quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Inexperiência e carácter na noite de Super Patrício

                                                                                                                                            
Costuma-se dizer que não existem derrotas boas, mas a verdade é que, apesar de termos perdido, senti que o jogo que realizámos hoje é daqueles que faz crescer uma equipa jovem como a nossa. 

A primeira parte foi para esquecer: a maioria dos jogadores pareceu acusar a pressão de estar em campo contra grandes nomes do futebol europeu, e o Sporting nunca conseguiu estabilizar o seu jogo ou controlar o adversário. O Chelsea dominou completamente a partida desde os primeiros minutos, e dispôs de oportunidades suficiente para matar o jogo. Apesar da muita qualidade do futebol do Chelsea, é irónico que o golo não tenha sido fruto do talento das estrelas em campo, mas mais de ratice - aproveitando a ingenuidade de toda a defesa do Sporting, apanhada a dormir enquanto os ingleses marcavam o livre sem esperar pelo apito do árbitro.

No entanto, alguma coisa deve ter acontecido no balneário ao intervalo, porque os jogadores subiram ao relvado com uma mentalidade completamente diferente, querendo demonstrar que a primeira parte tinha sido um enorme equívoco. Os jogadores encheram-se de brio, entregaram-se de alma e coração à tentativa (bem sucedida) de pegar no jogo. O Chelsea continuou a ser uma equipa perigosíssima no contra-ataque, procurando explorar as nossas fraquezas, mas o Sporting conseguiu finalmente aproximar-se da baliza adversária com frequência e dispôr de algumas ocasiões de golo.

Diga-se que não coloco em causa a justiça da vitória do Chelsea (é preciso termos consciência da quantidade de oportunidades flagrantes que não concretizaram), mas fiquei muito satisfeito com o carácter demonstrado pelo Sporting: sabendo cerrar os dentes, sofrer e aguentar o resultado em aberto nos momentos mais difíceis, e acreditando depois que seria possível conseguir bater o pé a uma equipa recheada de estrelas do futebol mundial.



Positivo

Super Patrício - foi, simplesmente, uma das mais extraordinárias exibições de um guarda-redes que já assisti ao vivo. Pode parecer estranho, mas nas várias situações em que os jogadores do Chelsea arrancavam isolados para a baliza, sentia uma serenidade como se soubesse que aquele super-herói que estava na baliza seria capaz de travar tudo o que lhe aparecia pela frente. Imperial.

A personalidade demonstrada na 2ª parte - os onze jogadores que regressaram dos balneários após o intervalo eram os mesmos que estiveram em campo nos primeiros 45 minutos, mas a postura que tiveram foi completamente diferente. O Sporting entrou com vontade de discutir o jogo com o adversário, a bola deixou de queimar, o coletivo começou a funcionar e, como consequência, as oportunidades de golo começaram a aparecer. Nani foi quem ficou mais perto de marcar, primeiro ao aparecer isolado pela esquerda mas rematando à malha lateral, e depois tentando fazer uma fotocópia do golo que marcou ao Maribor. Mas também houve muito mais Carrillo, João Mário, Adrien, Cédric e William.

O ambiente no estádio - um vulcão do 1º ao último minuto, nunca poupando apoio à equipa. Não é que seja novidade, mas perante o nível superior do adversário os 40.000 que estiveram em Alvalade souberam responder em conformidade. Quem não pôde estar presente não sabe o que perdeu.

Paulo Oliveira e Montero - os dois jogadores entraram muito bem em jogo. Montero entrou com uma garra que não lhe via há bastante tempo, e Oliveira esteve muito seguro. O que fizeram justifica que Marco Silva lhes dê mais minutos em breve.


Negativo

Primeira parte apática - suponho que tenha havido algum deslumbramento de alguns dos nossos jogadores ao verem-se frente a frente com uma das maiores equipas europeias, pois só assim se explica a falta de capacidade geral demonstrada durante os primeiros 45 minutos. Uma única oportunidade de golo, através de um cabeceamento frouxo de Slimani (que estava em boa posição) é muito pouco, mesmo considerando que era o Chelsea que estava do outro lado.

O golo do Chelsea - foi o momento em que mais se sentiu a inexperiência da equipa. Não houve ninguém que ficasse perto da bola para impedir a marcação rápida do livre. O Chelsea aproveitou a distração de meia equipa do Sporting e marcou o golo que lhes valeria os três pontos.


