segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

A taça dos patinhos feios

É consensual que o Sporting possui um plantel desequilibrado, carente de soluções da qualidade necessária em demasiadas posições para se poder pensar na vitória no campeonato. Os adeptos têm consciência disso desde que que o plantel ficou fechado no verão, a direção tem estado ativa no mercado para reforçar a equipa com os poucos meios financeiros disponíveis, e o próprio treinador, ao limitar-se a dar a titularidade a um grupo restrito de 14/15 jogadores - a não ser que seja obrigado por causa de suspensões ou lesões -, demonstra não ter grande confiança em vários dos atletas que tem à sua disposição.

No entanto, é justo salientar a importância de dois dos patinhos feios do plantel na conquista de sábado. Por motivos diferentes, Renan e Petrovic foram duas das figuras da final four: o brasileiro pela ação direta que teve com quatro penáltis defendidos nos dois desempates; o sérvio pelo espírito de sacrifício que demonstrou ao jogar com uma fratura do nariz que arrepia só de olhar, permitindo ao treinador guardar a última substituição - que seria utilizada para colocar Diaby, decisivo pelo penálti que sofreu à entrada do tempo de descontos.




Renan tem desiludido no controlo da profundidade e na saída aos cruzamentos - hesita demasiado na saída dos postes -, mas tem estado a grande nível entre os postes e nas situações de um contra um. De certa forma, replica as melhores qualidades e os piores defeitos de Rui Patrício, e raramente tem tido responsabilidade nos golos sofridos. No entanto, o guarda-redes brasileiro tem sido o jogador mais contestado nas partidas realizadas em Alvalade. Sendo um guarda-redes que joga bem com os pés e tem indicações para evitar os pontapés longos nas reposições, costuma esperar por opções de passe que nem sempre surgem de imediato... e ao fim de 5 ou 6 segundos começam a ouvir-se assobios vindos da bancada, pressionando o guarda-redes a desfazer-se da bola de uma forma que não dá grandes chances de a manter em nossa posse. Há também a contestação alheia à sua prestação em campo, que tem a ver com a forma como foi gerida a (não) utilização de Viviano, e que acabou por criar alguma má-vontade dirigida a Renan por parte de alguns adeptos.

Petrovic é um jogador com limitações evidentes como construtor, mas é, neste momento, o único médio defensivo de raiz e, fruto da sua polivalência, é também o quarto central do plantel. Não caiu no goto dos sportinguistas porque não tem nem nunca teve características para substituir devidamente William Carvalho, mas pode ser um jogador útil quando necessitamos de um jogador de funções exclusivamente defensivas. E, verdade seja dita, tem surpreendido pela positiva quando utilizado como central de recurso. 

Aceito que Renan e Petrovic não sejam vistos como soluções ideais para as posições que ocupam (concordo), mas penso que está na altura de serem mais apoiados por TODOS os adeptos quando estão em campo. Certamente que terão maiores condições de ajudarem a equipa a atingir os seus objetivos se não forem assobiados à primeira oportunidade.

13 comentários:

  1. No último jogo tive-me de virar para trás para calar um assobiador. Seis segundos? Nem dois foram. Assim que o Renan toca na bola é logo duas assobiadelas e pior muita a gente e concordar que joga mal com os pés! Petrovic já vejo muita gente a começar a gostar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na minha zona é igual. Havia um que berrava insultos e depois ria-se para o lado, como se estivesse à espera de agradecimentos pelo bom serviço que estava a prestar.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. O Diaby teve a felicidade de estar no sítio certo e na hora certa para levar uma pantufada desnecessária. :)

      Eliminar
  3. Concordo em absoluto. Eu tenho sido particularmente crítico do Petrovic, muito por culpa do incompetente do Pezero que fazia dele titular indiscutível e, por arrasto, tornou-se muitas vezes bode expiatório dos inúmeros resultados adversos fruto dum futebol horrível que a equipa praticava. Reconheço que Petrovic tem sido ultimamente utilizado em situações pontuais e tem-se mostrado útil à equipa.
    Vivi com bastante descrença o momento da substituição forçada do André Pinto, que, em minha opinião estava a fazer talvez a melhor exibição ao serviço do Sporting de que tenho memória, mas Petrovic veio mostrar que os meus receios eram infundados e, mesmo magoado com alguma gravidade, portou-se à altura e deu o seu contributo para esta conquista.
    Ao Petrovic, queria aqui deixar as minhas desculpas por todas as vezes que, talvez injustamente o considerei o maior culpado de todas as desgraças (logo a seguir ao PeZero) e deixar também o meu obrigado pelo espírito de sacrifício demonstrado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já na época passada o Petrovic fez alguns jogos competentes a central. O André Pinto estava sem dúvida a fazer um excelente jogo, mas não fiquei "demasiado" preocupado com a entrada do Petrovic. De qualquer forma, nunca convenceu como médio construtor e é compreensível que não suscite grande confiança, ainda mais sendo utilizado tão esporadicamente.

