segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Investir ou não investir, eis a questão

Sucesso desportivo gera criação de valor que, por sua vez, pode ser utilizado para fomentar a renovação do sucesso desportivo, e assim sucessivamente. É o objetivo que qualquer sociedade desportiva ambiciona atingir e que, depois de alcançado, necessita de competência e objetividade para se manter. Mas para lá chegar é necessário ainda mais competência, porque os obstáculos que têm de ser superados implicam dificuldades muito superiores. 

O empréstimo obrigacionista que o Sporting lançou na semana passada é um bom exemplo de como os obstáculos são bem diferentes quando estamos distantes do sucesso desportivo. Apesar de ser uma ferramenta financeira a que as SAD's têm recorrido regularmente, este EO não está a ter qualquer tipo de apoio da banca na sua publicitação - canal privilegiado de contacto com os potenciais investidores -, e tem sido acompanhado de uma série de peças jornalísticas que se focam exclusivamente naquilo que pode correr mal, sem olhar para as especificidades de uma sociedade desportiva. Obviamente que o adiamento do reembolso do EO anterior contribui para que haja alguma desconfiança do mercado, mas, ainda assim, acho estranho que um empréstimo de 30 milhões encontre tantas reservas quando se sabe que o Sporting poderá conseguir isso com a venda de um único jogador ou quando está em vigor um contrato de direitos televisivos que valerá centenas de milhões de euros ao longo dos próximos anos.

Neste empréstimo obrigacionista, o Sporting vai emitir um mínimo de 15 milhões de euros e um máximo de 30 milhões, em função da procura por parte dos investidores. Se o valor total de obrigações subscritas não atingir o tal mínimo de 15 milhões, então todas as ordens de subscrição realizadas ficam sem efeito. É um passo muito relevante para a estabilização financeira do clube, e cujo sucesso afetará também a capacidade do clube em se reforçar no mercado de inverno. Como tal, é importante que todos os sportinguistas avaliem o produto e os seus riscos e potencial e, caso decidam investir, que o façam em função da sua capacidade financeira.

Eu já investi. A avaliação que fiz foi a seguinte: 
  • o juro é muito atrativo; 
  • não tenho receio de não ser reembolsado do valor investido, pois falamos de um montante que não é muito significativo face à grandeza de valores que a SAD do Sporting movimenta anualmente;  
  • o maior risco que está aqui em causa para o Sporting, a meu ver, é o investimento total não atingir os 15 milhões e a emissão obrigacionista ser cancelada - e nesse caso eu, enquanto investidor, não corro qualquer risco porque a subscrição fica sem efeito.

Caso o empréstimo obrigacionista seja emitido com sucesso, a situação financeira do Sporting ficará praticamente normalizada... e poderá melhorar ainda mais a curto prazo, caso o Sporting consiga concluir também a nova reestruturação financeira e a recompra das VMOCs. Tenho confiança no trabalho que está a ser desenvolvido pela atual administração, pelo que acredito que lá chegaremos - sendo que o sucesso do empréstimo obrigacionista facilitará certamente o sucesso das outras duas. Depois disso, serão muito menores os obstáculos que nos separam do sucesso desportivo.

P.S.: De salientar o contributo de Nani e Cédric na promoção do produto. Também Coates fez uma insta story ligada ao investimento no futuro do Sporting. É muito importante envolver os atletas e ex-atletas nas outras vertentes da vida do clube.


Eu também já investi.

12 comentários:

  1. Este tipo de publicidade podiam ter feito com o Podence Rafael Leão Gelson...

    ResponderEliminar
  2. Já agora vão ter de atualizar o prospecto pois o cashball deu zero de juro...

    ResponderEliminar
  3. Aqui podem fazer uma simulação

    http://web3.cmvm.pt/sdi/ifs/sim_obr/sim_obr_input.cfm

    Convinha salientar que baixos investimentos, por exemplo 2000 euros, dão prejuízo devido aos elevados custos. Corrijam me se estiver errado.

    ResponderEliminar
  4. So se eu fosse burro.
    Investi aquando da criação da SAD, não foi muito mas nunca vi retorno ,nem tornei a ver mais o que foi investido.
    Já agora , então os tais 71% onde andam ? Eles podiam chegar a barriguinha à frente...! Têm aqui a oportunidade da vida deles para mostrar quem realmente são.

    ResponderEliminar
  5. Os 71% que subscrevam essa merda! Da minha parte, não verão mais um cêntimo que seja.

    E só não deixo de pagar as minhas quotas, para poder dar uso aos meus 9 votos nas AG's e utilizá-los para ajudar a correr com a rataria golpista que tomou de assalto o meu clube, logo que haja oportunidade.

    ResponderEliminar
  6. Ora muito bem.

    Razão ou razões para não investir.

    Começo pelas razões para investir:
    1º A SAD precisa de liquidez;
    2º A SAD precisa reembolsar o anterior empréstimo.

    Razão para NÃO INVESTIR:
    - Não compactuar com a GOLPADA que deram ao meu Sporting Clube de Portugal, por não confiar na direcção da SAD

    ResponderEliminar

  7. Eles estão é preocupados em garantir que a boiada investe mais uns cobres para eles depois faturarem á grande. Ainda não me foram dadas quaisquer garantias pelo varandas que vá lutar pela maioria da Sad para o clube, nao me dá garantias de defender os superiores interesses do Sporting e nem uma pessoa da sua estrutura dá força e apoio ás investigações que estam a ser feitas. Vão atrás da lenga lenga do emprestimo obricacionista para encher os bolsos aos que lá andam a minar o nosso sporting, e daqui a 5 anos venham dizer que perderam dinheiro e que o sporting vendeu a sad.

    Só é manso quem quer, e quem não tem capacidade para analisar as coisas com discernimento.

    SL

    ResponderEliminar
  8. Segundo o simulador da CMVM, a partir de 900€ já dá lucro no ActivoBank pela Internet (pouco mais de 4€) mas via Balcão continua a dar prejuízo

    ResponderEliminar
  9. obviamente NÃO INVESTIR pois existem no mercado soluções de investimento muito mais vantajosas a curto prazo.
    o Risco de investimento num clube de futebol é altíssimo, pois passa de estável a instável em 90 minutos, além disso investir numa gestão que tomou o poder de forma muito dúbia e ainda cima com várias situações por resolver nos próximos meses (fruto de Assembleias Gerais e possíveis processos judiciais) aumenta exponencialmente o risco de recuperar o capital

    ResponderEliminar
  10. De acordo com esse simulador da CMVM, no meu caso com 1350 euros já não dará prejuízo desde que as condições da simulação se mantenham até ao reembolso.

    ResponderEliminar
  11. Mestre, aguardo post sobre o regresso dos notáveis e credíveis e do Barbini (como se ele alguma tivesse saído). Se os notáveis dizem para comprar, comprem. Eles sabem do que falam e de certeza que o dinheiro será bem utilizado.

    ResponderEliminar