quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Brincando às convergências

O tempo é de férias para grande parte do país, mas a pré-campanha para a presidência do Sporting tem prosseguido a todo a vapor ao longo dos últimos dias. A lista encabeçada pelo DDT do Sporting foi finalmente anunciada - elevando para nove as opções de voto dos sportinguistas - e os candidatos continuam a desmultiplicar-se em entrevistas e sessões de esclarecimento por todos os canais de televisão e núcleos do país. Mas o grande twist and turn da semana acabou por vir de outras paragens: um grupo de sócios encabeçado por Miguel Poiares Maduro propõe animar ainda mais o estado das coisas apelando à "convergência de listas" - mesmo que isso implique o adiamento das eleições, fazendo uso do limite de seis meses previsto para o mandato da Comissão de Gestão - e propondo a criação de um Conselho Estratégico com acesso privilegiado à direção e a tudo o que se faz no clube e SAD.

Sinceramente, estas propostas parecem-me não fazer qualquer sentido, começando pelo apelo à convergência de listas. Em primeiro lugar porque não há quaisquer garantias de que uma convergência de listas permita a formação de melhores listas - mesmo que em teoria concentrem mais competências, em teoria também serão menos coesas. Em segundo lugar porque não é uma percentagem de votos mais ou menos elevada que vai determinar a legitimidade e sucesso de uma direção - acredito que a tolerância ao erro possa ser mais pequena se os votos estiverem muito divididos, mas aquilo que determinará realmente o seu sucesso será a competência demonstrada após a tomada de posse. Não existem melhores exemplos do que o mandato de José Eduardo Bettencourt (que, apesar de ter vencido com uma maioria esmagadora, rapidamente se desfez face ao péssimo trabalho realizado) e o primeiro mandato de Bruno de Carvalho (que, apesar de ter tido uma magra vantagem sobre Couceiro, conseguiu, através da qualidade do seu trabalho, agregar a esmagadora maioria dos sportinguistas à sua volta nas eleições de 2017 - mesmo que nesse período de quatro anos, desportivamente, tivesse apenas campeonatos de futsal para mostrar como conquistas).

Aquilo que realmente me preocupa não é o facto de existirem demasiadas candidaturas. O que me preocupa é o facto de, em tantas listas concorrentes, não ver em nenhum dos candidatos todas as características que considero essenciais para poderem vir a ser bons presidentes. Para mim, um bom candidato a presidente tem de ser alguém que saiba o suficiente de futebol para tomar decisões, mas que, sobretudo, conheça muito bem o mundo do futebol, que saiba mexer-se - dialogando ou fazendo frente quando necessário - nas instituições que regem o futebol, compreendendo sempre a importância do ecletismo para a identidade leonina, com conhecimento e capacidade comprovada de liderança, de organização e de comunicação, e que tenha sempre a preocupação de defender intransigentemente o clube e os seus sócios. Tudo o resto - estratégias sofisticadas para controlo e desempenho financeiro, planos para transformar a formação e a Academia, etc., etc. - é secundário. Não quer dizer que não sejam relevantes, mas não servem de nada se as coisas falharem naquilo que é realmente prioritário. E neste momento não vejo em nenhum candidato o pulso ou o conhecimento necessário para enfrentar todas essas frentes.

A questão das pessoas que os acompanham nas listas também tem a sua importância, claro, mas acaba por ser algo secundário, já que o futuro presidente poderá colocar na SAD quem bem lhe apetecer. Como tal, não me parece que a agregação de listas nos ajude a desencantar um melhor candidato.

Quanto ao adiamento das eleições, nem a brincar se deve sugerir uma coisa dessas. Sousa Cintra e o CG estão a fazer um trabalho globalmente positivo nos dossiers mais importantes, mas desastroso em tudo o resto... e a tolerância que os sportinguistas estão dispostos a dar-lhes neste momento passará a ser um bem bastante mais escasso quando começarem os jogos a sério. Se os resultados no futebol não forem bons logo ao princípio, não vejo esta CG com a capacidade necessária para gerir as frustrações dos sócios.

Em relação ao Conselho Estratégico... basta olhar para a apresentação feita (LINK) para se perceber que os proponentes não fazem a mínima ideia de como avaliar uma equipa de gestão desportiva - seria apenas uma criação destinada a alimentar egos e despejar na praça pública informação supostamente confidencial.