      Eliminar
  4. Os melhores adeptos do mundo sao assim. No jogo Alvalade ficamos a ganhar aos 3 minutos com golo do Nani. Aos dez minutos ja assobiavam o proprio Nani porque nao conseguiu um drible ou falhou um passe. Um jogador que voltou ao Sporting porque gosta do clube. O jogador com mais estatuto mundial do clube e ate da liga toda (tirando Casillas e talvez Pepe) e o pessoal assobia e chama nomes.
    E isto é de sempre. Uma vez vi um jogo em que um jogador marcou 2 golos e fez uma assistencia e foi assobiado por fez um remate para a bandeirola de canto.
    E arranjam sempre uns patinhos feios so porque sim. Acosta, Slimani, Teo Gutierres e quantos mais. Alguns ficam tempo suficiente para os calar, outros ficam condicionados.
    Se algum dia o Cristiano Ronaldo voltar a Alvalade como jogador do Sporting, os melhores adeptos do mundo tambem o vao assobiar.
    Tenho muita pena, mas o pior no Sporting sao os adeptos. Nao todos, mas infelizmente muitos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma minoria, mas é uma minoria que facilmente faz muito ruído no estádio... e os jogadores apercebem-se perfeitamente disso. É pena que as pessoas não tenham consciência do efeito que provocam.

      Eliminar
  5. sou e sempre fui o assobiar dos nossos jogadores, por muito mal que estejam a jogar.. é que assobiar não ajuda em nada..
    no final do jogo aí é outra conversa.. agora logo nos segundos iniciais não..
    então e aquela "moda" de se assobiar quando a equipa coloca a bola no gr de modo a sair a jogar com maior segurança é que me deixa lixado.

    quando aos dois jogadores, para mim o Renan até tem qualidades para ser titular, mas falta uma muito melhor saída dos postes.. é demasiada hesitação
    quanto ao Petro, é util a tapar buracos e não é tão mau quanto pintam, mas nunca será titular.
    nesta taça mostraram que merecem mais respeito dos adeptos.. outro caso que semelhante é o de André Pinto.. que não sendo um fora de série, é melhor do que o pintam

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo: não vejo quaisquer problemas no final, é o momento certo para se mostrar desagrado pela exibição. Durante o jogo... só serve para ajudar os adversários.

      Eliminar
  6. Renan é o melhor GR que temos e um dos melhores da liga. Não se sai aos cruzamentos ... o Casillas foi 2 ou 3 vezes campeão europeu sem por um pé fora da pequena área.

    Petrovic melhorou muito com Keiser, mas continuo a odiá-lo 100x pior que o Palhinha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo o Patrício só nas últimas duas épocas no Sporting é que começou a sair a alguns cruzamentos.

      Eliminar
    2. Ao contrário da opinião generalizada, eu nunca fui fã do Patrício. Melhorou muito nos últimos anos, é certo, mas se fizermos um balanço de toda a carreira na equipa A, acho que os frangos superam as grandes defesas. A jogar com os pés é um desastre completo e esse é um atributo muito importante no futebol atual. Confesso que sempre achei um exagero considerá-lo um dos melhores da Europa e o facto é que há muito se falava na sua saída mas ofertas concretas nem vê-las. Só mesmo a custo zero conseguiu arranjar um clube de meio da tabela, pertencente ao carrossel do Mendes.
      Enquanto o Beto esteve no Sporting sempre achei que, se lhe fosse dada uma oportunidade, poderia muito bem tirar o lugar ao traidor. Tive muita pena que isso não tivesse acontecido, muito provavelmente Beto seria neste momento o dono da baliza e nós estaríamos muito bem servidos.

      Eliminar