quarta-feira, 14 de novembro de 2018

A detenção de Bruno de Carvalho

A invasão a Alcochete foi o pior momento da história do Sporting. Causou danos na vida de muitas pessoas, começando pelas dos jogadores - as vítimas do ataque -, e teve também o efeito secundário de provocar uma ferida profunda no relacionamento que muitos sportinguistas têm com o clube, ferida essa que tardará a sarar. E não podemos ignorar os danos desportivos, reputacionais e financeiros que também foram causados. Como tal, sendo eu um sportinguista que ficou enojado pelos acontecimentos que estão agora a ser investigados, desejo, como não poderia deixar de ser, que a justiça consiga para apurar o que realmente se passou e que puna todos os responsáveis, doa a quem doer. 

Desconheço os factos e provas apurados pelo Ministério Público que levaram à decisão de deter Bruno de Carvalho para interrogatório. Não vou especular sobre se havia motivos ou não para que tal acontecesse, mas parece-me claro que os direitos do cidadão não estão a ser respeitados quando este é obrigado a passar três noites numa cela antes de ser ouvido por um juiz - contribuindo assim para alimentar ainda mais o circo mediático que se sabia que iria acontecer. Ontem, para além do já habitual acampamento habitual à porta das esquadras e do tribunal e das não tão habituais perseguições de operadores de imagem a carros celulares e a outras viaturas policiais, chegou-se ao ponto de vermos uma jornalista a indignar-se em direto por as autoridades não lhe terem dado a oportunidade de filmar Bruno de Carvalho a entrar no tribunal algemado. Espero, por isso, que o sistema judicial faça por não contribuir para a transformação de um assunto muito sério num miserável reality show que faz salivar os responsáveis de muitos dos canais televisivos... e não só.

Resta-me partilhar a ideia que fui formando ao longo destes meses sobre o assunto. Tenho dificuldades em acreditar que Bruno de Carvalho tenha dado ordem para o ataque porque não vislumbro nenhum motivo racional que pudesse levar o então presidente a incentivar de alguma forma um ato violento contra os seus próprios jogadores, ainda mais estando a poucos dias de disputar uma final da Taça de Portugal que poderia ajudar a mitigar o insucesso do campeonato. As teorias que têm aparecido na imprensa oscilam entre o pouco convincente e o absurdo, como a de que a intenção de Bruno de Carvalho em ordenar o ataque passaria por forçar jogadores a sair. Aparentemente os autores desse artigo esqueceram-se que era notório que muitos dos jogadores estavam desejosos de sair do clube desde o malfadado post pós-Madrid e não precisavam dessa motivação extra. Mas lá está, é apenas a minha opinião e também aquilo que desejo. Mas como a vida nos vai mostrando que não é incomum sermos surpreendidos positiva ou negativamente pelas pessoas, neste momento não há muito mais que se possa dizer ou fazer que não seja esperar pelo decorrer do processo. Que no final se possa dizer que a justiça foi efetivamente aplicada.

19 comentários:

  1. Já alguma vez viram um truque de magia? Um mágico cria uma distração, enquanto faz o truque. O público olha para a distração e o truque decorre longe dos olhares. Começa hoje o processo de instrução e-toupeira...
    Ainda vamos levar com as suspeitas de toxicodependência do BdC e com a droga na sede da JL, mas ninguém vai falar de 9 Kg de droga na mala do carro do braço direito do orelhas...

    ResponderEliminar
  2. E que no final deste processo, possamos todos (ou pelo menos os que tem uma estrutura ética coerente) sentir que a justiça foi aplicada, e que a sociedade ganhe um sentido crítico e sede de justiça para muitos outros casos de testas de ferro e afins que por aí se vão escapando.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se julga que a justiça faz justiça, estará, em minha modesta opinião, redondamente enganado. Quanto muito, a justiça fará corretamente a aplicação da Lei, o que nem sempre acontece.
      Um "tipo" que roubou 6 euros (confessou) e que fez mais umas tropelias próprias de um "agarrado" está a ser julgado, mas na situação de preso. Um "gajo" que roubou milhões e já condenado, por várias vezes, continua aí livre como um "passarinho. É isto justiça? O que a nossa justiça nos dá todos os dias, é um exercício de arrogância e de poder para os que à partida estão já derrotados e de subserviência para quem está e continua na mó de cima.
      Quando o MP assume como seu porta voz a CMTV, está tudo dito quanto à natureza dessa Instituição.
      BDC nunca foi prudente e ingenuamente pensava que podia afrontar, sem consequências, os poderes, formais e informais, que agem no universo do futebol português, entre dirigentes, políticos, magistrados, corruptos, financeiros, empresários, e de todos aqueles que só andam no futebol, pela sua avidez ao dinheiro. É claro que vai pagar a dobrar, é a minha convicção.

