terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Balanço do VAR

O International Board publicou ontem um documento em que são apresentadas algumas estatísticas relativas à utilização do VAR em jogos oficiais na época em curso.


Das estatísticas apresentadas, destacaria as seguintes:

  • Número médio de utilização ao VAR é inferior a cinco por jogo, em que a maioria se faz com o jogo a decorrer ou em momentos em que o jogo já está interrompido - ou seja, não há impacto na fluidez da partida;
  • É detetado um erro claro a cada três jogos, dentro das categorias de decisões que podem ser revistas;
  • O recurso ao VAR teve influência decisiva em 8% das partidas, e influência positiva em 24%;
  • O tempo médio de decisão nas situações em que o árbitro de campo não recorre ao ecrã (ou seja, a revisão é feita exclusivamente pelo VAR) é de 39 segundos; o tempo médio de decisão nas situações em que o árbitro de campo recorre ao ecrã é de 70 segundos;
  • O tempo gasto na revisão de decisões representa menos de 1% do total de um jogo - o que é insignificante quando comparado com o tempo que se perde na marcação de livres (9,5% do tempo total de jogo), lançamentos laterais (8%), pontapés de baliza (6%), cantos (4,5%) ou substituições (3,5%);
  • Um em cada vinte erros claros acabam por não ser corrigidos pelo VAR; o IFAB considera esta média encorajadora, mas que há margem para melhorar - seja com a experiência que entretanto se for acumulando, seja com formação específica.


O documento inclui também um esclarecimento importante sobre uma questão que tem sido falada nas últimas semanas: em que situações o árbitro de campo deve consultar as imagens:



O árbitro de campo pode delegar no VAR situações objetivas que permitem decisões factuais, como o fora-de-jogo, local de uma falta (dentro ou fora da área), ponto de contacto, bola a sair de campo antes de um golo ou penálti. Em tudo o que envolva alguma subjetividade, como a gravidade de uma falta, situações de dúvida de bola na mão ou mão na bola, ou interferência na jogada em situações de fora-de-jogo, deverá ser o próprio árbitro de campo a consultar as imagens e a tomar a decisão.

As conclusões preliminares do IFAB em relação à utilização do VAR são amplamente positivas, e vêm ao encontro das expetativas que tinham os defensores da ferramenta. Obviamente que nem tudo é perfeito - é preciso haver maior uniformidade no recurso ao VAR e nas tomadas de decisão, que parecem ainda depender demasiado de árbitro para árbitro, e, obviamente, a qualidade das tomadas de decisão está diretamente ligada à qualidade dos recursos humanos à disposição -, mas creio que, neste momento, serão poucos aqueles que continuam a ver o VAR como um bicho papão que vai destruir a fluidez do jogo e acabar com a essência do futebol.

Apesar de tudo o que ainda há para aperfeiçoar, parece-me indiscutível que os erros grosseiros diminuiram significativamente em relação à época passada, e, assumindo que existe boa fé em todos os envolvidos, certamente que ainda diminuirão mais com o passar do tempo.


Vale a pena recordar

Vale a pena recordar que, até há bem pouco tempo, eram inúmeras as vozes na comunicação social a oporem-se ferozmente à implementação do VAR. Vítor Serpa, por exemplo, antecipava o fim do futebol (LINK):
"é a vitória do futebol de televisão contra o futebol real"
"os pequenos clubes vão ficar totalmente desprotegidos e de tantos lances a acontecerem na sua grande área, pois preparem-se que vão nascer por aí penalties como cogumelos"
"será a vitória dos comentadores encartados, contra os adeptos apaixonados"

Vale a pena recordar que, quando a ferramenta dava os primeiros passos em competições oficiais, os jornalistas que fizeram tudo para a descredibilizar sem qualquer benefício da dúvida, como Manuel Fernandes Silva, Luís Mateus (LINK) ou Nuno Farinha (LINK):
"Aqui está o videoárbitro a explicar que a polémica, ou que as polémicas não vão desaparecer do futebol"
"condenado ao fracasso" 
"não resolverá nenhum dos problemas que sempre existiram na arbitragem" 
"o melhor é mesmo partir para outra"

