quinta-feira, 3 de maio de 2018

Perdoa-me!

Com o anúncio da alteração das condições de recompra das VMOCs regressaram os lamentos sobre o facto de um banco intervencionado pelo Estado ter perdoado uma dívida significativa a um clube de futebol. A conversa não é nova: já se arrasta desde que a reestruturação financeira assinada entre o Sporting e os seus principais credores entrou em vigor em 2014.

Perdão em 2014 e novo perdão agora em 2018? Não. Na realidade, não existe perdão nenhum enquanto o Sporting não recomprar as VMOCs ou enquanto estas não forem convertidas em ações. Até lá, é apenas um acordo em que o Sporting se compromete a fazer reembolsos obrigatórios em função de determinados tipos de receitas que for obtendo, em contrapartida de taxas de juro médias favoráveis e garantia de extensão dos prazos de reembolso. Mas uma vez concretizando-se o objeto final do acordo - a recompra das VMOCs por parte do clube -, não há dúvida de que as contrapartidas que o Sporting obteve na reestruturação de 2014 e nesta renegociação são, de uma forma global, muito superiores às que cedeu aos seus parceiros. E aí aceitarei que se fale em perdão de dívida.

Não é assim tão complicado perceber a ideia da banca ao assinar um acordo destes. Hoje, os bancos não têm qualquer interesse em ficar acionistas de SADs, preferindo fechar este problema rapidamente recuperando o valor que consideram possível. Em 2013, viam-se na perspetiva de perderem as centenas de milhões de euros empatados em empréstimos concedidos à SAD e clube, e, como tal, aceitaram comprar as VMOCs e garantir taxas de juro suportáveis na perspetiva de viabilizarem a sobrevivência do Sporting - seria sempre melhor recuperarem alguma coisa do que perderem tudo e ainda ficarem com ativos inúteis (estádio) e dispendiosos de manter. Em 2018, face à rápida melhoria financeira do Sporting, decidiram que era melhor abdicar de qualquer futura participação na SAD em troca de um retorno mais imediato dos milhões possíveis - quer das VMOCs, quer dos empréstimos bancários que o Sporting ainda mantém.

Não estou a dizer que o acordo é bom para a banca. É provável, no entanto, que seja o melhor acordo possível para a banca atendendo à reestruturação assinada em função da realidade que se vivia em 2014 e à evolução que registou até 2018.

Enquanto contribuinte, é óbvio que não me agrada ver bancos intervencionados a assumirem prejuízos atrás de prejuízos. Percebo, por isso, que os adeptos rivais se sintam revoltados com este acordo - apesar de se dispensar o rasgar de vestes, considerando as benesses que têm obtido de várias câmaras municipais em centros de estágio e outro tipo de equipamentos desportivos, para além de todo o tipo de isenções milionárias. 

Enquanto sportinguista vejo isto como o resultado de uma grande trabalho de negociação por parte da direção do clube. Num contexto de grande desvantagem negocial, Bruno de Carvalho e a sua equipa souberam defender os interesses do Sporting explorando de forma exemplar as debilidades que existiam do outro lado.

Na prática, e juntando a reestruturação financeira com a recente renegociação, o Sporting aceitou acelerar o reembolso à banca - mas, ainda assim, num ritmo relativamente moderado - em troca de uma redução real de dívida que, no total, poderá atingir os 94,5 milhões de euros. Não sei o que estará o Porto a fazer para reestruturar a sua dívida, mas já sabemos o que fez o Benfica: aceitou reembolsar de imediato a quase totalidade da dívida bancária recorrendo à antecipação das receitas do contrato da NOS... sem aparentes contrapartidas para a SAD. Eventualmente o Benfica conseguirá taxas de juro um pouco mais favoráveis (o que ainda está por provar, sendo necessário esperar pelos próximos R&C para confirmar essa tese) mas não se livra do pagamento de uma valente comissão pelo factoring obtido sobre o contrato da NOS para pagar aos bancos. Sabe a pouco, considerando que o Benfica tinha do seu lado o Midas e Domingos Soares Oliveira, o guru da gestão. É que, para além dos bancos, a única entidade que vejo a sair bem deste acordo do Benfica... é o grupo empresarial de Luís Filipe Vieira, que continua endividado na casa das largas centenas de milhões de euros sem ser forçado a pagar o quer que seja.