      Eliminar
  3. ''...não vislumbro nenhum motivo racional'' mais grave seria se houvesse motivos racionais para tal ato ( há quem os pratique racionalmente, mas aí, creio já estarmos falar em gente sem escrúpulos (considerando o nível de gente que há nas clauqes, acredito na racionalidade de cometer estes actos e outros mais obscuros, aí já dúvido que o ex presidente esteja incluído (penso eu||). Normalmente estes actos são irracionais, logo, Bruno, considerando sua postura arruaceira e visceral, não é de todo impossível, sendo confirmado, que pague como qualquer cidadão (creio que o senhor Bruno se achou nos píncaros e como tal e como outros em determinados poderes, julgou ser intocável...em Portugal há muitos intocáveis e esta maltinha do futebol, como governantes, banqueiros etc...julgam ser ''senhores disto tudo''...mas ainda veremos mais pelos ''bancos do julgamento'' por mer.....da, pu.....tas e vinho verde, charutos...emoneyzinho, é o que não falta no futebol português e não só. Em Espanha a casa Real era intocável, os governantes eram intocáveis, agora é vê-los em cadeia...em Portugal chegará esse dia, e acredito na expurgação desta gentelha futebolistica e afins...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. So que não há qualquer comparação entre a intocabilidade do Bieira, por exemplo com a do Bruno.

      Eliminar
  4. A detenção em vésperas de greve na justiça é inocente?
    E a proximidade com a fase de inquérito de outro caso?
    Se fôssemos todos parvinhos diria que tudo isto são meras coincidências.

    ResponderEliminar
  5. Eu acredito que hoje, depois disto tudo, o Bruno esteja a dar pontapés a si próprio por não ter fugido para Vigo...

    ResponderEliminar
  6. Mais uma vez estou 100% de acordo com a sua análise ou, melhor 99%, porque procura um "motivo racional" para a acção do BdC, e em Maio de 2018 havia muita coisa na cabeça do Bruno, mas racionalidade manifestamente não havia. Dito isto, a atitude da investigação desde o início, a proximidade dos investigadores ao Cloaca da Manhã e os títulos deste não me parecem dar a mínima garantia de um processo justo e preocupado em encontrar a verdade. E, por fim, tenho vergonha por viver num país onde os tristes acontecimentos de Alcochete estão sujeitos ao um insuperável banzé mediático e o brutal assassinato de um adepto com posteriores cânticos de claques a festejá-lo, um ataque, esse sim, terrorrista a um hotel e multiplos processos por todo o tipo de crimes e corrupção passam quase despercebidos pelas páginas interiores dos jornais. E sinto revolta ao ver sujeitos que têm a falta de vergonha de se intitularem "comentadores sportinguistas" a colaborar nisto sem fazerem uma única referência à violência vinda do outro lado da 2a circular.

    ResponderEliminar
  7. Uma lição de vida para todos nós isto que se está a passar.

    ResponderEliminar
  8. A "Belenensização" do SCP continua em curso ...

    ResponderEliminar
  9. "Não vou especular sobre se havia motivos ou não para que tal acontecesse, mas parece-me claro que os direitos do cidadão não estão a ser respeitados quando este é obrigado a passar três noites numa cela antes de ser ouvido por um juiz."

    E parece que o Bruno não tem pressa nenhuma. A não ser para reclamar por uma suite.

    ResponderEliminar
  10. "Tenho dificuldades em acreditar que Bruno de Carvalho tenha dado ordem para o ataque porque não vislumbro nenhum motivo racional..."

    ResponderEliminar
  11. Aparentemente os autores desse artigo esqueceram-se que era notório que muitos dos jogadores estavam desejosos de sair do clube desde o malfadado post pós-Madrid e não precisavam dessa motivação extra.

    Exceto que o desejo de saída de uns quantos já vem desde o Euro 2016 e existem evidências que o comprovam. Basta vasculhar.

    ResponderEliminar
  12. Artista, a teoria de que a intenção do ataque passaria por forçar jogadores a sair justifica que a motivação do BDC estaria relacionada com poder alegar aos adeptos que foi "obrigado a vender" (por valores que recusaria em situações normais) e não com o facto de "motivar os jogadores a sair". Que o medo do BdC seria perder a reputação de excelente negociador.

    De qualquer forma não deixa de ser uma teoria descabida e rebuscada. Existiriam milhares de formas mais fáceis e menos arriscadas de poder justificar vendas por valores abaixo das expectativas dos adeptos.

