quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Tudo em aberto

Enquanto via a primeira parte do clássico de ontem fui tendo a sensação de estar perante uma espécie de filme já visto. O Sporting realizou uma exibição sofrível durante os primeiros 35 minutos, encostado atrás na maior parte do tempo, com grandes dificuldades em sair a jogar e incapaz de circular a bola no meio-campo adversário. No fundo, uma reprise daquilo que já tinham sido os dois jogos anteriores com o Porto. Nem no resultado ao intervalo havia qualquer inovação. Nulo.

A segunda parte acabou por ser razoável. Aquilo que já tínhamos ameaçado nos últimos 10 minutos da primeira parte teve sequência na segunda. Mantivemos o jogo mais afastado da nossa área, conseguimos passar a circular a bola de forma mais segura. Infelizmente, revelámos (mais uma vez) pouco sentido prático nessa circulação quando nos aproximávamos da baliza de Casillas e, ironicamente, acabaríamos por sofrer um golo contra o que estava a ser a corrente do jogo nesse momento.




O regresso de Gelson - o melhor jogador do Sporting, o único que conseguiu, por si só, criar desequilíbrios. Não fez mais porque jogou muito isolado - Doumbia pouco ou nada acrescentou na construção, e Bruno Fernandes estava a jogar demasiado recuado -, mas nota-se perfeitamente a diferença quando o 77 está em campo.

A segurança de Rui Patrício - defendeu tudo o que tinha para defender - entre os postes e no um contra um. Era humanamente impossível impedir o golo de Soares.

Os últimos 10 minutos de cada parte - foram os únicos momentos do jogo em que o Sporting esteve nitidamente por cima no jogo, e que acabam por deixar um travo amargo no resultado alcançado. É verdade que o Porto teve mais oportunidades ao longo de toda a partida, mas a forma como terminámos a primeira e a segunda parte deixaram a sensação de que poderíamos, com um pouco de felicidade, ter saído do Dragão com um resultado favorável para a segunda mão (o que não quer dizer que fosse justo).



Falta audácia - não tem a ver com a opção de jogar com três centrais. Tem a ver com a aquela que é a atual ideia de jogo do Sporting: metemos poucos jogadores na área e imediações quando a bola está no último terço, metemos pouquíssimos jogadores a subir no terreno para aproveitar situações de contra-ataque. Ou seja, na generalidade do tempo andamos a jogar satisfeitos com o 0-0, sempre com mais receio de sofrer um golo do que com vontade de o marcar. Também ajudava se rematássemos mais à baliza quando estamos em condições aceitáveis de o fazer, em vez de optarmos quase sempre pela demanda obsessiva pela posição perfeita de finalização. Ao 4º jogo da época contra Benfica ou Porto, continuamos sem ter conseguido ser a equipa a apresentar melhor futebol. Ainda assim, este foi o menos mau de todos.

A arbitragem - campo completamente inclinado pelo árbitro João Pinheiro. Critério disciplinar aberrante, poupando vários cartões a jogadores do Porto em lances semelhantes que valeram amarelos a jogadores do Sporting, e uma enorme quantidade de faltas claras perto da área do Porto que decidiu não assinalar a nosso favor - e também fiquei com muitas dúvidas sobre se não terá havido falta de Corona sobre Bruno Fernandes no início do lance do golo do Porto. Começou logo mal quando decidiu dar amarelo a Coentrão e a Felipe, quando o primeiro nada fez para o merecer e o segundo lhe enfiou um dedo no olho enquanto lhe dava um sermão sabe-se lá sobre o quê. Nada a dizer na expulsão de Acuña.



Creio que o facto de a segunda mão apenas se disputar daqui a dois meses joga a nosso favor. Estou mais preocupado com a qualidade do nosso futebol do que com o resultado de ontem. Se a decisão fosse já para a semana, tenho muitas dúvidas de que a equipa fosse capaz de inverter o resultado da eliminatória e apurar-se para a final. Mas considerando tudo o que pode acontecer até lá, considerando o preenchido calendário que entretanto terá de ser cumprido, dois meses é quase uma eternidade. Estamos em desvantagem na eliminatória, é certo, mas o jogo decisivo será no nosso estádio. Está tudo em aberto.

27 comentários :

  1. Está mesmo tudo em aberto.
    Está aberta a vaga para a final, apesar do domínio dos andrades merecer desfecho mais avultado.
    Está aberta a vaga para treinador, pois com este está visto que não vão lá.
    Está aberta a vaga de presidente, pois com o olho extra o triolho chora cada vez mais e faz chorar a multidão: sozinho, triste e infeliz, abandonado na autoestrada, longe da família e com três filhas e a quarta a caminho, coitado. Bem cantado, dava um fado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Primeiro comentário vindo dum gajo cujo clube que, para além de ser corrupto, já só luta pelo campeonato.

      Eliminar
    2. Este gajo não é benfiquista, é sportingado. Acham que um bom benfiquista anda a ler blogs sportinguistas às 8:00 da manhã? Ou é sportingado ou o Hugo Gil está a pagar muito bem...

