quarta-feira, 5 de junho de 2019

O cúmulo do descaramento


Sou o primeiro a conceder que as circunstâncias em que Sousa Cintra e José Peseiro entraram no Sporting não eram fáceis. O período era de enorme turbulência, o clube encontrava-se completamente fraturado e as indefinições eram mais que muitas. Também é indiscutível que, mal ou bem, tanto Cintra como Peseiro fazem parte da época que acabou com a conquista de dois títulos. Foram eles que tomaram as decisões que formaram o plantel com que o Sporting atacou a época. Por isso, a sua influência no decurso da temporada é indesmentível.

No entanto, antes de entregar os louros que ambos reclamaram recentemente pela conquista dos dois títulos, é preciso fazer uma outra pergunta: o Sporting ganhou a Taça de Portugal e a Taça da Liga graças ao trabalho de Cintra e Peseiro... ou o Sporting ganhou a Taça de Portugal e a Taça da Liga apesar do trabalho de Cintra e Peseiro?

A resposta certa será graças e apesar. Renan, jogador fundamental pelo que fez nos penáltis, foi contratado por Cintra a pedido de Peseiro. Bruno Fernandes, o jogador que acabou por ser o motor da equipa, foi recuperado por Cintra. E acaba aí o contributo positivo de ambos.

Avancemos para o resto. O Sporting conquistou os dois títulos apesar do plantel desequilibrado e carente de qualidade. É certo que não se pode culpar Cintra por haver tantos jogadores inúteis que transitaram da época anterior, mas podiam ter feito um esforço para tentar libertar alguns deles e abrir espaço para outros que efetivamente pudessem acrescentar valor. Podemos também falar dos erros de avaliação de Peseiro, que não achou necessário contratar um ponta-de-lança que competisse com Dost, que não achou necessário contratar Fábio Coentrão por achar que Jefferson era melhor, mas que deu o aval para que Cintra estourasse 5,5 milhões na aquisição do inútil Diaby - descrevendo-o na altura como o jogador mais rápido do futebol português.

(via @CantinhoMorais)
O Sporting conquistou o título apesar do futebol miserável que praticou até ao despedimento de Peseiro. Vale a pena recordar que a qualificação para a Taça da Liga ficou comprometida quando fomos derrotados em Alvalade pelo Estoril, da segunda divisão. A única coisa positiva que saiu dessa noite foi mesmo o despedimento do treinador. Ou a deprimente exibição em campo neutro com o Loures para a Taça de Portugal, bem ilustrada pela imagem da equipa técnica a olhar desesperadamente para o relógio na esperança que os ponteiros andassem mais depressa e evitassem o possível golo do empate de uma equipa que terminou a época em 7º lugar do grupo D do Campeonato de Portugal.

Para além da frase que podem ler na imagem, Peseiro queixou-se de ter sido maltratado no Sporting. Não, José Peseiro. O futebol do Sporting é que foi maltratado pelo treinador que teve - indeciso, inapto para liderar competentemente um grupo de jogadores, e incapaz de colocar a equipa a jogar um futebol minimamente decente.

Quanto a Cintra, é de um descaramento completo dizer que o Sporting podia ter sido campeão caso a direção de Frederico Varandas não tivesse feito as movimentações que fez. Essas movimentações, apesar dos constrangimentos de tempo e dinheiro, salvaram a época de uma tragédia apenas equiparável à de 2012/13. 

Volto a dizer: as circunstâncias em que Cintra entrou no Sporting não eram fáceis. Mas qualquer pessoa com um mínimo de bom senso e conhecimento do futebol seria capaz de fazer bem melhor.

9 comentários:

  1. o discurso do peseiro é igual a ele mesmo: patético, de pessoa fraca, sem perfil de líder. queixa-se que foi despedido...esquece-se que ele só foi para o Sporting porque alguém despediu o treinador que já tínhamos, o Siniša Mihajlović. peseiro é, e sempre foi medíocre em termos de liderança e isso é fundamental para ser treinador, principalmente numa equipa como o Sporting.

    ResponderEliminar
  2. Obrigado Cintra e Peseiro pela excelente pré temporada.
    Obrigado Cintra e Peseiro pela dispensa do Demiral com opcao de compra ridicula.
    Obrigado Peseiro pela dispensa do Matheus Pereira. Nao precisavamos dele porque tinhamos o Diaby.
    Obrigado Cintra pela renovacao do contrato doJ ovane por valores que dao o exemplo aos outros jovens da formacao.

    ResponderEliminar
  3. Deplorável a atitude destes dois trolhas !

    ResponderEliminar
  4. O P0 foi o único treinador que conseguiu pôr o Bruno Fernandes a jogar mal, e isso diz muito da qualidade dele.
    Sempre foi e sempre será um treinador medíocre. Na altura em que veio meti as mãos à cabeça, e temi o pior, tinha bem presente na memória o trauma que deixou aquando da 1ª passagem. Com o Inácio lá (que não é nenhum Guardiola, mas vale mais que 100 P0's juntos) não se entende mesmo a ideia do do Sousa Cintra. Se não tivesse sido corrido o SCP nem nos 5 primeiros ficava.

    ResponderEliminar
  5. Foi Cintra que foi resgatar Bruno F ou foi Bruno F que decidiu regressar ao clube?
    É que são coisas diferentes.

    Já agora alguém se lembrou de perguntar a algum dos que rescindiram o que acharam das vitórias do SCP nesta época. Ainda não vi nenhum jornalista dos canais públicos ou da Sporting TV a ter a iniciativa. Acho extraordinário que ninguém tenha curiosidade em fazer perguntas aos que rescindiram.

    ResponderEliminar
  6. já não há vergonha, mas Demiral está aí para nos mostrar quão incompetentes são os homens.
    Cintra não foi obrigado a ir para as "galeras" e se entrou no Sporting, foi como homem livre e não como condenado e parece que ainda deixou uns milhões para regularização, sem qualquer remorso.
    Mais vale um minuto de fama, nem que seja no Sporting, que um resto de vida no anonimato.

    ResponderEliminar