Perdão? OK, quando as VMOCs forem recompradas, terão motivos para falar em perdão de dívida. Ainda assim, é um perdão obtido pela força da negociação entre entidades privadas, o que não tem nada de ilegal. Tal como não teria sido ilegal caso os vossos dirigentes procurassem acordos que defendessem os interesses dos vossos clubes. Por exemplo: perante a perspetiva de antecipar receitas do contrato da NOS, o que impediu Vieira de propor à banca algo como "meus amigos: o Benfica reembolsa-vos 100 milhões na próxima semana se perdoarem 10 milhões à dívida da SAD"? Duvido muito que a banca não aceitasse de caras um acordo nestes termos, pelo que, se calhar, em vez de estarem a gritar PERDÃO!!!, fariam melhor em questionar os vossos dirigentes por que razão não tentaram fazer uma saída semelhante. Bem, na realidade, se calhar até tentaram e conseguiram, mas com outros beneficiários.

29 comentários:

  1. continuo sem entender onde está o novo perdão de dívida.

    - os bancos com as vmocs ganhavam 20% sobre um preço incerto...
    - com os novos empréstimos obrigacionistas ganham 6% de um valor fixo ou até mais porque não se sabe qual a taxa de juro a aplicar.

    e vão ser emitidos vários empréstimos obrigacionistas, tantos quantos os necessários para cobrir os que existem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca iriam ganhar dinheiro com as VMOCs. Desde que as ações estivessem acima dos 0,83€ (um cenário muito otimista), simplesmente não teriam prejuízo nem lucro nos 44 milhões que o Sporting iria recuperar, mas os restantes 91 milhões seriam sempre convertidos em ações sem qualquer utilidade para os bancos. E na pior das hipóteses, caso o valor das ações caísse, aí até nesses 44 milhões de VMOCs teriam prejuízo.

      Eliminar
  2. Mestre,
    Quais os bancos que gerem e que vão gerir o empréstimo obrigacionista do Sporting?
    Não estará aqui a contrapartida para cederem mais um pouco mas VMOCs?

    Quanto ao negócio e no que toca à parte do Sporting, é mais uma vez de elogiar a capacidade negocial de Direcção leonina com BdC e Carlos Vieira à cabeça.

    Neste momento consegue-se esta melhoria porque no passado nos dispusemos a ceder imenso à banca (percentagens de vendas de jogadores, percentagens dos prémios nas competições europeias, supervisão e controlo efectivo das contas leoninas por parte dos dois bancos referidos, etc.).

    Como sempre o dissemos, foi o único caminho possível para o Sporting evitar a banca rota, mas passados 5 anos estamos a colher os frutos desse estratégia, a mesma que os nossos rivais alguma vez adoptarão pois todos sabemos que deixariam de dar de mamar a muita gente (como o Sporting o fez durante duas décadas).
    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, de certeza que serão o NB e o BCP a comprarem a maior parte das obrigações que o Sporting emitirá e a usufruir do juro. É outra contrapartida, sim.

      E concordo: isto só é possível porque houve um trabalho muito bem feito entre 2013 e 2018 por parte da direção.

      Eliminar
  3. Bom dia Mestre, uma boa análise. Reforço apenas que em 2014, para a Banca, qualquer acordo era melhor que o PER que se avizinhava, pois este representaria decerto um haircut fortissimo e pagamentos a 15 ou 20 anos (como outros PER que se fizeram), em paridade com todos os outros credores. Assim, a reestruturação e o perdão original da dívida fou uma boa medida para a banca (como se veio a provar).
    Este segundo perdão, afastado que está o espectro da falência, já tem a ver aquilo que o mestre refere: os bancos não querem acções da SAD e preferem transformar isso em liquidez. É uma medida de gestão muito aceitável. Ainda por cima devem ter tudo provisionado, pelo que ao invés de perdas vão provavelmente registar ganhos extraordinários.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desconheço esse pormenor sobre se têm tudo provisionado, mas também assumo que sim. É outro rebuçado que motiva os bancos a quererem encerrar este dossier.