      Eliminar
  2. Mestre, vimos o mesmo jogo.

    Só queria acrescentar que o nosso plantel tem desequilíbrios no setor mais avançado do terreno. Jogadores com capacidade de explosão, só mesmo o Gelson e o que se nota é que está a 60%. O Podence só para o ano. Para o Gelson fazer a diferença quando está a 60%, revela muito das fragilidades que temos no plantel. Penso que faltou adquirir um extremo com capacidade de explosão.

    O Dumbia não acrescenta nada à equipa, o que podia ser a sua principal arma, a velocidade, ela já não está lá, talvez devido à idade. O Montero ainda tem que se pôr em forma para oferecer algo à equipa e o Rúben Ribeiro é muito lento.

    Vejo que estamos a fraquejar pois não temos alternativas à altura. Comparemos a quantidade e qualidade dos avançados que o Porto tem com os que nós temos....

    O árbitro também foi muito tendencioso e não usou critérios iguais para as 2 equipas. Espero que o Dep. de Comunicação faça a necessária defesa.

    ResponderEliminar
  3. O Padre filho de uma grande put@ ia com a intenção de prejudicar o Sporting.De um filho da put@ corrupto como ele não se esperava menos.Prejudicou o Sporting com uma série de cartões que tem implicações para o campeonato....os filhos da put@ sabem-na toda mas não enganam ninguém.Inclinou o campo como lhe convinha.

    ResponderEliminar
  4. Falta-nos fio de jogo. Construção nem vê-la.... O que nos vale é que apesar de tudo temos muitos bons defesas mas acho que não chega. Precisávamos de um avançado rápido, só gelson a correr não chega... Também não percebo como é que não tiramos proveito dos centrais mais altos do campeonato (acho que são). Ponto positivo: ainda temos a possibilidade de dar a volta em Alvalade. Acredito que sim!

    ResponderEliminar
  5. João Pinheiro é um dos padres referidos nos emails. Só para quem já não se lembra.

    ResponderEliminar
  6. Jogo durinho para o Coentrão. Dentro e fora de campo. Notável como bastou mudar de cores para passar de jogador respeitado pelo seu talento e entrega total para um tipo odiado por meio país. Haja paciência.

    ResponderEliminar
  7. Acho piada ouvir, após qualquer um dos quatro jogos grandes por nós disputados esta temporada, os treinadores, jogadores e dirigentes da equipa adversária falarem de domínio total, de «esmagar» o opositor, de jogos de sentido único, etc. Ontem foi a primeira derrota que sofremos. Sofremo-la fora e pela margem mínima.

    Claro que estou insatisfeito com o que temos feito até aqui nestes jogos. É preciso mais para sermos campeões e irmos ao Jamor. E ninguém me convence que seja necessário dar sempre a iniciativa de jogo ao adversário quando jogamos com os nossos rivais. Há talento para mais do que isso. Mas também há que reconhecer que há muito mérito em saber defender, em saber ser competitivo apesar das dificuldades.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sofreram-na pela margem mínima porque o Herrera é amigo, o poste é amigo, o brahimi é amigo a dobrar, o Soares é amigo, o Hêrnani para além de amigo é cepo, o Coentrão é amigo das lenhas com amarelo mas o João Pinheiro é mais amigo do Coentrão e por aí fora. Em Braga empataram com um VAR amigo também.

      Eliminar
  8. Em agosto, "vamos ganhar tudo",
    Em fevereiro, "tudo em aberto",
    Em maio, "para o ano há mais".
    Não é fácil ser sportinguista.

    Ps: quando é que o mestre vai ganhar coragem para comentar um post do Bruno de Carvalho?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu ainda nem tinha chegado o Natal e estavas arredado de 3 competições (com recordes batidos verdade seja dita!) nós ainda continuamos em todas as frentes. Incha palhaço.

      Eliminar
    2. John, coragem o MdC tem, mas a avença mensal e o inerente contrato impede que ele comente posts do Triolho.

      Eliminar
    3. Não é fácil? É bem fácil... o filme é sempre o mesmo e a conclusão também.

      Eliminar
    4. Em Agosto "emails"
      Em Fevereiro "PJ a fazer buscas"
      Em Maio pode ser que vá tudo dentro!

      Só pensas que é mais facil ser benfiquista, porque pensas mais no Sporting que o teu clube..

      Porque Fixe fixe .. é ser eliminado logo nos oitavos da taça, e fazer 0 pontos na europa!

      Palhacito.

      Eliminar
  9. Estamos a precisar urgentemente de um avançado. Porque não vamos buscar já o Nasri ou o Lima? Estão sem clube...

    ResponderEliminar
  10. Mestre, fomos comidos de cebolada ao vivo e a cores, com o Presidente na tribuna a ver.
    É triste.

