quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Jognalistas: Joel Neto

Joel Neto é um escritor açoriano que passa parte do seu tempo a escrever crónicas em jornais do grupo Controlinveste. Já foi jornalista de O Jogo e Record, e portanto a noção de equilíbrio e bom-senso não lhe deveriam ser totalmente estranhos.

No entanto, a tendência dos comentários é muito semelhante ao dos seus companheiros João Sanches e José Manuel Ribeiro. Fala muito de Benfica e Sporting, quase sempre mal, e pouco do Porto, quase sempre bem. No entanto, é necessário destacar que Joel Neto fez em Julho uma observação irónica a uma declaração de Pinto da Costa a uma rádio venezuelana em como gostaria de ter um jogador da Venezuela no plantel. Será que deu direito a castigo?

Também é curioso que Joel Neto, durante a pré-época, fez alguns elogios a Bruno de Carvalho sobre o facto de ser criterioso nos investimentos e nas suas intervenções. Quando o Sporting começou a ganhar mais jogos oficiais do que estava à espera, os elogios a Bruno de Carvalho evaporaram-se e afinal não tem nada a ver com o sucesso da equipa (agora o autor defende que o sucesso deve-se exclusivamente a Leonardo Jardim e à falta de expetativas). Não me parece que Joel Neto tenha sido muito coerente em relação à importância da ação do presidente do Sporting.

Junte-se a isto o material com que nos presenteou sobre a homenagem aos bombeiros num jogo do Benfica, e creio que já dá para perceber o material de que este colunista é feito.

Fica um resumo dos textos que estão disponíveis no site ojogo.pt.



6 comentários :

  1. É um exercício bastante interessante. Deve seguir ao longo do tempo eventuais mudanças nas declarações consoante os resultados desportivos, como é apanágio da (péssima) comunicação social portuguesa.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece-me evidente que as "opiniões" destes colunistas (que são jornalistas) não seguem uma linha de isenção e equilíbrio. Aplica-se ao jornal O Jogo e certamente a outros jornalistas dos outros jornais. Nestes casos concretos que tenho apontado a colunistas de O Jogo, muitas das críticas que fazem a Sporting e Benfica são justificadas. O que não aceito é o tom sarcástico que muitas vezes usam na sua escrita e estranho a constante ausência de críticas ao Porto. Obrigado pelo comentário e um abraço.

      Eliminar
  2. O jogo não é o pior. É declaradamente tripeiro mas as pessoas já sabem o que contar. O pior era mesmo o Record de Alexandre Pais que se prostituía consoante a situação...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Coitado do Pais, devia andar desesperado para vender. A Bola é a biblia dos benfiquistas, o Jogo idem para os portistas. Os sportinguistas, desiludidos, não compravam jornais desportivos. O Pais tentava ir buscar algumas vendas às coutadas dos outros, e não olhava a meios para o conseguir. Só é chato que tenha sacrificado completamente a credibilidade do jornal.

      Eliminar
  3. Pois, a questão é essa. O Jogo e A Bola são notoriamente "clubísticos"...ao menos quando os leio já sei do que estou à espera. Já o Record...enfim.

    Agora com o Querido Manha a director nota-se um maior benfiquismo nas hostes. Penso que há um grande interesse em acabar com o Sporting, mas falharam enquanto puderam, porque a nossa força é mesmo brutal!

    Nomes como: LFVieira, Fernando Seara, Nuno Lobo, ASalvador fazem parte de um novo sistema...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A questão de haver indícios em como a bipolarização total do futebol português parece ser desejada por tanta gente é muito preocupante. Hei-de fazer um post sobre isso daqui a uns tempos.

      Eliminar