    Penso que a teoria mais realista para justificar a ordenação do ataque será a mais simples. Raiva pelos jogadores/JJ (no seguimento dos acontecimentos pós Madrid e falhanço do acesso à LC) e descontrolo emocional para não pensar nas consequências.

    SL

    ResponderEliminar
  13. Na minha opinião começaste de forma péssima este artigo. A invasão de alcochete não foi pior que a morte do Rui, do Zé, do Paulo e até do Marco.
    Se preferes papaguear um cliché em vez de lhe dares o valor que realmente tem, gravíssimo ainda assim, é contigo. Mas peço-te ao menos que respeites quem morreu com o leão ao peito.

    ResponderEliminar
  14. Há muitos anos a esta parte, o Ministério Público e o DCIAP têm andado entregues à bicharada, estou-me a lembrar por exemplo, entre tantas outras igualmente nefastas, das execráveis figuras de Pinto Monteiro e Cândida Almeida.
    Com a chegada de Joana Marques Vidal em 2012, foi notória a melhoria, ao ponto de fazer muita gente acreditar de novo na Justiça portuguesa. Foram seis anos penosos para os criminosos deste país que já julgavam que a sua impunidade era um direito adquirido. Tivemos detentões e vimos seguir os seus trâmites processos que normalmentes ficaríam numa qualquer gaveta à espera da data de prescrição. Mas este estado de coisas não interessava aos gagsters, por isso havia que mudar.
    Provavelmente a mudança da Srª Procuradora e a escolha da sua substituta foi decidida em amena cavaqueira no intervalo ou no fim dum jogo na tribuna da Luz pelo anfitrião e os seus ilustres convivas oriundos dos diversos quadrantes de influência.
    Já se está a ver no que isto vai dar, LFV pode respirar de alívio, pelo menos nos próximos seis anos não irá ser preso e ainda irá assistir à queda daqueles que tiveram a coragem de denunciar as suas actividades criminosas. O polvo vermelho pode ter ficado sem alguns tentáculos, mas continua vivo e influente.

    ResponderEliminar
  15. A invasão a Alcochete não foi o pior momento da história do Sporting, nem o pior momento do futebol. A invasão do Sporting foi o pior momento da história do Desporto Português. É certo que a violência no futebol, dentro e fora do recinto deportivo passou a ser vista como uma banalidade, algo que nos habituámos a assistir e a aceitar como fazendo parte do desporto, em especial,no futebol. O que aconteceu bate de frente com todos os valores do desporto: fair play, promoção de saúde, fisica e emocional, desportivismo, esforço, vitória, derrota, companheirismo, amizade, associativismo, clubismo e tantos outros. Acho que o que aconteceu recentemente, refiro-me às várias detenções, vai para além dos clubes, não é mais que a defesa dos valores do desporto, é o querer elevar e levar o desporto, muito particularmente o futebol para o caminho certo. E quem quiser seguir outro caminho, com demonstrações várias de violência, irá em direção a outro caminho que muito provavelmente se cruzará com a justiça. O Sporting e os demais clubes saem reforçados. Se eu fosse Sportinguista sentia-me orgulhosa por o meu clube ajudar a mudar o futebol. Enfim, é somente a minha opinião, como mãe de um pequeno futebolista de 11 anos...

    ResponderEliminar
  16. Independentemente de no futuro (em julgamento) ainda poder acontecer muita coisa, e Bruno de Carvalho se culpado deva ser castigado, importa referir que:

    1- Se uns dias antes Bruno foi por sua livre vontade e iniciativa tentar ser ouvido, porque não o foi?
    Para dias depois o deterem?

    2- Porquê a filhadaputice da detenção num Domingo horas ANTES de um jogo do Sporting no Estádio de Alvalade?
    No minímo esperavam pelo final do jogo.
    Mas como se viu, não fez qualquer sentido ser no Domingo.
    Pergunto porque não foi na segunda feira?

    3- Foram necessárias quatro noites dormidas na "prisão"?
    Tivesse sido ouvido quando se ofereceu para tal e dormia zero ou uma vá!
    Mesmo assim não entendo porquê tantos dias para afinal ser solto.
    Ainda se juntou uma greve parcial que atrasava as coisas.

    4- Não há caracterização para o circo mediático que as televisões montaram.
    Um certo canal esteve 23 horas e 20 minutos em 24 horas com o assunto!
    Espero ver pelo menos METADE dos programas, comentadores, iniciativas, meios, quando os assuntos de justiça forem com OUTROS emblemas.
    Lembro-me dos tempos do Vale e Azevedo e as atenções foram foi tipo 1% disto e o apito dourado tipo 10%.

    Achava bem noticiarem as coisas até para informarem.
    Agora chegar ao ponto de filmagens e perseguições a carros policiais, muitas vezes de despistagem?

    ResponderEliminar