    ResponderEliminar
  11. A arbitragem ao nivel disciplinar é escandalosa. Técnicamente há faltas por tudo e por nada contra nós, ao contrário está quieto.
    É desesperante ver os nossos contra ataques e a falta de qualidade, ou inexistência mesmo, do ultimo passe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Primeiro lance passível de amarelo para o Porto estava 6-17 em faltas. E mais noção?

      Eliminar
  12. Não houve golo anulado, houve derrota...

    ResponderEliminar
  13. Não é só o padre. São os bispos especialistas da arbitragem que branqueiam a sua arbitragem. 3 Benfistas e o Sportinguista na linha de António Garrido e Vitor Pereira. A descrição do lance de grande penalidade de Soares sobre Ristovski é hilariante (só tem a certeza que houve falta quando já estão fora da área!!) do lance de Felipe e Coentrão outra anedota. Então numa transição em que Acuña está à frente de Coentrão e que se este fizer o lançamento fica isolado (não há fora de jogo nos foras) a atitude de Felipe não é merecedora de amarelo? E depois, colocar o dedo na vista esquerda de Coentrão é oquê? Quanto muito amarelo. Mas Pinheiro, um dos protegidos de Duarte Gomes e sua trupe deu apenas o amarelo. Por quais dos lances? Pedro Henriques, árbitro que surge numa escuta do apito dourado num pedido de Pinto da Costa para uma final da taça de Portugal nada diz. Este mesmo árbitro que se estreia no estádio das antas numa das jogadas mais escandalosas que assisti, num Porto - Belenenses em que Baia defende com a mão fora da área e este não quis ver. O comentário sobre a falta de Sérgio Oliveira sobre Bruno Fernandes é outra anedota. Então tem dúvidas sobre se foi falta ou não? Se há ou não toque na perna? Se as camisolas dos dois clubes fossem outras, que dúvida teria? Nenhuma, como sabe que é o lance que decide a partida tentar contar a historia do ceguinho. A verdade é que temos assistido a uma mudança de agulhas de todos os cartilheiros e associados ao Porto desde que perceberam que o alvo agora é o Sporting. Tribunais do Jogo, Francisco J Marques e outros tripeiros, vendo o andar das investigações do Benfica, apontaram a mira ao Sporting. É grave, muito grave quando um dos meios oficiais do clube, apresenta umas linhas incorretas para demonstrar que o golo contra o Tondela é mal invalidado. É estranho que ninguém questione agora Sergio Conceição sobre os lances polémicos em que o Porto foi beneficiado contra o Braga e contra o Sporting (em duas ocasiões). O menino pode dizer que ficou uma penalidade (quanto a mim inexistente) sobre Corona e não é confrontado sobre a mão de Reis? Se é injusto pagar uma multa por danificar um banco de suplentes e Coentrão não, será justo comemorar um falso golo em Tondela sem punição? O VAR não serve para nada nunca o beneficia não é? E não marcar a penalidade de Danilo sobre Bas Dost, não o beneficia? Não expulsar Felipe por pisar ostensivamente Ruben Ribeiro nesse lance não o beneficia? Ontem não marcar a grande sobre Ristovki não o beneficia? Não informarem João Pinheiro que está de costas do dedo na vista de Coentrão não o beneficia? Os outros 3 árbitros e o VAR também tinhas os 3 olhos tapados?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. paulo, permita que lhe diga, você é sem sombra de dúvida a pessoa que menos percebe de arbitragem em Portugal, chega a ser confrangedor, mas obrigado pela "punição por comemorar um golo falso" (limpo* fica já a correcção). Já não me ria assim pá, sei lá... desde a frase anterior da "mão do Reyes contra o Braga".

      Ouça os seu correlegionários sportinguistas Rui Santos e José Manuel Freitas, ambos dizem que o Porto é, de longe, a equipa mais prejudicada dos 3 grandes. Não é a inventar lances e a pedir punições imaginárias que vai alterar esse panorama.

      Eliminar
    2. O "João"/Pedro Bragança faz-me desejar que os fruteiros despeçam o J. Marques e contratem o Carlos Janela para elaborar a cartilha.

      Eliminar
  14. O Coentrão agride o Felipe e "nada fez". Ridículo. Se tinham evitado a goleada, como já conseguiram 2x, nem falava do árbitro. Como o Soares lá meteu uma das inúmeras oportunidades que o Porto criou em todos os massacres deste ano contra o Sporting, já o critério foi aberrante. Eu também acho. O Coentrão fez quantas faltas já com o amarelo que podia ter sido vermelho? 5, 6? Mais?

    ResponderEliminar
  15. Daqui a 2 meses, vai depender o estado em que estiver o Sporting nas competições. Com td o que se tem passado, não colocava os entusiasmos muito altos. Não vejo mentalidade de campeão neste Sporting. Tem jogadores de grande carácter, mas falta alma. Sinto isso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deixa chegar o Dost e logo vês a alma nos abraços.

      Eliminar
  16. Mestre, se houvesse dúvidas sobre o trabalho do árbitro, o final do jogo diz tudo, a festejar a vitória do Porto.

    ResponderEliminar