar um contributo decisivo para um jogo que se adivinhava amorfo e com um empate no horizonte. Mais uma vez a meter Brian no lugar de chuta chuta... E cadê o Ruben Semedo, que enquanto lutávamos por títulos andava a espalhar disparates no centro da defesa? Está lesionado? Mas porquê não se fazem estas perguntas?

    Um aparte, o despedimento de João de Deus veio na sequência de uma campanha má da equipa B, que às mãos do técnico recebeu jogadores mais jovens e com menos capacidade. Logo após a sua saida a equipa B foi "reforçada" e deu um claro salto... pode ter sido coincidência ou uma operação para afastar um técnico competente.

    Abraço,
    Pedro

    ResponderEliminar
  3. Com 3 jornadas 9ara acabar, colocar um jigador emprestado à frente daqueles que estarão conosco na próxima temporada é difícil justificar.

    Precisamos urgentemente de laterais e alternativa a William Carvalho.

    ResponderEliminar
  4. O 2 golo do Braga.. não será onde estava Adrien mas onde estava William e tudo o que não fez na jogada e a postura/atitude em todo o Lance.

    ResponderEliminar
  5. Bom dia. Excelente a sua análise ao jogo, caro MdC.
    O seu último parágrafo teria pleno cabimento se não fosse preciso assegurar a permanência da "B"...
    SL

    ResponderEliminar
  6. Matheus, Dala e Gauld (quem mais se destacou outra vez) e restante equipa, fizeram um jogo fantástico contra o Porto B, só travados pelo árbitro mais vermelho de Portugal Bruno Esteves (tudo vitórias nos jogos do Benfica para o Campeonato). Um aspecto a destacar neste jogo. O número de cartões dados por Nuno Almeida (10), contrastando por exemplo com o último clube que apitou do seu clube,Benfica (0). Mais uma vez Luís Freitas Lobo a comentar de foram intencional contra o Sporting. Dou dois exemplos, no início da 2ª parte, Baiano derruba Bruno César num contra ataque do Sporting. Nuno Almeida dá a lei da vantagem e não o expulsa com o 2º amarelo (tinha um aos 23m). Freitas Lobo tem a lata de dizer que é Bruno César que faz falta! Depois de levar amarelo aos 75 Marvin ganha quanto a mim de foram limpa um lance em que lhe é assinalada falta), Pedro Santos que se deixou cair pede 2º amarelo. Freitas Lobo concorda que era falta em que podia ser mostrado amarelo. Ontem os encartilhados já vieram falar do lance. No amarelo a Podence, este por duas vezes faz o gesto para o árbitro para colocar o spray no local da falta. Nuno Almeida faz-se desentendido e dá-lhe o amarelo por não estar à distância

    ResponderEliminar
  7. PAZADAS DE CARVÃO MORTUÁRIAS


    A TRAGÉDIA – Parte II

    Bruno de Carvalho responde ao hipócrita que desculpabiliza o assassino e, dessas declarações, destaco as seguintes:
    “Para terminar apelo aos adeptos do Sporting que mantenham esta postura de grande elevação e não cedam à tentação de reagir a quente a mais um assassinato e às constantes provocações que estão a ser alvo, sobretudo nas redes sociais, e apelo às autoridades que se as tiverem na sua posse as imagens do assassinato não as divulguem, pois a sua brutalidade poderia desencadear algo que ninguém quer.”

    Um incendiário, este Presidente.


    PAZADAS DO DIA

    1- “Obviamente que parei nas primeiras linhas do texto de tanto rir.”
    By JF, 23 de abril de 2017 às 16:41

    Nota: Os estúpidos são assim, ninguém lhes leva a mal.


    2- (sobre Bruno de Carvalho) “É o único que protege os atos selvagens das claques, o único que não condena atos de violência vindos da sua claque legalizada e ainda tem moral para escrever isto? heheh “
    By JF, 23 de abril de 2017 às 16:41

    Nota: Respeito muito a deficiência.


    3- “bdc é um cobarde, ele sim, refém da sua claque legalizada.”
    By JF, 23 de abril de 2017 às 16:41

    Nota: A cobardia é própria de quem se remete ao silêncio e manda os cães de fila vomitarem uma cartilha insidiosa.
    Mete nojo este gajo.



    4- “Muito triste este comportamento que só realça a sua incompetência como presidente de uma grande instituição.
    By JF, 23 de abril de 2017 às 16:41

    Nota: Desprovido de inteligência, limita-se a papaguear a cartilha.