Mal ou bem, será com estes nove candidatos (e com os outros que eventualmente ainda surjam) que teremos de ir a votos em setembro. Ganhe com 90, 51 ou 25%, será uma direção legitimada que terá a benesse de não ter de assumir as responsabilidades do que correr mal na primeira época de futebol e, como tal, haverá tempo para se organizar. O que correr bem ou mal ao longo do mandato dependerá sobretudo da sua competência, e muito pouco da percentagem de votos que obtiver nas eleições. Melhor ou pior, a questão da sucessão terá de ficar resolvida tão rapidamente que possível e, desejavelmente, sem recurso a alianças artificiais, montadas em função do cheio a poder.

7 comentários :

  1. Mestre,

    A principal razão para o Maduro e amigos virem neste momento sugerir uma lista de convergência relaciona-se com o receio de Bruno de Carvalho e/ou Carlos Vieira poderem candidatar-se e vencer as eleições.

    E pelo que se tem visto nesta volta a Portugal de BdC pelos núcleos, esta é uma forte possibilidade, sobretudo com BdC que continua a ter significativo apoio de muitos sócios e adeptos, talvez até em crescendo face a algumas decisões tomadas nos últimos tempos pela CG e Marta Soares, bem como o surgimento de candidaturas que nos trazem à memória outros fantasmas pré-2013...

    Está interessante este momento pre-eleições, gerando expectativas e atenção bem maiores que as trasmitidas pela equipa de futebol...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso vai passar pelos tribunais, contra a Escumalha da Fiscalização, ilegal e imoral.. num processo político sem pés nem cabeça (tudo o que o Correio da manha é outros alegaram, está mais que provado que é MENTIRA), é nada como um processo arbitrário ao bom estilo dos piores ditadores do séc XX, para animar umas eleições... QUE DEPOIS PODEM SER IMPUGNADA, e a escumalha da fiscalização, DEVE ser ela expulsa de sócio, não por violar estatutos, mas por violar a Constituição da República Portuguesa.

      O pessoal ir na cantiga dos amigos do Narco Vieira, como o JMS, é no q dá.

      O que devia de ter sido feito vai-se fazer, pena q veja Carlos Vieira tão submisso... o pessoal sabe que o gabinete de crise pulula de excelentes advogados, mas não tem todos.. deve sobrar algun(s) para Carlos Vieira...

      Vejamos


      Se os processos a BDC e ao anterior CD, NÃO É POLÍTICO ... é por causa dos acontecimentos de Alcochete, a Polícia Judiciária, o MP, a PGR, não poderiam desmentir de forma mais categórica as pretensões da Escumalha Fiscalizadora... se é por causa de traumas a jogadores e funcionários, o Patrício, Podence, Gelson, Bruno Fernandes, Bas Dost, pai do Rafael Leão etc, não poderiam desmentir de forma mais categórica as pretensões da Escumalha Fiscalizadora... se é por PALAVRAS mais ásperas quando se queria um clube de freiras bem educadas, então a Constituição da República Portuguesa na sua liberdade de expressão, e todo o CD q não abriu a boca, muito incluído Carlos Vieira, não poderiam desmentir de forma mais categórica as pretensões da Escumalha Fiscalizadora... se é por causa de GESTÃO DANOSA, então o MENOR PASSIVO DE LONGE, entre os 3 grandes(ipsus facto), e o facto de Ricciardi se candidatar, não poderiam desmentir de forma mais categórica as pretensões da Escumalha Fiscalizadora...

      Portanto os processos a BdC e anterior CD, é porque não caíram em chantagens e subornos e não se demitiram, quando a JORNALIXEIRADA IMUNDA, VIL, *CORRUPTA*, TENDENCIOSA a pediu em bloco, fazendo para tal uma campanha IMUNDA E VIL, que é de certeza Record Mundial, pois nem Putin nem Trump tiveram tantas horas de enlameação... e o grave, grave, não é não terem-se demitido, é terem ido contra a JORNALIXEIRADA quando esta já estava a contar com o facto consumado, e assim estragarem muitos programas da podridão... e todos sabem que quem manda agora, e que se quer q mande em Alvalade é a JORNALIXEIRADA, por isso tantos candidatos (viva a Croquetagem.. peço desculpa aos q não gostam do nome, mas se arranjarem um sound byte mais alusivo e colorido a certo tipo de "mentalidades", eu mudo).

