quinta-feira, 1 de março de 2018

As contas do Sporting (1º semestre)

O Sporting divulgou ontem o relatório e contas referente ao primeiro semestre da época 2017/18, registando um lucro (ou, como costuma dizer um certo comentador, um défice positivo) de 10 milhões de euros. Mesmo tendo havido neste exercício uma única venda sonante (a de Adrien, que nem sequer foi por valores estratosféricos) e tendo havido um aumento significativo dos custos com pessoal (em virtude do reforço do plantel com jogadores com salários mais elevados do que os que saíram), a SAD conseguiu manter as contas equilibradas de forma a não ficar excessivamente dependente da vendas de jogadores graças à melhoria da maior parte das fontes de receita, algumas das quais de forma considerável. Adicionalmente, registou-se uma redução muito importante da dívida bancária face a junho de 2017: ao longo do 1º semestre, o Sporting reduziu o nível de financiamento em cerca de 17 milhões de euros

Vamos aos habituais gráficos com a evolução das principais componentes de receita do Sporting ao longo dos últimos anos.


Comparando este semestre com os períodos homólogos das épocas anteriores, salta à vista, evidentemente, o enorme aumento das receitas da Liga dos Campeões. O apuramento no playoff valeu 2 milhões, e a obtenção de 7 pontos permitiu ao Sporting amealhar 2,25 milhões a mais do que no ano passado. Também se deve registar um crescimento de 22% ao nível da bilheteira. As restantes rubricas tiveram uma evolução de crescimento moderada, com exceção dos direitos televisivos, que sofretam uma quebra ligeira devido à diminuição do valor do marketpool da UEFA.

Outro dos aspetos mais positivos destas contas foi o crescimento de 84% do segmento corporate, que se deveu, principalmente, à duplicação das receitas com camarotes. Esta era uma área em que estávamos incompreensivelmente distantes dos rivais, mas, com este aumento, as diferenças foram bastante atenuadas. Os bilhetes de época mantiveram o seu ritmo de aumento sustentado, com um crescimento de 13% face ao período homólogo da época anterior.


Na relação entre os proveitos e custos operacionais (ainda sem considerar as vendas de jogadores), mantém-se uma relação de peso idêntica à da época passada: os custos superam ligeiramente os proveitos. Não é, como é óbvio, uma situação ideal, mas, pelo menos, mantemo-nos a salvo de uma excessiva dependência da venda de jogadores, já que o aumento dos custos foi acompanhado por um aumento proporcional de receitas não extraordinárias.


Detalhando os custos, destaque para novo aumento significativo dos custos com pessoal, que coloca o Sporting, pela primeira vez em muitos anos, a gastar sensivelmente o mesmo que Porto e Benfica. O Porto continua a ser a equipa que mais gasta, o Sporting é o segundo clube que mais gasta, e o Benfica é o terceiro, mas todos com valores bastante semelhantes: FCP - 38,1M; SCP - 37,7M; SLB - 35,3M. Os FSE's (custos de estrutura/funcionamento da SAD) voltaram pela primeira vez ao nível da última época de Godinho Lopes. Nada de preocupante, no entanto: não só as receitas de hoje são incomparavelmente superiores às de então, como continua a haver rigor nos gastos - que, a este nível, são cerca de metade dos custos dos nossos rivais. 


Outra das excelentes notícias que este relatório e contas nos deu tem a ver com o endividamento: ao longo do 1º semestre, ou seja, entre junho e dezembro de 2017, a dívida bancária e de factoring do Sporting desceu cerca de 17 milhões de euros, passando dos 127 para perto de 110 milhões. Isto é reflexo, em parte, da percentagem das mais-valias das vendas de jogadores realizadas durante o exercício de 2016/17 (Slimani, João Mário, Naldo e Rúben Semedo) ao abrigo do acordo de reestruturação assinado com a banca.


Relativamente à conta de reserva para a recompra de VMOC's, estão neste momento amealhados 5,1 milhões de euros (um aumento de 2 milhões face a 2016/17). Um valor que ficou aquém da previsão de 10 milhões que foi feito no R&C da época passada, mas que, ainda assim, está dentro do ritmo necessário para acumular o valor necessário para resolver o problema das VMOC's antes do seu vencimento.

Em breve farei o habitual comparativo das contas do Sporting com as de Benfica e Porto.

39 comentários :

  1. Mestre, ontem vi o Domingos Soares Oliveira em entrevista na Tvi, para mais uma sessão promovida pelo Moniz de publicidade às contas dos lampiões.

    Será que o Carlos Vieira também vai ser convidado a fazer programa idêntico?

    Zzzzzzzz....

    ResponderEliminar
  2. Sim, as coisas não são perfeitas mas estamos encaminhados.
    A verdade é que este acrescimo de custos anda a levar os corruptos a terem de continuar a investir, o que no longo prazo será igualmente um investimento da nossa parte, pois eles ficarão ainda mais entalados, e nós nessa altura conseguimos obter mais com menos investimento.

    ResponderEliminar
  3. Há que dizer que estas contas foram conseguidas em ano de investimento forte, ao contrário dos rivais, e apenas com uma venda semi-grande (Adrien).

    Para o próximo ano, se não conseguirmos ir à Champions, vai ser muito mau para mantermos o nível no plantel ou então teremos que vender mais jogadores do que o desejável.

