quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Os melhores momentos da pré-época: MMA - Oliveira VS Durán

Alguns dos melhores momentos da pré-época já praticamente pertencem à pré-história, mas queria escrever sobre eles. Na altura em que aconteceram ainda não tinha o blog, ou ainda estava a tentar perceber como isto funciona. Perdoem-me o atraso e o repisar em assuntos que já deviam estar fechados. Ou talvez não.

No dia 28 de Julho, o Porto apresentou-se perante os seus sócios e adeptos numa bonita festa. Futebol não se viu muito, mas para o final estava guardado uma surpresa para todos os presentes. Kelvin, dragão de ouro pelos brilhantes 161 minutos que jogou no campeonato passado, mostra que quer ganhar outro em 2014 como atleta revelação de modalidades amadoras.

O parágrafo acima, como devem compreender, não passou de brincadeira minha. Na realidade não foi nada disso que se passou, já que se tivesse havido pancadaria à MMA num campo de futebol, alguém deveria ter sido expulso. Como todos sabem, o jogo acabou com 22 em campo. Aliás, na realidade até acabou com mais que 22, pois o árbitro preferiu terminar a festa logo naquele momento, antes que todos pudessem voltar para os seus lugares.

Este blog teve acesso exclusivo ao relatório do árbitro Hugo Pacheco, que resume perfeitamente tudo o que se passou. Deixo-vos o excerto que fala deste momento do jogo.

"No final do jogo aconteceram alguns desacatos. Como os acontecimentos foram muito rápidos, vou suportar-me de imagens retiradas da transmissão televisiva para que tudo fique devidamente registado.
 

1. Kelvin tenta jogar a bola mas é impedido pelo calcanhar do pé esquerdo de Nolito
2. Kelvin tenta jogar a bola mas é impedido pela canela esquerda de Nolito
3. Kelvin tenta jogar a bola mas é impedido pelo joelho esquerdo de Nolito
4. Kelvin tenta jogar a bola mas é impedido pela tibia esquerda de Nolito
5. Kelvin tenta jogar a bola mas é impedido pela planta do pé direito de Nolito
6. Nolito, compreendendo que não vai conseguir evitar a perda de bola, tenta agredir barbaramente Kelvin com o cotovelo direito
7. O banco do Porto, compreensivelmente indignado, corre para proteger o indefeso Kelvin
8. Decidi intervir, procurando controlar o jogador Nolito, pois temia pela integridade física de Kelvin, dos jogadores suplentes do Porto, da equipa técnica do Porto, do médico e fisioterapeuta do Porto e do delegado ao jogo do Porto
Não exibi o cartão vermelho ao jogador Nolito, pois tinha uma mão ocupada a segurar o seu braço e o apito na outra. Se largasse o jogador para pegar no cartão vermelho, as consequências poderiam ter sido desastrosas. "



Sem comentários :

Enviar um comentário