Vale a pena recordar o contorcionismo que o mestre cartilheiro e porta-voz em assuntos de carvão do Benfica, Carlos Janela, protagonizou assim que se viu que o VAR era uma inevitabilidade (LINK).
"a introdução do video-árbitro adultera a genética do futebol e poderá feri-lo, ao ponto de o transformar numa modalidade menor" 
"A utilização do video-árbitro nesta edição do Mundial de Clubes no Japão mostrou à evidência a impossibilidade de introduzir o video-árbitro no futebol, porque pura e simplesmente não resolve nada, traz mais problemas, mais confusão, mais polémica e afeta de forma fatal o jogo de futebol tal como o conhecemos"

Algumas destas pessoas já mudaram de opinião - resta saber se de livre vontade ou em função da atualização da cartilha - mas ainda não vi ninguém assumir que talvez tenha havido um completo exagero nas suas posições iniciais sobre o tema. São os jornalistas (e analistas) que temos.

36 comentários :

  1. A estatística mais curiosa, certamente que é esta: "Um em cada vinte erros claros acabam por não ser corrigidos pelo VAR".
    Curioso pois os erros cometidos em favor do Sporting, nunca são corrigidos pelo VAR.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ZzZzZzZzZ traz material novo rena, essa cassete já caducou.

      Eliminar
    2. Mais curioso são as falhas técnicas do VAR em jogos de certos clubes :)

      Eliminar
    3. "A estatística mais curiosa, certamente que é esta"
      "Curioso pois os erros cometidos em favor do Sporting, nunca são corrigidos pelo VAR."
      Por que raio é que está alí uma vírgula (nas 2 frases)? Fizeste uma pausa para respirar naquele ponto?
      https://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica/DID/1221
      Vírgulas entre sujeito e predicado, apesar de possíveis, são raras (see what I did there).

      P.S. - Algumas respostas à rena vão focar-se no seu pobre uso de Português, já que a cartilha controlará sempre o assunto (e supostos "argumentos"). Ao menos que saia desta casa de Sportinguismo menos analfabeto. :)

      Eliminar
    4. Ora cá está a puta da Rudolfa, a fazer o estardalhaço do costume a sacudir tudo à volta dela com as fartas ramas do nabo que traz enfiado nas nalgas. Evidentemente que, enquanto rodopia prestando o lindo espectáculo, a Rudolfa nega que tenha seja lá o que for metido na bilha.
      Vá Rudolfa, segue lá com a tua dança.

      Eliminar
    5. Keboi,(vírgula) deixo-te uma explicação:
      "O início e o fim da frase são marcados, na fala, por uma entoação característica e, na escrita, por uma pontuação específica: a frase começa com letra maiúscula e termina em um ponto".(ponto)
      Keboi, onde é que tu vês a vírgula (nas duas frases) se a frase é só uma? A vírgula é utilizada para separar os elementos de UMA frase.
      Vai-te catar, (vírgula) nas novas oportunidades.

      Eliminar
    6. Conadana, tu daqui a uns tempos também vais fazer 69 e aí tu e o teu companheiro vão ser felizes.
      Agora entendo porque comentas sempre que te cheira a macho.

      Eliminar
    7. Puta Rudolfa, voltaste nesse rodopio? tu deves cheirar a macho mas é quando pingas do traseiro, pá!
      Vá, mete lá o nabo outra vez e vai lá dançar para outra freguesia.

      Eliminar
    8. Porque é que estes dois posts últimos cheios insultos passaram no crivo do AdD? É que nem adicionam nada de novo, é mesmo insultos porque sim. num blog do Sporting, dirigido a sportinguistas, por um lampião avençado.

      Eliminar
    9. Cornine, onde vês um insulto da minha parte?