Perder com este Chelsea não é um resultado catastrófico. Nem sequer desmoralizador (pelo contrário!), dada a boa resposta da equipa na segunda parte. O inesperado empate do Schalke com o Maribor acaba por fazer com que o 2º lugar esteja bem ao nosso alcance. Segue-se uma jornada dupla com os alemães que muito provavelmente definirá, para o bem ou para o mal, o nosso destino na Liga dos Campeões.

19 comentários :

  1. Mestre,
    Não estive no estádio, mas a ver em casa ficava a mesma sensação: era vê-los a arrancar isolados, relaxar e pensar "o Patrício resolve". Grande. Enorme.

    Vamos a eles, com o empate em casa do Schalke contra a 'pior equipa da LC' está tudo em aberto!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A 'pior equipa da LC' ganhou ao Atlético de BIlbao

      Eliminar
  2. "Youth League: Sporting goleado em casa pelo Chelsea (0-5)"
    http://www.maisfutebol.iol.pt/liga-sporting-youth-league/542abf9f0cf2acbe0e569926.html

    ResponderEliminar
  3. Caro Mestre, não discordo globalmente das ideias que apresenta. mas a verdade é que o nível apresentado pela equipa na sua metade defensiva foi muito baixo. Aliás, é precisamente a super exibição do RP que permite alguma sensação de satisfação.

    Mesmo com aquela reacção na 2ª parte, mesmo com o imenso querer que o SCP demonstrou, um eventual resultado de 0-3 (muito possível face à quantidade de oportunidades de golo iminente criadas pelo adversário) levariam a que muita gente hoje estivesse a criticar tudo.
    É certo que o GR como um central ou um Ponta de lança fazem parte da equipa. Mas a verdade é que a este nível o plantel do SCP simplesmente não dá.
    Foi um passo em frente em termos de experiência, essa é a parte positiva.
    isso e o empate dos alemães.

    Saudações,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Rui Patrício é um GRANDE guarda-redes e paz parte da equipa do Sporting, por isso não é o "se não fosse o São Patrício" porque ele está lá para isso, passa por muitos jogos em Portugal em que pouco trabalho tem, e o Chelsea não é o Arouca, que mal faz um remate à baliza. Quem não entender isto não entende NADA. O plantel do Sporting é o que é, o Sporting está nesta competição de pleno direito e escusa de vir com conversa mole, como se mais valesse o Sporting "fugir". Next.

      Eliminar
    2. Não percebo que o comentário das 11:19 acrescenta ou contraria o comentário das 10:04 onde até é referido "É certo que o GR como um central ou um Ponta de lança fazem parte da equipa."

      O SCP não tem que fugir coisa nenhuma, simplesmente nesta fase a sua ambição tem que ser sobretudo de ganhar experiência E aproveitar algum deslize dos alemães como ontem sucedeu.

      Não é conversa mole é a realidade.
      Ou a conversa dura é "vamos ganhar 5-0 aos alemães!?".

      Ninguém aqui diz que o Chelsea é o Arouca e até se diz que o SCP reagiu na 2ª parte. Simplesmente a equipa como um todo tem lacunas demasiado evidentes E que poderia não ter. Jogar com Sarr/Maurício podia ter sido evitado com um planeamento mais acertado.

      Eliminar
    3. Concordo que o Chelsea conseguiu criar muitas oportunidades, mas não é justo avaliar a defesa tendo como bitola jogadores como Hazard, Schurrle ou Diego Costa. Isso não quer dizer que a defesa não precise de ajustes - pelo contrário, na minha opinião precisa de ajustes urgentes! - mas simplesmente preferi não referir esse facto atendendo ao nível do adversário de ontem.

      Um abraço.

      Eliminar
  4. Caro Mestre,

    Estive lá ontem (sector b06) cheguei 5 minutos atrasado e não vi a primeira grande defesa de Patricio.

    Mas do que vi retive que na primeira parte o Sporting esteve muito encolhido, notou-se especialmente nos duelos corpo a corpo em que os londrinos invariavelmente ganhavam a bola.

    Claro que o arbitro, espanhol, habituado a favorecimentos não marcava nada a nosso favor e tudo a favor do Chelsea, sendo certo que o penalti não assinalado sobre o Carrillo é ridiculo. Mas pronto não é nunhuma conspiração é simplesmente favorecer os mesmos. Diga-se que Cahiil merecia o veremelho assim como o Mauricio pela entrada sobre o Costa.

    De qualquer forma não há vitórias morais mas devo dizer que este SCP joga bem, o melhor futebol desde Peseiro, só quando se libertaram das amarras do medo é que jogaram bem. Adorei o João Mário. Marco Silva deve continuar.