      O Sporting "confunde-se" com um partido político.... E ESSE FOI, É, E SERÁ O GRANDE INIMIGO.... não é haver candidatos e ou desunião, pois esta nunca existiu, pois TODOS querem o mesmo, TODOS gritam os golos e rejubilam com as vitórias, o problema é o EXCESSO de abertura à JORNALIXEIRADA, A tal ponto q parece que o Sporting existe para criar as "estórias" da JORNALIXEIRADA, e quem de dentro arranjar "estórias" e polémicas, é recompensado com uma exposição mediática, que nem uma celebridade candidata a Presidente da República sonharia ter -> EIS O ENORME INIMIGO DO SPORTING DA POLÍTICA, E SEUS MÉTODOS, mas q é tão fácil abater, pois é só querer —> BOICOTE TOTAL, PURO E DURO. PONTO

      Eliminar
  2. Uma baboseirada, o Sporting não pode esperar 6 meses, neste seu post concordo consigo artista, especialmente o que diz no ultimo paragrafo. ao contrario do que se quer fazer passar o facto de haver muitas listas não diminui a sua qualidade, naturalmente que a presença de BdC provoca muita poluição e mantem o clube debaixo da sua nefasta sombra, mas pelo menos 2 listas são fortes, em jeito de declaração interesses deixe-me dizer que a de João Benedito é para mim a candidatura mais forte, basta ir ler o seu programa e verificar quem o acompanha, gente do desporto, sinceramente deixa-me mais descansando do que listas cheias de comissões de honra carregada de doutores, engenheiros e etc

    ResponderEliminar
  3. "Mal ou bem, será com estes nove candidatos (e com os outros que eventualmente ainda surjam) que teremos de ir a votos em setembro. Ganhe com 90, 51 ou 25%, será uma direção legitimada".

    Para mim reside aqui o busílis da questão... Se forem mesmo os 9 candidatos... Se não permitirem alguns ir a eleicoes, grande parte dos Sportibguistas não vão reconhecer o resultado por não lhes ter sido dada a oportunidade de voltar no seu candidato.

    ResponderEliminar
  4. Mestre,
    O que eles gostavam era de convergir para lista única, à boa maneira cubana. E o ditador era o outro...
    Creio que isto é está relacionado com a candidatura do Ricciardi, para mais à frente justificar a fusão com o Varandas.
    Não consigo ser tão benevolente com a CG como o Mestre: trabalho globalmente positivo nos dossiers mais importantes? Mas como é que se avalia isso se não são prestadas contas aos sócios de nada? Como é que pode ser positivo resgatar um jogador melhorando o seu contrato? Isso é uma vergonha para o nosso Clube! Imperdoável, na minha visão.
    De qualquer forma, mesmo que a avaliação do CG fosse muito boa, nada justifica defraudar os sócios e adiar a possibilidade de se pronunciarem sobre o que querem para o Clube. Lembro que foi neste pressuposto que se votou a destituição.

    ResponderEliminar
  5. "Para mim, um bom candidato a presidente tem de ser alguém que saiba o suficiente de futebol para tomar decisões, mas que, sobretudo, conheça muito bem o mundo do futebol, que saiba mexer-se - dialogando ou fazendo frente quando necessário - nas instituições que regem o futebol, compreendendo sempre a importância do ecletismo para a identidade leonina, com conhecimento e capacidade comprovada de liderança, de organização e de comunicação, e que tenha sempre a preocupação de defender intransigentemente o clube e os seus sócios."

    Mestre, qual o candidato que reune a maioria destas carateristicas/qualidades? Aquele em que não vai votar...

    ResponderEliminar
  6. Como pessoa, primeiro, como ex-português em segundo lugar, mas como sportinguista desde que me conheço, senti as decisões do boneco JMS como pidescas. Saí de Portugal ainda não tinha 24 anos e nem o 25 de Abril me deu vontade de regressar por não acreditar nas promessas! Finais de 2014, aqui como sportinguista, retomei a esperança de ver o Sporting como um dos melhores da Europa (Mundo) e resolvi fazer-me sócio! Com as decisões do JMS (apoiadas por gente com dinheiro) sinto-me ludribiado e gostaria de contribuir para algo que reverta as decisões agora tomadas por gente que se entitulou como donos do Sporting e a quem não consigo atribuir esses privilégios! Sei que não sou o único mas, infelizmente, não conheço nenhum dos que pensam como eu! Convido o MdC a me ajudar a criar um movimento capaz de colocar as dúvidas mais que legítimas sobre esta forma de agir! Eu só poderei contribuir com dinheiro que sei, infelizmente, que pode ser um dos pontos fracos daqueles que não o têm! Claro que se pode sentir à vontade para utilizar o meu endereço electrónico!

    Abraço

    ResponderEliminar