      Eliminar
    10. Lamento Corine, mas com esta analogia do 'nabo' descrevi uma situação. (julguei até, vê lá tu, que era facilmente perceptível. Mas pelos vistos não consegui que fosse.) Não foi insulto nem porque sim, nem gratuito. Descrevi o que esse amigo anda aqui a fazer e, provocação por provocação, deixei-me de tretas e segui para bingo. À antiga aqui no sítio. Passo a tentar explicar: da célebre expressão "gato escondido com o rabo de fora" (e considerando que o dito palerma vem para aqui fazer de conta que não lhe escorre gelado nenhum na testa, mas com o gelado a ver-se! e ele sabe.) fiz uma analogia com o nabo enfiado. Estilo ninho atrás da orelha ... Nabo e rabo rima e tudo...
      Não há aqui nada de gratuito. Se há insulto, aqui neste blog, que faz algum sentido, é este.
      Já agora atenta, Corine, na perguntita: "onde vês um insulto da minha parte?", pergunta o palerma. Topas Corine? O rapazola de vez em quando, tem que ser tratado, digamos, de uma forma diversa... prometo que, por respeitinho à tua pessoa, Corine, não repito nos próximos tempos. :)

      Eliminar
    11. Credo, nem na língua portuguesa há esperança. :(
      Eu dei exemplo de 2 frases onde colocas mal uma vírgula. Nota as 2 linhas entre aspas:
      FRASE 1: "A estatística mais curiosa, certamente que é esta"
      FRASE 2: "Curioso pois os erros cometidos em favor do Sporting, nunca são corrigidos pelo VAR."

      Diz ao teu dono Janela para mover dinheiro dos blogs para comprar um dicionário e uma gramática para acompanhar a cartilha.

      Eliminar
    12. Keboi, " dei exemplo de 2 frases onde colocas mal uma vírgula" não, parece que só numa das frases a vírgula está mal colocada. O Janela disse que o correcto seria "dei exemplo de 2 frases onde colocas mal A vírgula".
      Vai-te catar ó linguístico falhado.

      Eliminar
    13. Curioso...
      Em qual das 2 frases pensas que usaste bem a vírgula?
      Relembro que vírgulas não são a transposição directa para a escrita de pausas na fala.

      "se a vírgula servisse para indicar uma pausa, como é usualmente referido, seria possível uma vírgula separar grupos inseparáveis, como o sujeito do grupo verbal ou o verbo de um seu complemento obrigatório.
      Ex.: *o rapaz, não comeu, nada"
      Retirado de https://www.flip.pt/Duvidas-Linguisticas/Duvida-Linguistica/DID/1215

      Basta fazer uma busca por "vírgula pausa" no google para teres mais exemplos. Estás tão perto de sair dessa gruta escura de ignorância. :)

      Eliminar
    14. Rudolfo, para te entreteres com coisas sérias:

      http://www.sabado.pt/portugal/detalhe/ministerio-publico-concentra-casos-dos-vouchers-e-emails-num-so-processo?ref=HP_DestaquesPrincipais

      Eliminar
    15. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    16. Liondadamaia, leitura de uma publicação cujo único objectivo é o ataque cerrado e injustificado ao Benfica? Não, obrigado.
      Mas pelo tópico que deixas eu dou-te a resposta que me foi fornecida por um investigador da PJ: é uma questão de optimização de recursos, pois têm que colocar pessoal noutros casos.

      Eliminar
    17. Keboi, vai dar lições de vírgulas ao Saramago, pá. Enganaste-te no blogue:
      http://olugardalinguaportuguesa.blogs.sapo.pt/
      Se a tua profissão está ligada a línguas, só deves ter mesmo sucesso com a de carne e osso (passe a expressão) e para comer. Deves ser um virgulista profissional.
      Keboi, faz uma busca no google por "vírgula, pausa, cérebro" e vê que aparece o teu cheio de reticências...... o síndrome de abstinência tem destas coisas.

      Eliminar
  2. Mas seria interessante analisar os jogos dum certo clube, onde o VAR tem permanentemente "falhas técnicas", ou falta a luz, ou falham as comunicacões, ou é o arbitro que foi fazer uma mija....

    ResponderEliminar
  3. Na minha opinião, há algo que rotulo de mais importante que as vantagens enunciadas desse documento. Refiro-me à auto contenção dos próprios árbitros. Por um lado, leva os árbitros honestos a dar maior atenção nesses lances que são dos mais importantes num jogo. Já os desonestos, sabem que há ali um alarme que inibe e regista as suas vil decisões.