    Houve oportunidades para o Chelsea, obviamente estavamos balançados no ataque. O Chelsea devo dizer jogou à equipa pequena portuguesa e estacionou o autocarro e perdeu tempo com fartura (certo Courtoui), só que tendo jogadores fantásticos consegue criar grandes oportunidades.

    Devo dizer que Mourinho respeitou o SCP, trouxe as estrelas todas, Costa, Fabregas, Hazzard, Oscar e William não poupou ninguém. Contra o Schalke dá-me ideia que Costa nem jogou.

    Agora este lider isolado da liga inglesa é a par do Real Madrid, Barcelona e Bayern o mais forte candidato ao titulo europeu, pelas estrelas, orçamento e treinador.

    Ainda assim estamos a um ponto da qualificação, dependemos de nós, não há qualquer drama.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Green Lantern, de facto a arbitragem foi muito má. Penálti sobre o Carrillo, uma falta claríssima sobre o Nani (não sei se dentro se fora da área), alguns foras-de-jogo por assinalar que deram jogadas de perigo do Chelsea e dualidade de critérios nos amarelos.

      De qualquer forma a atitude com que a equipa jogou na 2ª parte deixa-me muito otimista para o futuro - e o facto de Mourinho não ter poupado nenhum dos seus melhores jogadores ainda valoriza mais o carácter dos nossos jogadores.

      Um abraço.

      Eliminar
  5. Podemos ver este jogo e este Sporting de ângulos diferentes, no meu caso não sou tão optimista quanto o MdC, .

    Contei 5 ocasiões de jogadores isolados na cara do Patrício, e apesar de um golo consentido, perante a passividade do Jonathan, saímos com resultado menos mau devido à categoria do nosso guarda redes e à ineficácia do Chelsea.

    Continua-me a preocupar-me a falta de organização defensiva, nomeadamente na falta de controlo de profundidade da linha defensiva e a nossa incapacidade de sair em contra ataque.

    É uma pena observar Sarr a ser atirado literalmente aos leões, tem lutado com tudo o que pode mas não é o central que desejávamos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se quisermos mesmo ver todas as oportunidades de golo das 2 equipas então o resultado seria praí uns 4-6. Mas os GR estão lá para isso também.

      Eliminar
    2. Barack, não teremos muitos mais jogos contra equipas desta dimensão - pelo que é de salientar mais o que conseguimos fazer do que o que foi mal feito. Há ajustes a fazer, concerteza - esperemos que Marco Silva consiga identificar os problemas e encontrar soluções dentro do plantel que temos.

      Um abraço.

      Eliminar
  6. Inexperiência é aqui sinónimo de falta de qualidade especialmente dos centrais. Enquanto se arranjar desculpas para não ver a realidade o Sporting vai jogando benzito mas escorregando.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, é fácil. Encosta-se o Maurício e o Sarr e mete -se o Hummels e o Thiago Silva...

      Eu também acho que há alguém que não está a ver bem a realidade do SCP atual...

      Eliminar
    2. sar, o Bruno tem alguma razão.
      Há um mundo entre Hummels e Sarr e o SCP podia ter, com o orçamento que tem, melhor que isso.

      O SCP, para o custo do plantel está a fazer um trabalho muito bom, inegável a meu ver. Isso não invalida que se aponte o dedo a uma ou outra questão mal gerida.

      Eliminar
    3. Temos que trabalhar com o que há no plantel. Paulo Oliveira entrou muito bem, Rabia está em recuperação, e ainda haverá Tobias. Pode ser que algum deles venha a ser uma solução em breve.

      Eliminar
  7. Bruno, inexperiência Sim. Ontem, só o John Terry completava 100 (CEM!!) jogos na LC. Nós tínhamos 2 jogadores que já lá tinha estado.
    A realidade é muito simples: não temos dinheiro para comprar jogadores experiência de LC. Temos que pegar neles novos e vê-los errar enquanto crescem. A arte está em escolher os que aprendam mais depressa --- e quão rápido aprenderão só o acumular de mais alguns jogos o dirá. Mas escolher novos e atirá-los às feras é a necessidade real que temos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade M. Por exemplo, achei que William foi um dos que acusou mais a pressão - talvez por saber que teria todos os clubes ingleses de olho nele. O mesmo se aplica para muitos dos nossos jovens que nunca tinha jogado a este nível - Cédric, João Mário, Carrillo, por exemplo. A qualidade da sua prestação acabou por ser positiva, mas indiscutivelmente que demoraram algum tempo a entrar no jogo.

      Isso é inexperiência, e pagámos caro por isso. Mas é normal, atendendo à nossa juventude e à tarimba do adversário.

      Um abraço.

      Eliminar