      Lá está, acaba por ser um bom acordo para todas as partes. Melhor para o Sporting, claro, mas a forma como tudo se desenrolou nunca permitiria que a banca recuperasse a totalidade do dinheiro.

      Eliminar
    2. Não podemos afastar desta análise a nova emissão de empréstimo obrigacionista de +30M. Os bancos substituem créito a uma taxa de x por uma tx de x+y. Vão buscar em parte o que cedem nas VMOC.

      Eliminar
  4. Estás a esquecer uma coisa muito importante. Os bancos estão a perder dinheiro com os depósitos das pessoas (dado as taxas estarem negativas). Os bancos centrais andam a pagar literalmente, para quem emprestam dinheiro.

    Falas como se os bancos estivessem a perder dinheiro com estas operacões quando na realidade eles perdem dinheiro até com os depositos das pessoas. Nestas operacões ainda lucraram, porque recebem juros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem, isso é verdade, vão recuperando parte das perdas no investimento em obrigações da SAD, que têm taxas de juro muito mais atrativas.

      Eliminar
  5. Mestre,
    Importa notar a diferença do nível de intervenção no BCP e no BES. No BCP, o apoio teve a natureza dum empréstimo, o banco recuperou e devolveu (ou vai devolver) esse valor com juros. Agora mesmo, é um privado a renegociar com o seu cliente. Ou seja, só no caso do BES se justifica esse tão grande lamento sobre um eventual perdão de dívida.
    Dito isto, julgo que seria de relembrar os apoios dos municípios (e do Estado?) concedidos aos rivais no contexto da construção dos respectivos estádios e centros de estágios e que tenho ideia terem sido bem superiores aos concedidos ao Sporting. Aí sim, não há dúvidas, é o dinheiro de todos nós que está a ser oferecido duma forma que coloca a causa a concorrência entre os clubes.
    SL, João Barata

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, João, fiz referência a isso de passagem. Não detalhei as benesses que tiveram, mas ao longo dos anos são inúmeras e provavelmente atingem valores de nível semelhante ou superior aos que o Sporting beneficiou com estes acordos.

      Eliminar
  6. Benfica ... Benfica ... Benfica
    Fdx têm de usar sempre o Benfica , para justificar as vossas trapaceiras .....
    Sabes tanto da divida do Vieira , como eu de lagar de azeite ... Dá é jeito dizer isso !!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ricardo, sei o que a generalidade das pessoas sabe em função do que tem vindo a ser noticiado.

      Eliminar
    2. que trapaceiras? capacidade negocial?

      Eliminar
    3. Anão da Jamba, és tu?
      Quando vejo um lamp a comentar que acaba todas as frases com "..." ou "!" lembro-me sempre dos posts do vice.

      Eliminar
    4. realmente! criticar o sporting por um perdão da dívida e não criticar o grupo khadafi dos pneus é que é certo.todas as imparidades saem dos bolsos dos contribuintes. estes lampiões preocupados com o sporting e a sua gestão, o investimento nas modalidades! isto é que importa... eles nem sabem que as nossas receitas de quotização são integralmente para as modalidades. muitos sócios do carnide desconhecem a existência de uma quota adicional para as modalidades (tipo operação coração)

      Eliminar
    5. J1906 queres que te mande ou vais sozinho !?
      Vai lá ao teu banco , e mostra-me a tua capacidade negocial !!!

      Eliminar
    6. Luis Rua ... aahahhahahahah não me faças rir que me cai a dentadura carajo
      Lavas uma mão com a outra não é !!

      Eliminar
  7. Mdc o valor original era x + juros... foi convertido em x sem juros (não sei se terá existido até uma redução do valor a pagar)... agora é x-70%...
    Onde é que não há perdão?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não entendo tamanha comichão, se há perdão, se não há perdão.

