terça-feira, 6 de março de 2018

Operação e-toupeira

Comunicado da Polícia Judiciária (LINK):

A Polícia Judiciária, através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção (UNCC) e no âmbito de um inquérito que corre termos no DIAP de Lisboa deteve dois homens pela presumível prática dos crimes de corrupção ativa e passiva, acesso ilegítimo, violação de segredo de justiça, falsidade informática e favorecimento pessoal.

No decurso da operação, que envolveu cerca de 50 elementos da Polícia Judiciária, um juiz de instrução criminal e dois magistrados do Ministério Público, foram realizadas trinta buscas nas áreas do Porto, Fafe, Guimarães, Santarém e Lisboa que levaram à apreensão de relevantes elementos probatórios.

Nesta investigação, iniciada há quase meio ano, averigua-se o acesso ilegítimo a informação relativa a processos que correm termos nos tribunais ou Departamentos do Ministério Público a troco de eventuais contrapartidas ilícitas a funcionários.

Os detidos vão ser sujeitos a primeiro interrogatório judicial.

A investigação prossegue com vista à continuação de recolha de prova e ao apuramento dos benefícios ilegítimos obtidos.



Duas notas: o nome da operação (e-toupeira) não desilude, e já tem lugar no panteão das grandes expressões do futebol português; vale a pena recuperar o post que apresenta Júlio Loureiro, um dos funcionários judiciais visados nesta operação: LINK.


9 comentários :

  1. afinal a PJ até tem algum sentido de humor. O nome da operação é 5*

    ResponderEliminar
  2. que putêdo, mano alfredo!

    aguardamos com serenidade a análise das seguintes entidades:

    - sindicato dos jornalistas,
    - cnid,
    - indignados do bruno de carvalho,
    - defensores da alternativa democrática à coreia do norte,
    - comité de cinema do secretariado da propaganda nacional.

    ResponderEliminar
  3. Isto é uma mão cheia de nada! Carrega benfica, a caminho das distritais.....

    ResponderEliminar
  4. Lindo!!! ao abrir o link de Setembro.
    os 2 primeiro comentarios lampios.
    O "sousa Martins" a questionar se isto era o melhor que estava para vir"?
    E a rena a ser rena, "um não assunto"
    ahahahah

    ResponderEliminar
  5. Paulo Gonçalves, a ser verdade e provado esta denúncia anónima caluniosa que despoletou este e-caso, certamente que agiu na exorbitância das suas funções.
    Nunca foi Benfiquista, não é vice-presidente, é simplesmente um assessor que tentou agradar à entidade patronal.
    A ser verdade, nós Benfiquistas honestos e nada facciosos, repudiamos que um mero funcionário traga para a nobre instituição Benfica acções semelhantes ao do clube de onde proveio e onde aprendeu essas práticas criminosas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Benfiquista e honesto na mesma frase é algo que faz ir às lágrimas qualquer pessoa.

      Eliminar
    2. Foi mesmo por isso que o "Orelhas" o convidou para a famosa estrutura, uma vez que já não era um aprendiz, dado o "clube de onde proveio e onde aprendeu essas práticas criminosas" (Rudolfa dixit). tal recrutamento de tão famoso personagem, estará em consonância com a conhecida "filosofia" do presidente "Orelhas" ao defender que melhor do que grandes jogadores, será o arregimentar das pessoas certas, para os lugares certos. Paulo Gonçalves é a pessoa certa para dirigir a assessoria jurídica de um qualquer clube que faz da corrupção um meio de vida, por isso o convite. LAMENTÁVEL!!!

      Eliminar
  6. A renegação é a arma preferida dos cobardes.

    ResponderEliminar