    ResponderEliminar
  4. Estão-se a preparar para amanhã? Já estão a pedir VAR's? O FCP ganha, se tiver que ganhar. Tem o poderio e a experiência que o SCP não tem, nesta coisa a que mui pomposamente chamam "futebol português"! Qual VAR, qual quê? O resultado da aliança (leia-se subalternização) do SCP ao FCP vai aparecer já amanhã. E por aí continuará, com ou sem VAR! Vai uma aposta?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tanta frase, e apenas uma a terminar com ponto final.
      A rever. SL

      Eliminar
    2. Vejo que continua a dança do nabo! mas que rico bailarico que para aí vai. Resta saber se desta vez ainda terão direito a foguetório... tá mais difícil ...

      Eliminar
    3. Nicks diferentes mas a merda é a mesma. Siameses, este saraiva e a puta rudolfa. Ou então desenrascam-se com o mesmo nabo. Provavelmente à vez. Faz lembrar, este palerma, o saudoso molusco. (já agora atenção às vírgulas!)

      Eliminar
    4. Aí está a cartilha para o caso do Sporting perder. Preocupa-te com a tua barraca, lampião nojento.

      Eliminar
    5. Conadana, tu sonhas comigo, pá!
      Deves ter sonhos machoeróticos!

      Eliminar
    6. Não te deixes distrair Rudolfa! segue o teu propósito pá! Não tires o nabo. Aqui ninguém está interessado nesse buraco. Põe o nabo e continua a dança.

      Eliminar
    7. Rudolfa, por repeitinho à Corine, abstenho-me de referências a vegetais. Mas lembra-te que toda a gente aqui está a ver.
      No entanto quase que respeito, sublinhe-se o quase e, já agora, a vírgula, o teu empenho em ganhar o dinheirito que te compõe a mesa.

      Eliminar
    8. Rudolfo, que tal leres
      http://www.sabado.pt/portugal/detalhe/ministerio-publico-concentra-casos-dos-vouchers-e-emails-num-so-processo?ref=HP_DestaquesPrincipais ?

      Eliminar
  5. os erros diminuiram mas persistem alguns lapsos e é preciso resolver e definir critérios para os operadores como as linhas virtuais de fora de jogo.

    curioso que agora o que está a dar é dizer: há "rachas" na minha parede fujam todos que isto vai cair e os labregos vão todos atrás...

    E quando o Feirense foi jogar ao Estoril não havia lá rachas?

    ResponderEliminar
  6. Interessante relatorio que vai de encontro ao que qualquer pessoa que quer a verdade desportiva no futebol imaginava que acontecesse.
    No entanto acho que seria interessante fazer um relatorio semelhante mas apenas para o VAR da liga portuguesa. Apesar de ja ter corrigido algumas situacoes grosseiras, parece me que tem tido tambem muitas mas decisoes. Algumas delas inaceitaveis.

    ResponderEliminar
  7. malta, só nós fomos a favor do VAR, mas acham mesmo que foi por isso e pela cartilha e os mails dos corruptos que estamos a seco há 15 anos???

    ResponderEliminar
  8. O choro sobre o VAR era até arranjarem nova trafulhice, neste caso aliciamento de clubes / jogadores alheios.

    E ambas as nádegas o fazem, o Fifica que comprou e emprestou +10 jogadores que não tinha qualquer interesse, e o Porco com as rábulas das compras aos Portimonenses & cia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A coisa vai apertar:

      http://www.sabado.pt/portugal/detalhe/ministerio-publico-concentra-casos-dos-vouchers-e-emails-num-so-processo?ref=HP_DestaquesPrincipais

      Será que as "ofertas simbólicas" não foram assim tão simbólicas?

      E a situação do VAR também passa por aqui: um árbitro "feito" com os protectores continua a ter decisões desonestas e um ou outro, agora "mais solto" com as investigações da PJ, lá vai arrepiando caminho... mas com cautela, não vá o diabo tecê-las...

      Eliminar
  9. Eu gostava de ver a estatística do var em Portugal comparada com esta!
    Gostava ainda de ver quais as equipas prejudicadas com erros grosseiros do var e as beneficiadas...e comparar...com o que acontecia nos últimos anos. Não é nada que já não se saiba e que não se sabia quando quisemos o VAR. Apenas agora roubar à descarada já é mais difícil.

    ResponderEliminar