      Se houve perdão ou não, o que devia estar a perguntar era porque é que os grandes gestores que lideram o seu clubezeco não conseguiram o mesmo. A resposta a essa pergunta de certeza que não a vai encontrar num blog dirigido a adeptos do SCP.

      Nada mais se passou que uma renegociação daquilo que estava já estipulado no que às VMOCs concerne. É uma prática corrente das empresas e das sociedades.

      Não deve achar que todas as empresas do mundo têm as mesmas condições relativamente aos negócios que realizam. Isso é somente uma pura idiotice, como também não deve achar que por uma empresa ou sociedade ter acesso a determinadas condições as outras todas também as devem ter. Não sendo violada nenhuma norma da lei da concorrência, não há razão para tal.

      O que o seu clubezeco faz é vir chorar para a praça pública pela sua própria incompetência e porque afinal o tal que faliu um milhão de de empresas até conseguiu fazer aquilo que vocês alguma vez conseguiram, salvaguardar o único interesse em causa que é o SCP.

      Bom exemplo é o contrato com a NOS, bem recordamos o pico de emoções da euforia de terem feito um contrato bilionário à choradeira de verem o rival conseguir melhores condições.

      Mande uns emails pode ser que vos perdoem qualquer coisa.

      Eliminar
    2. Primeiro que tudo, ainda não há perdão de nada. E chama-se negociação. Ou achas que só acontece com os clubes? Achas que nas empresas não há perdões? Ou reestruturações?

      Segundo, se os teus gestores estão mais preocupados a montar um polvo e a mandar email's e mensagens dignas de canal 18, é lá com eles.

      Eliminar
    3. A comichão é não haver dinheiro para os lesados... Mas perdoar estes valores está tudo bem. É difícil?
      Se não tivesse de pagar com os meus impostos estava me a borrifar... Mas já que tenho de pagar...

      Eliminar
    4. Mastim,

      O gajo que te faz comer gelados com a testa a toda hora já começou a renegociar o contrato com a NOS?

      Eliminar
    5. O valor inicial nunca foi x+juros. Sabes ao menos o que quer dizer VMOC?

      Eliminar
  8. Não posso concordar com isto!
    Andar a abrir os olhos aos lãpiões não nos interessa nada!
    A nós interessa-nos que continuem, por muitos e longos anos, cegos, surdos e mudos. Para isso nada de andar a mostrar o que não deve ser mostrado!

    ResponderEliminar
  9. Sois mesmo diferentes...

    Dao banhada de quase 100M e consideram-se uns magos da gestao.

    Quando se vai iniciar a venda das obrigacoes?
    Quero comprar!
    Muitas...

    ResponderEliminar
  10. Toda esta trapaça VMOquenta tem um rosto: Bettencourt.
    Daí ter sido retirado o processo que Bruno, perdão, o Sporting lhe interpôs quando se soube que ele iria para administrador desse Novo Banco com vícios antigos.
    https://www.rtp.pt/noticias/economia/ex-presidente-do-sporting-vai-ser-administrador-do-novo-banco_v975302
    https://www.ojogo.pt/futebol/1a-liga/sporting/noticias/interior/sporting-desiste-de-acao-contra-jose-eduardo-bettencourt-5596071.html

    ResponderEliminar
  11. há muita gente iletrada (incluindo pessoas com cursos superiores) que não sabem distinguir perdão de "perdão".
    renegociar um contrato não é sinónimo de perdão. mas como vivemos numa espécie de venezuela aparecem estes títulos insidiosos para atingir um clube e para meter o scp num saco. mas principalmente o timing da notícia é que é curioso.

    https://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/estado_assume_divida_de_luis_filipe_vieira_ao_bpn

    aliás dá muito jeito meter tudo no mesmo saco não é? os clubes são todos iguais não é? afinal as claques do scp também anda por aí a matar adeptos

    ResponderEliminar
  12. Nice Info thank you i luv ur article, please take a time for visiting our Website

    http://goldengamat.biz || http://obatasamlambung.store/

    ResponderEliminar