    Resultados muito satisfatórios de uma Direção que sabe bem para onde quer ir e, por isso, os rivais não dão tréguas. Há que manter esta dinâmica por muitos anos e os resultados hão de ser uma realidade. Só nos falta os outros não terem certas pessoas em certos lugares...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Será importante conseguir libertar alguns jogadores cujos salários são demasiado elevados para o rendimento demonstrado. Conseguindo isso, nem um eventual não apuramento para a LC será verdadeiramente problemática.

      Eliminar
    2. Por exemplo?
      Bryan, douglas, petrovic, doumbia?
      No aumento dos custos com ppl, estará uma parte de JJ+equipa tecnica?

      Eliminar
  4. Lindo! Gajos que nem um salário mínimo sabem gerir andarem com conversas sobre milhões, contabilidade criativa & afins!

    ResponderEliminar
  5. Não vendem, investem como nunca e mesmo assim dá um lucro histórico.
    Há coisas fantásticas. O empresário que levou todos os negócios a falência chega ao Sporting e consegue transformar água em petróleo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mentiroso é o que és... coloca aí a notícia de uma falência... Mas não aquela da dívida ao BES de 600M

      Eliminar
    2. É capaz de estar relacionado com o facto de, quando vendemos um jogador por 15 milhões, não recebemos apenas 7,1.

      Eliminar
    3. A net tem destas coisa. Qualquer um pode mandar bitaites ignorantes. Como é o seu caso.

      Eliminar
    4. Os jogadores que o Sporting CP vendeu este ano afinal foram dados, soubesse-mos fazer negócios como o do Mitroglou né loool

      Eliminar
    5. A par do porco é quem gasta mais com pessoal

      Eliminar
    6. A realidade é fecundante, não é oh billocas?!

      Eliminar
    7. Realmente, como é que o teu benfic@ consegue fazer isso é um mistério!

      Eliminar
    8. O Empresário nunca levou nenhum negócio à falência. Já o teu LFV já não pode dizer o mesmo. E nós a pagar as suas dívidas.

      Eliminar
    9. Não vendem? tens a certeza disso? e ainda não percebeste de onde veio o lucro?
      Vai mas é ver onde anda a guita do Mitroglou. Vai lá, vai

      Eliminar
    10. Lê menos o CM e vê menos a CMTV e se calhar vivias mais por dentro da realidade... Eu acredito é no abatimento do passivo em 50M no carnide, no mesmo ano que emitem empréstimos obrigacionistas no valor de 3x esse montante, essas sim são contas acertadas...

      Eliminar
    11. John, este "milagre" deve-se aos 60 milhões que já pediram adiantados à NOS.

      Eliminar
    12. O mistério é sero, ou melhor, para perceber, é bola. Basta vender jogadores (Ruben Semedo e Adrien) e receber pelo preço da venda. Além de ter uma série de outros factores como bilheteira, receitas da Champions e Liga Europa, e outras em crescimento maior que as despesas.
      Mas MISTÉRIO, MISTÉRIO mesmo é ser campeão das vendas anos consecutivos e continuar a ser a 2ª maior divida da Europa. Só que esse mistério n~´os não queremos resolver .. outros que se preocupem com ele!!

      Eliminar
    13. O Rúben Semedo não entrou nestas contas.

      Eliminar
  6. Salientar que já no ano passado gastaram valores semelhantes aos outros grandes... Este ano passam a gastar mais que o Benfica! Vai ser bonito...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui não há desvios. Entra tudo para o Clube...

      Eliminar
    2. A cassete é sempre a mesma e depois cais na desgraça. Incha.

      Eliminar
  7. Estes resultados sao excelentes e obrigam-nos a estar cada vez mais atentos pois os lampioes e os morcoes nao nos querem fortes a disputar titulos ao que acresce o facto de os croquetes ja estarem a salivar com os €€€ e a quererem ir para o poder para comprar mais Brunos Marionis.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O clube está muito mais apetecível do que estava há cinco anos, isso sem dúvida.

      Eliminar
  8. Gosto sempre de ler estes posts, até porque são quase totalmente focados nas contas do SCP e muito menos nas dos outros.

    Uma curiosidade... qual é a explicação dos direitos de TV (primeira imagem, grafico à esquerda) terem descido? Pouco, sem duvida, mas menos que os 2 anos anteriores.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está explicado no texto: deve-se a uma redução do marketpool da UEFA (parcela dos direitos televisivos da LC/LE em função do país), não sei por que motivo.

      Eliminar
  9. Caro Mestre,
    Os custos com o pessoal do benfica incluem só os 300.000€ De vencimento anual do Jonas ou também os mails a de 2M€ suplementares que recebe pela porta do cavalo?
    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bem lembrado, Mindo, muito bem lembrado...

      Eliminar
    2. Acho que os custos da porta do cavalo eles equilibram com as receitas da porta 18!

      Eliminar
    3. Mas as receitas da Porta 18 só saem no relatório contas do Cartel de Medellín atenção.

      Eliminar
  10. Quando vigorar o contrato com a NOS, geramos em receitas correntes um valor bem próximo ao do Benfica.

    ResponderEliminar
  11. Resumindo, com estas contas o Sporting finalmente passa para primeiro. Com os 130 milhões de VMOCs é o clube português com a maior dívida.
    Sporting 400M€
    Benfica 385M€
    Porto 380M€ (com o estádio pago mas a ser amortizado em 50 anos)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As VMOCs não são somadas assim, oh labrego.

      Eliminar
  12. Onde podemos obter um "pdf" do "transparente" R&C do SCP? Já tenho do Benfica e do FCP (não está lá o crédito do Estoril). Não que eu entenda de contas, mas pode ser que dê para rir!

    ResponderEliminar