    5- “Post apaziguador vindo do maior incendiário do futebol português.”
    By rudolfo dias, 24 de abril de 2017 às 00:35


    Nota: Eu tinha vergonha de me limitar à insignificância de assumir uma cartilha.


    6- “Tem sorte em usufruir da justiça portuguesa, pois em Inglaterra ou na Alemanha já tinha sido banido do futebol.”
    By rudolfo dias, 24 de abril de 2017 às 00:35

    Nota: Irradiado é o termo utilizado pelo janela. Prepara-te melhor, avençado.


    7- “Depois permite que os seus amigos das claques não sejam visados perante uma tragédia que eles próprios provocaram e de onde tão covardemente fugiram a sete pés deixando o seu amigo entregue à sua sorte.”
    By rudolfo dias, 24 de abril de 2017 às 00:35

    Nota: Por acaso discordo de Bruno de Carvalho quando apela para que as imagens não sejam divulgadas.
    É importante ver o assassino a sair do carro para se certificar que matou e, com isso, mostrar aos portugueses a vergonha que é essa agremiação criminosa.


    8- “Tudo isto depois de um convite envenenado, o mesmo que a viúva negra faz ao macho. Só que o verdadeiro macho alfa foi mais esperto e recusou o convite.”
    By rudolfo dias, 24 de abril de 2017 às 00:35

    Nota: O cobarde do orelhas baixa as calcinhas aos criminosos, não é?


    9- “Com isto distrai os sportingueses mais incautos, que adoram estas provocaçõezinhas baratas e caluniosas, fazendo-os esquecer da época verdadeiramente desastrosa do clube e do sr. 8 milhões.”
    By rudolfo dias, 24 de abril de 2017 às 00:35

    Nota: Ó meu grandessíssimo camelo, o que é que o JJ tem a ver com o crime?


    10- “Falta de nível, falta de cultura, falta de respeito, falta de títulos. Falta-lhe tudo.”
    By rudolfo dias, 24 de abril de 2017 às 00:35

    Nota: Eu bem dizia, a merda transforma-se em carvão.


    Saudações Leoninas,
    CB

    ResponderEliminar
  8. Gostei muito da exibição, e o resultado pecou por escasso. Bas a ser Dost. Gelson e Podence muito bem! Bryan teve terrível uma vez mais.

    Um pequeno aconchego à alma depois daquele fatídico jogo de Almaty...

    Muito difícil ao Bas Dost apanhar o Messi, mas no futebol tudo pode acontecer. Uma lesãozita do Messi, um poker do Bas no próximo jogo... Vamos acreditar. Depois de Yazalde e Jardel seria bonito ter outro Bota de Ouro.

    Arriscaria em Matheus, Geraldes e B. César para jogar no apoio contra o Belém. E convocava o Dala.

    ResponderEliminar
  9. O Sporting melhorou da noite para o dia, com a saída de Alan Ruiz. É menos uma peça em campo, é uma substituição garantida, 10 meses depois ainda se arrasta para fazer mais de uma hora. A equipa perde mais com ele do que ganha.

    Sem Podence e Gelson, seria (mais) um tiro no pé dar a titularidade a Campbell. Acredito que vai ser Bruno Cesar, Matheus e Bryan no apoio a BD.
    Para entrarem Matheus, Dala e FG no onze, o homem não tinha só febres altas, tinha mesmo apanhado malária. :)

    ResponderEliminar
  10. Qual o motivo para se estar sempre a mudar o marcador de penaltis?

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem bate os penaltis é sempre Adrien, ontem também foi ele que marcou e falhou, assim sendo acho bem que tenha sido o Dost a marcar o segundo penalti, não só por estar na luta de melhor marcador da Europa, mas também pela pressão psicológica que Adrien deveria estar a sentir após falhar o primeiro.

      Eu até acho que era óbvio, mas fica a minha explicação!

      Eliminar
    2. Caro, nuno constatar o óbvio é algo que é demais para aquela ervilha desonesta!

      eheheh

      SL

      Eliminar
    3. Qual o motivo para estares sempre a fazer perguntas parvas?

      Eliminar
  11. Sem querer me meter na edição dos post do bloguista, dira mais um ponto negativo:

    A quantidade de passes falhados, na tentativa de procurar Gelson Martins, fazendo com que ele se desgaste, e não consiga gerir a sua condição física.
    Para além disso, o jogo corre todo pelo flanco direito, o que também não pode ser, temos de o distribuir por ambos os flancos.

    SL

    ResponderEliminar